Acessibilidade

Cantando no chuveiro…

17

Continuando o assunto sobre adaptação de banheiros, depois de comentarmos sobre os lavatórios (pias) – aqui e aqui – é a vez de tratarmos do box. Esse post é especial para os leitores que gostam de soltar a voz, afogar suas mágoas, curar uma ressaca ou simplesmente relaxar tomando um banho. Toda a vontade vai, literalmente, por água abaixo quando o box do banheiro não é confortável para a utlização.

A primeira coisa a se observar é se o box tem um bom espaço interno, coisa difícil de encontrar em imóveis mais novos. A NBR 9050 fala em medidas MÍNIMAS de 90 x 95 cm. É uma boa medida para quem usa um banco preso à parede, mas pode ser insuficiente para se colocar alguns tipos de cadeira de higiene. Se a pessoa precisar do auxílio de alguém durante o banho (ou quiser que alguém esteja junto para… sei lá), essa medida deve ser estendida para, pelo menos, 90 x 120 cm para haver algum conforto. Medidas muito maiores podem complicar mais do que ajudar, pois ficará mais difícil utilizar as paredes como apoios. A colocação de barras de apoio depende do gosto e da necessidade de cada pessoa.

O box deve ter largura suficiente para permitir a entrada e transferência com facilidade, seja para um banco de apoio ou para uma cadeira de higiene. Outro detalhe é que não pode existir nenhum obstáculo para entrada, ou seja, nem pensar em colocar uma pedra de granito (muito comum aqui no RJ). A melhor opção é construir o box com um rebaixamento no contra-piso de 2 ou 3 cm em relação ao resto do banheiro (em SP e no PR essa solução é mais comum). Na foto ao lado o rebaixamento é reto, mas pode ser amenizado com uma rampinha de 10 a 15 cm de comprimento para facilitar o acesso.

E para segurar a água, qual é a melhor opção? Box de vidro ou cortina de plástico?

A alternativa mais barata e simples é a cortina de plástico. Ela também tem a vantagem de deixar praticamente toda a entrada do box livre para a aproximação da cadeira. Sua maior desvantagem é ficar solta: quando se aproxima da pessoa, gruda na pele; quando se afasta, espalha água por todo o banheiro.

Se o espaço do box tiver duas laterais livres (uma quina), pode-se colocar um box de vidro com abertura dos dois lados, aumentando o espaço para entrada da cadeira. Considerando a colocação das folhas de vidro com 5 cm de sobreposição, a medida mínima do box para permitir essa passagem diagonal é de 90 x 120 cm.

No caso do box com paredes dos 3 lados, uma solução interessante é usar 3 folhas de vidro móveis.

Explicando melhor: tomando como exemplo um box de 120 cm de largura, se forem utilizadas duas folhas o maior espaço livre possível para entrada no box será de 57 cm, mas com a utlização de 3 folhas móveis esse espaço cresce para até 75 cm. Não é uma solução comum, poucas vidraçarias fazem esse tipo de serviço. Aqui no RJ encontrei essa opção com um representante da marca New Temper.

O sistema de rodízios usado é conhecido como “mão amiga” (não é o que você está pensando): um mecanismo de rodízios em que a porta do meio é puxada pelas duas extremidades.

A foto abaixo mostra o exemplo de um box com 3 folhas de vidro. Para facilitar a entrada, aproveitou-se o recuo de 30 cm que havia na parede, aumentando o tamanho do box de 120 cm para 150 cm. Dessa forma ampliou-se de 75 cm para 95 cm o vão livre quando o box está todo aberto.

Sobre o autor / 

Nickolas Marcon

Artigos relacionados

17 Comentários

  1. Cristiana Costa e Silva segunda-feira, 9 de março de 2009 em 17:47 -  Responder

    Muito bom o post Nickolas! O Bob Sponja foi show, rs. Ano passado fiz obra no meu banheiro e acabei optando pela cortina pois não sabia que podia ser diferente. Valeu a dica! Bjs, Cris.

    março 9th, 2009 - 17:47
    Mão na Roda respondeu:

    Obrigado, Cris. O Bob Esponja é muito metido, sai em todas as fotos… 😀 Quanto ao seu banheiro, se vc está usando a cortina pode facilmente trocar pelo box, mas vai depender das medidas disponíveis. Nem sempre é um bom negócio. Mande uma foto com as medidas para o email do blog se quiser uma opinião, ok? Um abraço, Nickolas.

  2. Bianca B N marotta segunda-feira, 9 de março de 2009 em 19:43 -  Responder

    Tb adorei esse post. Morri de rir e aprendi muito sobre box acessíveis! Parabéns! Quero outros posts destes! beijos, Bianca

  3. Eduardo Camara quinta-feira, 12 de março de 2009 em 15:58 -  Responder

    Nickolas, como devo fazer a "rampinha" entre o box e o resto do banheiro? Alguma sugestão?

    março 12th, 2009 - 15:58
    Mão na Roda respondeu:

    Eduardo, logo vc, o todo poderoso webmaster do blog, aventureiro de carteirinha, fazendo rampinha de 2 cm? Tsc, tsc, tsc… Seguinte: na hora de fazer o contra-piso, marque uma linha nas medidas desejadas da área livre interna. Faça o contra-piso com o desnível de 3 cm nessa linha. Quando o contra-piso já estiver firme, marque na parte mais baixa uma linha paralela ao rebaixamento 10 cm para dentro do espaço do box. Preencha com argamassa esse espaço, ligando o ponto mais alto até a linha marcada, formando assim a rampinha. Quando fizer o assentamento da cerâmica, o pedreiro deve acompanhar o contra-piso. Tudo isso pode mudar dependendo do perfil que vai segurar o vidro na parte inferior. Se o perfil for muito alto, será necessário fazer um corte no contra-piso para acomodá-lo, senão será formado outro degrau. Por isso, é melhor conseguir uma amostra desse perfil para pensar na melhor solução antes de fazer o contra-piso do banheiro.

  4. Anna Eduarda Falcão sábado, 19 de setembro de 2009 em 09:27 -  Responder

    Excelente matéria! Ajudou-me muito na readequação do banheiro de meu avô, que virou cadeirante por conta da idade! com estas dicas, pude deixar a vida dele muita mais simples e acessível!
    ótimo site!
    parabéns!!!!

  5. Box Banheiro segunda-feira, 12 de abril de 2010 em 21:36 -  Responder

    Muito bom o post Nickolas! realmente os apartamentos com baixa metragem o espaço é muito pequeno
    Bjs Ana

    abril 17th, 2010 - 04:07
    Nickolas Marcon respondeu:

    Ana, a área dos apartamentos mais novos é inviável para um cadeirante. Os cômodos estão muito pequenos, principalmente os banheiros. Minha dica para todos é comprar um apartamento antigo, maior, e reformá-lo, assim após a reforma você fica com um apartamento novo com todo o espaço que precisa.

  6. Airton Júnior quinta-feira, 13 de outubro de 2011 em 18:26 -  Responder

    Parabéns Nickolas excelente post, vai ajudar bastante a melhorar a acessibilidade aqui do nosso Hotel.

    Grande abraço,

    Júnior
    Mundial Parque Hotel
    Viçosa-MG

    outubro 31st, 2011 - 11:34
    Nickolas Marcon respondeu:

    Júnior, é gratificante saber que nossas dicas poderão melhorar a acessibilidade e aumentar o bem-estar de seus hóspedes. Um abraço.

  7. Erika Santana Fagundes sexta-feira, 28 de outubro de 2011 em 12:24 -  Responder

    Ola. Sou arquiteta, achei super importante as suas dicas para coloca-las nos projetos.
    Obrigada

    outubro 31st, 2011 - 11:43
    Nickolas Marcon respondeu:

    Erika, todos nós que trabalhamos com construção sabemos que existe um espaço entre normas técnicas e soluções reais para o conforto dos usuários. É essa lacuna que tentamos reduzir com as dicas postadas aqui no blog. Um abraço.

  8. Tânia segunda-feira, 17 de dezembro de 2012 em 16:34 -  Responder

    Como sobrou tanto espaço do vaso sanitário para a parede? O meu banheiro tem 1,20m de largura e sobrou pouco mais de 50cm da parede para a bacia sanitária, o que atrapalha a cadeira de rodas se aproximar da cadeira de banho. Estou tendo que adaptar uma caixa de descarga da Montana para poder substituir a bacia sanitária com caixa acoplada para bacia sanitária convencional e assim tentar ganhar pelo menos uns 15cm na largura do banheiro.

    dezembro 17th, 2012 - 18:03
    Nickolas Marcon respondeu:

    Tânia, preste atenção na foto. O box tem 1,20 m de largura, mas o banheiro todo tem 1,50 m. Há cotas indicando essas distâncias. Utilizando uma bacia com caixa acoplada da linha Vogue, da Deca, cujo comprimento é de 61 cm, mais 1 cm de afastamento da parede, consegui um total de 88 cm de espaço livre para passagem da cadeira. No caso que você descreveu, num banheiro com apenas 1,20 m de largura, acho muito difícil conseguir espaço para passar a cadeira se usar bacia com caixa acoplada. Para cadeiras-de-rodas estreitas (assento de 38 cm), já é necessário um mínimo de 62 cm. Cadeiras típicas passam apertadas com 66 cm. Cadeiras maiores, para obesos, precisam de 70 cm ou mais. Vejo duas soluções: ou você usa uma bacia com caixa superior, ou o cadeirante faz a transferência para uma cadeira de banho antes de passar entre o vaso e a parede.
    Um abraço.

  9. valjato quinta-feira, 17 de outubro de 2013 em 11:18 -  Responder

    Vendo o crescimento na areia de estrutura metalica e a mecesidade de jateamento ´nós somos uma empresa do ramo de montagem de cabine para jateamento vedemos também equipamentos abesivos .

  10. maria emilia sábado, 21 de fevereiro de 2015 em 11:59 -  Responder

    Gostei muito das dicas do blog. Sabe se existe alguma adaptação alternativa para um cadeirante transpor aquele limite dos boxs que não tem piso rebaixado? Algo que pudesse ser colocado temporariamente ou até que pudesse ser colocado somente quando o box for usado.
    Grata.

  11. Barbara segunda-feira, 10 de agosto de 2015 em 12:08 -  Responder

    Adorei seu artigo. Pena que … o vi muito tarde, e meu pedreiro fez o box sem o rebaixamento, me garantindo que com um filete fixado no chão a água não vai passar. Queria saber se isso é verdade, ou vou ter que arrebentar tudo. Obrigada pela sua atenção, desde já!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook