Dicas

Tudo que você sempre quis saber sobre cadeirantes, …

28

… mas tinha medo de perguntar!

Imagens de pontos de interrogaçãoExistem certas perguntinhas que todo cadeirante ou seu parceiro costumam ouvir freqüentemente. Achei que seria interessante e talvez até divertido, além de esclarecedor, listar algumas delas aqui, com suas devidas respostas. Vamos lá!

• A cadeira do seu namorado é motorizada?
Essa é uma das primeiras perguntas que escuto quando digo que meu namorado é cadeirante. Acho que eu mesma pensava que cadeiras motorizadas deveriam ser as melhores e mais práticas. Mas como explicamos nesse post aqui, o uso dessas cadeiras é indicado para alguns casos e para outros não.

• Ele é independente?
Importante aqui é definirmos o conceito de independência. Muitos cadeirantes precisam de ajuda para algumas tarefas do dia a dia, mas isso não significa que eles não sejam independentes. Ser independente é ter personalidade e vontade própria. A pessoa pode até precisar de ajuda para resolver uma ou outra tarefa, mas se é ela que toma as decisões sobre sua vida, sim, ela é independente. Da mesma forma, conhecemos uma porção de pessoas que andam e não conseguem comprar pão na esquina sozinhas. Essas são muito mais dependentes do que a maioria dos cadeirantes.

• Ele dirige?
Sim, e muitos cadeirantes podem dirigir. Depende do tipo de deficiência que a pessoa possui. Quando ela tem mobilidade suficiente para isso, basta que o carro seja adaptado. Ao invés de usar os pedais para freio, aceleração e embreagem, é tudo feito com as mãos. Aliás, ironicamente, é mais fácil um cadeirante dirigir no Rio do que pegar um ônibus…

• Cadeirantes costumam sair?
Entendam, cadeirante não é sinônimo de eremita. Pessoas com deficiência saem, se divertem, vivem. Poderiam até sair mais, se os espaços urbanos e estabelecimentos, sem falar dos transportes públicos, fossem adaptados. Aliás, um dos objetivos do nosso blog é incentivar pessoas com deficiência a saírem de suas casas. Botarem suas caras na rua e, quando encontrarem algum espaço que privilegia a acessibilidade, divulgarem-no.

• Os cadeirantes dançam?
Bom, eu acho que isso depende do gosto de cada um. Tem muita gente, cadeirante ou não, que não gosta de dançar, não é mesmo? Mas se a pessoa gosta, sim, ela dança. Qual é o problema? Existem até grupos de dança de cadeirantes. Aliás, uma boa história sobre um cadeirante e uma pista de dança, você lê aqui.

• Seu namorado cadeirante trabalha?
Sim, ele trabalha. Ele e mais um monte de outros cadeirantes. Aliás, não vejo porque o fato de ele não conseguir andar possa fazer dele uma pessoa incapaz de trabalhar. Acredito que teríamos muito mais pessoas com deficiência trabalhando se os preconceitos em relação a elas diminuíssem e se a acessibilidade dos transportes e empresas melhorasse. Mas aguardem que em breve escreveremos sobre esse tema com mais detalhes.

• Como os cadeirantes fazem para viajar de avião?
Cada vez mais reclamamos dos espaços apertados nos aviões comerciais. Aquele corredorzinho mínimo, que te obriga a ficar na poltrona caso a aeromoça esteja passando com o carrinho de bebidas e comidas. Imagina então uma cadeira de rodas transitando por ali. Pois é, não dá. O que o cadeirante faz, então? Bem, ele chega até o avião, normalmente na sua cadeirinha de estimação, e torce para que o embarque seja feito por finger (aquele túnel que liga o terminal ao avião) ou exista um elevador para levá-lo do solo até a entrada do avião. Às vezes não há nenhum dos dois e ele tem que ser carregado. Uma vez lá dentro, passa para a cadeira de bordo, que é mais estreita e cabe no corredor. Caso, precise ir ao banheiro, precisa pedir a cadeira de bordo ao comissariado. Sim, em viagens longas é bem chatinho…

• E como eles sobem escadas?
Sozinhos eles não sobem, precisam ser carregados. Já existem algumas cadeiras especiais que sobem e descem escadas, mas ainda são muito caras às vezes pouco práticas. Além disso, convenhamos que cadeira de rodas e escada não combinam, né? Há grande risco de acidentes e por isso fazemos campanhas por mais e mais elevadores e rampas!

Por último, não poderíamos deixar de fora a pergunta que todos gostariam de fazer, mas poucos têm coragem de perguntar (confesso que nem tão poucos assim. Já ouvi essa pergunta de tanta gente com a qual não tinha a menor intimidade. Vocês nem imaginam!):

• Cadeirantes fazem sexo?
SIM! Cadeirantes são pessoas com hormônios e necessidades iguais a quaisquer outras. Fazem sexo, sim senhor! Só não vamos entrar em maiores detalhes porque somos pessoas discretas 🙂

E você? Tem alguma outra pergunta que escuta com freqüência?

Sobre o autor / 

Bianca Marotta

28 Comentários

  1. Maria Enide Aranha Luz sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 21:10 -  Responder

    Para o acompanhante: – Foi de nascença? (apontando p/ mim)
    Eu respondo: – Não, foi acidente, mesmo. De nascença, só a sua burrice.

    Para o acompanhante: – Ele fala?
    Eu respondo: – Sim, eu falo, preste atenção: vai tomar no c….

    Excelente tópico.

    Eduardo Aranha Luz

    maio 30th, 2008 - 21:10
    Mão na Roda respondeu:

    Hahaha! Ótimas perguntas e respostas! Mas é sério que já perguntaram se você fala? Como assim, né? Valeu pelo comentário! Abraços, Bianca

  2. ricardo brito sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 14:26 -  Responder

    FANTASTICO post!

    Esclarecedor e simples…

    Parabens!

    maio 30th, 2008 - 14:26
    Mão na Roda respondeu:

    Obrigada, Ricardo! Ficamos felizes quando acertamos nos textos! Abraços, Bianca

  3. Heitor Magalhães Corrêa sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 15:07 -  Responder

    Essas perguntas, e muitas outras, são sempre feitas explícita ou implicitamente!

    maio 30th, 2008 - 15:07
    Mão na Roda respondeu:

    Pois é, Heitor. Já que elas são feitas sempre, resolvemos respondê-las logo. O ideal seria que pessoas sem deficiência as lessem também! Abraços, Bianca

  4. MarciaSDCorrea sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 15:48 -  Responder

    Bianca, parabéns!
    Adoro a naturalidade com a qual vocês falam de deficiência, acessibilidade, etc… A vida fica bem mais simples assim, né?
    bj gde

    maio 30th, 2008 - 15:48
    Mão na Roda respondeu:

    Essa é a idéia, Marcia. Simplificar a vida! Quem sabe a gente um dia consegue ;). Abraços, Bianca

  5. Valéria Aliprandi sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 17:03 -  Responder

    Oi Bianca! ADOREI este post! Tenho mais 3 perguntinhas que sempre ouço: "Vc pode engravidar?" Sim! Em geral, a mulher cadeirante pode engravidar sim! Desde q não tenha qq problema no sistema reprodutor, assim como qq mulher "andante" tb pode ter. Basta um pré-natal mais atencioso c/ a parte circulatória. Segunda:"O q aconteceu com vc?" No meu caso, um acidente automobilístico como mtos outros. Mas existem histórias mto complicadas e violentas, em q cadeirante tem o direito d não querer ficar repetindo… Sugiro cuidado c/ essa pergunta! A terceira e última: "Vc vai voltar a andar?" Simplesmente não sei! Acredito em Deus, nos avanços da medicina, numa reabilitação de qualidade e, principalmente q é possível ser feliz numa cadeira de rodas! Não se pode é desistir de acreditar! Abraço a todos!

    maio 30th, 2008 - 17:03
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Valéria, você lembrou de 3 perguntas ótimas! Acho até que elas são mais inconvenientes do que "você faz sexo?". Vou publicá-las num próximo post, posso? bjos, Bianca

  6. Franklin Ivamoto Sagawa sábado, 31 de maio de 2008 em 21:46 -  Responder

    haha aquela clássica que em geral é feita por crianças… ou adolescentes… e jovens uahuaheau:

    Como vc faz pra tomar banho??

    Ou

    O seu braço nao cansa muito não ao caminhar com a cadeira??? obs: e nao quero uma motorizada jah disseeeeeeee!!! auehauheauehau ( nao necessito)

    maio 31st, 2008 - 21:46
    Mão na Roda respondeu:

    Boas perguntas, Franklin! Vamos colocá-las num post-continuação deste, já que toda hora alguém sugere novas perguntas ou nos lembramos de outras. Valeu! Abraços, Bianca

  7. Christian Matsuy sexta-feira, 30 de maio de 2008 em 20:02 -  Responder

    parabéns pelo post!
    manda um abraço pro Dado! agradeço as citações e sempre que precisarem de dicas daqui de sampa, podem contar comigo!
    bjo!

    maio 30th, 2008 - 20:02
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Christian, que bom que gostou do post! E pode continuar dando dicas, são sempre muito bem-vindas! Abraços, Bianca

  8. Antonio Bordallo domingo, 1 de junho de 2008 em 01:12 -  Responder

    -voces incentivam o pessoal a sair de casa e parece que o governo, os estabelecimentos e as pessoas q olham estranho na rua tratam de fazer o serviço inverso. Um dos ultimos posts no meu blog antigo foi justo sobre isso : http://tonibordallo.blogspot.com/2007/05/acho-que-estou-perdendo-essa-guerra.html

    -ainda não tive coragem de sair pra balada porque os lugares costuama ter muitos desniveis, sem contar com o aperto,q é bme inconveninente, e o olhares de estranheza q mexem bastante comigo…
    =/

    -sobre cadeirante trabalhar, esse tá sendo meu maior desafio, pois até que vira a mexe uma ong me oferece algum serviço,mas eu teimo em recusar porque eu busco uma colocação na área para qual eu estou fazedno faculdade(MOda) e o problema do preconceito ,mesclado elegantemente com excusas como "o local nao tem acesso" e etc… tem me deixado bem cansado e desesperançoso….
    =(

    junho 1st, 2008 - 01:12
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Antonio, sim, sabemos, é um saco, é desesperançoso, é desesperador e chega a ser um desrespeito à cidadania a forma como o assunto é tratado pelo governo e pelas pessoas preconceituosas. Mas vamos continuar saindo de casa e mostrando que isso é possível. E acho muito bacana que vc esteja procurando algo na sua área, tem q ser por aí mesmo. Aliás, legal saber que vc trabalha com moda. (sou designer :P) Já pensou em fazer uma coleção de roupas especial para cadeirantes. Roupas fáceis de colocar e tirar. Uma capa de chuva bem prática (não sei como ainda não fizeram). Acho que seria um bom mercado. E fora os problemas de acesso, não entendo qual o empedimento para empresas de moda contratarem um cadeirante… Não faz sentido… Abraços, Bianca.

  9. Heitor Magalhães Corrêa domingo, 1 de junho de 2008 em 15:52 -  Responder

    Esse assunto renderia vários posts! Bianca, posta mais perguntinhas escabrosas aí! 😛

    junho 1st, 2008 - 15:52
    Mão na Roda respondeu:

    Já estamos anotando novas perguntas. Se você se lembrar de alguma, por favor, nos envie! Abraços, Bianca

  10. Gloria Maria Prates Prado de Negreiros segunda-feira, 2 de junho de 2008 em 08:06 -  Responder

    Olá, Bianca e Eduardo, parabéns pelo blog, muito bom.
    Sou andante, casada com um cadeirante, há dois anos, e temos um filhinho de quatro meses.
    As dúvidas da sociedade em relação ao cadeirante e ao deficiente, de uma forma geral, são muitas, daria um livro.
    Muito legal esse post, é uma forma de esclarecer essas dúvidas e, quem sabe, acabar com alguns preconceitos.
    Ganharam mais uma leitora assídua, e seu eu puder coloaborar de alguma forma, estou á disposição.
    Beijos

    junho 2nd, 2008 - 08:06
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Gloria, que bom que você gostou do nosso blog. Ficamos sempre muito felizes com isso. Qualquer ajuda é sempre bem-vinda. Até mesmo se você se lembrar de perguntas como as desse post, pode nos enviar por email mesmo, que estou pensando em fazer uma continuação. Dicas de locais acessíveis, facilidades para o dia-a-dia do cadeirante ou até mesmo histórias engraçadas, recebemos de muito bom grado. Ou seja, espaço aberto para todos! Beijos e volte sempre! Bianca

  11. Vivi sexta-feira, 8 de abril de 2011 em 00:49 -  Responder

    Olá, nossa fiquei muito feliz com tudo que vc postou, sou noiva de cadeirante, e o que é pior moro no interior… não existe acessibilidade nenhuma na cidade, mal saímos, e perguntas ridículas é o que não falta… adorei encontrar esse blog… é estranho mas não me sinto mais tão só… se é que vc me entende… tipo… encontrei alguem que com certeza não vai me falar : “Oh vc é um anjo está disposta a casar com ele?”

    Muito obrigada pelo blog que Deus abençoe vcs sempre

    abril 8th, 2011 - 00:54
    Bianca Marotta respondeu:

    Oi Vivi,
    Que bom que o blog te deu essa alegria e alívio! Espero que se identifique muito com nossos posts, é pra isso que estamos aqui! E tb pra te dizer que vc não tem nada de anjo só pq vai se casar com um cadeirante. Nada disso! Você vai se casar com uma pessoa e ponto! Felicidades pra vcs!!!
    beijos

  12. soares domingo, 24 de abril de 2011 em 20:40 -  Responder

    adorei seus post’s, tenho um namorado cadeirante e o amo muitooo nao tenho vergonha ou preconceito nenhum de ajudar ele com quaquer coisa q seja necessario…..

  13. Meiriellen sexta-feira, 20 de julho de 2012 em 00:09 -  Responder

    Olha, eu namoro um cadeirante, e não sei como axi, pois fico com medo de ovende ló. Pode mim ajuda????

  14. Wlisses sexta-feira, 13 de dezembro de 2013 em 23:10 -  Responder

    ola tudo bem eu nao sou cadeirante mas eu sempre respeite as pessoas que sao cadeirante elas sao como ser humano como pessoas tenho uma amiga de SP que e cadeirante considero ela amiga muito especial

  15. Maria Flor quinta-feira, 5 de junho de 2014 em 22:26 -  Responder

    Olá, boa noite, não sou cadeirante, e em função disso, muitas perguntas me causam curiosidade. Vamos lá, percebo que alguns cadeirantes utilizam bolsas ou mochilas atras de suas cadeiras, isso tem algum proposito, relacionado à paraplegia? Quanto a questão dos filhos, é muito difícil para um homem cadeirante engravidar, de forma natural, a sua parceira?
    Desde já, agradeço

  16. Renata Melo sexta-feira, 28 de novembro de 2014 em 21:20 -  Responder

    Estou escrevendo um TCC sobre dança para cadeirantes e se acaso tiver alguma pergunta relacionada (voltada para melhorias, beneficios, entre outros para o cadeirante) gostaria de acrescentar no meu tcc. Agradeço muito.
    Renata Melo

  17. Kamilla Morais sexta-feira, 4 de março de 2016 em 15:19 -  Responder

    Boa tarde, precisava saber mais ou menos a quantidade de cadeirantes no Brasil, nos anos de 2000 ate 2015. Você saberia algum site além do IBGE ? Ou a quantidade de cadeiras vendidas no brasil nesse período? Agradeço desde já.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook