Aventuras no busão

Quem depende de ônibus para se locomover certamente já esteve em apuros alguma vez. Ou faltam veículos equipados com elevador ou, quando ele existe, a má vontade da dupla motorista/cobrador chega ao ponto de alegarem “desconhecimento da operação do elevador” para não embarcar o deficiente. Como se eles nunca tivessem recebido treinamento ou como se operar dois botões fosse algo extremamente complexo…

Só para exemplificar, seguem abaixo dois relatos de autores do blog.

Nickolas:

“Quando eu ainda morava em Curitiba, andava muito de ônibus antes de comprar um carro. A única vez que tive problema foi quando a plataforma do ônibus ficou inclinada e não consegui subir sozinho, parei no meio do caminho e a porta fechou em cima da cadeira. Como o ônibus tinha mecanismo de segurança, não saiu do lugar quando o motorista acelerou… falha dele que não tinha visto que eu estava na porta quando fechou, mas pelo menos ouvi um pedido de desculpas.

Aqui no RJ já ouvi histórias escabrosas sobre a má vontade dos funcionários das empresas de ônibus. Que os motoristas de ônibus daqui beiram a irracionalidade eu já sei, pois dirijo e recebo deles fechadas e outras bandalhas todos os dias, mas que são incapazes de operar um mecanismo com dois botões ou que nem respeitam a chamada para parar no ponto, isso não dá para entender… Parece piada!”

Eduardo:

“Eu já tentei voltar de ônibus uma vez que o metrô deu problema. Foi antes de colocarem esses 500 ônibus para rodar. Esperei pra caramba! Não passou ônibus algum e acabei pegando o metrô, que tinha voltado a funcionar.

Acho que os motoristas têm é má vontade de operar aquele treco. E convenhamos: elevador não é a melhor solução! Demora muito para descer e subir. Bom mesmo é ônibus de piso baixo.”


E você, utiliza ônibus para se locomover? Mande um comentário relatando sua experiência…

Facebook Comments

9 comentários em “Aventuras no busão

  • quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010 em 22:55
    Permalink

    Olá, sou cadeirante, há algum tempo leio o mão na roda, que me foi apresentado pelo meu namorado, Rodrigo. Vendo essa postagem dos ônibus não me contive. Vou contar. Na esquina da minha casa (Engenho Novo) tem o ponto final do 474, acho que é a linha que tem mais ônibus adaptados, pois mesmo antes de ser obrigatório já tinha alguns. Porém por 2 vezes eu entrei no ônibus e não consegui descer, pois o elevador simplesmente quebrou durante o percurso. Vê se pode? Ainda por cima um final de semana desses fui utiliza-lo e não tinha nenhum ônibus rodando pois estavam todos em manuenção. Onde já se viu pôr todos os ônibus adaptados em manutenção? Por um acaso eles param de rodar algum dia pra botar todos os não adaptados em manutenção? Que falta de consideração!! Como é ponto final ele ligou pra garagem e pediu pra mandar um ônibus que já tivesse passado pela mantenção. Quando o ônibus chegou o elevador não queria descer, o motorista teve que pisar em cima e saculejá-lo pra que funcionasse. Ao subir caiu uns pedaços de plásticos das engrenagens. Enfim, que manutenção é essa?

    E o governo ainda diz: Brasil, um país de todos.
    Será?

    OBS: Desculpem qualquer erro. Agradeço a oportunidade.

    fevereiro 22nd, 2010 - 18:15
    Nickolas Marcon respondeu:

    Evelyn, quanto mais simples, mais confiável. Elevadores são boas soluções, mas têm peças móveis que quebram com facilidade. A melhor solução são os ônibus com piso baixo e uma rampa retrátil, simples, puxada com as mãos e que nunca quebra. Esses veículos devem chegar ao RJ a partir de 2012, mas até lá teremos que contar com a sorte de encontrar um elevador que funcione. Um abraço!

    Resposta
  • sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010 em 01:10
    Permalink

    Se por aih, vcs passam esses perengues, imaginem a galera aki do Nordeste… Eh cada caso absurdo q soh vendo p/ crer! Foram entregues vários ônibus adaptados, mas os motoristas e cobradores soh receberam treinamento de estupidez! Fico indignadaa, sem falar nos assentos reservados nos ônibus q as pessoas ainda naum aprenderam o q eh respeito pelo direito do próximo, vivo de briga nos ônibus!

    fevereiro 22nd, 2010 - 18:12
    Nickolas Marcon respondeu:

    Marília, você está coberta de razão em brigar pelo que é certo, mas lembre-se que os funcionários dos ônibus tem autonomia limitada. Use os canais de comunicação das empresas e dos órgãos públicos para fazer valer sua opinião. Uma abraço!

    Resposta
  • Pingback: Aventuras no Busão 2 « Blog Mão na Roda

  • sexta-feira, 31 de dezembro de 2010 em 00:55
    Permalink

    Evelyn Spangemberg, eu moro na rua dois de maio, pertinho do ponto final do 474, meu irmão é cadeirante, nós nunca utilizamos o ônibus, mas acho que vamos tentar! eu não sabia que tinha mais cadeirantes aqui no bairro, moramos aqui há cerca de 17 anos. Se quiser nos conhecer me mande um email, será um prazer!
    salithy@hotmail.com

    Beijos!

    Resposta
  • segunda-feira, 5 de março de 2012 em 09:43
    Permalink

    Moro em Curitiba, mas já morei em Joinville, SC. Ao contrário do que muitos dizem, o transporte de Curitiba não é o melhor para os cadeirantes. Pode até ser o mais adaptado, mas no quesito vontade e educação dos motoristas e cobradores, Joinville dá de dez a zero sobre todas as outras cidades que já visitei.
    Por exemplo, em linhas aonde não há cobredores, o motorista só acelera o ônibus após ter verificado se o cadeirante está devidamente preso ào cinto de segurança e à trava da cadeira de rodas. Chegam a ajudar o cadeirante se este não consegue se virar sozinho. E não são só os motoristas e cobradores, mas todos os passageiros são sempre muito prestativos.
    Citei Curitiba como exemplo porque, apesar de estar morando aqui, embarcar nos ônibus das linhas Ligeirinho, por exemplo, exigem do cadeirante uma destreza que particularmente eu não tenho. Vencer aquele pequeno degrau que geralmente aparece na rampa de embarque já é algo complicado, logo após depender da boa vontade de alguns passageiros em desocuparem o lugar destinado àos cadeirantes, isso já com o ônibus em movimento, conseguir se posicionar corretamente e prender a cadeira com a velocidade adequada são coisas que muitos de nós, cadeirantes, não conseguimos por falta de destreza com as mãos e braços. Aí vem aquela famosa idéia de que devemos sempre sair de casa com um acompanhante para nos ajudar quando preciso, mas no meu caso não tenho ninguém.
    Problemas com o transporte público não são exatamente causados pela falta de adaptação dos coletivos, mas sim pela falta de colaboração dos motoristas e cobradores.
    Apesar de ter orgulho próprio, sou obrigado a admitir que não posso fazer tudo sozinho. Há muitos obstáculos que me impedem e que devem ser superados, mas para isso tenho que encontrar pessoas de boa vontade. Geralmente encontro e quanto mais simples for a pessoa, mais auxílio ela me oferece.

    março 5th, 2012 - 10:01
    Nickolas Marcon respondeu:

    Jorge, estive em Curitiba no mês passado e usei o ligeirinho disputando espaço com o resto do povo. Concordo contigo que não é ideal, pode melhorar, mas acredite: ainda acho um dos melhores serviços de ônibus entre as capitais.
    Quanto à ajuda de motoristas e cobradores, infelizmente eles não são obrigados a prestá-la. Na verdade, legalmente a empresa pode até orientá-los a não mexer no cadeirante para não correr riscos de sofrer processos caso haja algum acidente nesse manuseio. É contraditório, pois se o cadeirante não ficar bem acomodado e se machucar no trajeto do ônibus, poderá responsabilizar a empresa. A empresa assume o risco do que acha menos ruim para ela e nós ficamos sem opções.
    Agora, se vc quiser viver fortes emoções, é só tentar entrar em um ônibus aqui no RJ…
    Um abraço!

    Resposta
  • domingo, 12 de maio de 2013 em 22:54
    Permalink

    eu moro em paranatinga mt na minha cidade nao tem nem coletivo e nem onibus adptado, inclusivemente tenho que me desloca toda segunda da minha cidade para outra cidade, pra fazer faculdade e no dia 6 de maio o motorista e cobrador recursou de me desce do onibus e ainda ofendeu uma pessoa que estava sentada do meu lado pq eles pensava que ela era minha irma , eles quer que eu pago uma pessoa para me acompanha so de preguiça de me colocar no onibus e desce . eu gostaria de saber si eles sao ou nao obrigados a me colocar e tirar do onibus, pq eu estou querendo processar essa empresa pq nao tenho culpa do onibus nao ser adaptado

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

X

Pin It on Pinterest

X