Viagens e Turismo

Munique – Primeiro dia

4

Torre da Neues Rathaus - Marienplatz - MuniqueA viagem do Rio até Madri, onde fizemos uma conexão para Munique, foi bem tranquila. As comissárias de bordo da Iberia foram simpáticas e o serviço de bordo correto. Quando chegamos ao Barajas, o lindíssimo aeroporto de Madri, o pessoal do Sin Barreras (já falamos sobre eles aqui no blog!) nos esperava.

O Sin Barreras é referência mundial na recepção de pessoas com deficiência em aeroportos, mas confesso que em alguns momentos me incomodei um pouco com os funcionários tentando empurrar minha cadeira o tempo todo, mesmo depois de eu dizer que não havia necessidade. Além disso, a van do Sin Barreiras que usamos estava em mal estado de conservação. A impressão que tive foi de que o serviço piorou sensivelmente de um ano para cá.

De Madrid para Munique, a Iberia deu uma pisada de bola nos colocando bem atrás no avião – o que dificulta a entrada e saída – ainda em lados opostos do corredor. Por sorte o vôo não estava cheio e a Bianca conseguiu sentar ao meu lado. Tirando isso, o vôo foi tranquilo e duas horas e meia depois chegamos ao aeroporto de Munique, de nome impronunciável*.Lá o desembarque demorou um pouco mais, com a Iberia colocando a culpa no pessoal do aeroporto e vice-versa. Pelo que entendemos o pessoal do aeroporto não tinha sido avisado da necessidade de uma cadeira de bordo para desembarcar o cadeirante. Ai, ai, ai…

 

Elevador que vai do saguão do aeroporto à plataforma de embarque do S-Bahn

No aeroporto de Munique não existe um serviço especial como o Sin Barreiras. Quem faz o embarque e desembarque são funcionários “genéricos”, todos solícitos, mas bem mais objetivos e que ajudam apenas no que é necessário. Gostei mais desse jeito. Ainda no aeroporto, tentamos pegar as primeiras informações sobre o S-Bahn, o trem que vai até o centro da cidade. O pessoal do centro de informações estava (ou era?) totalmente sem saco, e limitou-se a nos apontar onde ficava a bilheteria do trem. Quando estávamos em frente à bilheteria, um simpático casal alemão, que estava para embarcar em um vôo, se aproximou e ofereceu o tíquete deles para nós. Oba! Alguns euros economizados!

Relógio da estação de trem e painel indicando o tempo de viagem para cada destino.

Explicando para quem não entendeu: em muitos lugares do mundo é comum venderem um “passe” que dá direito ao uso de qualquer tipo de transporte por 24hs. Você paga um valor fixo e pega QUANTOS METRÔS, TRENS e ÔNIBUS quiser. Como o casal tinha comprado o passe apenas para ir ao aeroporto e ele ia perder a validade, deram para nós.

O serviço de S-Bahn é excelente, bastante acessível e liga o aeroporto diretamente ao centro da cidade. Bastou pegar um elevador do saguão do aeroporto e caímos direto na plataforma de embarque do trem. Em exatos 40 minutos (exatamente como previsto no painel eletrônico), chegamos ao nosso destino, a estação central de Munique (Hauptbahnhof).

À esquerda: botão para abrir a porta do trem. À direita: alguns bancos do trem são rebatíveis e criam espaço para cadeira de rodas.

Uma dica para saltar no lado correto da estação: sempre que a estação de trem/metrô tiver uma plataforma de embarque/desembarque no meio, entre os trens que estão indo e os que estão vindo, o elevador está nessa plataforma, pois assim pode ser compartilhado por quem vai pegar trem em uma ou outra direção. Claro que não nos ligamos nisso e saímos do lado errado. Sorte que tinha uma escada rolante e deu para subir numa boa.

Os funcionários do centro de informações turísticas da Hauptbanhof são simpáticos, mas a rampa da entrada podia ser melhor, né?

Logo na saída da Hauptbanhof havia um centro de informações turísticas, com funcionários bem mais simpáticos do que os do aeroporto. Nos indicaram no mapa onde ficava nosso hotel e, como era pertinho, fomos andando. Todas as calçadas no caminho eram rebaixadas e o respeito no trânsito impressionante! Carros respeitando pedestres e pedestres respeitando carros. Ninguém ultrapassa o sinal ou atravessa a rua quando não deve. Quanto ao hotel, nenhuma surpresa. Recepção simpática, quarto legal e banheiro muito bem adaptado. Maiores detalhes num próximo post!

Descansamos um pouco, demos uma olhada em uns roteiros que fizemos e saímos para dar uma voltinha até a praça principal da cidade, a Marienplatz. A primeira impressão foi ótima! A cidade, mesmo em uma 4ª feira, estava super cheia e animada. Além disso, é linda, limpa e tem lugares super charmosos.

Bianca em frente à Hofbräuhaus, cervejaria mais antiga de Munique.

Neuhauser Strasse à noite. É a principal rua de pedestres de Munique, e termina na Marienplatz.

* Nota da Bianca: O nome, que o Dado diz ser impronunciável, é Flughafen München, e não quer dizer
nada além de aeroporto de Munique 😛

Sobre o autor / 

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

Artigos relacionados

4 Comentários

  1. Priscila Bezerra sábado, 24 de outubro de 2009 em 13:08 -  Responder

    A boa impressao em Munique pode se tornar uma decepcao se voces forem a Berlim. Aqui a cidade nao se importa nem um pouco com portadoes de necessidades especiais!Ok, as estacoes de metro tem elevadores e os onibus tem pisos que se rebaixam, mas como dependendo das estacaoes de metro que vc vai o elevador pode estar desligado ou em algumas localidades atendidas pela S bahn simplesmente nao existem.
    Por outro lado, aqui e mais barato e divertido!!!O melhor e realmente comprar esses tickets especiais em Munique, o sistema la e tao cara e complicado!! 9 Euros so de IDA para o metro!! Ai ai ai

    outubro 24th, 2009 - 13:08
    Mão na Roda respondeu:

    Oi Priscila! Também estivemos em Berlin, mas gostamos da acessibilidade. Realmente no S-BAHN a coisa é mais complicada, mas no resto, é mil vezes melhor do que no Brasil! Sobre o elevador, acho que não tem muita alternativa… Por sorte, não tivemos problema. Ah, também achamos Berlin muuuuuuuuuito mais divertido. 🙂 Tentamos até esticar a viagem para ficar mais por aí, mas não deu. Berlin é uma cidade onde, com certeza, vou voltar! Abraços, Eduardo.

  2. Jairo Marques sábado, 24 de outubro de 2009 em 13:09 -  Responder

    Eu já tinha comentado, mas sumiu ahahahah.. Cara, é sensacional ler seus relatos de viagem… dá mais segurança para planejar as minhas próximas… muito, muito legal! Grande abraço

    outubro 24th, 2009 - 13:09
    Mão na Roda respondeu:

    Opa Jairo! Seu comentário tá num post mais abaixo. O tal post é que, temperamental, sumiu. Mas já volto, ehehe! E a idéia dos relatos é justamente acabar com os medos que a galera tem na hora de viajar. Aguarde que em breve tem Praga 😉 Abração!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook