Viagens e Turismo

Mão na Roda em Santiago 5 – Cultura, minissaias e caranguejo gigante

3

Centro Histórico de Santiago

mapa do centro histórico de SantiagoJá falei que o verão é quente em Santiago? E sobre o clima seco? O calor é forte e, aliado à pouca umidade da capital do Chile no verão, torna quase que obrigatório andar com uma garrafa d’água à mão durante os passeios a pé pela cidade, como o que vamos mostrar hoje no blog.

Sim, a pé é o melhor jeito de se conhecer o centro de Santiago! Uma boa dica é chegar ao centro de ônibus, pois as estações de metrô por lá não são acessíveis. Até dá para ir a pé da estação acessível mais próxima do centro, Baquedano, mas são uns bons 2 Km de distância.

Palácio de La MonedaJá no centro, há muitos locais próximos que podem ser visitados. O Palácio La Moneda, atual sede do governo chileno, é um bom ponto de partida. Foi lá que o ex-presidente Salvador Allende suicidou-se durante o golpe militar que deu o poder ao ditador Augusto Pinochet, presidente do país de 1973 a 1990. Hoje em dia, o Palácio abriga o gabinete da presidente do Chile e tem seu pátio interno aberto a visitas. Há também um centro cultural que funciona no subsolo do palácio e abriga diversas exposições e outros eventos culturais. Para entrar no pátio do palácio há rampas. Já para o centro cultural, que também tem banheiros adaptados, o acesso é por elevador.

Se estiver com tempo, experimente circular pelas ruas do centro sem compromisso. Dê uma volta no Paseo Bulnes (rua de pedestres que fica próxima aos fundos do La Moneda), entre numa ou outra ruela e aproveite o visual dos prédios antigos e bem conservados. A maior parte das calçadas do centro é boa e tem rampas nas esquinas.

Por lá também encontramos alguns “cafés com pernas”. São cafeterias onde as garçonetes, vestindo minissaias e com as pernas de fora (daí o nome), servem os clientes a partir de um piso um pouco mais elevado. Digamos que, para os cadeirantes, a visão é muito agradável e eu recomendo (vou tomar cascudo da Bianca!).

Degraus no Museu de Arte Pré-ColombianaAlgumas quadras distante do Palácio La Moneda está o Museu de Arte Pré-Colombiana. Não é um museu grande, mas gostei do que vi. A exposição que vimos,  intitulada “Sexo e poder”, era bastante interessante… Para circular dentro do prédio, volta e meia nos deparamos com um batente/degrau isolado (nunca mais do que 1). Esses batentes variam de 10 a 25cm de altura, e ficam em lugares onde facilmente caberia uma rampa. Também não há banheiro adaptado, mas existe um elevador que leva as pessoas ao 2º andar, onde está a exposição principal do museu. Resumindo: se você é cadeirante, vai precisar de uma pequena ajuda aqui e ali, mas não deixe de visitar o museu! Dica: domingo a entrada é gratuita.

Bem pertinho do museu fica a Plaza de Armas. É uma grande praça, cercada por prédios históricos e com bastante movimento. Lá fica a Catedral Metropolitana de Santiago, enorme, imponente e sem um degrauzinho sequer na entrada. Além da catedral, na praça também fica o prédio principal do correio chileno (infelizmente, inacessível)  e mais alguns outros.

Catedral - Plaza de Armas

Andando na direção norte, rumo ao Rio Mapocho, chega-se ao Mercado Central. Aproveite para ir pela rua que fica ao lado esquerdo da Plaza de Armas, pois é uma rua apenas para pedestres. São algumas quadras de caminhada, mas a calçada é ótima e o tempo passa rápido. No meio do caminho há um shopping e ele é um bom lugar para tomar um sorvete Bravissimo ou dar um pulo no banheiro. O único porém é que a porta do banheiro adaptado do shopping abre pra dentro e alguém com uma cadeira larga não vai conseguir fechá-la.

No Mercado Central, prepare-se para a multidão de garçons tentando te atrair para um dos milhares de restaurantes de frutos do mar que lá existem. Sim, isso é muito chato, e eu sempre me lembro dos gringos sendo assediados por vendedores de artesanato em Copacabana quando algo assim acontece comigo. Na boa? Depois do 5º “no, gracias”, passei simplesmente a ignorar os garçons chatos.

Peixes e frutos do mar no Mercado CentralA variedade de peixes e frutos do mar no mercado impressiona. Os preços, mais ainda: camarão graúdo e salmão sendo vendidos pelo equivalente a R$ 10 / Kg (!!!). Há também algumas barraquinhas como aquelas do Largo da Carioca vendendo um monte de produtos naturais e ervas, além de barracas com frutas como pêssego, damasco, cereja etc.

Banheiro As entradas do mercado têm rampa, e tirando a grande quantidade de pessoas por lá, o piso é liso e a circulação fácil. No banheiro do Mercado Central existe uma cabine “adaptada”. Sim, adaptada com aspas pois, apesar dela ser mais larga do que as outras, tive que fazer altos malabarismos para poder encaixar minha diminuta cadeirinha lá dentro. Logo, se estiver apertado, o shopping perto ou uma das cabines existentes nas ruas são opções melhores.

CentollaDepois de rodar um bocado pelos corredores do mercado, escolhemos um dos restaurantes e a comida – frutos do mar – estava muito boa. Apesar de um amigo ter recomendado a tal Centolla, um caranguejo gigante e, segundo ele, tão bom quanto lagosta, acabamos não pedindo uma pois a mais barata custava em torno de 200 reais. Isso mesmo, DUZENTOS REAIS. Por sorte, um casal abonado que estava sentado ao nosso lado pediu o valioso prato e presenciamos o ritual do garçon destrinchando a bichona. Pagamos o mico de pedir para tirar fotos do super-caranguejo (não fomos os únicos) e quase pedi um pedaço também, mas não sou tão cara de pau assim… 😉

. . .

Links:
Centro Cultural Palacio La Moneda
Museu de Arte Pré-Colombiana
Fotos do Mercado Central – Flickr
Fotos Plaza de Armas – Flickr
Fotos Paseo Bulnes – Flickr

. . .

Veja também:
Mão na Roda em Santiago – parte 1
Mão na Roda em Santiago – parte 2
Mão na Roda em Santiago – parte 3
Mão na Roda em Santiago – parte 4
Mão na Roda em Santiago – parte 6
Mão na Roda em Santiago – parte 7

Sobre o autor / 

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Ana sexta-feira, 10 de maio de 2013 em 11:38 -  Responder

    Olá…omde vc conseguiu esse mapa desenhado com as principais atraçoes?? grata

    maio 10th, 2013 - 13:05
    Eduardo Camara respondeu:

    Creio que em algum balcão de informações turísticas!

  2. Lanna quinta-feira, 27 de março de 2014 em 21:59 -  Responder

    Cuidado com os guias brasileiros, pois levei um belo de um golpe de um, me vendeu pacote e nem sequer apareceu, ligamos e só inventaram desculpas que estavam chegando! Perdemos a manhã, meu marido quis lá dar uns tapas nele! Obviamente que não deixei, não quis acabar a minha viagem por causa de um malandro brasileiro!! Os demais chilenos são super honestos. Cuidado com os brasileiros! Triste mais é verdade.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook