Carta ao Vivo Rio

É chato reclamar, mas muitas vezes na vida a gente dá uma de chato e reclama, senão a coisa não anda. Então, quero aproveitar esse nosso espaçozinho aqui e reclamar um tantinho da falta de atenção com o cliente mostrada pelo Vivo Rio.

Vocês se lembram de um post que escrevemos há alguns meses atrás avaliando a casa de shows Vivo Rio? Pois bem. Sempre que fazemos uma avaliação, enviamos um email para o local visitado nos apresentando, copiando o link do post e sugerindo algumas melhorias, quando necessário. Quase sempre recebemos algum tipo de resposta, mesmo que um pequeno agradecimento. Qual não foi nossa surpresa (será que ficamos mesmo surpresos?), quando sequer recebemos uma resposta automática .

Fiquei bastante decepcionada e queria registrar aqui a minha indignação! Quem sabe, assim, alguém se pronuncia?

Desculpe aí o desabafo! Voltamos agora à nossa programação normal. 😉

. . .

Abaixo o email que enviamos para o Vivo Rio:

Prezados senhores,

Sou co-autora do blog Mão na Roda, publicado no Globo na Internet (www.oglobo.com.br/blogs/maonaroda). Nele escrevemos sobre acessibilidade e sobre o cotidiano de pessoas com deficiência. Costumamos também fazer avaliações de locais onde percebemos que houve alguma preocupação com acessibilidade.

Há alguns dias atrás, uma de nossas colaboradoras esteve no Vivo Rio e escreveu sobre as adaptações feitas pelos senhores. O texto encontra-se no seguinte endereço: http://oglobo.globo.com/blogs/maonaroda/post.asp?t=casa_de_shows_-_vivo_rio&cod_Post=135282&a=320.

Gostaríamos ainda de saber se vocês pretendem, em algum momento, tornar acessíveis também os setores mais baratos da casa. Seria o ideal, pois se a pessoa com deficiência for ao Vivo Rio com um grupo de amigos que queira pagar menos, não será possível. Ela terá que ficar em um local separado, mais caro. Sugerimos, como solução TEMPORÁRIA, que a pessoa com deficiência + acompanhante pague preço menor, quando escolher lugares melhores. Não é o ideal em termos de acessibilidade, mas já ajuda até maiores providências serem tomadas. Pedimos ainda, que marquem as vagas reservadas no estacionamento com pintura no asfalto, segundo as normas previstas.

Esperamos que nosso texto ajude a tornar o Vivo Rio ainda mais acessível!

Atenciosamente,
Bianca Marotta

Facebook Comments

9 comentários em “Carta ao Vivo Rio

  • terça-feira, 9 de dezembro de 2008 em 13:05
    Permalink

    Tudo bem, só não precisa INVENTAR palavras como "cadeirante". Não só nunca ouvi assim como NÃO consta dos dicionários.

    dezembro 9th, 2008 - 13:05
    Mão na Roda respondeu:

    Eu ia responder ao seu comentário, mas acho que nossa amiga Anna May foi mais rápida e deu uma excelente resposta no comentário abaixo. O termo cadeirante é largamente utilizado. Se ainda não entrou no dicionário, é só uma questão de tempo. Abs, Bianca

  • terça-feira, 9 de dezembro de 2008 em 16:33
    Permalink

    o amigo que comentou as 13:05 não deve ser deficiente, visto que o "andante de cadeira de rodas" é, sempre foi, e sempre será denominado CADEIRANTE por quem lida com a questão, academicamente ou não. O dicionário é atualizado pelo uso dinâmico da língua, e se ainda não consta este termo, as equipes estão marcando bobeira.

    ALÔ DICIONARISTAS: ATUALIZEM JÁ!!! Solicitamos encarecidamente intervenção imediata, a fim de informar aos que não partilham deste universo como denominar este tipo de chumbado!

    CREIO QUE O AMIGO QUE COMENTOU ESTÁ CHOCADO COM O TERMO: chumbado!!! mas é assim que nos denominamos genericamente. eu sou chumbada pq tenho problemas nos braços. Há chumbados que são muletantes (OHH!!! MAIS UM TERMO NÃO DICIONARIZADO, E que, logo não existe!!!), outros que são cadeirantes, etc…

    Agora o comentário ao post: Nossa! Mas nem uma respostazinha???

    dezembro 9th, 2008 - 16:33
    Mão na Roda respondeu:

    Muito obrigada, Anna. Sua resposta foi clara e mais rápida que a minha! E sobre a resposta do Vivo Rio… até agora, nada! beijos, Bianca

  • quinta-feira, 11 de dezembro de 2008 em 14:01
    Permalink

    Já perdi show lá por causa desses ingressos mais caros… Ninguém quis pagar pra ir comigo no show do Caetano! E veja a preocupação do local!
    É incrível como tem gente sem tempo e que vem aqui falar besteira. Haja paciência, hein!
    beijos!

    dezembro 11th, 2008 - 14:01
    Mão na Roda respondeu:

    Eu já fui em show lá e achei o local péssimo de tão apertado até mesmo para "andantes". Juro que fiquei com medo de um incêndio lá dentro… bjos, Bianca

  • sexta-feira, 12 de dezembro de 2008 em 21:28
    Permalink

    Bianca, o Vivo Rio tem outra coisa insuportável, que eu já passei: Só vende ingressos para oa acessos especiais se a própria pessoa com deficiência for até comprar comprar. Poxa, imagine uma pessoa que trabalha e mora na Barra, é cadeirante e tem q tirar, no mínimo, quatro horas de sua dia para comprar um ingresso!? Poxa, demais né? E são locais marcados, como as poltroninhas de teatro do shopping da Gávea. São especiais e a casa tem q controlar este tipo de acesso e compra de ingressos com meios mais práticos do que exigir que a pessoa vá até o local comprar. O estudante pode dar a sua carteirinha para outra comprar em seu nome. Mas como provar PNE? Laudo médico? RioCard especial? Acho falho demais.

    dezembro 12th, 2008 - 21:28
    Mão na Roda respondeu:

    Não sabia disso Jaqueline. Realmente muito falho. ATé porque, na hora que a pessoa for entrar no local, ela já estará provando que é cadeirante, não? A não seu que ela tenha algum outro tipo de deficiência não visível. Muito ruim, isso! bjos, Bianca

  • terça-feira, 25 de outubro de 2011 em 10:20
    Permalink

    Oi, tudo bem, eu Luciana sou psicóloga e juntamente com Mariana terapeuta ocupacional, estamos cursando pós graduação em inclusão social, precisamos fazer um trabalho sobre análise de blog, nós adoramos o blog de vocês muito informativo, e conseguimos perceber que estamos alheios aos problemas enfrentados pelos cadeirantes, é uma indignação saber que uma casa de divertimento não se importe com todos os tipos de público que podem ser alcançados a sugestão é lançar um selo, estabelecimento amigo da acessibilidade… e fazer campanhas para artistas, peças de teatro, e show darem preferência para o selo acessível. Beijos . Luciana

Os comentários estão desativados.

X

Pin It on Pinterest

X