Dicas, Equipamentos, Geral

Aprenda a tirar as medidas da sua cadeira

46

Nossos últimos posts relacionados a cadeiras geraram muitas dúvidas sobre como escolher as medidas corretas na hora de se comprar uma. E baseados nisso, criamos um pequeno guia de como tirar você mesmo as medidas da sua cadeira.

É necessário conhecermos nosso corpo muito bem, como ele se comporta após a lesão,  seu nível de equilíbrio,  se você é para ou tetra, enfim, essas variáveis que você vai medir “mentalmente”. É importante que você teste seus limites, e faça isso várias vezes, em diferentes situações, com a cadeira em movimento, com ela parada, se imaginar em situações de transferência, tudo isso é muitíssimo importante na hora de decidirmos algumas medidas. Caso ainda não tenha essa opinião formada, agora é o momento para começar a exercitar essas percepções. Independente de você comprar uma nova cadeira.

Existem terapeutas especializados em cadeiras, geralmente terapeutas ocupacionais com especialização em adequação postural. Se você nunca passou por uma consulta com um profissional desses, é altamente recomendável que você o faça. Nos grandes centros de rehabilitação, com um pouco de espera, se consegue uma consulta dessas até de graça. Na AACD SP, por exemplo, é feita uma avaliação com uma assistente social que vai dizer o quanto você pagará pela consulta, ou se ela será gratuita. As unidades das rede Sarah também fazem esse serviço. Algumas lojas especializadas fornecem essa consulta grátis caso compre a cadeira com eles.

Bem, passada essa parte mais burocrática da coisa, vamos às medidas da cadeira propriamente dita.

Diagrama de medidas de cadeira de rodas

Nos diagramas acima, vemos uma cadeira mobobloco. Segundo a ordem alfabética temos:

A – Largura do assento
B – Profundidade do assento
C – Altura do assento ao chão – dianteira
D – Altura do assento ao chão – traseira
E – Altura do assento ao apoio de pés
F – Altura do encosto
G – Ângulo do encosto
H – Centro de gravidade das rodas traseiras
I – Largura inferior do apoio de pés
J – Cambagem (inclinação da roda traseira)
K – Distância da roda ao quadro
L – Ângulo de inclinação da parte frontal da cadeira

Explicaremos todas as medidas abaixo, porém gostaríamos de salientar que os fabricantes nacionais não utilizam todas as medidas desse gabarito, portanto é sempre recomendado que você utilize a ficha de prescrição fornecida pelo fabricante. Em caso de dúvidas, não hesite em ligar para a fábrica e perguntar. Se você não se sente seguro o suficiente, procure ajuda especializada, afinal você está adquirindo uma cadeira e suponho que vá passar muito tempo sentado nela.

A – Largura do assento
Deve ser medida com a pessoa sentada na cadeira, na região mais larga do seu quadril (abri esse parênteses, pois foi questionado se poderia ser tirada a medida deitado). Leve em conta a sua preferência, mas no geral essa medida deve ser justa, caso você saiba que possa vir a ganhar peso facilmente, calcule essa medida com uma folga, lembrando que essa é a medida que vai influenciar na largura total de sua cadeira, ou seja, quanto mais larga, maiores serão as dificuldades para passar em portas e outros lugares onde costumamos entalar.

B – Profundidade do assento
A profundidade do assento é uma medida que vai depender da sua altura. Ela também influi no modo com que suas pernas ficarão posicionadas: em teoria, assento mais curto tende a deixar as pernas abertas e assento mais profundo tende a deixar as pernas mais juntas, lembrando que isso é teórico e pode não ser uma verdade para todos. A profundidade é importante para uma distribuição de peso mais uniforme sobre a almofada do assento. Se você tem problemas com úlceras de pressão, pense nisso. Leve em conta o seu gosto também.

C – Altura frontal do assento ao chão
Essa medida, o nome já diz tudo né? Acredito que aqui não serão necessárias muitas explicações, porém é importante salientar que essa medida é que vai definir em que altura seus joelhos ficarão, ou seja, ela indica se você vai ter facilidade de entrar embaixo de certas mesas. Pessoas com mais de 1,80m devem ficar atentas a essa medida, e eu sou prova disso, pois já tive uma cadeira que não entrava embaixo da mesa da minha própra casa (confiei no vendedor de cadeiras e me ferrei).

D – Altura traseira do assento ao chão
Assim como a medida acima, ela também é auto-explicativa, mas aqui temos um detalhe importantíssimo: a diferença entre essas duas medidas. É recomendável que exista uma diferença, com a frente mais alta que a traseira, e essa diferença recebe o nome de TILT. com a altura traseira um pouco mais baixa, seu assento terá uma inclinação, que lhe dará estabilidade e equilibrio, pois você ficará mais “encaixado” no assento. Até mesmo algumas cadeiras que não são feitas sob medida têm uma diferença. Mínima, mas têm. É complicado falar em números, pois mais uma vez é preciso saber se a pessoa gosta disso, mas no geral 5cm de tilt é algo que podemos deixar como padrão. Eu, pessoalmente, utilizo 10cm de tilt em minha cadeira. Na hora que alguém freia bruscamente a cadeira, essa medida evita que a  força da inércia te jogue pra frente. Uma cadeira com a traseira mais baixa também pode possibilitar que você consiga até  colocar a mão no chão e pegar objetos que caíram, o que pode ser muito benéfico.

E – Altura do assento ao apoio de pés
Aqui temos que tomar cuidado e medir muito bem, pois o apoio não deve ficar abaixo do ideal, isso pode até lhe trazer alguma deformidade. E se ficar alto, pode forçar muito devido ao excesso de peso de suas pernas podendo ocasionar incômodos, além do que isso lhe deixará com as pernas mais abertas também.

F – Altura do encosto
É mais do gosto da pessoa. O ideal é que não ultrapasse a altura da sua escápula, deixando seu tronco livre para fazer movimentos de giro e facilitando o toque da cadeira.Verifique se não existe nenhum problema com sua coluna, pois a dor nas costas pode ser devida a um mau acerto de altura ou ângulo de inclinação do encosto. Quanto mais baixo, mais liberdade você terá, até mesmo para a sua função pulmonar. Sua cadeira não é pra ser a “poltrona da vovó” (larga, alta…) , mas um encosto mais alto dá mais suporte. Avalie bem suas condições físicas antes de mudanças radicais e, se puder, escolha uma cadeira com a altura do encosto regulável.

G – Ângulo do encosto
Aqui também não temos muito mistério. Há quem prefira ficar com o tronco mais ereto e quem goste de ficar um pouco reclinado, eu utilizo 92 graus, inclinado levemente para frente. Assim, com o peso das minhas costas, o encosto cede um pouco me deixando na posição que eu gosto. Se você escolher 89 graus, sua cadeira ficará um pouquinho reclinada para trás levando sempre em conta o laceamento do encosto, Ah! se seu encosto for do tipo rígido, não conte com o fator dele lacear.

H – Centro de gravidade / posição das rodas traseiras
Essa medida é muito importante e pouco levada em consideração pela grande maioria devido a falta de conhecimento. De acordo com a posição das suas rodas traseiras, mais à frente ou atrás, a cadeira fica mais fácil de tocar, pois distribue-se melhor o peso. Ela também é responsável por deixar a cadeira mais fácil de empinar, e é preciso cuidado nessa hora pois uma medida errada pode deixar a cadeira muito perigosa e você terá que utilizar rodas antitombo que impedirão que a cadeira vire para trás. Eu acho que empinar é um mal necessário, e a Bianca até já escreveu um post sobre isso. Considerando uma cadeira padrão de 40x40cm de largura e profundidade, para um cadeirante ativo, é recomendado no mínimo 4cm de avanço do centro de gravidade.

I – Largura inferior do apoio de pés
Os fabricantes nacionais não fornecem essa opção, ou seja, a sua cadeira poderá ter essa largura igual a largura do assentou OU com uma diferença de alguns centímetros apenas, o que na minha humilde opinião deixa o apoio de pés muito largo fazendo que nossos pés fiquem devidamente acomodados. Isso evita espasmos, e que seu pé vá para frente em um terreno mais acidentado.

J – Cambagem (inclinação da roda traseira)
É o ângulo de inclinação das rodas traseiras, em cadeiras utilizadas para a prática de esportes é muito comum vermos as rodas inclinadas, pode-se optar por uma pequena inclinação, mas lembramos que isso aumenta a largura total de sua cadeira.

K – Distância da roda ao quadro
Eu nem deveria falar dessa medida aqui, pois desconheço a existência de algum fabricante nacional que utilize essa medida, é basicamente a distância entre a roda traseira e a lateral da cadeira, essa medida também afeta a largura total da cadeira e sempre recomdendamos que ela seja a menor possível. Não estranhe se não encontrar essa medida nos formulários de prescrição, mas a medida que vem padrão é aceitável.

L – Ângulo de  inclinação da parte frontal da cadeira
Aqui será definido o modo que desejamos deixar nossas pernas, se você prefere ficar com o joelho completamente dobrado, escolha 85 graus, mas se isso lhe causa algum desconforto você pode abrir mais o ângulo, lembrando que isso deixará o comprimento total de sua cadeira um pouco maior. Os fabricantes nacionais não fazem cadeiras com mais de 85 graus de inclinação.

Toda cadeira nova tem um tempo mínimo para adaptação (principalmente quando se sai de uma com medidas padronizadas para uma personalizada), quando sai sentei na minha primeira cadeira sob medida, achei muito estranho, mas em poucas semanas já estava me entendendo com ela. Acho que o mais importante foi escrito aqui, o guia não está perfeito, mas já ajuda a esclarecer muitas dúvidas. Em breve teremos posts referentes a acessórios e outros opcionais que uma cadeira possa ter.

Ainda tem dúvidas? A comunidade do blog no Orkut tá aí pra isso!

Ufa, acabou!

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

46 Comentários

  1. katy segunda-feira, 29 de março de 2010 em 16:51 -  Responder

    nossa, é muita informação, não sei nada disso!!
    já nem sei mais que cadeira comprar, hahaha
    mas são informações valiosas essas christian, muito obrigada pela sua ajuda viu, quando eu decidir o que fazer vou ler tudo de novo pra ver se entendo melhor hauhauahu
    😀

    março 29th, 2010 - 18:15
    Christian Matsuy respondeu:

    olá katy!

    o blog mais uma vez agradece sua visita e comentário. Independente de você comprar uma cadeira, aconselhamos a todos os cadeirantes que “pratiquem” esse exercício das medidas, a possibilidade de você ser enganado, ou prejudicado por um vendedor sem experiência no assunto. E acredite que tem muitos a solta por ai! sóque já recebeu uma cadeira totalmente fora das medidas sabe o quanto é complicado pra resolver, as vezes nem solução tem, é prejuízo na certa.

    bjo!

  2. MARIA PAULA TEPERINO segunda-feira, 29 de março de 2010 em 17:32 -  Responder

    Isso é o que chamo de informação de qualidade. Parabéns. Vocês estão se superando a cada dia (desculpe o trocadilho com a palavra “superando”..rss)
    Abraços

    março 29th, 2010 - 18:21
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Maria Paula,

    A equipe Mão na Roda agradece! A idéia é simples, mostrar que EXISTE informação. Partindo delas… o resto é com cada um de nós.

    Continuaremos fazendo nossa parte.

    bjo!

  3. Brunna Melazzo segunda-feira, 29 de março de 2010 em 18:42 -  Responder

    Chris, comecei a entender… mas me conta uma coisa, alguma medida depende da outra?? por exemplo o centro de gravidade com a angulação frontal??

    Bju Chris, ótimo post!!

    =**

    março 29th, 2010 - 18:52
    Christian Matsuy respondeu:

    oi Brunna!

    no caso essas que você citou não, mas existe relação entre elas sim, cadeira muito curta por exemplo não pode ter muito avanço do centro de gravidade, por exemplo.

    A profundidade do assento também nunca deve ser menor que a largura.

    entre outras!

    bjão moça!

  4. katy segunda-feira, 29 de março de 2010 em 19:47 -  Responder

    deve ser por causa dessas medidas que eu nunca consegui me adaptar uma cadeira que não fosse a minha primeira, hahahaha 😛 vou praticar isso

    \o/

  5. Ana Maria terça-feira, 30 de março de 2010 em 18:13 -  Responder

    Oi Boa tarde
    Me chamo Ana, e moro em Boa Vista-RR.
    Acho super interessantes o modo como vcs abordam essa questão da dificuldade dos cadeirantes. Nossa, deve ser super difícil, mas fiquei impressionada como algumas pessoas q estão em cadeiras de rodas conseguem fazer coisas que eu não teria coragem de fazer…rsrsr (Deus é incrível mesmo e vcs tbm!)
    Parabéns pra todos voces!!!!!

    Obs:. O Nickolas Marcon, é um gato!!!!
    Ele é casado?…( ele já tem uma fã)..rsrsrs
    1000 beijos a todos!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  6. Edênia Garcia sábado, 3 de abril de 2010 em 23:04 -  Responder

    Olá,
    Muito obrigada pelas duvidas tiradas.Foi uma mão na roda,por que eu sempre tirei minhas medidas para as cadeiras,mas hoje tem alguns termos que eu não tava entendendo mesmo.Amo minhas cadeiras,por mim trocava todo ano e usaria todas as cores rsrs.
    P.S acabei de bolar um blog,sempre tive vontade de ter um,mas nunca fiz,acabei me inspirando no mão na roda.
    Abraço!
    Edênia Garcia

    abril 3rd, 2010 - 23:10
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Edênia!

    Nós que agradecemos sua visita, fique atenta que em breve teremos um post complementar a esse, para esclarecer algumas dúvidas que chegaram por e-mail.

    bjo!

  7. andreza pereira cavalcante domingo, 4 de abril de 2010 em 16:58 -  Responder

    ola eu gostaria de saber se alguem poderia me indicar um lugar que venda peças de reposição de cadeira de rodas é que a minha esta velinha e atualmente não tenho dindim pra comprar uma cadeira nova então queria reformar a minha mesmo eu sou de são paulo capital
    abraços
    andreza

    abril 4th, 2010 - 17:28
    Christian Matsuy respondeu:

    olá andreza,

    lhe darei algumas sugestões através do email que você cadastrou no post ok?

    bjo

  8. Welinton quarta-feira, 7 de abril de 2010 em 21:36 -  Responder

    Ai pessoal do blog valeu pro mais umas dicas , Edurado lembra que falei que ia fazer uma cadeira , esta saindo do forno mais um tempo e fica pronta,tava mesmo com dificuldade de achar essas informaçoes ai entro aqui e vcs com a reportagem pronta …que maravilha ,a achei um site com modelos de cadeiras diferentes e varias novidades , vcs jadevem ter visto mais ai vai http://www.lashersport.com , to fazendo um modelo bem parecido com o deles , assim terminar mando tudo pra vcs abraços

    abril 7th, 2010 - 21:46
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Welinton!

    Estamos ansiosos para ver sua cadeira! Ficamos contentes em saber que as informações ajudaram.
    Ahh conhecemos a Lasher sim, quadro feito em Magnésio, apesar de caras não acho que ela ofereça boas opções de ajustabilidade. Esse assunto dá até um outro post! Sucesso na sua empreitada! Abraço.

  9. Renato quarta-feira, 16 de junho de 2010 em 22:04 -  Responder

    Muito obrigado pelas informações, Christian. Não entendi o que você escreveu sobre o ângulo do encosto. Você diz que utiliza 92° para ficar ligeiramente inclinado para a frente. O formulário da ZRA-2 diz o seguinte: “to approximate the angle from the back post to the seat, subtract 2 degrees from measurement ‘G’ for every 1/2″ of dump”. Pelo que entendi, 92° deixa o encosto mais inclinado para trás…

    junho 16th, 2010 - 22:25
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Renato,

    realmente houve um engano de minha parte, pois eu acabei invertendo o ângulo, ou seja na verdade uso 89° e deixo a regulagens de tensão do encosto soltas, assim ele fica levemente selado e curvo, me dando mais anatomia.

    a informação foi corrigida!

    Abraço!
    Christian

  10. Tania Speroni domingo, 11 de julho de 2010 em 19:21 -  Responder

    Oi Christian!!
    Queríamos um help seu. O Milton tá decidido a trocar de cadeira, uma em eixo por uma M3,(já que as importadas não dividem a perder de vista).
    Na Rea Team, tem uma T.O. especialista em fazer as medidas, mas eu queria saber como podemos fazer, nós mesmos as nossas medidas e até comparar e poder discutir posteriormente com a TO a mais indicada? As medidas que o Milton tem são lá do Sarah, ainda no tempo do acidente, dez anos atrás e assim mesmo nada muito complexo, não se fala em angulação, altura dos pés, nada…
    Como fazemos pra calcular estas medidas em especial? O Milton tb é alto, tem 1,87m, já viu né?
    Agradecemos
    Beijos
    Tania

    julho 11th, 2010 - 20:13
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Tânia,

    Sugiro que vocês façam as medidas com a TO da Reateam, leve as medidas que vocês tem, e discuta com a TO. Devido ser uma cadeira de formato diferente, muito provavelmente possa haver uma alteração nessas medidas. eu também sou alto (1.90) e acho que sre a Reatem oferece o serviço, vocês devem usá-lo, e o mais importante, ambos chegarem a um consenso. Se essa medida é de 10 anos atrás pode ser que o Milton queira modificar alguma coisa talvez, enfim eu sempre que mudo de cadeira altero alguma coisa. No caso da M3 eu não abriria mão pelo menos do assento rígido, pois a lona laceia bem rápido e custa caro. No site da Reateam tem um configurador, que é o mesmo que a TO vai utilizar na loja, com ele você pode ver as medidas existentes na M3 e as dúvidas vocês esclarecerão com a TO.

  11. Elisangela segunda-feira, 26 de julho de 2010 em 22:50 -  Responder

    Oi! Preciso entrar em contato com mulheres cadeirantes de Salvador. Vcs são daqui? Ou tem contatos aqui…
    marykayelis@hotmail.com

    bjo!

    julho 26th, 2010 - 22:53
    Christian Matsuy respondeu:

    oi Elisangela!

    conheço uma cadeirante em Salvador, vou repassar seu contato a ela.

    beijo!

  12. jorge luiz marcelino segunda-feira, 27 de setembro de 2010 em 17:51 -  Responder

    olá, estou para comprar minha primeira cadeira e gostaria de saber qual profissional poderia fazer essas medidas.

    grato.

    setembro 27th, 2010 - 21:35
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Jorge,
    o profissional mais indicado para tirar essas medidas e avaliar sua postura é o Terapeuta Ocupacional. Alguns fisioterapeutas experientes também fazem, isso depende muito do lugar em que você vai fazer essa consulta. Não de que cidade você é, mas em um centro de reabilitação geramente tem alguém capaz. Cabe a você também opinar e ver o que acha mais cômodo.

    Abraço!

  13. Ademir quinta-feira, 4 de novembro de 2010 em 10:34 -  Responder

    Muito bom o esclarecimento das medidas, lendo e experimentando e testando na minha cadeira mesmo jah da pra ter uma base boa de como ela está totalmente fora das minhas medidas. Sinceramente nunca havia ligado pra isso, mas to ficando velhinho e a cadeira cada dia mais pesada.
    Não vejo a hora de comprar uma cadeira de verdade, feita com as minhas medidas certas. Parabéns pela matéria.!!

    novembro 4th, 2010 - 13:46
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Ademir!

    obrigado por sua visita!
    é muito importante e confortável, ter uma cadeira sob medida. não tenha dúvidas que você sentirá uma facilidade em tocar sua cadeira.

    abraço!
    Christian

  14. Sheila Fragoso terça-feira, 15 de fevereiro de 2011 em 12:28 -  Responder

    Olá, Bom Dia!

    Gostaria de um apoio de vocês, quero personalizar a cadeira de Rodas de minha filha, que têm quatro anos, queria pintar o aluminio de rosa, já que é azul e queria inserir alguns desenhos na roda.

    Aqui em Salvador, poderiam me indicar quem faz esse trabalho ?

    Grata,

    Sheila

    fevereiro 16th, 2011 - 16:08
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Sheila,

    infelizmente desconheço quem faça esse tipo de serviço em Salvador, aqui em São Paulo existem algumas oficinas que realizam esse serviço, mas já fiquei sabendo que o resultado final não fica bom.

    até porquê a pintura implica em desmontar toda a cadeira.
    te aconselho a deixar essa alteração para ser feita de fábrica assim fica perfeito.

    beijo!
    Christian

    fevereiro 17th, 2011 - 10:13
    Eduardo Camara respondeu:

    Oi Sheila,

    Assim como o Christian, desconheço serviço em Salvador e enviar o quadro para fábrica é uma boa alternativa. A outra é procurar uma loja de bicicletas e perguntar se eles têm alguma indicação de pintor. O processo é semelhante…

    Boa sorte!

  15. Vilmar segunda-feira, 6 de junho de 2011 em 08:55 -  Responder

    Bom dia Eduardo e equipe;

    Então, ontem estava em uma loja ortopédica e falando sobre cadeiras de rodas, me apresentaram a STAR LITE, da Cavenaghi. Ela em relação a M3 são muito parecidas e a STAR LITE ainda é mais leve (10kg) e a diferença de preço é de aproximadamente R$ 1.100,00. (grande diferença, né?
    Qual é a sua opinião sobre ela, lembrando que o meu principal objetivo é poder desmontá-la e colocá-la sozinho dentro do carro, pois tenho uma que desmonta em X e não consigo fazer isso com ela.
    Um abraço.

    junho 6th, 2011 - 14:40
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Vilmar,

    A Cris Costa já escreveu 2 posts sobre a StarLite, um deles muito recente, seria interessante que você desse uma lida pra ter idéias das particularidades dessa cadeira em específico.

    Ela é uma cadeira mais barata, por oferecer opções básicas apenas, como rodas dianteiras padrão (o garfo não aceita outras), e não dá pra personalizar as medidas, você compra por tamanho, e as medidas vem fixas.

    segue os links:

    http://maonarodablog.com.br/?p=4371
    http://maonarodablog.com.br/?p=2849

    Use a busca blog que tem mais posts escritos sobre a Star Lite.

    Abraço!

  16. EDSON MARCOOS GARCIA domingo, 18 de setembro de 2011 em 15:08 -  Responder

    AINDA A POUCO ENTREI EM DISCURSAO COM MEU CUNHADO ,A RESPEITO DAS MEDIDAS DE CADEIRA DE RODAS,E GRACAS AVCS CONTINUO VENCENDO ;NAO ADIANTA EU BOTAR UMA PORTA DE 80 CM SE QUEM VAI USAR TEM 60 DE QUADRIL ELE NAO ENTRA NA MINHA CASA MUITO MENOS NO BANHEIRO QUE TAMBEM E DE 80 CM

  17. Aleeh segunda-feira, 22 de abril de 2013 em 10:51 -  Responder

    Eu posso deixar minha cadeira como assento um pouco inclinado para melhorar o equilíbrio de tronco? isso prejudica em algo?

    abril 23rd, 2013 - 11:38
    Eduardo Camara respondeu:

    Você só tem que ter um pouco mais de cuidado é com o aparecimento de escaras, pois a distribuição de pressão vai ser alterada. Nada que uma boa almofada não resolva! Se você já usa uma almofada legal, tipo Roho, creio que não vá ter problemas.

  18. edgar amaral quinta-feira, 26 de setembro de 2013 em 14:17 -  Responder

    ola gostaria de ajuda estou procurando uma cadeira que sirva para um amigo meu mas ele tem 2 metros de altura e masi de 60 de quadril
    naoacho e nao sei de ninh=guem que fassa sob medida ,sepuderem me ajudar obrigado ,pode ser motorizada tambem

  19. Monica quinta-feira, 22 de maio de 2014 em 18:44 -  Responder

    Por favor, fiquei em dúvida. A informação da letra I – Largura inferior do apoio de pés está correta? É bom que seja mesmo largo, poucos centímetros a menos do que a largura do assento?

  20. Andre Freitas quarta-feira, 26 de novembro de 2014 em 10:19 -  Responder

    Boa dica,pq eu comprei a minha cadeira em 2013,sem noção alguma,entrei na loja olhei e decidi sem ao menos o vendedor falar p eu sentar na cadeira e sentir como era,hoje preciso de uma monobloco pequena de 57cm p viajar para competições e saberei decidir qual a melhor para mim!
    Obrigado!

  21. celso acre de souza quinta-feira, 12 de novembro de 2015 em 13:57 -  Responder

    Olá Christian,
    Sou de Brasília, não bato palmas para o Oscar N, pois, gostaria de ver ele andando de cadeiras em suas “obras”, certamente ele teria uma outra atitude antes de fazer os riscos. Tenho lido várias publicações deste blog e agradeço, pois, são de grande valia para os leigos, como eu.
    Celso Acre

    novembro 13th, 2015 - 16:35
    Christian Matsuy respondeu:

    @celso acre de souza, Obrigado pela visita ao blog! Nossa intenção é justamente de tentar ajudar o cadeirante! Um abraço!

  22. Mauro Augusto sexta-feira, 4 de março de 2016 em 03:24 -  Responder

    Nossa muito prático essa explicação uso uma cadeira em X e queria comprar uma monobloco com essas dicas facilita muito pela escolha da mesma

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook