Viagens e Turismo

Bruxelas

2

Gran Place - Bruxelas - http://en.wikipedia.org/wiki/File:Grand_Place.jpgA capital da Bélgica foi nosso segundo destino durante a viagem pela Europa. A estadia foi bastante rápida, mas agradável. Pudemos aproveitar bem o fim do verão belga, com dias bem claros, sol praticamente o tempo todo e frio. É, o fim do verão por lá lembra o inverno carioca. Mas até que, no momento mais quente do dia, deu pra tirar o casaco e tostar um pouco no “calor” de 20 graus.

Na Bélgica, há dois idiomas oficiais: o francês e o neerlandês. Mas pelo menos em Bruxelas, não tivemos dificuldade alguma em encontrar gente falando inglês. E também achamos que, na média, os belgas foram mais simpáticos que os franceses.

Assim como Paris, dá pra fazer bastante coisa a pé pelo centro histórico de Bruxelas, pois as distâncias não são grandes. Mas esteja preparado para encarar algumas ladeiras e várias ruas de paralelepípedo. Se precisar de algum banheiro adaptado, vale a velha dica de shoppings, centros comerciais e grandes lojas.

Dia sem carros em BruxelasUma das coisas mais legais que aconteceu durante nossa visita foi o dia sem carros. A iniciativa é fantástica e nos fez perceber como seria melhor uma cidade sem tantos carros circulando. Mas é claro que isso só é válido quando o transporte público é bom, né? Nesse dia, ônibus e metrô eram gratuitos, mas o transporte preferido pela galera era a bicicleta, e Bruxelas ficou lotada de ciclistas ocupando as principais ruas da cidade (foto do dia sem carros).

Informações em braile e piso tátil no metrô

E por falar em transporte público, aproveito para dizer que o de lá, em termos de acessibilidade, é um pouco precário. Apenas cerca de um quarto das estações de metrô são adaptadas para cadeirantes, mas pelo menos vimos adaptações para cegos em todas que passamos.

 

Entrada do vagão e escadas rolantes com piso tátil

Quando falam que a estação é adaptada para cadeirantes, significa que ela possui elevador em tudo quanto é canto (e não aquelas plataformas lerdas). Se você quiser se aventurar pelas escadas rolantes, o número sobe um bocado. No site da cia. de transportes públicos de Bruxelas , há uma seção sobre mobilidade reduzida com um link para o mapa das estações que indica quais são adaptadas.

O TRAM, um outro tipo de trem urbano de Bruxelas, não é considerado adaptado pelos belgas, mas não sei ao certo o porquê. Talvez seja por causa da distância entre o trem e a plataforma (uns 10-15 cm)… O que sei é que pelo menos nas estações Midi e De Brouckere (o TRAM compartilha algumas estações com o metrô), havia elevadores para o TRAM e foi moleza entrar e sair dos vagões.

Acabamos não pegando ônibus, e vimos que existem pouquíssimos deles adaptados. Quem quiser mais informações, pode acessar o site da cia. de transportes. Lá, há um mapa da rede que mostra todas as linhas de ônibus e o símbolo universal de acesso indica quais são acessíveis.

Como o nosso principal objetivo em Bruxelas era visitar amigos, acabamos não indo a muitos lugares. Se você tiver mais informações sobre a acessibilidade da cidade, manda aqui pro blog que a gente publica!

Sobre o autor / 

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

2 Comentários

  1. Jairo Marques quinta-feira, 25 de dezembro de 2008 em 22:39 -  Responder

    Edu, esse seu relato de viagem é formidável. Tenho me inspirado um bocado pra criar um roteiro tão bom quanto o seu e, sobretudo, guardado as dicas sensacionais que vc tem trazido. Caraca, muito bom, mesmo. Um grande abraço, meu velho!

    dezembro 25th, 2008 - 22:39
    Mão na Roda respondeu:

    Valeu, Jairo! Também acabei de pegar sua dica da pousada em Maresias. Acho que é por aí… Todo mundo contribuindo com dicas e aproveitando! Rumo ao domínio do mundo 😉 Abraços!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook