Onde comemorar?

Balões de aniversárioHá um ano atrás, ainda no início do meu namoro, esbarrei com um dos obstáculos frequentemente encontrados quando se namora um cadeirante num país pouco preocupado com acessibilidade: onde comemorar meu aniversário? Na minha inocência de início de convivência, não imaginei que a escolha de um lugar com escadas fosse muito problemática. Sim, eu poderia ter escolhido um lugar mais acessível, mas como dividia a comemoração com uma amiga, a escolha não era apenas minha e, afinal de contas, era meu aniversário. Meu namorado não se importaria em ser carregado escada acima e escada abaixo, certo?

Errado. Esqueci de dizer que era super-mega-início de namoro e ele, além de ter que enfrentar as escadas, seria apresentado pela primeira vez aos meus amigos. Além disso, caiu o maior temporal e os amigos dele resolveram ficar em casa, ou seja, ele seria um total estranho no ninho e teria que ser carregado por desconhecidos.

Resultado: instalou-se uma saia justa entre nós dois e pela primeira vez, tive contato direto com uma das dificuldades que enfrentaria dali pra frente: a falta de acesso.

Um ano depois, meu aniversário se aproxima novamente e mais uma vez tenho que decidir onde comemorar. Tá, eu sei, estou fazendo um drama, né? Mas eu explico: é que sou a pessoa mais indecisa do "universo e além" e fico ainda mais agoniada, se tenho que me pensar em detalhes, que não deveriam existir. Fico realmente irritada, quando percebo que sair à noite com os amigos pode se tornar um problema, só porque o local não possui uma simples rampa ou um banheiro adaptado. 

Mas querem saber? Apesar da minha indecisão, uma coisa eu já resolvi: é meu aniversário e eu quero e vou privilegiar locais com acesso! Parabéns para mim!

14 thoughts on “Onde comemorar?

  • 9 de maio de 2008 em 15:08
    Permalink

    Nao só para os cadeirantes é uma questao de respeito,há também idosos,bebes nos carrinhos,gente acidentada,ou gente que como eu (talvez por ser fisioterapeuta rsrsr)simplesmente nao gosta de locais que nao sejam adaptados.Parabéns por ser mais uma a priorizar e prestigiar os locais para todos!Eu já fiz essa campanha a anos(só de profissao tenho 20 rsrsr)e é uma delicia saber que as coisas por aí andam evoluindo!

    Resposta
    • 9 de maio de 2008 em 15:08
      Permalink

      Bem lembrado, rampas e facilidades de acesso são muito mais necessários fo que imaginamos. Também fico muito feliz, quando descubro que as cosias estão evoluindo, mas ainda acho que a evolução poderia ser muito maior e mais rápida. Mas vamos continuando com nossa campanha, certo? Abraços, Bianca

  • 9 de maio de 2008 em 15:40
    Permalink

    Nossa, eu lembro desse dia!
    O Dado me chamou para ir nessa festa … rs!!!
    E nem imaginávamos que estariamos juntos com o Blog hoje!
    Parabéns aos dois !!!

    Resposta
    • 9 de maio de 2008 em 15:40
      Permalink

      E vc nem apareceu! Ficou com medo da chuva! Hahaha! Tb, ninguém merece o temporal que caiu naquele dia. Fiquei feliz com os poucos gatos pingados que apareceram por lá. Achei q não ia ninguém, hehehe. bjos

  • 10 de maio de 2008 em 03:30
    Permalink

    Bianca,

    Foi bom vc falar nesse assunto pq me deu chance de comentar sobre algo q estou pensando desde ontem, quando vi no Programa do Jô um grupo que resolveu fundar uma escola de samba formada por deficientes. A intenção é boa? é, claro, mas é isso q buscamos? eu, pelo menos, não. Eu sempre odiei esse tipo de iniciativa q, em maior ou menor intensidade, acabam gerando guetos. Nós queremos, sim, nos integrarmos e fazermos o q tivermos vontade. Mas queremos fazer isso como qualquer mortal. Caramba, eu sou cadeirante, mas minha filha não é, meus amigos não são, pessoas com quem, eventualmente vou fazer amizade, podem ser ou não deficientes. E eu não quero ter q pensar primeiro se posso ir em determinado lugar ou não.

    Combina bem com o q vc tá dizendo. É muito chato ter q se preocupar com uma questão q deveria não existir.

    Resposta
    • 10 de maio de 2008 em 03:30
      Permalink

      Rose, dá uma lida no post que fiz sobre o carnaval e também nos comentários que rolaram. Penso como você e também odeio guetos. Beijos, Dado.

  • 10 de maio de 2008 em 03:32
    Permalink

    Ah…eu ia me esquecendo…felicidades pelo seu niver…mas se eu fosse vc, iria comemorar com meu namorado num dos poucos lugares que não precisa de adaptações: uma cama king size…rs

    bjos..

    Resposta
    • 10 de maio de 2008 em 03:32
      Permalink

      Hahaha! Lógico que não vou deixar de comemorar com meu namorado, mas tb adoro sair com amigos no meu aniversário. Obrigada pelos votos de felicidades! E pela participação frequente tb. Beijos, Bianca

  • 9 de maio de 2008 em 19:40
    Permalink

    isso também é uma constante em meu cotidiado, 18 anos cadeirante, ja virei até expert em me deslocar perante escadas, lugares estreitos, e tudo mais que você possa imaginar… hj com 34 anos já não tenho mais esse "pique" e penso muito antes de sair com os amigos para um lugar sem acesso. tem que compensar muito o crime para que eu vá, caso contrário dou preferência aos meus lugares "carimbados" onde sou habituê e terei até um tratamento vip. é importante frequentarmos e dar preferência aos estabelecimentos acessíveis, pois desperta a atenção de que o investimento feito na acessibilidade esteja surtindo efeito!

    Resposta
    • 9 de maio de 2008 em 19:40
      Permalink

      É por isso que queremos, cada vez mais, aumentar a lista de estabelecimentos acessíveis aqui do nosso blog. Se vc souber de algum, que ainda não tenhamos visitado, avise, ok? Abraços, Bianca.

  • 10 de maio de 2008 em 20:36
    Permalink

    Poucos lugares realmente oferecem condições ao cadeirante. Banheiros por exemplo. Hotéis existem em maior quantidade mas bares , restaurantes, etc são poucos. Estes locais, sem dúvida devem ser prestigiados pelos cadeirantes para que a idéia de adaptá-los prospere e se torne uma contante.Mesmo numa cidade como São Paulo, muitos eventos de cadeirantes são feitos no Hotel Mercury do Ibirapuera que é o que oferece boas condições para isto.

    Resposta
    • 10 de maio de 2008 em 20:36
      Permalink

      Oi Mill, bom saber que o Mercury oferece boas condições. É uma boa dica! Shoppings tb costumam ter banheiros acessíveis, rampas e elevadores, mas ninguém é obrigado a viver dentro de shoppings, por isso, qto mais locais acessíveis descobrirmos e anunciarmos, melhor pra todos. Se souber de algum, dê a dica! Abraços, Bianca.

  • 13 de maio de 2008 em 11:19
    Permalink

    Sim sim! Privilegiemos o acesso! E nada de guetos! E escadas muito menos!
    Beijos!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *