Viagens e Turismo

Mão na Roda em Paris – Chegada

10

Para chegar em Paris, pegamos um vôo saindo do Rio e uma conexão em Madrid. Tirando uma pisada de bola da companhia aérea (IBERIA), a viagem foi bem tranqüila. Pelo menos para mim, que dormi a viagem inteira. Já a Bianca, que tem medo de avião, passou o vôo todo circulando pela aeronave – segundo ela, descobrindo os cantinhos secretos e abrindo os armários dos banheiros – para passar o tempo. Ao desembarcar na capital espanhola, fomos surpreendidos pelo excelente programa SIN BARREIRAS criado pela Aena, a Infraero da Espanha. Esse programa foi criado para melhorar a acessibilidade e o atendimento de pessoas com deficiência nos aeroportos espanhóis. Maiores detalhes ficam para outro post, assim como o problema que tive com a IBERIA.

 

Funcionário do programa Sin Barreiras e cadeira especial de embarque.Chegamos em Paris pelo aeroporto Orly, que é usado principalmente para vôos entre a capital francesa e outras cidades da Europa. Lá, ao desembarcar do avião, uma surpresa: minha cadeira de rodas não estava me aguardando na porta da aeronave, como de costume. Tive que usar uma cadeira do aeroporto (gigantesca!) e rumar para o setor de bagagens, onde após alguns minutos minha cadeira apareceu linda e reluzente circulando pela esteira junto com as outras malas. Estranho.

Cadeira e malas a postos, procuramos por um posto de informações no aeroporto, onde perguntamos como chegávamos ao lugar X da cidade, onde ficava nosso hotel. Uma nota: meu francês é inexistente. A única coisa que sei falar é “Je ne parle pás français”, ou seja, “eu não sei falar francês”. Nos postos de informação turística, é comum os funcionários falarem inglês e até português – de Portugal, que fique claro.
Todo mundo sabe que, em praticamente qualquer cidade, o mais fácil é pegar um táxi do aeroporto ao hotel, mas optamos por “testar” o transporte público coletivo sempre que possível, pois geralmente ele é mais barato e funciona bem na Europa. Além disso, teríamos mais dicas para dar aqui no blog . 😉

A primeira opção era pegar um ônibus + metrô para perto do hotel. Nossa “informante” não sabia quais estações de metrô eram adaptadas, mas foi atenciosa e se ofereceu para telefonar e descobrir. Como não existiam estações de metrô acessíveis e próximas ao hotel, acabamos optando por utilizar ônibus – adaptado – pois parecia mais tranqüilo. E foi. Chegamos rapidinho no centro de Paris pelo Orlybus, andamos mais uns 500 metros (tudo com rampa e boas calçadas) e pegamos outro ônibus que nos deixou a 3 quadras do hotel. Barato, seguro e eficiente.

É importante dizer que, tanto do aeroporto Charles de Gaulle quanto do aeroporto Orly, há ônibus e metrô acessíveis para o centro de Paris. O custo do transporte, por pessoa, varia de 6 a 10 euros.
Mas se você preferir pegar um táxi, há veículos adaptados com rampas para cadeirantes. A empresa G7 (link em francês) permite o agendamento desses táxis e eles têm a mesma tarifa de um táxi comum. A corrida para o centro a partir do Orly custa em torno de 35 euros e a partir do Charles de Gaulle fica em torno de 50 euros.

Depois disso tudo, só dá para sentir pena de quem chega aqui no Rio que, além de ter que passar pela linha amarela, linha vermelha ou Av. Brasil, não pode contar com transporte coletivo adaptado. Pelo menos já existe a possibilidade de se pegar um taxi acessível!

. . .

Links com mais informações:

RATP
Empresa de transportes públicos de Paris (RATP). Contém todas as linhas de ônibus, trem e metrô da cidade, simulador de roteiros e informações sobre acessibilidade. O site está disponível em francês, inglês, espanhol, italiano, holandês e alemão.

Infomobi
Site específico sobre transporte acessível em Paris. Informações disponíveis apenas em francês.

Aeroportos de Paris
Tire todas as suas dúvidas sobre o acesso nos aeroportes de Paris. Site em francês ou inglês.

Sobre o autor / 

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

10 Comentários

  1. Cristiana Costa e Silva terça-feira, 21 de outubro de 2008 em 11:21 -  Responder

    Nessas horas não sei se fico feliz por saber que existe uma estrutura em determinados países ou triste por não termo aqui. Ou os dois, rs.
    Bjs,
    Cris

    outubro 21st, 2008 - 11:21
    Mão na Roda respondeu:

    hahaha! Boa, Cris. Acho que sinto mais ou menos a mesma coisa que você. Podemos usar os bons exemplos de lá como idéias para cá. Que tal? Beijos, Eduardo.

  2. Juliana Olivieri quarta-feira, 22 de outubro de 2008 em 16:05 -  Responder

    Oi. Sou amiga da Cristiana Costa e acabo de chegar de Paris. No meu vôo (que também chegou em Orly) também tinha uma cadeirante e (talvez por ser amiga de cadeirante) tenho mania de observar a questão de acessibilidade. Percebi as boas condições do aeroporto e do atendimento. Fiquei encantada !!! Viva Paris !!! Um beijo !

    outubro 22nd, 2008 - 16:05
    Mão na Roda respondeu:

    É impressionante, não Juliana? A vida fica mais fácil para todo mundo quando esses serviços funcionam. E Paris é mesmo linda! Beijos, Eduardo.

  3. Jairo Marques quinta-feira, 23 de outubro de 2008 em 23:56 -  Responder

    Um dia vou ser xiki que nem ingual vc e terei post direto da Zoropa no meu blog. Desculpe pela demora em deixar um palpite por aqui, mas eu te leio faz tempo. A Iberia, certa vez, "perdeu" minha cadeira, indo justamente para Madrid…. foi uma aventura… mas no final, deu tudo certo! Abração

    outubro 23rd, 2008 - 23:56
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Jairo! Que prazer tê-lo por aqui! Acho que sou um cara de sorte por nunca ter tido problemas grandes em vôos. E durante toda viagem, o único contratempo foi um pneu furado. Grande abraço!

  4. ticipoubel segunda-feira, 27 de outubro de 2008 em 22:55 -  Responder

    juro com todo o coração que to doida pra usufruir destas dicas! 😛

    outubro 27th, 2008 - 22:55
    Mão na Roda respondeu:

    Vai mesmo, Tici! E aí volta com mais dicas pra gente 😉 Beijos, Eduardo.

  5. Roberto Buaiz segunda-feira, 3 de novembro de 2008 em 20:25 -  Responder

    Ô, rapaz. Que bom ler isso aqui. ; )

    novembro 3rd, 2008 - 20:25
    Mão na Roda respondeu:

    Pô, rapaz! Bom é ver o seu comentário por aqui 😉 Grande abraço, Dado.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook