Opinião e cotidiano

Namorado cadeirante x Namorado vegetariano

15

cadeirante e saladaQuando comecei a me interessar pelo meu atual namorado, que é cadeirante, uma das primeiras preocupações foi justamente o fato dele ter uma deficiência física. Normal, né? Mesmo que inconscientemente, é natural se perguntar o quanto se terá que abrir mão de uma série de coisas por conta de um namorado que usa cadeira de rodas.

A maior parte dos meus amigos disse que eu deveria ao menos dar uma chance a essa história. Mas também ouvi muitos comentários do tipo: “Você tem certeza de que é isso que quer? Pense nas limitações que um relacionamento como esse pode trazer” ou mesmo opiniões contrárias, pessoas que me disseram que eu estava me metendo numa furada. Mas de uma coisa eu tinha certeza: poderia ter n+1 motivos pra não gostar dele e para terminar o relacionamento, como acontece com todo mundo. E o fato de ser cadeirante poderia ser o menor dos problemas.

Com o passar do tempo, fui percebendo que estava certa e hoje tive, mais uma vez, essa minha teoria confirmada. Saímos pra almoçar com um casal de amigos. Até aí, tudo normal. O problema apareceu quando fomos escolher o local do almoço. A menina come de tudo, mas o rapaz… é vegetariano. Para decidir aonde iríamos foi quase como organizar uma convenção da ONU. A maioria dos restaurantes era ruim porque não tinha quase nenhuma opção de comida para o nosso amigo e os que tinham opção ficavam meio longe. Acabamos optando por um excelente buffet, que o casal amigo já conhecia e tinha certeza de que encontraríamos opções para todos os gostos.

No caminho para lá, fiquei imaginando a chatice que não deve ser para a namorada dele ter que se limitar a alguns restaurantes com opções vegetarianas toda vez que forem sair juntos para comer. E foi então que percebi que, ter um namorado vegetariano, pode ser tão ou até mais limitante do que ter um namorado cadeirante ou um namorado que ama futebol ou outro que não gosta de sair de casa ou ainda um que só sai com os mesmos amigos de sempre. Ou seja, toda e qualquer pessoa que escolhe viver um relacionamento tem que abrir mão de uma ou até de muitas coisas. É fato.

Agora, toda vez que alguém vier com esse papo de que sou um exemplo a ser seguido, por namorar um cadeirante, já sei o que responder: “Você diz isso, porque não conhece uma amiga minha que namora um vegetariano. Isso sim é sacrifício!”

Sobre o autor / 

Bianca Marotta

15 Comentários

  1. Evandro Bonocchi segunda-feira, 14 de julho de 2008 em 15:57 -  Responder

    Bianca, SENSACIONAL o post de hoje.

    julho 14th, 2008 - 15:57
    Mão na Roda respondeu:

    Oba Evandro! Que bom que você gostou! bjos, Bianca

  2. PedroP segunda-feira, 14 de julho de 2008 em 19:04 -  Responder

    Realmente, Bianca!
    Limitações físicas não são as únicas, e nem as piores!
    Parabéns pelo post e pela bela filosofada!
    Abraço!

    julho 14th, 2008 - 19:04
    Mão na Roda respondeu:

    Filosofar é muito divertido! Que bom que você gostou da "viajada". Obrigada, bjos, Bianca!

  3. MIriam Leone quinta-feira, 17 de julho de 2008 em 10:09 -  Responder

    Ai Bianca, imagine em minha casa, marido cadeirante e eu vegetariana. Só rindo, né? Acabamos indo a todos os lugares, tentamos levar tudo no bom humor, se chegamos em um lugar q não tem acesso chamo os funcionários e passa a ser problema deles darem um jeito e olha q funciona! Outro dia fomos a um aniversário em um apto no 3º andar e sem elevador! Foi uma suadeira, mas deu, chegamos e nos divertimos. E eu vou a qq restaurante, pelo menos salada, batata frita, sempre tem.

    julho 17th, 2008 - 10:09
    Mão na Roda respondeu:

    Vixe Miriam! Olha que eu nem coloquei isso no post, mas o fato do meu namorado ser cadeirante e o nosso amigo, vegetariano, complicou um bocado a escolha do local. O importante é entendermos que as limitações existem em todos os casos e que a gente sempre passa por cima. bjos, Bianca

  4. Cyntia Galante Fernandes terça-feira, 22 de julho de 2008 em 15:27 -  Responder

    Oi Bianca, meu nome é Cyntia e sempre acompanho seu blog…
    Estou aqui rindo sozinha enquanto leio esse post de hoje, pois essa é minha via crúcis….hahahahaha
    Meu namorado é vegetariano, é não…na verdade virou!Pq antes apreciava uma picanha comigo…rs
    Acho que ainda é pior, quando você conhece de um jeito e a pessoa radicalmente muda.Já tivemos altas brigas, pois sempre é um problema o local pra comermos.Agora vivo em shopping!Pois não tem erro…E na pior das hipóteses, mando fritar um ovo pra ele…heheheheeh…
    Parabéns pelo blog! Bjs!

    julho 22nd, 2008 - 15:27
    Mão na Roda respondeu:

    Se vc vive em shopping, já deve conhecer a escolha que fizemos no dia q saímos com o amigo vegetariano, o Ráscal, no Rio Sul. Excelente buffet. Um pouco mais caro que os buffets de um modo geral, mas vale cada centavo. E acho que lá vc não vai precisar pedir um ovo frito pra ele, hehehe. bjos

  5. Robyson segunda-feira, 4 de agosto de 2008 em 18:25 -  Responder

    Olá Bianca.
    É a primeira vez que acesso esse blog, gostei de seu ponto de vista, que é muito lúcido.
    Todo relacionamento tem suas limitações, uns mais outros menos.
    Ser usuario de uma cadeira de rodas limita lugares que podes ir ou não; limita velocidade para se locomover; ajuda para fazer ceras coisas; etc.
    Mas há relacionamentos com limitações bem mais serias e mais profundas que essas, e isso sim pode levar a um ‘naufrágio’ dessa relação, ou a uma relação superficial e imatura.
    Parabéns pela sua coragem em ser feliz, há quem jogue a felicidade fora por muito menos que que uma dificuldade de locomoção.

  6. andré mesquita gil segunda-feira, 1 de setembro de 2008 em 10:24 -  Responder

    você deve ter comentado com o casal da existência do blog, se eles leram esse post a confusão vai ficar armada..kk
    Belo post, isso é muito comum e confesso que como cadeirante desanimo de ir em muitos lugares. Quando vou em um lugar e já tem tudo esquematizado, viro frequentador assíduo, "sócio proprietário” rsrs

  7. Thalita machado segunda-feira, 8 de setembro de 2008 em 16:22 -  Responder

    Olá Bianca, ñ sei se vai se lembrar de mim, escrevi pra vc no começo do ano dizendo que estava em dúvidas se reatava meu namoro, ele é cadeirante e tinhamos muitos impecilhos devido a nossa imaturidade.Enfim estou escrevendo pra que vc saiba que qdo te escrevi pedindo conselhos porque as pessoas me questionam se é mesmo o que quero e blá…blá…blá…vc me disse isso e me fez refletir muito, hoje eu tenho certeza que o amo e se algum dia não venha dar certo não será pelo fato dele ter algumas limitações físicas, muito obrigada, seus conselhos foram de grande valia.

  8. pedro terça-feira, 11 de setembro de 2012 em 22:02 -  Responder

    ola! adoro seu blog!

    sou cadeirante / vegetariano / gay ! =)

    céus! tenho mtos talentos!
    kkkkkk

    isso sim eh convenção da ONU

    bjos

  9. Rose domingo, 17 de março de 2013 em 17:33 -  Responder

    Ola, Bianca! Adorei seu post. Conclusão: num relacionamento, os dois têm que ceder e abrir mão de algumas coisas. E quando se ama, nem achamos sacrifício, seja qual for a limitação, não é mesmo?

  10. lourdes sábado, 7 de setembro de 2013 em 16:06 -  Responder

    oi Bianca essa é a primeira vez q vejo esse site
    poi eu tenho uma pessoa q é cadeirante e ele falou q ta afim de mim eu também fiquei a fim dele mais as minhas amigas fica dizendo q vou entra em uma roubada o q acha obg.

  11. Vini domingo, 14 de fevereiro de 2016 em 01:15 -  Responder

    vamos sair 😉

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook