Férias e viagens – dicas úteis

Pilha enorme de malasVou entrar de férias em breve, e mais uma vez estou como um doido procurando as melhores alternativas de passagens, hospedagem e passeios. A ferramenta para isso? A Internet!

Claro que buscar informações espalhadas por milhares de sites dá um trabalhão danado e nem sempre o que você espera de um lugar é o que você encontra ao chegar lá, mas há algumas saídas para evitar que isso aconteça. Ah, estas dicas servem tanto para andantes quanto para cadeirantes, ok?

A primeira coisa é definir o destino. E o quanto antes o fizer, melhor, assim você consegue encontrar passagens mais baratas e será bem mais fácil achar hospedagem. Procure verificar se há algum evento (ex: congresso de medicina, festival, festa típica) rolando no seu destino na época da viagem. Isso pode fazer com que os hotéis estejam extremamente caros ou sem vagas disponíveis. E acreditem, isso é mais comum do que vocês pensam e acabou de acontecer comigo. 

Na hora de comprar as passagens, tente consultar mais de uma cia aérea para comparar os preços, pois a diferença geralmente é bem grande. E, se usar cadeira de rodas, não se esqueça de avisar a companhia aérea. O quanto antes avisar, melhor! Se você não é um cadeirante abonado que viaja de 1ª classe ou classe executiva, onde há muito espaço, tente reservar um assento na 1ª fileira de poltronas da classe econômica. Ela oferece mais espaço para as pernas e será muito mais fácil você entrar e sair da poltrona!

Já na busca pelo hotel, as dicas no Brasil são o Guia IBDD (apenas Rio de Janeiro), Guia Brasil Para Todos (Muito bom!) , Hotel In Site e o Traveler, que passou a incluir informações de acessibilidade recentemente.

No exterior há uma infinidade de sites, mas eu costumo fazer o seguinte: uso o Booking.com para saber se o hotel é adaptado (ele tem uma pesquisa por hotéis para pessoas com “mobilidade condicionada”) e depois consulto o Trip Advisor. Nele você tem avaliações e comentários de pessoas como nós, que já se hospedaram nos hotéis, falando sobre a localização, limpeza, organização etc.

Tanto no Brasil quanto no exterior, recomendo confirmar diretamente com os hotéis – mesmo que por e-mail – se eles realmente são adaptados. É comum encontrar banheiras nesses hotéis, o que pode ser muito ruim para quem não tem tanta mobilidade.

Por fim, na hora da reserva, quase sempre fecho diretamente com o hotel ou então através do site Hoteis.com, que geralmente tem as melhores tarifas da Internet. Ah, se forem reservar via Hoteis.com, recomendo fazerem através do 0800 e pedirem para reservarem o quarto adaptado do hotel!

Tá achando tudo muito complicado? Calma! Também existem agências de viagem e profissionais especializados que podem resolver tudo por você, nos mínimos detalhes. Um deles é o Ricardo Shimosakai, que é cadeirante e conhece bem as questões de acessibilidade.

Enfim, há muita informação por aí e também serviços que poupam o trabalho na hora de planejar suas férias. É só escolher o que você prefere e ir preparando as malas…

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *