Curta-metragem levanta discussão interessante

O vídeo abaixo foi produzido pela Disability Rights Commission (Comissão pelos direitos das pessoas com deficiência) do Reino Unido. Esbarrei com ele nas minhas "andanças" pela internet, justamente no dia em que escrevi esse outro post, o qual terminava comparando a deficiência física com outras deficiências mais "invisíveis". Coincidências da vida, o assunto do vídeo é justamente esse. Só não o publiquei na mesma hora, pois achei que uma versão legendada dele seria mais democrática.

Bom, agora que a versão com legendas está aí, me sinto mais à vontade para compartilhá-lo com vocês e, quem sabe, levantar mais uma discussão interessante. Divirtam-se! Ah, e comentem também!!!

. . .

Mais informações sobre a Disability Rights Commission (DRC) no site: http://www.equalityhumanrights.com. Não estranhem o fato do nome atual da comissão ser outro. A Equality and Human Rights Commission nada mais é do que a junção de outras duas comissões com a DRC.

Comentários

Comentários

6 comentários em “Curta-metragem levanta discussão interessante

  • quarta-feira, 9 de abril de 2008 em 12:34
    Permalink

    Interessante o vídeo, embora muito superficial (na minha opinião). A verdade é que não existe ser humano perfeito, nem emocionalmente e muito mesmo fisicamente. Estamos fadados às mais diversas deficiências, ou simplesmnete doenças. Elas chegam e tomam conta deste receptáculo de aflições q é o corpo humano. Uns não enxergam, outros não andam, muitos são cegos, surdos… Nossas deficiências nos atormentam e nos deixem preocupados. Deveríamos sim abrir os olhos e adaptar o mundo ao nosso redor e nosso coração. Ninguém está livre de se tornar uma PNE, ao mesmo tempo em todos somos PNE. Vale a pena pensar nisso.

    Resposta
    • quarta-feira, 9 de abril de 2008 em 12:34
      Permalink

      Oi Jaqueline, concordo que o vídeo poderia ser mais curto e mais profundo em relação ao tema, mas nossa intenção, ao publicar o vídeo aqui, foi a de incentivar a reflexão sobre o assunto. Acho até que vale um post só sobre isso depois, né? bjos, Bianca

  • quinta-feira, 24 de abril de 2008 em 02:17
    Permalink

    Engraçado vc falar disso. Eu sempre achei isso. Sempre me perguntei pq uma mulher q não pode gerar filhos, por exemplo, não é considerada deficiente, já q deficiencia física consiste na dificuldade ter pleno controle de determinado órgão. E se formos por essa linha de pensamento, existe alguém q não seja portador de alguma deficiência?

    OBS.: não consegui ver o video, não sei se meu comentário está dentro do assuno.

    Resposta
    • quinta-feira, 24 de abril de 2008 em 02:17
      Permalink

      Oi Rose, apesar de não ter visto o vídeo, vc acertou na mosca. Ele trata desse tema. Mostra um empresário que descobre que é diabético, mas tem dificuldades de contratar um funcionário, altamente qualificado para o cargo, porque ele tem uma deficiência física. Quem o convence é uma colega de trabalho que tem transtorno bipolar. É uma discussão interessante, pois, se olharmos de perto para cada um de nós, como você mesma disse, vamos descobrir que todos temos alguma deficiência física. A diferença é que umas são mais visíveis a olho nu do que outras. Abraços, Bianca

  • quarta-feira, 30 de abril de 2008 em 10:26
    Permalink

    Parabens pela escolha do video!
    Partes dele, coincide e vem bem a calhar com a minha vida, sou isso ai q chamam de bipolar…..e meu marido ficou diabetico agora, porem a parte de discriminacao, esta aí, to fora ,…pelo menos q eu perceba….mas q somos todos seres humanos e com defeitos, isso é claro, pena q nem tds entendem isso, e teem alguns q se julgam Ds, perfeitos, na verdade sao uns pobres coitados, ignorantes….falta a esses espelho ou um exame de coinciencia.

    Resposta
    • quarta-feira, 30 de abril de 2008 em 10:26
      Permalink

      Pois é o que penso também. Todos temos defeitos. Alguns mais visíveis que outros. Mas isso não faz de nós melhores nem piores, apenas diferentes e iguais ao mesmo tempo. Abraços, Bianca

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest