Dicas para tornar seu ambiente acessível: Quarto de dormir

Este é o primeiro de uma seqüência de posts com dicas práticas para tornar o seu ambiente acessível, facilitando sua vida em casa, no trabalho ou em qualquer outro local. Queremos, desta forma, mostrar que a adequação de um ambiente para o cadeirante é muito mais fácil do que pode parecer.

Se você pesquisar um pouco, descobrirá que existem normas mais rígidas com regras a serem seguidas, mas escolhemos focar apenas em dicas para o dia a dia, que não exijam grandes mudanças nos locais. Vale lembrar que as adaptações variam de acordo com a necessidade individual de cada um.

E pra começar, o ambiente mais pessoal da casa: o quarto de dormir.

– Uma boa dica é encostar a lateral da cama em alguma parede. Isso dificulta que ela seja arrastada na hora da transferência.

– Dependendo da sua necessidade, você pode escolher uma cama que possua a mesma altura do assento de sua cadeira. Mas se você não quer se desfazer da cama atual, tente diminuí-la serrando seus pés ou aumentá-la com bloquinhos de madeira encaixados em cada um deles. Certifique-se de que estejam bem presos à cama, para que ela não fique bamba. A parte dos pés pode ser um pouquinho mais alta do que a cabeça. Isso facilita a circulação de sangue e evita edemas. Pode ser feito tanto com esses bloquinhos nos pés ou algo por baixo do colchão, na altura dos pés.

– O colchão deve ter a densidade que lhe traga o melhor conforto possível. 

– O lençol com elástico é uma boa pedida, pois fica sempre bem esticado. Dessa forma você evita que ele embole, podendo incomodar alguma parte do seu corpo que seja mais sensível. Mas atenção com o tamanho do lençol. Se ele for pequeno demais para sua cama, o elástico não irá segurá-lo. É sempre melhor sobrar do que faltar.

– Alguns acessórios que facilitam seus movimentos na cama também podem ser instalados, como, por exemplo, triângulos de metal fixados no teto através de uma corrente, barras na lateral para facilitar a transferência e ganchos para pendurar algum utensílio pessoal.

– Outra boa dica é ter uma mesa de cabeceira ao lado da cama com os objetos mais necessários. Abajur, controles remotos, extensão para tomadas, carregadores de celular, material para cateterismo, bloquinho de notas são utensílios bem vindos sobre ela.

– Quanto aos outros móveis, evite posicioná-los na frente das janelas. Assim você conseguirá chegar até elas sem problemas.

– De acordo com sua necessidade, a altura das prateleiras podem ser alteradas. O ideal é que estejam posicionadas com até 1,40m de distância do solo. Se ficarem mais altas do que isso, você poderá encontrar dificuldade para alcançá-las.

E se você conhece outras dicas, compartilhe-as conosco!Dicas para tornar seu ambiente acessível: Cozinha

. . .

Veja também:
Dicas para tornar seu ambiente acessível: Cozinha

Comentários

Comentários

2 comentários em “Dicas para tornar seu ambiente acessível: Quarto de dormir

  • segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 em 16:16
    Permalink

    Bom assunto para ser tratado. Dentro de casa, a questão da acessibilidade deve ser perfeita, sempre penso assim. Não importa o tamanho do local, ele tem q ser o paraíso da acessibilidade. Sempre tive esta idéia da correntes presas do teto com um trângulo em baixo, achava viagem. Que bom saber q não é. Acho tb q a altura da cama é vital para evitar problema da hora do deslocamento para cadeira. Ando revendo muitas idéias sobre este assunto pq eu e meu namorado estamos morando juntos numa kitinete. Um cadeirante num kitinete é algo complexo, mas estamos nos saindo bem. A casa não tem nada ainda, mas as prateleiras estão na altura indicada e a janela livre para que os ventos entrem e ele possa apreciar a paisagem. A pia da cozinha é que foi um obejto de trava total, está muito alta e não pode ser removida. Uma pena, nada de compartilhar tarefas e deixar a louça para q ele lave. 🙂

    Resposta
    • segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008 em 16:16
      Permalink

      Oi Jaqueline,realmente dentro de casa deve ser o paraíso pessoal, onde vc possa se sentir plenamente confortavel, experienciando o ‘habitar’!Essas idéias que passam por nossa cabeça nunca são viagens, pq afinal não existe esse certo e errado, mas sim a sua verdade e a sua necessidade de adaptação! Obrigado, um abraço, Gabriella

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest