Bruges – Bélgica

Vista de um canal em Bruges a partir de uma ponteBruges é uma cidadezinha linda na Bélgica, que fica a uma hora de trem da capital Bruxelas, tem pouco mais de 100 mil habitantes e que ainda conserva prédios construídos há séculos. Tinha um certo receio de ir para lá, pois sabia que o calçamento era esburacado e imaginava que as construções antigas fossem totalmente inacessíveis. Felizmente, me enganei.

ônibus adaptado em BrugesCentro de Bruges

Para chegar à Bruges, pegamos um trem na estação Zúid/Midi de Bruxelas, no começo da manhã. A estação é totalmente adaptada, mas achar os elevadores é um tanto quanto complicado. O ideal é comprar os bilhetes, avisar para onde vai e pedir ajuda a um funcionário da estação para levá-lo à plataforma de embarque. O trem para Bruges tem vagões especiais com rampas móveis para facilitar a entrada e saída. A rampa fica dentro do próprio vagão! Lembre-se de avisar em qual cidade você vai descer, para que um funcionário possa montar novamente a rampa no desembarque.

Torre Belfry em BrugesMiniatura tátil da Torre Belfry
Chegando à Bruges, você pode pegar um ônibus (adaptado!), táxi ou ir à pé para o centro, que foi nossa opção. Andamos cerca de 500m até entrar no centro histórico, passando pelas ruas tranqüilas, pelos casarões antigos e também pelos canais. Aliás, Bruges também é conhecida como a Veneza de Flandres justamente pela grande quantidade de canais que corta a cidade. O calçamento nas áreas periféricas do centro histórico não é bom, mas quanto mais próximo da praça central, melhor ele fica. Quando você chega à região mais turística, lotada de lojinhas de chocolate e chá, as calçadas já são bem lisas e fica muito mais fácil circular. Na praça central de Bruges, cercada de prédios históricos, está a principal torre da cidade, construída no século XIII. No hall interno da torre há um banheiro adaptado e também um elevador para quem quiser explorar os andares mais altos. Pausa para fotos, comer batata frita, um pouco de chocolate (alimentação mega-saudável!) e continuar o passeio. Perca-se pelas ruazinhas de Bruges, descubra os prédios antigos, tire mais fotos (a cidade é realmente linda!), pare um pouquinho mais para descansar e tomar um café. Se tiver disposição, junte-se aos inúmeros turistas que fazem um passeio de barco pelos canais. Infelizmente, para chegar aos barcos há um grande lance de degraus, e o barco também não é adaptado. Bem que podiam melhorar isso…
bruge_canal
Tente ficar na cidade até o anoitecer. Com a iluminação noturna, a cidade fica ainda mais charmosa! Se assim como nós não for dormir em Bruges, só tome cuidado para não perder a hora e o último trem. A cidade encanta!

Comentários

Comentários

Eduardo Camara

Se não está viajando, está pedalando. Muitas vezes, fazendo as duas coisas ao mesmo tempo.

5 comentários em “Bruges – Bélgica

  • quarta-feira, 6 de janeiro de 2010 em 03:01
    Permalink

    Prezado Eduardo,

    Primeiramente, gostaria de parabenilza-lo pelo blog, pois tambem sou cadeirante e tenho encontrado sempre aqui posts bastante apropriados no que concerne acessibilidade.
    Estando de viagem marcada para Europa em Maio, não poderia encontrar matérias tão oportunas e convenientes como a de Acessibilidade nos Trens e a estadia em Bruges-Belgica, pois certamente também vivenciarei as duas situações e para tanto, o que li nos pots, é bastante tranqüilizador no que diz respeito a acessibilidade em ambos os casos.

    Parabéns pelo site

    []s

    Anderson Jardim

    Resposta
    • segunda-feira, 18 de janeiro de 2010 em 02:31
      Permalink

      Oi Anderson! Fico feliz que o blog esteja ajudando. Esse é o objetivo! Se tiver alguma dúvida mais específica, avisa! Em breve vou colocar dicas de Londres, Madrid, Barcelona, Munique, Praga, Viena e Berlin, além de outras cidades aqui do Brasil.

      Grande abraço pra vc!

  • quinta-feira, 14 de janeiro de 2010 em 23:51
    Permalink

    Adoro a Bélgica, especialmente Bruges com sua “orquestra” de sinos que toca todo dia as seis da tarde. Maravilhosa fica arrepiada, nunca ouvi nada igual.

    Resposta
  • segunda-feira, 18 de janeiro de 2010 em 08:21
    Permalink

    Olá, queridos colegas do “mão na roda”,

    Que bacana reencontrá-los em 2010 de cara nova. Parabéns!

    De uns tempos para cá, estou sempre às voltas com as rodas e rodinhas por questões profissionais e recentemente estou com minha mãe de tornozelo quebrado e mobilidade reduzida. Ou seja, o site é útil a todos, porque as dicas valem para quem está nessa condição e para quem auxilia também.

    Além disso, foi ótimo rever as fotos de Bruges, cidadezinha linda, que eu tive o privilégio de conhecer.

    Abraços,

    Rosana Palermo Schweter

    Resposta
    • sexta-feira, 22 de janeiro de 2010 em 13:37
      Permalink

      Oi Rosana, bom ver vc por aqui outra vez!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest