A tal “Praia Acessível”, funciona?

Sempre que escuto falar sobre uma nova iniciativa de acessibilidade, fico com um pé atrás. Na maior parte das vezes, a intenção é ótima, mas a execução deixa a desejar. É o caso do banheiro universal, que ganhou até prêmio de design, mas que duvido funcionar na prática. E o projeto praia acessível?

A primeira iniciativa de tornar as praias do Rio acessíveis para pessoas com deficiência foi colocar esteiras de bambu em dois pontos da orla, um em Copacabana, e outro no Leblon. Teve até reportagem na televisão à época do lançamento, mas confesso que achei um bocado sem graça. Era uma meia dúzia de cadeirantes, todos vestidos, e parados em cima da esteira, no meio da areia escaldante e à léguas de distância da água. Na boa? Se fosse pra ficar desse jeito, seria bem melhor estacionar no calçadão mesmo, aproveitar a sombra de um quiosque e beber água de coco.

Esteira de bambus que leva até as barracas do Projeto

Cadeira de rodas anfíbiaEntão veio o projeto Praia Acessível, das ONGs Adaptsurf e Espaço Novo Ser, e eu fui lá conferir se a iniciativa e execução eram boas mesmo ou apenas a intenção. E não é que me surpreendi? O projeto está rolando no posto 11 do Leblon, onde já havia uma esteira, mas agora ela termina em uma tenda com bastante sombra. E se você quiser ir à água, não depende mais do colinho dos fortões da praia, pois há duas cadeiras anfíbias (em breve serão quatro!) que circulam com facilidade pela areia fofa e bóiam dentro d´água. Tudo isso acompanhado pelo pessoal da Adaptsurf e da ONG Novo Ser, para garantir que as coisas sejam feitas com a devida segurança.

Esteira de bambus

E sabem o que é curioso? A esteira de bambu está sendo usada por MUITA gente que não quer queimar os pés na areia quente. Por um lado isso é bom, pois mostra que as adaptações não favorecem apenas quem tem deficiência. O lado ruim é que a esteira é frágil e acaba quebrando com o alto tráfego de pessoas e carrinhos cheios de mercadoria dos barraqueiros. Bem que podíamos ter uma solução que atendesse à todos, né?

Mas no geral, posso dizer que a estrutura montada funciona muito bem e torço para que o projeto cresça e seja expandido para novos pontos da orla!

Projeto Praia Acessível
Onde: Leblon – Posto 11
Quando: todos os domingos até o final de abril, das 08 às 14h

Outras informações:

ADAPTSURF – Integração, Acessibilidade e Preservação
Site: www.adaptsurf.org.br ▪ E-mail: contato@adaptsurf.org
Representante – Luiz Phelipe Nobre – (21) 9305 7707

ESPAÇO NOVO SER – Acessibilidade Plena e Inclusão Social
Site: www.novoser.org.br ▪ E-mail: novoser@novoser.org
Representante – Nena Gonzalez – (21) 8591-6858

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

25 thoughts on “A tal “Praia Acessível”, funciona?

  • 10 de fevereiro de 2009 em 21:42
    Permalink

    Eu sou doido pelo Rio…. e adoro praia… com a sua aprovação, minha passagem tá garantida! É só marcar os chooooopsss… Cara, belo serviço. Um grande abraço.

    Resposta
    • 10 de fevereiro de 2009 em 21:42
      Permalink

      Jairo, avisa quando vier pra gente marcar um choppsss! E dois pastel tb! 🙂 Abração!

  • 10 de fevereiro de 2009 em 16:44
    Permalink

    achei bem interessante o projeto! não posso deixar de comentar aqui a minha ida a uma praia acessível nos USA, em vez da esteira de bambu havia um caminho em madeira mesmo, na mesma altura da areira, tipo um deck que te levava até a beira da água, haviam várias, sempre saido do calçadão, em frente de algum quiósque. só não tinha a cadeira anfíbia!

    Resposta
    • 10 de fevereiro de 2009 em 16:44
      Permalink

      Opa Christian! Legal vc compartilhar essa informação. Acho que tem que ser uma solução simples, como essa "pista" de madeira que vc falou ou a esteira de bambu. E, claro, na maior quantidade possível de pontos da Orla, pra gente ter bastante opção. Grande abraço, Eduardo.

  • 10 de fevereiro de 2009 em 17:24
    Permalink

    Show! Tô vendo que o contato com a Adaptsurf rendeu! Maneiríssimo, fico feliz. E acho que esses bambus deveriam existir em toda a orla. Cada um com seu cada qual, eu que estou mais "pesadinha", quando piso, afundo o pé na areia fervente e parece que estou pisando em lava vulcânica!!! hahahahhahaha
    A cadeira anfíbia tb é maneiríssima!

    Resposta
    • 10 de fevereiro de 2009 em 17:24
      Permalink

      Oi Lud! Pior que eu acabei esquecendo de falar sobre vc com eles, ehehe… A idéia da esteira é bem legal pra todos mesmo, né? Vamos torcer para colocarem mais delas pela praia! Beijos, Dado.

  • 10 de fevereiro de 2009 em 18:23
    Permalink

    Essa matéria deveria ganhar mais destaque !!!! O tema é sério, a iniciativa é boa e o custo aparentemente baixo, pelo menos diante da bagunça que se tem hoje em dia. Em termos públicos, não faria nem cosquinha na pesada máquina pública.

    Falta é vontade mesmo !!!

    Resposta
    • 10 de fevereiro de 2009 em 18:23
      Permalink

      Oi Luizinho! Obrigado pelo apoio, e o que nós do blog pudermos fazer para divulgar, nós vamos fazer. O custo é relativamente baixo sim, e acho que o benefício é grande. No mundo todo, há poucas praias com projetos semelhantes e isso seria mais um atrativo para nossa tão linda – e infelizmente castigada – cidade. Grande abraço, Eduardo.

  • 11 de fevereiro de 2009 em 09:41
    Permalink

    Muito boa matéria Eduardo, parabéns!!!

    Resposta
  • 11 de fevereiro de 2009 em 09:47
    Permalink

    VALEW D+ EDU,
    COMO SEMPRE, SEUS COMENTÁRIOS SOBRE OS PROJETOS PÚBLICOS ELUCIDAM BEM A GALERA.
    ABÇÃO
    JEFF

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2009 em 09:47
      Permalink

      Falou,Jeff! Sabendo de mais alguma coisa, avisa! Grande abraço, Eduardo.

  • 11 de fevereiro de 2009 em 11:33
    Permalink

    A solucao para resover o problema das esteiras que quebram com o uso execessivo na minha opiniao e trocar por um material como piso sintetico como os usados em campo de futebol ou material de plastico duro que resita a agua e o trafego peasado.

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2009 em 11:33
      Permalink

      Por lá até comentamos sobre uma possível esteira de EVA, e essa idéia de aproveitar piso sintético de campo de futebol parece uma boa mesmo! O único porém é que eu acho que não é "ecologicamente correto" como o bambu. Valeu pela dica! Abraços, Eduardo.

  • 11 de fevereiro de 2009 em 12:07
    Permalink

    FUNCIONA NADA!!!! vi um cadeirante atolar na areia porque as esteiras sairam do lugar e formou-se um vão entre uma e outra…..
    isso é palhaçada do prefeito. com todo respeito aos cadeirantes, acho que todos ficariam mais felizes se o nosso Prefeito ditador fosse atrás dos bandidos.

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2009 em 12:07
      Permalink

      Frank, as esteiras não são a solução ideal, mas funcionam sim. O maior problema delas é a fragilidade, e esse problema seria minimizado se as esteiras fossem usadas apenas por quem realmente precisa delas. Apesar de discordar sobre muita coisa em relação aos últimos prefeitos do Rio, não creio que isso seja uma palhaçada. Ah, prefiro que a POLÍCIA (que é estadual) corra atrás dos bandidos e o prefeito apenas governe. Se já é difícil fazer o trabalho dele, imagina então o dos outros 🙂 Grande abraço, Eduardo.

  • 11 de fevereiro de 2009 em 13:05
    Permalink

    Sou cadeirante ha mais de 35 anos, hoje tenho 67 anos, casado, e vivo de forma agradavel dentro do possível. Gostaria de receber o endereço do blog para poder colaborar de alguma forma.
    Meu e-mail é robertto.l@terra.com e gostaria de receber resposta a este comentário.
    Abs. Roberto

    Resposta
    • 11 de fevereiro de 2009 em 13:05
      Permalink

      Oi Roberto! Nosso e-mail de contato é <maonaroda.blog@gmail.com>. Um abraço, Eduardo.

  • 11 de fevereiro de 2009 em 17:08
    Permalink

    Isso deveria ser permanente! Achei ótimo!!!

    Resposta
  • 2 de fevereiro de 2011 em 19:26
    Permalink

    Amigo, Gostaria de saber onde é que vende esse Tipo de ESTEIRA?
    Abraço…Dario Magalhães
    Maceio: Alagoas

    Resposta
    • 7 de fevereiro de 2011 em 09:17
      Permalink

      Oi Dario,

      Não sei, mas ela é importada e o nome é Mobi-mat (http://www.mobi-mat.com). Tenta entrar em contato com o pessoal do projeto Praia Para Todos que de repente eles sabem (http:://www.praiaparatodos.com.br).

      Abraços!

  • 18 de setembro de 2011 em 13:49
    Permalink

    Sou Ceoordenador de Esportes de Inclusão, da Secretária Municipal de Esporte e Lazer do Municipio de Aracaju – Sergipe.
    A mesma foi fundada em Maio de 2011, estamos tendo dificuldade de comprar Cadeira Anfibibia e Prancha de Surf Adaptada, para desenvolver projeto semelhante ao de voces em nossas praia, espero contato. (079) 8862 4992/(079) 99949291. Fiquem com Deus

    Resposta
  • 12 de junho de 2012 em 11:41
    Permalink

    Tenho uma sobrinha cadeirante,ela tem 09 anos e estamos de viagem marcada para o Rio dia 15/11/12 e gostaríamos de apresentar este projeto para ela, como devemos proceder??
    Aguardo retorno

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *