Negócio de vestuário para deficientes vence Prêmio Start 2008

Modelos de roupas da primeira coleção da We AdaptAntes de começar a escrever no Mão na Roda, nunca poderia imaginar que alguns cadeirantes pudessem precisar de roupas especiais. Na verdade nunca tinha parado pra pensar no assunto. Aliás, só me toquei disso quando fiquei sabendo da notícia de que o Prêmio Nacional de Empreendedorismo Start de 2008, realizado em Portugal, escolheu como vencedora a We Adapt. A notícia não é fresquinha, eu sei, mas depois de tomar conhecimento dela, pude entender que ficar sentado o tempo todo pode ser bastante desconfortável se a roupa não ajudar.

Clique aqui e assista a um vídeo sobre o projeto.

A idéia da We Adapt começou quando Miguel Ângelo Carvalho, engenheiro têxtil e professor na Universidade do Minho, foi desafiado por uma aluna romena para ser seu orientador numa tese sobre vestuário para deficientes. O que começou como projeto de faculdade o conquistou, cresceu e formou uma equipe de mais quatro pessoas, que, durante três anos de estudos, desenvolveram a We Adapt. O projeto empresarial tem como objetivo desenvolver e comercializar, via internet, vestuários e acessórios para pessoas com deficiência. E sua primeira coleção de roupas e uma série de acessórios já estão prontos, e com a vitória do Prêmio Start já estão com seus custos quase cobertos.

Em 2010, seus criadores pretendem botar à venda têxteis electrônicos para reabilitação, monitorização dos sinais vitais e eletroestimulação muscular. Querem também entrar no mercado norte-americano através da internet – contando com o apoio do programa UTEN (University Tecnhonoly Enterprise Network) e da Cisco Systems.

Bom saber que está na moda falar e agir a favor da inclusão. Só espero que essa moda pegue de vez e não vá embora daqui a mais um ou dois verões.

7 thoughts on “Negócio de vestuário para deficientes vence Prêmio Start 2008

  • 7 de abril de 2009 em 16:26
    Permalink

    Roupa está relacionada a identidade e auto-estima tb. Em se ver bonito e se vestir para ocasioões especiais de forma especial. Acho muito boa esta ideia de pensar numa espécie de vestuário adaptado, de acordo coma s necessidades dos cadeirantes. Tb é importante uma roupa prática, que busque manter as características de uma roupa comum, como as que vemos nas lojas. Uma vez vi um material de uma cadeirante que acabou criando as próprias roupas pq não conseguia encontrar nada q gostasse e se adaptasse aos gostos dela. Era uma pessoa que precisava de ajuda na hora de se vestir e certas peças mais usuais ainda complicavam ainda mais este ritual diário. São iniciativas isoladas que revelam, sim, haver uma demanda por este tipo de serviço.

    Resposta
    • 7 de abril de 2009 em 16:26
      Permalink

      Oi Jaqueline, concordo com você, roupa é identidade. Forma e função são essenciais. E eu nunca tinha me dado conta disso, em relação a vestuário de pessoas com deficiência. É tanta coisa q a gente vai aprendendo… bjos, Bianca

  • 12 de abril de 2009 em 23:45
    Permalink

    Excelente essa idéia, já era hora de alguém fazer alguma coisa em prol dos cadeirantes. Falo por mim, na hora de comprar roupas para mim, tenho até preguiça de explicar para os vendedores que eu só uso calça de elástico na cintura porque uma calça com cós me incomoda sobremaneira, prefiro calça comprida às saias por uma questão de comforto também. E onde a gente encontra dessa roupa pra comprar aqui no Brasil??? 🙂

    Resposta
    • 12 de abril de 2009 em 23:45
      Permalink

      Oi Mônica, tb fiquei curiosa e enviei um email pra eles, perguntando se existe previsão de vendas dos produtos aqui no Brasil. Vamos ver o que respondem. bjos, Bianca

  • 21 de abril de 2009 em 21:39
    Permalink

    Qualquer coisa me avisa, tá bem? Você tem o meu e-mail e tenho GRANDE interesse nesse tipo de roupas… 🙂 Muito obrigada por ter respondido.

    Resposta

Deixe uma resposta para Mônica Figueiredo Brandão Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *