Rúgbi em cadeira de rodas

Alguém aí já assistiu Murderball? Se não assistiram, assistam! Murderball é um documentário sobre rúgbi em cadeira de rodas diferente de todos os documentários que já vi sobre pessoas com deficiência. Juntar um esporte violento com uma cadeira de rodas pode parecer estranho, mas o resultado surpreende.

As regras são parecidas com as do rúgbi original, onde cada time tem que levar uma bola até o fundo do campo adversário. Para impedir isso, o time que está defendendo faz de tudo para parar o ataque e é aí que o coro come. Claro que não vale dedo no olho nem atingir diretamente o adversário, mas as cadeiras, essas sofrem! O trailler abaixo dá uma idéia de como é o documentário e como funciona o rúgbi.

O que eu acho mais legal nesse esporte é que ele é ágil e também possibilita que uma grande gama de pessoas com deficiência jogue. Tetraplégicos, pessoas com amputações no braço e outras que não conseguem jogar basquete, por exemplo, podem praticar rúgbi. A regra básica – válida nas competições – diz que só é permitida a participação de pessoas que tenham comprometimento de, no mínimo, 3 membros do corpo. À esquerda uma cadeira usada no Rúgbi. À direita um jogo do campeonato mundial.

E para quem quiser praticar o esporte aqui no Brasil, saiba que já existem alguns times treinando. No Rio de Janeiro, por exemplo, são dois: o Rio Quad Rugby e o Guerreiros da Inclusão. Ambos estão procurando novos jogadores e eu, que já fui em um treino dos Guerreiros, gostei bastante do clima. Jogo do Campeonato Brasileiro 2009 de Rúgbi em Cadeira de Rodas

Quer mais uma oportunidade de conhecer o esporte? Semana que vem rola uma competição internacional, o torneio Maximus, aqui pertinho, em Niterói. Vou colocar as informações no blog ainda hoje!

Fonte das imagens: Google Images e Gabriel Mayr

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

One thought on “Rúgbi em cadeira de rodas

  • 15 de junho de 2009 em 16:53
    Permalink

    Muito bom esse documentario ,quem ainda não assistiu da um jeito de assistir que ele é massa =]

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *