Fazendo a sua parte

Bonecos recortados em papel de mãos dadasHoje é o dia Internacional da Pessoa com Deficiência e, sem dúvida, você vai ouvir falar sobre isso nos jornais. Provavelmente vão mostrar passeatas, cadeirantes, cegos e outras pessoas com deficiência, mas aí você se pergunta: o que eu posso fazer para ajudar? A-há! E se eu te disser que não é difícil, e muitas vezes nem colocar a mão no bolso é preciso? Impossível? Que nada, veja algumas dicas abaixo:

Quando estacionar o carro, respeite as vagas reservadas e tome cuidado para não parar em  frente a uma rampa. Jamais estacione em cima das calçadas.

A maioria das pessoas com deficiência deseja ser tratada como qualquer outra pessoa, e não como um super-herói ou um coitadinho. Um cumprimento simpático é muito mais legal que um elogio estupefato ou um olhar compadecido.

Quando for a um banheiro público, use a cabine adaptada apenas quando todas as outras estiverem ocupadas. Lembre-se que algumas pessoas só conseguem usar aquela cabine.

Ofereça ajuda, sempre! Mas não se ofenda caso ela seja declinada.

E o seu prédio? Vai fazer aquela mega-reforma e trocar todo piso da portaria? Por que não aproveitar para construir uma rampa? Vai ajudar não só quem usa cadeira de rodas, mas também idosos, ou pessoas com carrinhos de bebê ou de compras. Tente seguir as normas da ABNT (Clique aqui para baixar o PDF – 3,2Mb), para que todos possam usá-la com segurança e independência.

Você tem uma loja ou qualquer outro estabelecimento? Conhece alguém que tenha? Não se esqueça de colocar uma rampa na entrada e adaptar ao menos um banheiro!

Imagine que você vai reformar o banheiro da sua casa. O comum é usar portas de 60cm de largura, mas aí nenhum cadeirante conseguirá entrar no banheiro. Colocando portas com largura de 70cm ou 80cm (o ideal), você facilita a entrada para quem usa cadeira de rodas! E se o espaço for apertado, uma porta que abre para fora pode ser a solução.

Por último, mas não menos importante, lembramos que esse ano a discussão proposta pela ONU para o dia 03 de dezembro é sobre o trabalho e pessoas com deficiência.
A empresa onde você trabalha vai contratar alguém? Pense em um surdo, um cego ou um cadeirante para preencher a vaga!

Sei que as últimas quatro dicas não são tão simples, mas em compensação trazem benefícios muito importantes! O ideal seria que as seguíssemos sempre que tivéssemos oportunidade.

E você, tem mais alguma dica?

Facebook Comments

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

6 comentários em “Fazendo a sua parte

  • terça-feira, 4 de dezembro de 2007 em 10:54
    Permalink

    A DIVULGAÇÃO DOS DIREITOS DO DEFICIENTE DEVERIA SER IGUAL O COMERCIAL DA COCA-COLA, OU SEJA, A TODO INSTANTE.
    O DEFICIENTE TEM PROBLEMAS P/LOCOMOÇÃO SEJA NOS ÔNIBUS, O MOTORISTA FAZ QUESTÃO DE PASSAR DO PONTO E LEVAR PARA MAIS ADIANTE PQ É CONVENIENTE; SE o deficiente ESTIVER DE CARRO O ESTACIONAMENTO ESTÁ TODO TOMADO DE OUTROS CARROS C/CONVENÊNCIA DO PM Q FICA PRÓXIMO
    CADÊ OS ÔNIBUS ADAPTADOS P/DEFICIENTE ? SERÁ Q FOI PROPAGANDA ENGANOSA ? nÃO SOU DEFICIENTE, MAS TENHO UMA FILHA Q JÁ ESTEVE NA CADEIRA DE RODAS, MAS DEPENDE DE ÔNIBUS TB.
    EU SAIO SEMPRE E ATÉ HOJE SÓ VI UM ÔNIBUS ADAPTADO COMO PROPAGANDA E OUTRO NA SEMANA PASSADA C/PASSAGEIROS.
    VEMOS Q PROPAGANDA E VERBA EXISTEM MAS O EFEITO É OUTRO.

    dezembro 4th, 2007 - 10:54
    Mão na Roda respondeu:

    Olá Alita,É realmente uma vergonha, os ônibus adaptados existem, mas são em números mínimos. As empresa de ônibus têm obrigação de adaptar apenas um ônibus da sua frota, o que é quase a mesma coisa que nada. Essa é uma eterna discussão e pretendemos fazer um post sobre isso também. Obrigada por voltar. Abs, Bianca

    Resposta
  • quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 em 21:03
    Permalink

    Ola Bianca ^^

    Ops… desculpe ne… Eu devia ter dito que estou no japao… >___< Mas como ja comentei algumas vezes aqui, e sempre disse que moro no japao, nao quis ser repetitiva, senao todo mundo vai pensar "nossa, a gente ja sabe que ela mora no japao" hehe… E com certeza vou voltar pro brasil vendo tudo diferente, ja que aqui, apesar da falta de espaco, eh tudo bem adaptado, qualquer deficiente se sente mais cidadao aqui.
    Arigatou pela resposta ^^

    dezembro 5th, 2007 - 21:03
    Mão na Roda respondeu:

    Ih! Foi mal! Então vc é a nossa leitora do Japão! Desculpe, eu não tinha ligado o nome à pessoa. Aliás, sou péssima com nomes :P. Mas não precisa mais repetir essa informação não, ok? Já registrei aqui no meu cerebrozinho que vc mora do outro lado do planeta. Ah! E pode ter certeza, que quando estiver de volta ao Brasil, vai sentir a diferença… Valeu pela presença assídua! Volte sempre!Abs, Bianca

    Resposta
  • quarta-feira, 5 de dezembro de 2007 em 00:07
    Permalink

    Ola Eduardo ^^
    Primeiro queria agradecer a explicacao que me deu, sobre as carteirinhas de deficientes. Tenho um amigo com problemas cranio faciais, que possui a mesma carteirinha, eu pensei que variasse, de grau, dependendo da deficiencia.
    Ah, na minha fabrica tem um surdo, e na outra que trabalhei tambem tinha. Nossa, ele eh surdo e mudo, mas "fala e ouve" mais que eu..rsrs…
    Uhm..e os posts da Bianca sao muito bons, embora eu nao conviva com um cadeirante, depois que comecei a ler o blog de voces estou prestando mais atencao nesses detalhes. Um dia fui no Mcdonalds com uma amiga e comentei "nossa, aqui eh muito bem adaptado pra um cadeirante ne", ela me olhou com cara de interrogacao, ja que eu nao conheco nenhum..rs..
    Mas eh muito bom isso, comecar a olhar alem do proprio umbigo, se todo mundo se colocasse um pouco no lugar do proximo, acho que a vida seria mais facil para voces ne… Abracos…

    dezembro 5th, 2007 - 00:07
    Mão na Roda respondeu:

    Olá, PyonPyon! Muito obrigada pelo seu comentário! Ficamos muitíssimo felizes, quando alguém nos diz que por causa do blog, passou a olhar para o mundo de outra forma. É justamente o nosso objetivo e só nos deixa ainda mais empolgados e contentes, saber que o blog está surtindo efeito. Essa história do McDonald´s foi ótima! Queria até saber em qual deles isso ocorreu, pq numa das lojas de Copacabana eles não tiverem essa preocupação.Volte sempre e mais uma vez obrigada! Abs, Bianca.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest