Opinião e cotidiano

Era só o que faltava…

17

Martelo da justiça e símbolo de acessoParece piada, mas não é. Luiz Fernando Knaack pediu para construírem uma rampa, e agora é processado por danos morais.

A história começou quando a filha de Luiz, que usa cadeira de rodas, teve que fazer um exame médico. Foram, ele e a filha, à uma filial do laboratório Pro Echo em Copacabana. Lá chegando, havia um degrau que dificultava muito a entrada da cadeira, e Luiz solicitou aos responsáveis que construíssem uma rampa. Nada mais apropriado, tendo em vista a clientela do laboratório e a obrigatoriedade por lei, segundo uma norma da ANVISA.

Pedido negado, Luiz, como cidadão, criou um fotolog mostrando o descaso da Pro Echo e de outros estabelecimentos nas cercanias. Mostrou também fotos de locais onde pedidos semelhantes foram atendidos, exemplo de que nem tudo está perdido.

O próximo capítulo dessa história, apesar de parecer fictício, não é. Luiz está sendo processado pela Pro Echo por danos morais. Provavelmente a empresa achou mais fácil, barato ou razoável (deve ter algum motivo, né?) processar Luiz ao invés de construir uma rampa.

A primeira audiência será nesta 5a feira, dia 06 de dezembro, às 14hs, na 10a. Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e Luiz convoca os interessados no caso para dar uma força e presenciar mais uma etapa dessa história enfadonha.

Não sei quanto à vocês, mas eu já sei onde NÃO faço mais meus exames.

Mais informações: http://fotolog.terra.com.br/deficientes

Sobre o autor / 

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

17 Comentários

  1. Haroldo Kennedy Clebicar Nogueira sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 14:29 -  Responder

    Do jeito que o país anda, não me admiraria se o juis realmente processasse o sujeito que exerceu sua cidadania, ou aqui não é um país que ainda manda crianças para serem estupradas numa cadeia com 20 omens, sem "h" mesmo!

  2. Haroldo Kennedy Clebicar Nogueira sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 14:30 -  Responder

    Do jeito que o país anda, não me admiraria se o juiz realmente processasse o sujeito que exerceu sua cidadania, ou aqui não é um país que ainda manda crianças para serem estupradas numa cadeia com 20 omens, sem "h" mesmo!

    dezembro 7th, 2007 - 14:30
    Mão na Roda respondeu:

    Não acho que isso vá acontecer. Acho pouco provável que a Pro Echo ganhe essa. Mas o mais importante é divulgarmos a notícia e não botarmos o pé lá! Abs, Bianca

  3. Edson Alves Martins sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 14:57 -  Responder

    Esta HISTÓRIA está mal contada !!!

    dezembro 7th, 2007 - 14:57
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Edson, eu pensei a mesma coisa quando fiquei sabendo da história. Mas é isso mesmo. A Pro Echo justifica sua ação na justiça, dizendo que não tem como montar a rampa na entrada e que com seu fotolog o Luiz estaria sujando a imagem do laboratório. Parece surreal, mas é verdade. Mais informações sobre o processo, você encontra no link: http://srv7.tj.rj.gov.br/consultaProcessoWeb/consultaMov.do?numProcesso=2006.001.035681-2&acessoIP=internet. Abs e volte sempre! Bianca

  4. Vida Pinheiro sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 16:37 -  Responder

    Essa notícia faço questão de divulgar para todos de minha rede, para que deixem de fazer exame na fotolog.
    Sugiro que o resultado da audiência e da sentença seja divulgada em larga escala para que tomemos conhecimento

  5. Marta Helena Nenice sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 18:00 -  Responder

    Quebrei o tornozelo dia 10 de outubro, fiz uma cirurgia e desde então sou uma "cadeirante provisória". Nestes dois meses perdi a conta dos constragimentos pelos quais passei pela falta de acessibilidade em consultórios, laboratórios, restaurantes, lojas, etc. Agora estou na fase do andador e das moletas, mas a dificuldade continua. Calçadas esburacadas, escadas e degraus em quase todas as entradas e até recusa de taxistas em carregar a cadeira de rodas no porta-malas. Só quem vivencia o problema tem a verdadeira dimensão da falta de respeito com os cadeirantes neste pais. Até em consultório médico deixei de entrar por falta de rampa (era um ortopedista, pasmem, que atendia em uma casa adaptada). Minha total solidariedade a todos os que vivenciam esta situação cotidianamente.

    dezembro 7th, 2007 - 18:00
    Mão na Roda respondeu:

    Obrigada, Marta! Uma pena termos que passar por isso cotidianamente ou mesmo provisoriamente. A idéia do blog é mostrar pra quem tem ou não o problema que as soluções existem. Volte sempre! Abs, Bianca

  6. SenhoritaMonica sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 18:10 -  Responder

    EM NITERÓI UMA DAS PRINCIPAIS VIAS DA CIDADE, A AV AMARAL PEIXOTO, TEM UM TRECHO MOVIMENTADÍSSIMO QUE NÃO TEM CALÇADA!!!! os cadeirantes, carrinhos de bebe e pedestres tem que passar na rua, quase sendo atropelados pelos carros. Eu já reclamei, os jornais já noticiaram e nada!!! a prefeitura ignora a todos!! e o governo é do PT !!!

  7. Marcos Vinicius Pereira sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 19:08 -  Responder

    Deixe-nos informado do andamento do processo, se possível, ok?

    dezembro 7th, 2007 - 19:08
    Mão na Roda respondeu:

    Olá Marcos, pretendemos sim escrever mais sobre o processo, já entramos em contato com o réu e estamos aguardando uma resposta. Volte sempre! Abs, Bianca

  8. Caligari sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 20:02 -  Responder

    Caramba, na minha família todo mundo utiliza esse laboratório! Mas de agora em diante, vamos procurar outro lugar, com certeza!

    dezembro 7th, 2007 - 20:02
    Mão na Roda respondeu:

    Mais importante que boicotar, é conseguir que eles se toquem e coloquem a tal rampa! Vamos torcer para que isso aconteça! Obrigada pela visita! Abs, Bianca

  9. luiz carlos tempone dias martins sexta-feira, 7 de dezembro de 2007 em 20:04 -  Responder

    meu caro Luiz Fernando , chega a ser hílario para não dizer vergonhoso, que uma empresa prestadora de serviço tome uma atitude desta, mas, você pode ter certeza que o juiz ou juiza terar grande sensibilidade com este caso, até porque não só as pessoas que andam de cadeira de rodas , temos as pessoas idosas que não podem subir escada, mesmo que seja de apenas um degrau, como é o caso de um menbro de nossa família. Portanto tenha fé poisDeus tem mais para lhe dar do que lhe tirar , vamos ver que argumento está empresa vai ter perante ao juiz, para querer subtrair algum dinheiro do bolso de vocês. Um grande abraço e fé.

  10. Heitor Luiz quinta-feira, 20 de maio de 2010 em 10:13 -  Responder

    Como será q anda esse processo ?

    maio 29th, 2010 - 20:50
    Eduardo Camara respondeu:

    Opa Heitor! Estou por fora… Talvez uma busca nos sites dos tribunais ou então uma visita ao Fotolog do Luiz Fernando esclareça! Abraços!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook