Morar mais por menos :: Acessibilidade?

Neste final de semana que passou, encerrou-se mais um evento de arquitetura, no Rio de Janeiro: “Morar mais por menos”. Infelizmente, mais um evento de arquitetura que não levou em conta as questões de acessibilidade.

Pergunta: Tem como um cadeirante entrar aqui?
Resposta: Ah, tem sim. É só avisar que a gente monta uma rampa aqui nos degraus.
Pergunta: E pra acessar os demais andares?
Resposta: É, aí realmente fica um pouquinho complicado.

A iniciativa de se encaixar uma rampa de madeira nos degraus já existentes da casa é até interessante. Devemos ser flexíveis às soluções encontradas. Uma rampa de madeira adaptada pode não ser a solução mais adequada, mas o importante é funcionar. Ainda mais quando se trata de um evento temporário em uma casa já construída.

De qualquer forma, também seria possível adotar alguma solução alternativa de acesso, afinal de contas, o que não podemos negar é que se trata sim de um evento de arquitetura! Por que não escolher um lugar mais acessível, por exemplo?

Navegando no site do “Morar mais por menos” encontramos ainda uma sessão de responsabilidade social e nela, uma parte falando sobre inclusão social. Mas aqui, ela foi direcionada à inclusão de profissionais que estão na informalidade no mercado de trabalho:

"Inclusão Social

Neste ano estaremos ainda focando inclusão social e gostaríamos que cada participante tivesse um olhar para produtos e profissionais que ainda se encontram na informalidade. Acreditamos que desta forma estes futuros empreendedores possam testar suas criações recebendo pedidos e criando demanda. O Morar Mais estará de portas abertas para tornar o sonho de um pequeno profissional em realidade, tirando-o da informalidade e realizando assim a sua inclusão social".

Esperamos que no próximo ano estes eventos superem mais as expectativas em relação à acessibilidade!

Para saber mais: www.morarmais.com.br

Comentários

Comentários

4 comentários em “Morar mais por menos :: Acessibilidade?

  • terça-feira, 2 de dezembro de 2008 em 09:09
    Permalink

    É Gabriela, em casa de ferrero……

    Resposta
    • terça-feira, 2 de dezembro de 2008 em 09:09
      Permalink

      … degrau de pau? rs!!! Abraço, Gabriella

  • terça-feira, 2 de dezembro de 2008 em 15:31
    Permalink

    Totalmente ridículo, né? Um furo imperdoável num evento desta estirpe. quem sabe eles acertem na próxima…

    Resposta
  • segunda-feira, 8 de dezembro de 2008 em 16:51
    Permalink

    Olá Gabriella,
    Sou designer de interiores e meu marido é cadeirante. Eu realmente não vou à nenhuma mostra de decoração com ele, pois sei que, apesar de serem montadas por profissionais que deveriam se preocupar com acessibilidade, estes eventos na verdade não têm esta intenção. É triste, mas é mais um desfile de vaidades do que pensar em morar bem, por menos, e com design universal.

    Um abraço!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest