Acessibilidade, Espaço do Leitor

Em algum lugar do passado

11

Há 15 anos nossa leitora Consuelo esteve na cidade de Pescara, na Itália e tirou a foto que vocês podem ver no final deste post. A foto mostra uma passarela de concreto construída nas areias de uma praia, que chega até a beira do mar. Ela nos enviou essa foto com um comentário bastante divertido:  “E vendo a novela vi que ela (passarela) já servia para esse fim, na época em que foi tirada eu achava estranho e imaginava que as italianas iam de salto alto à praia, mas já era para os cadeirantes.”

Adorei o comentário e me identifiquei na hora com nossa leitora, pois como canso de falar, antes de conhecer o Dado, eu fazia comentários parecidos com o dela. O que falta às pessoas é apenas informação. Só isso. Por isso fiquei feliz em saber que a novela “Viver a Vida” está ajudando as pessoas a conhecerem um pouco mais o universo dos cadeirantes e a entender o que inclusão social realmente significa. Espero sinceramente que nosso blog também esteja atingindo esse mesmo objetivo.

Super obrigada pela foto, Consuelo! Linda lembrança e excelente exemplo! Ainda engatinhamos por aqui, mas acredito que o Praia para Todos é um maravilhoso começo! Vida longa às passarelas nas areias!

Sobre o autor / 

Bianca Marotta

Artigos relacionados

11 Comentários

  1. Mauro terça-feira, 16 de março de 2010 em 21:17 -  Responder

    em 1989 eu começava a cursar engenharia na UERJ. lá ouvi falar de uma proposta de uma pista de concreto que ligaria o calçadão ao mar, para que os cadeirantes como eu pudessem aproveitar mais o ambiente praiano. pelo que fiquei sabendo na época, o EIA (estudo de impacto ambiental) e o RIA (relatorio de impacto ambiental) repovavam esta medida, pois atrapalharia o transito da areia pela força do vento. é… parece que lá na Itália.. não deve ventar muito…
    gd abraço a todos!

    março 17th, 2010 - 00:24
    Bianca Marotta respondeu:

    Realmente atrapalhar o trânsito da areia pela força do vento é algo mesmo muito preocupante… Agora… ninguém se preocupa com cadeirantes que não podem ir à praia. Estranho, não?
    Abraços!

  2. Mariana Pamplona quarta-feira, 17 de março de 2010 em 13:31 -  Responder

    Este é um bom exemplo dos “efeitos colaterais” de um projeto acessível.
    Uma rampa concebida para permitir o acesso de cadeirantes à beira do mar permite até que qualquer perua vá à praia de salto alto. Isso é que é Desenho Universal!

    março 19th, 2010 - 17:11
    Bianca Marotta respondeu:

    Boa Mariana! Não tinha pensado nisso! Já podemos incluir mais um grupo de pessoas na luta a favor das passarelas nas praias! As dondocas adorariam!
    beijos!

  3. Cris quarta-feira, 17 de março de 2010 em 16:25 -  Responder

    Isso só me remete a uma coisa: como a gente é atrasado!!!

    março 19th, 2010 - 17:12
    Bianca Marotta respondeu:

    Podes crer, Cris. Brasileiro se acha malandro, mas é recalcado pra caramba!

  4. Jefferson quarta-feira, 17 de março de 2010 em 17:24 -  Responder

    Meu q coisa maravilhosa é só questão de fazer mesmo.Imagina como seria util pra nós cadeirantes e tbem ambulante com carrinho mães com carrinho de criança.Mas pareçe q ta mudando com iniciativas de pessoas q querem uma praia mais acessiva como projeto Praia pra todos.
    Mas muito boa essa idéia da foto.
    grande abraço..

    março 25th, 2010 - 19:28
    Bianca Marotta respondeu:

    Oi Jefferson,

    Tb acho que a passarela de cimento seria ótima pra todo mundo. Eu, por exemplo, ia amar!!! Odeio sair da praia com o pé cheio de areia. Desse jeito eu poderia limpar meus pézinhos na água e já passar pra passarela. hahaha. É o tipo de solução que serve pta todo mundo!
    abraços

  5. MARIA PAULA TEPERINO quarta-feira, 17 de março de 2010 em 20:11 -  Responder

    Sabe que essa foto me lembrou uma viagem que fiz em 2000 para Portugal. Fui a uma cidade da Idade Média, (que infelizmente não me recordo o nome) com um grande pórtico na entrada e com um calçamento pior que o de Parati (se é que é possível), mas no centro de toda a rua principal, havia um caminho feito de uma pedra bem lisa, que nós cadeirantes podiamos passear livremente. Eu logo pensei que se tratasse de alguma adaptação para nós. Qual minha surpresa, aquilo era da Idade Média mesmo, e era para as carroças puxadas por cavalos poderem circular melhor…..Acabei aproveitando o acesso pensado para os cavalos….rsss

    março 19th, 2010 - 17:13
    Bianca Marotta respondeu:

    Mais um bom exemplo de Design Universal! Essa moda tinha que pegar logo, né?!

  6. ana carolina terça-feira, 30 de março de 2010 em 18:04 -  Responder

    nossa,é muito lindo,assim mostra as pessoas cadeirantes que não é tão difícil de VIVER A VIDA……. na verdade isso é um exemplo de vida

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook