Tratamentos usando células-tronco – Polêmica, mitos e verdades

Outro dia recebi por email, de um queridíssimo amigo, uma reportagem falando da intenção do novo governo americano em dar mais incentivo aos estudos envolvendo células-tronco embrionárias humanas. Tem até uma empresa de Biotecnologia, a Genron que pretende iniciar testes com células-tronco na intenção de restaurar a função de órgãos e tecidos obtida com a injeção de células substitutas saudáveis. Resultado disso? Não sei, nada ainda é comprovado ou aprovado pela FDA (órgão que regula medicamentos e alimentos nos Estados Unidos) ou qualquer outro órgão. Fico imaginando que com tanta informação e novidade disponível, como vamos saber o que é verdade? E como separar o que realmente tem fundamento das nossas expectativas na esperança da cura? Tarefa difícil. Só sei que quanto mais leio sobre o assunto, mais leiga me sinto.

Independente disso acho que temos que ter cuidado com as promessas de cura. Ano passado escrevi um post falando sobre uma reportagem do Fantástico que mostrava dois médicos fazendo cirurgia com células tronco em pacientes com lesão medular, que alegavam ter sucesso em suas cirurgias. Mas era só isso o que a reportagem falava, levando muitas pessoas a acreditarem que já existe uma cura. Infelizmente não falaram que essas cirurgias não são reconhecidas por nenhum conselho de medicina, que não existem provas de sua eficácia, e o pior: não falam sobre os efeitos colaterais.

Volto a dizer que acho que cada um faz o que quer com seu corpo. Não posso e nem julgaria a opção de alguém de se submeter a uma operação dessas. Mas que seja consciente dos riscos, sabendo que pode não ter nenhum resultado e ainda sofrer com algum efeito colateral grave. E lendo sobre o assunto, sobre o que realmente é fato e o que não é, encontrei na coluna de Alysson Muotri, no G1 da Globo.com, uma matéria onde ele fala exatamente sobre essas cirurgias "milagrosas". Achei o texto muito bacana. Ele deixa bem claro o que acontece nessas operações.

Só sei que, por enquanto, a minha esperança está mais focada em questões de acesso e preconceito do que na restauração de células motoras que ninguém conseguiu decifrar direito ainda. Claro que tenho fé na ciência, mas também sei que as coisas não acontecem da noite pro dia. E enquanto não acontecem, vou seguindo minha vida da melhor forma possível.

E vocês? O que acham dos tratamentos com células-tronco?

Comentários

Comentários

19 comentários em “Tratamentos usando células-tronco – Polêmica, mitos e verdades

  • sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 em 14:31
    Permalink

    Concordo totalmente com vc, Cris. A especulação que se faz em torno dessa história de células tronco chega a ser constrangedora: muitos que não vivem o problema pensam que somos acomodados por não ir atrás dos tais tratamentos. Eu tenho visto que acontece justamente o contrário: quem tem mais dificuldade em aceitar a situação acaba se agarrando a essas promessas vazias baseadas em resultados sem comprovação.

    Resposta
    • sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 em 14:31
      Permalink

      Também acho complicado Nickolas. Muito se fala, mas ninguém provou nenhuma eficácia ainda. Beijos, Cris.

  • sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 em 18:36
    Permalink

    Também concordo com meus amigos blogueiros. O que mais me incomoda é a notícia milagrosa, que promete sem reportar o completo. Além das perguntas, épossivel voltar a andar? Não, mas e as células tronco? Aff! bjo

    Resposta
    • sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009 em 18:36
      Permalink

      Tem muita informação disponível, e acredito que a maioria sem fundamento ou comprovação. A gente tem que ter muito cuidado com o que lê. Beijos, Cris.

  • sábado, 28 de fevereiro de 2009 em 18:47
    Permalink

    oi, tem um tópico na comunidade do blog no orkut que discute isso, vocês poderiam por o link pra galera expor as opiniões lá também, valeu!

    Resposta
    • sábado, 28 de fevereiro de 2009 em 18:47
      Permalink

      Oi Christian, a idéia era justamente essa, criar um post em seguida, chamando para o orkut. Mas parece que as pessoas já descobriram o tópico antes do nosso anúncio por aqui. Sinal de que a comunidade está funcionado, hehehe. Bom, de qq jeito, nosso próximo post já está linkando pro orkut. beijos! Bianca

  • terça-feira, 3 de março de 2009 em 21:40
    Permalink

    Eu, há 8 anos na cadeira, ouço desde quando tive minha lesão, que no máximo em 10 anos, todos estaríamos de pé…esqueceram de dizer 10 anos a partir de quando.
    Sinceramente, acho que é coisa pra 50 anos, sem querer ser pessimista e já sendo. 🙁

    Resposta
    • terça-feira, 3 de março de 2009 em 21:40
      Permalink

      Oi Fernando, também escuto isso desde o primeiro mês da minha lesão. Também não acho que seja algo pra agora. Beijos, Cris.

  • terça-feira, 3 de março de 2009 em 10:46
    Permalink

    Infelizmente essa tecnologia ainda está engatinhando. Ainda deve demorar pra se conseguir fazer algo realmente eficaz.

    Mas um dia se chega lá.

    Resposta
    • terça-feira, 3 de março de 2009 em 10:46
      Permalink

      Também acho Gerson. Ninguém conseguiu ainda decifrar como funcionam as células motoras. Beijos, Cris.

  • terça-feira, 3 de março de 2009 em 13:58
    Permalink

    Tenho medo de promessas milagrosas. Acho q quando estamos com algum dano no corpo e isso afeta nossa saúde, fazemos qualquer coisa. Acreditamos no bem e no mal como se tivessem o mesmo valor. Eu entendo o desespero das pessoas. Lembro de matérias do Fantástico e afins. Lembro da menina que fui para a China e nunca mais fiquei sabendo dela – Aliás, alguém sabe daquela menina? – Mas precisamos ter cautela. Estas células podem funcionar por alguns anos, mas imaginem se um belo dia geram uma doença destas auto-imunes? Acho que o futuro vai chegar com novos estudos e curas. Mas infelizmente a velocidade da ciëncia n é a nossa com o desejo de cura ou restabelecimento.

    Resposta
    • terça-feira, 3 de março de 2009 em 13:58
      Permalink

      Oi Jaqueline, também nunca ouvi mais nada sobre a menina, e me lembro que o Fantástico ficou de acompanhar. Enfim, cada um sabe o que faz com seu corpo. Mas como já disse, não me arrisco enquanto não for 100% comprovado. Beijos, Cris.

  • sexta-feira, 6 de março de 2009 em 16:25
    Permalink

    Minha opinião, de alguem cadeirante ha 35 anos, é a seguinte: a evolução da medicina e dos critérios científicos tornam possível acreditar-se que a "cura" virá dentro de algum tempo. Mas os avanços tecnológicos serão lentos e cabe a nós, ja cadeirantes, cuidarmos de nossa cabeça pois ela é a parte mais importante de nossa reabilitação. Sem perdermos a esperança de dias melhores, se não ativarmos nosso cérebro para fazer de nossas vidas o melhor que pudermos fazer, viveremos apenas em função desse avanço tecnológico para nos "curarmos".
    Quando me acidentei , assistia demasiadamente ao Fantástico e demais programas televisivos, que ja naquela época, prometiam "curas" formidáveis e hoje vejo que foram apenas espectativas.
    Cuidem-se de atividades profissionais, atividades esportivas, e se produzam para o melhor que puderem produzir para si mesmos. Quando a medicina atingir os resultados (que todos esperamos) estaremos com a cebeça limpa e prontos para receber os tratamentos indispensáveis .

    Resposta
    • sexta-feira, 6 de março de 2009 em 16:25
      Permalink

      Oi Roberto, concordo totalmente com você: primeiro cuidamos da cabeça, pois assim o dia que a tão esperada cura for realidade estaremos prontos, sem ter deixado de viver "nada". Beijos, Cris.

  • Pingback:Negócio da China com células-tronco « Blog Mão na Roda

  • quarta-feira, 18 de agosto de 2010 em 21:57
    Permalink

    Não podemos ser pessimista,eu concordo que temos que viver e nos cuidar sempre, mas é preciso acordar todos os dias de manhã com a espectativa que nesse dia irá surgir a cura é claro que devemos acreditar na ciência, pois é simples, antes não havia cura para algumas enfermidades e a ciencia provou o contrario. Devemos rezar para Deus dar mais sabedoria, fé e amor aos homens e em especial a igreja catolica que preserva muitos valores e muitas das vezes esquece que Deus nos ama e quer nos ver felizes.

    Resposta
  • quarta-feira, 15 de junho de 2011 em 14:32
    Permalink

    Oi Cris,estava pesquisando sobre as células tronco sobre esse assunto tão pôlemico,sobre seus mitos é verdades. Portanto seu texto estava muito concreto,você utilizou poucas palavras porém disse tudo! beijos 🙂

    Resposta
  • domingo, 2 de agosto de 2015 em 20:13
    Permalink

    Roberto, sábias palavras. Gostaria de aproveitar a oportunidade para convidá-lo a cuidar da mente jogando uma partida de palavras cruzadas, posto que me disseram que você é muito bom nesse jogo. Aguardo resposta. renatoorlandi@hotmail.com

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest