Munique – Terceiro dia

Frauenkirche com uma das torres em reforma - Munique

Hoje o dia amanheceu nublado, e com medo da chuva decidimos fazer um passeio pelos lugares fechados de Munique. Como não estava chovendo, fomos a pé até a Frauenkirche, uma igreja enorme no centro da cidade que tem as duas torres mais altas de Munique. A entrada principal é cheia de degraus, e o acesso para o elevador que sobe ao topo da torre também. Acabamos desistindo de visitar a igreja e apenas mais tarde descobrimos que havia uma entrada secundária com rampa. Bola fora da funcionária da entrada. De repente voltamos lá amanhã…

Viktualienmarkt em Munique - espécie de feira

Dali seguimos para o Viktualienmarkt, que é um mercado a céu aberto bem próximo da Marienplatz, principal praça de Munique. Só para situar vocês, a distância entre a tal igreja, a Marienplatz e o mercado não chega a 500m. É tudo MUITO perto e o caminho é bem tranqüilo e acessível. Voltando ao mercado, o lugar é legal, com muitas barraquinhas de comida, sucos, plantas e claro, cerveja! Ainda era manhã e as mesas estavam super lotadas. Vale uma visita e uma cerveja para descansar um pouco e depois seguir caminho.

Entrada do Deutsches Museum em MuniqueDo mercado fomos caminhando em direção ao rio Isar, que margeia o centro histórico da cidade. Ao lado direito do rio fica o Deutsches Museum, enorme museu de ciências, que é um dos maiores da Europa. O pátio é de paralelepípedos, mas pelo menos há rampas para entrar e se locomover lá dentro (todas muito íngremes). No térreo há um banheiro bem adaptado. O acervo é bem interessante, com destaque para a seção de aviões e construção de pontes, no andar térreo. Mas depois de andarmos mais um pouco, percebemos que não estávamos com muita paciência para museu de ciências.

Caravela e aviões dentro do Deutsches Museum

Rumamos então para o Residenz Museum, antigo palácio real, mas foi um banho de água fria. O museu não é acessível e tem milhares de degraus para cá e para lá. Um tanto quanto frustrados, sentamos em um café para comer, beber algo e ver o movimento.

Praça em Munique

Energia reposta, decidimos visitar uma outra praça da cidade, onde há dois museus e um grande arco. O local era utilizado no início do nazismo para recrutar jovens para o exército. Atualmente, um mural expõe diversas fotos do local na época. Dali esticamos por um bairro de “bacanas” alemães (apartamentos a partir de 270m2 à venda) e terminamos em um lindo parque em frente ao palácio de justiça. Mais um tempinho descansando, compras e volta ao hotel.

Amanhã o dia vai ser cheio!

Dado e Bianca numa praça em Munique

Comentários

Comentários

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

12 comentários em “Munique – Terceiro dia

  • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 21:37
    Permalink

    Amei os posts e as fotos! Linda essa foto de vcs! Bjs!

    Resposta
    • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 21:37
      Permalink

      A modelo ajudou muito a melhorar a foto! 😉 Beijos!

  • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 22:04
    Permalink

    que linda foto!! lindo casal!
    acompanho o blog sempre e foi bom ver o rostinho de quem faz desse espaço um lugar interessante e especial.
    bjs

    Resposta
    • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 22:04
      Permalink

      Legal saber que vc está sempre por aqui, Rejane! Sou tímido e não gosto de aparecer muito nas fotos, mas tb acho que é legal dar uma "cara" ao blog 🙂 Beijos, Eduardo.

    • quinta-feira, 29 de outubro de 2009 em 09:07
      Permalink

      Espera que já vai ter mais post de viagem 😉 Sobre o Lyoto, pô… Eu sou bem mais sarado que esse cara, ehehe! Há um tempo atrás diziam que eu parecia com o Royce Gracie tb. Devo ter cara de lutador, ehehe! Abraços, Eduardo

  • quinta-feira, 29 de outubro de 2009 em 17:43
    Permalink

    Gente não tem a nada a ver com o post de vocês hoje.
    Mas olha só o que li na coluna do Ancelmo Gois agora:

    Segunda, por volta de 14h30m, na Avenida Presidente Wilson, no Centro, um cadeirante tirou a bermuda, ficou completamente nu e, apoiado nos braços, fez, acredite, o número dois em plena rua.

    Aliviado, pôs a roupa e foi embora. Há testemunhas

    Resposta
    • quinta-feira, 29 de outubro de 2009 em 17:43
      Permalink

      Olha, eu acredito nisso! Já vi um "muletante" sentar no meio fio, arriar as calças em plena Almirante Barroso (olha o nome da rua!) e, apoiado nos braços, mandar ver! Abraços, Eduardo.

  • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 20:31
    Permalink

    Como assim a pé? hehehhe… desculpe a brincadeira, mas nao aguentei…. muito bom blog, o acompanho sempre.

    Resposta
    • quarta-feira, 28 de outubro de 2009 em 20:31
      Permalink

      Errr… Poxa, Hugo, força do hábito, ehehehe! Abraços, Eduardo.

  • sexta-feira, 30 de outubro de 2009 em 14:53
    Permalink

    Edu, dá pra falar um pouco sobre as ruas? São íngremes ou é tudo plano? As calçadas são boas pra todo canto? Como é a reação das pessoas diante de um cadeirante?! Tá massa a sua trip!! Abraço

    Resposta
    • sexta-feira, 30 de outubro de 2009 em 14:53
      Permalink

      Jairo, tá tudo lá no primeiro post sobre a cidade! Pode-se dizer que praticamente é tudo plano e as calçadas são muito boas. Rampa tem em tudo quanto é esquina e circular de cadeira por lá não é problema. Sobre a reação, a gente vai escrever sobre isso. Alemão é um povo meio indiferente… Acho que pode passar um alienígena na frente deles que não vão esboçar a mínima reação 🙂 Abração, Eduardo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest