O banheiro king size

Pretendo ser bem sincera aqui e por isso confesso: até pouco tempo atrás, nunca tinha atentado para o fato de que, apesar de não ser exclusivo, o ideal seria que não usássemos o banheiro adaptado.

moça na porta do banheiro adaptado, se perguntando se entra ou nãoPerguntam os mais impacientes: “Ah! Mas qual o problema? A pessoa deve entrar na fila como qualquer outra. Eu espero, ela também pode esperar”, (eu pensava assim, ok?). Pois é, porém, se pararmos pra analisar a situação, a pessoa com deficiência não tem alternativa, a não ser usar o banheiro preferencial. Se outra cabine vagar, ela não pode usá-la, percebe? Sendo assim, se ela entrar na fila, ela espera mais do que você. É uma simples questão de matemática.

“Poxa! Mas os banheiros adaptados são tão melhores! Eles são enormes, espaçosos. Pra que tudo isso?” Pois é, eu também me fazia essas perguntas. Mas pense bem, você já tentou entrar num ambiente apertado e pequeno com uma cadeira de rodas? Dependendo da largura da porta, a cadeira nem passa. Quando passa, em muitos casos não consegue manobrar. Ou então, consegue manobrar, mas não tem espaço para passar da cadeira para o vaso sanitário. Já pensou em tudo isso? Pois é. Eu nunca tinha pensado. Aliás, eu adorava usar o banheiro mais largo, vejam vocês!

É por essas e outras, que atualmente, eu prefiro esperar e deixar o banheiro adaptado vago. Mesmo que a quilômetros de distância eu não veja uma pessoa com deficiência, não vou usar. Vai que ela aparece do nada, super apertada e me vê saindo com a maior cara lavada da cabine? Micão!

Facebook Comments

18 comentários em “O banheiro king size

  • quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 em 10:40
    Permalink

    Oi Bianca,

    Concordo que o ideal seria deixar o banheiro adaptado para uso exclusivo dos portadores de deficiência. Só que geralmente o uso não é exclusivo, e sim preferencial, ou seja, se não houver nenhum cadeirante por perto, as pessoas vão lá e usam sem ver problema..

    Mal comparando, há a questão dos caixas de atendimento preferencial, que também não são exclusivos. A pessoa usa o caixa por estar vazio, logo em seguida chega uma grávida (meu caso) ou um idoso e fica esperando, em pé, a pessoa acabar de ser atendida…

    Será que seria possível os estabelecimentos restringirem banheiros e filas para uso EXCLUSIVO, assim como as vagas para deficientes e idosos?

    Acho que só obrigando para o povo acatar (e mesmo assim não é garantido). Se deixar a critério do bom senso de cada um já sabemos o final da história!

    janeiro 30th, 2008 - 10:40
    Mão na Roda respondeu:

    Essa discussão é mesmo complicada. Depois que publiquei esse texto, pensei novamente sobre o assunto e já fico na dúvida se o banheiro deve ser exclusivo ou preferencial. O único problema é a falta de higiene. Muita gente não usa os banheiros públicos devidamente e quando as pessoas com deficiência precisam deles, ficam na mão, porque outros o deixaram bem sujo… Abs, Bianca

    Resposta
  • quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 em 11:40
    Permalink

    Eu confesso que já usei uma vez o banheiro reservado a cadeirantes. Estava hiper-ultra-apertada e a fila no shopping estava enoooorme. Era isso ou mijar nas calças… 🙁

    janeiro 30th, 2008 - 11:40
    Mão na Roda respondeu:

    Tá certo, Elaine. Se vc usou e não sujou, tá beleza. Abs, Bianca

    Resposta
  • quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 em 12:03
    Permalink

    Esta questão dos banheiros é complexa. Não sou totalmente contra ao fato de que pessoas sem deficiência usem os banheiros preferenciais, mas como vivemos num mundo desorganizado, este uso acaba sempre gerando confusão pq vem uma pessoa folgada, que se encanta pelo tamanho do lugar, que passar horas lá dentro, faz maquiagem, se olha no espelho, estas coisas… É complicado opinar e fechar opinião. Eu já usei e confesso que uso as vezes o banheiro. Mas é sempre mais rápido do que um espirro. Acho q é assim q tem q ser, procuro nunca usar, mas quando uso… é super fast!
    Temos todas estas questões doe spaço qeu a Bianca considerou e mais algumas importantes como a diferneça entre se estar apertado com ou sem deficiência. Eu, neste estado, posso esperar algunas minutos a mais pq sei, descupe a franqueza, que é entrar no recinto e fazer pipi. Já um cadeirante precisa entrar no banheiro, ver a questão do espaço para o vaso, como vai se deslocar da cadeira para o vaso, se o vaso está limpo e, com certeza,

    Resposta
  • quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 em 12:07
    Permalink

    CONTINUAÇÃO DO POST DE BAIXO:
    mais algumas questões. Quem for usar, acho q até pode fazê-lo. Mas o uso deve ser regulado por muita responsabilidade. Sempre! Atenção para a limpeza. Ainda bem q o banheiro de cadeirante está sempre limpo, na maioria do casos. Fico imaginando como seria se fosse como muitos dos sanitários comuns em q já fui, um horror! Enfim, acho q temos um tema rico para abordagens de idéias.

    janeiro 30th, 2008 - 12:07
    Mão na Roda respondeu:

    Pois é, Jaqueline, depois de ler os comentários, comecei a repensar minha opinião. O uso rápido e responsável por quem não tem deficiência pode até acontecer. Mas como vc mesma disse: de forma correta. Sabemos que muita gente não senta no vaso, mas cadeirantes não têm outra opção e se o vaso estiver sujo… Já vi muito cadeirante desistindo de ir ao banheiro. Abs, Bianca

    Resposta
  • quarta-feira, 30 de janeiro de 2008 em 15:12
    Permalink

    Confesso que tb já usei. Mas só quando o lugar estava vazio… Acho que se for usado o bom senso, não há problema em usar a cabine especial.
    A última vez que usei foi no shopping New York, na área dos cinemas. O banheiro só tinha 3 cabines: uma delas era a preferencial (desocupada), uma estava com a porta quebrada e a outra ocupada. Como o shopping estava vazio naquela hora, não pensei duas vezes…
    Mas assim como a existência das cabines especiais é obrigatória, também deveria ser cobrado obedecer a quantidade ideal de cabines de acordo com o uso do local e manter as boas condições dos banheiros. Como um cinema do porte do UCI tem um dos banheiros só com 3 cabines e uma com a porta quebrada?? Absurdo…

    janeiro 30th, 2008 - 15:12
    Mão na Roda respondeu:

    Pois é, Isabela, depois que li os comentários do post, percebi que deveria repensar minha opinião. Mas uma coisa é certa: se existem muitas cabines no banheiro, fico longe da adaptada. Se ela for a única opção e eu não puder mesmo esperar, posso usá-la, mas com todo cuidado. Limpeza e higiene sempre! Aliás, isso vale pra qq banheiro, adaptado ou não, né? Abs, Bianca

    Resposta
  • quinta-feira, 31 de janeiro de 2008 em 21:50
    Permalink

    parabéns pela mudança, Bianca… nem sempre o cadeirante está em condições de ESPERAR na fila pois muitos sofrem de incontinência e outras cositas más….

    janeiro 31st, 2008 - 21:50
    Mão na Roda respondeu:

    Pois é, Fernando. Penso muito nisso. Depois que passei a conviver com cadeirantes, percebi que para eles, esperar na fila nem sempre é tão fácil como é pra mim. Por isso me sinto até meio culpada em usar a cabine adaptada… Abs, Bianca

    Resposta
  • quinta-feira, 31 de janeiro de 2008 em 12:39
    Permalink

    Falando em banheiro, me lembrei do meu programa de sábado, fui ao Rio Sul e acredite se quiser o banheiro que acabou de ser reformado, não tem espaço suficiente para entrar com a cadeira de rodas. Bom, gostaria de sugerir um post sobre um passeio no Rio Sul. (Fora a questão das vagas que não são respeitadas, pia do banheiro e etc… )

    janeiro 31st, 2008 - 12:39
    Mão na Roda respondeu:

    sugestão anotada, Monique! Realmente uma vergonha! O shopping está sendo TODO reformado. Será mesmo possível que não tenham adaptado os banheiros??? Abs, Bianca

    Resposta
  • terça-feira, 12 de fevereiro de 2008 em 15:34
    Permalink

    Bianca,

    tem uma situação em que eu uso o o banheiro adaptado: quando levo minha filha de 4 anos ao shopping.
    Veja bem, não posso entrar no banheiro feminino, e tb. não rola entrar com a menina no masculino.
    Quando há banheiro adaptado independente, é a minha salvação.

    fevereiro 12th, 2008 - 15:34
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Fabricio! Acho plenamente justificável você utilizá-lo. Eu já comentei com a Bianca sobre essa situaçao que você descreveu e defendo o chamado "banheiro familiar": independente, mais amplo e que serve tanto para pais com bebês ou filhos pequenos (seu caso) quanto para pessoas com deficiência. A grande vantagem é que esses banheiros geralmente ficam mais limpos e resolvem o problema de várias pessoas ao mesmo tempo. Aqui no Brasil eu só me lembro de ter visto um desses no aeroporto de Recife. Abraços, Eduardo.

    Resposta
  • domingo, 3 de abril de 2011 em 23:02
    Permalink

    Podem me chamar de ranzinza, mas acho que o banheiro deve ser exclusivo!

    Como alguém já disse acima, nem sempre o deficiente aguenta esperar, mesmo que a pessoa seja rápida. O cadeirante não tem a opção de usar as outras cabines quando vagarem e precisam de muito mais tempo para se acomodar no banheiro.

    Além de tudo isso, cadeirante em regra tem de sentar no vaso. Com mais pessoas usando a chance da tampa estar suja é muito maior. Convenhamos, ninguém limpa seus próprios respingos, porque o cadeirante tem de limpar os respingos dos outros?

    Em outro posto, o blog reclamou dos banheiros trancados. Eu acho correto que estejam, pois as pessoas não tem bom senso, como podemos facilmente perceber com as vagas de deficientes em estacionamento ocupadas por qualquer um. Claro que a pessoa responsável pela chave deve ser alguém que esteja sempre próximo ao local.

    Emergências podem ocorrer com qualquer um e elas podem justificas a “quebra” exclusividade, mas o uso do banheiro adaptado por quem necessita deve ser, na minha opinião, a exceção e não a regra.

    Resposta
  • segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 em 10:28
    Permalink

    Bom dia pessoal!
    Sem qualquer intuito em querer causar mais polêmica, gostaria de deixar um comentário.
    Bom, alguém já procurou saber como um cadeirante utiliza um banheiro adaptado?
    Como é a prática de cateterismo?
    Como é usado a ducha higiênica?
    A questão de não estar na Lei como EXCLUSIVO, acaba deixando uma lacuna para que qualquer pessoa possa fazer uso. As pessoas precisam entender, que não é só utilizar, é questão de saúde para ambos os lados. Pode ser transmitida uma infecção e com isso, sérias complicações a uma pessoa, que já possui limitações, podendo se agravar, ainda mais……

    Resposta
  • sexta-feira, 17 de abril de 2015 em 14:32
    Permalink

    Adilson, gostei muito de seu pensamento, sempre tive a opinião que este tipo de banheiro deveria ser exclusivo, nunca gostei de usar e ficava chateada se vise outra pessoa usando. Mas agora a quase 3 anos sentada em uma cadeira entendo muito bem, e dou graças a Deus por minha atitude. Vcs. estão certos, banheiro adaptado é muito difícil de achar, quanto ao comum, precisamos que o banheiro esteja sempre muito limpinho, pois precisamos fazer certos procedimentos que deixam a nossa saúde muito exposta, o que vc. já não tem muito perfeita. Só cadeirante usando sabe destes problemas então mantemos o mais limpo possível. E uma coisa que pouquíssimas pessoas sabem e que temos direito a entra com uma pessoa para nos auxiliar, mesmo sendo esta pessoa de outro sexo, por isto o banheiro ser do lado de fora de um banheiro comum. Desculpe mas peço que vcs. continuem pensando em não usar os banheiros adaptados, nos cadeirantes agradecemos muito.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest