Vai viajar? Fique de olho nessas dicas!

Viajar é uma das melhores coisas da vida. Pelo menos eu acho. Mas também pode se tornar um pesadelo, até quando é bem planejada. Às vezes acho que Murphy bolou a maioria de suas teorias numa viagem. Mas enfim, pode dar problema pra qualquer um, e para quem usa cadeira de rodas e por isso necessita de hotéis adaptados e locais acessíveis, o cuidado deve ser redobrado. É importante verificar tudo direitinho pra evitar problemas depois, afinal viajar é pra ser divertido, né?

Primeiro, vamos aos Hotéis.

Se for viajar usando serviços de uma agência de viagens ou operadora, é extremamente importante deixar bem claro as suas necessidades (quarto e transporte adaptado). Pense que há uma enorme possibilidade de que a pessoa que está lhe atendendo não entenda bulhufas de acessibilidade, e que 5 degraus na entrada do hotel ou um quarto sem banheiro adaptado podem não parecer  um obstáculo para ela e passarem desapercebidos. Cuidado redobrado nessa hora. Vale sempre conferir com o hotel se eles possuem quartos adaptados, perguntar como são os banheiros e se o hotel possui rampas. Às vezes me sinto neurótica com isso, mas já tive problemas suficientes e agora não canso de perguntar. E peça a agência que está lhe oferecendo o pacote para pedir uma garantia do hotel (um email) de que o quarto adaptado está reservado para você. Exagero? Não. Pense que os hotéis possuem pouquíssimos quartos adaptados, e que usam estes quartos não só para cadeirantes, mas para idosos e pessoas com mobilidade reduzida. Não conte com a sorte. Vai que todos resolvem ir para o mesmo hotel? Não se deixe ficar na mão do destino.

Não sei como funciona para outros países, mas se você vai aos Estados Unidos as agências daqui não garantem o quarto adaptado, e os hotéis só dão essa garantia se fizer a reserva direto com eles. Como as agências/operadoras brasileiras operam através de operadoras americanas (pelo menos foi o que me explicaram, podem me corrigir se estiver errada), elas costumam ter um pacote com número de quartos “reservados” em cada hotel, mas se são adaptados, para não-fumantes ou se vai ter cama de casal ou não, depende da disponibilidade do hotel na hora da sua reserva. As operadoras sempre dizem que não tem problema, mas eu não arriscaria. Acho que no Brasil, Europa e América do Sul isso não acontece. Mas por via das dúvidas verifiquem com a agência/operadora se eles podem te dar alguma garantia (por email se possível) de que o quarto adaptado é seu.

E como disse acima: sempre verifiquem com o hotel como e quais são as adaptações. Mais uma vez digo, não é neurose. Se eu fosse mega safa e menos limitada, não teria esses grilos e iria a qualquer hotel sem problemas. Mas sei que tem adaptações medonhas e prefiro não ter que me estressar porque a porta do banheiro não era larga, o box possui degrau ou o hotel tem escadas e nenhuma rampa na entrada. Se for sabendo o que me espera, fico mais relax.

Uma coisa eu garanto: é bem melhor perder alguns minutos perguntando e se certificando das adaptações no hotel do que ter uma surpresa desagradável na suas férias tão desejadas.

O avião

Pra quem viaja de avião, também é importante ter alguns cuidados a fim de evitar maiores problemas na hora do embarque.

Primeiro, é recomendável que se ligue até 48hs antes do vôo para a companhia aérea, informando que você usa cadeira de rodas e que precisa usá-la até a entrada no avião. Isso pode facilitar e evitar problemas na hora do embarque, pois uma vez que a cia aérea é avisada, eles normalmente reservam os assentos da primeira fila para quem usa cadeira de rodas, o que facilita muito na hora de embarcar.

Para quem viaja sozinho então, é importante esse aviso e explicar se você precisa ou não de assistência ao chegar no aeroporto e quando chegar ao seu destino. Se você deixar avisado eles te ajudam até a saída do aeroporto. Só pra deixar claro, não é um favor que a cia aérea está nos fazendo, isto está previsto na regulamentação da ANAC.

Para quem usa cadeira de rodas motorizada é importante avisar à cia aérea, pois existem algumas restrições para levá-las no avião. No caso das cadeiras manuais, sempre certifiquem-se de que ela embarcou no avião com você. Não aconteceu comigo (ufa! rs) mas já ouvi casos de que o cadeirante foi e a cadeira ficou. Imagina a situação?

Ah, e sempre fiquem com a almofada durante o voo e evitem desmontar a cadeira. Não me espantaria trazerem a cadeira faltando uma roda, rs.

Ah, e há pouco tempo soubemos que em alguns casos a cia aérea dá desconto de até 80% para o acompanhante do cadeirante. Mas a regra não é muito clara, por isso não sei se é fácil conseguir e se a cia tem obrigação de dar o desconto.

Segue o trecho da regulamentação da ANAC que fala sobre isso:

Art. 48. As empresas aéreas ou operadores de aeronaves só poderão exigir um acompanhante para o passageiro portador de deficiência, independentemente da manifestação de seu interesse, quando a critério da empresa aérea ou das operadoras de aeronaves, por razões técnicas e de segurança de vôo, mediante justificativa expressa, por escrito, considere essencial a presença de um acompanhante.

§ 1º. Na hipótese da empresa aérea exigir a presença de um acompanhante para o passageiro portador de deficiência, deverá oferecer para o seu acompanhante, desconto de, no mínimo, 80% da tarifa cobrada do passageiro portador de deficiência.

§ 2º O acompanhante deverá viajar na mesma classe e em assento adjacente ao da pessoa portadora de deficiência.

Para quem quiser saber mais sobre a regulamentação da ANAC no que diz respeito aos deficientes, segue o link: http://www.anac.gov.br/arquivos/pdf/AberturaDeEsataConformeIac163-1001A.pdf

De resto é relaxar e aproveitar ao máximo.

Facebook Comments

26 comentários em “Vai viajar? Fique de olho nessas dicas!

  • quarta-feira, 12 de maio de 2010 em 15:36
    Permalink

    Excelente post, Cris! Bem escrito e com muita informação! Espero que ajude muita gente!
    beijossss

    maio 13th, 2010 - 15:49
    Cris Costa respondeu:

    Oi Bianca, que bom que gostou. Também espero que o post ajude! Bjs, Cris.

    Resposta
  • quarta-feira, 12 de maio de 2010 em 23:07
    Permalink

    Cris, muitas vezes nem o povo do hotel sabe dizer se está bem adaptado, mesmo porque o problema começa lá no projeto dos quartos do hotel, feitos muitas vezes por gente sem o conhecimento ou a vontade de fazer direito (como se isso não fosse obrigação de um profissional da área). Lembre-se que o cara da portaria do hotel ouviu que o quarto é adaptado, ele só vai bancar o papagaio e repetir quando perguntarem. Aí a gente chega lá e dá de cara com uma porta estreita ou um box que não é box, é uma banheira… já aconteceu comigo.
    Uma dica é fazer perguntas objetivas ao hotel, do tipo “quantos centímetros de largura tem a porta do banheiro?” ou então “qual é a altura da pia?” Eu gosto de colocar tudo em números… 😉

    maio 13th, 2010 - 15:54
    Cris Costa respondeu:

    Concordo Nick! Normalmente o pessoal do hotel também não sabe muito. Nunca perguntei as medidas (coisa de engenheiro, né? rs), mas pergunto se o chuveiro tem degrau ou se a porta do banheiro é mais larga. Mas vale a dica! Bjs, Cris.

    Resposta
  • quinta-feira, 13 de maio de 2010 em 07:50
    Permalink

    Oi, Bianca!!!! Cheguei até o blog através de sua amiga Carolina Peres, que acompanha o meu blog e achou que eu iria gostar do seu trabalho como designer, já que compartilhamos a mesma profissão. Ontem fiz uma postagem sobre a empresa que abri com outros 4 amigos designers, a http://www.cincomaisdesign.com.br/ e meu blog pessoal é o http://www.casosecoisasdabonfa.blogspot.com

    Gostei bastante do seu trabalho e também do MÃO NA RODA. Eu adoro viajar e esse post é especialmente interessante porque imagino que seja bastante útil para os cadeirantes que pretendem passear com tudo planejado de antemão, o que é sempre melhor. Acabei de voltar de uma viagem e tudo ocorreu como esperado porque planejamos tudo minunciosamente. Acho que é a melhor maneira de evitar sustos e imprevistos. Muito prazer e parabéns pelo excelente trabalho!

    Resposta
  • quinta-feira, 13 de maio de 2010 em 14:31
    Permalink

    Muito legal o post…
    fico pensando em uma longa viagem de aviao…oq vcs acham?
    algum de vcs ja passou por essa aventura?
    parabens

    maio 13th, 2010 - 15:57
    Cris Costa respondeu:

    Oi Cauê, viajar é sempre bom, dou a maior força seja pra uma viagem curta ou longa. Todos do Blog já viajaram de avião longas distâncias, e já até colocamos alguns muitos posts aqui sobre lugares que visitamos (Chile, Argetina, Nova York, Miami e alguns países da Europa). Vale dar uma olhada! Viaja sim!Bjs, Cris.

    Resposta
  • quinta-feira, 13 de maio de 2010 em 18:22
    Permalink

    oi Cris, ótimo post, com dicas importantes.

    outra coisa que não aconselho é desmontar a cadeira. se vc utiliza almofada, mantenha-a contigo mesmo que não for usála na poltrona do avião, guarde-a no bagageiro interno.

    geralmente eles perguntam se a cadeira desmonta, eu dou uma de “migué” e falo que só abaixa o encosto, não mostro que as rodas saem, vai que… né?

    bjo!

    maio 13th, 2010 - 21:12
    Cris Costa respondeu:

    Bem lembrado Christian! Tinha esquecido disso e é importante. Também não desmonto a cadeira e sempre fico com a almofada. Vou colocar no texto. Valeu!!! Bjs, Cris.

    Resposta
  • sexta-feira, 14 de maio de 2010 em 09:32
    Permalink

    Dicas exatas! São essas aí mesmo. Leve sua almofada! Já perdi uma otto bock de quase 2 mil reais e fiquei uns 15 dias ligando, até eles me darem outra. Pensem no sofrimento!
    Se eles perguntarem se sua cadeira desarma, NEGUE até a morte. Se eles acharem q desarma, eles vão tentar desarmar sozinhos. Já vi cadeira minha motorizada chegar sem bateria!
    liás, a bateria veio solta, junto com as malas, só a achei por acaso.
    O transfer q te leva do aeroporto até o hotel, certifique-se q tem condições de levar sua cadeira e malas, geralmente eles colocam um monte de gente e não cabe tudo.

    Quanto a disposição da ANAC sobre o acompanhante, pelo que entendi, é assim:
    Se a cia. aérea considerar, quer vc queira quer não, que, por motivos de segurança, é necessário que o deficiente viaje acompanhado, esse acompanhante terá um desconto. Não é opção do consumidor deficiente, é só pros casos da cia. aérea determinar que ele tem que viajar com alguém. Acho que se aplica mais aos casos de pessoas com deficiência mental, que necessite de cuidados para evitar certos comportamentos.
    Parabéns, Gente!
    Eu não me canso de admirar o mão na roda!
    Um abraço

    maio 15th, 2010 - 11:59
    Cris Costa respondeu:

    Oi Mila, tava sentindo falta de seus comentários por aqui! Graças a Deus nunca perdi nenhuma parte da minha cadeira, mas pelo jeito é mais comum do que se pensa. Que bom que eles te deram uma nova almofada. É o mínimo, né? Quanto ao lance da ANAC tbm acho que é assim.
    Que bom que não se cansa do Blog! Bjs, Cris.

    Resposta
  • sábado, 15 de maio de 2010 em 00:08
    Permalink

    Ai, Kixxx, to adorando teus posts completissimos!!!
    Nao vejo a hora do hotel do meu casorio aparecer aqui!!!
    Bjsss

    maio 15th, 2010 - 12:29
    Cris Costa respondeu:

    Tharci, amiga mais que querida! Bom ver um comentário seu por aqui e que gosta dos posts! Eu tbm não vejo a hora de celebrar um momento tão importante da sua vida, como aproveitar pra conhecer Floripa. Com certeza vou fazer posts do hotel e da cidade! Mal vejo a hora! Beijos!!

    Resposta
  • domingo, 16 de maio de 2010 em 01:40
    Permalink

    Cris muito bom seus posts,estou com um novo blog onde falo sobre superação pós meu traumatismo,vale a pena conferir,aceito sugestões tá? da uma passadinha lá!
    Beijos!
    http://cadeyrant.zip.net/

    Resposta
  • Pingback: Restaurante Tom Carioca – Centro « Blog Mão na Roda – Guia de Sobrevivência do cadeirante cidadão

  • sábado, 29 de maio de 2010 em 16:37
    Permalink

    Tenho uma cadeira de rodas motorizada, já embarquei várias vezes pela TAM, certa vez tive que viajar as pressas motivo de saúde e infelizmente marcaram pela GOL. na hora que cheguei pro embarque não permitiram!!!

    Motivo, as baterias da minha cadeirande rodas por ñ serem de gel… pela TAM nunca tive esse problema….

    maio 29th, 2010 - 17:49
    Cris Costa respondeu:

    Pois é, por isso é importante ligar antes pra cia aérea. Infelizmente elas não seguem o mesmo padrão. Vai entender! Bjs, Cris.

    Resposta
  • terça-feira, 1 de junho de 2010 em 11:51
    Permalink

    Oi, Cris. Tudo bem?
    Sou repórter da revista Viagem e Turismo e estou fazendo uma matéria sobre Europa para cadeirantes.
    Estou procurando agências e operadoras de turismo que vendam bons roteiros adaptados.
    Você pode me ajudar, indicando algumas?

    Muito obrigada desdejá e um abraço,

    junho 1st, 2010 - 15:12
    Eduardo Camara respondeu:

    Oi Camilla,

    Nós sempre viajamos por conta própria… Eu conheço alguns países na Europa. Se quiser uma entrevista para a revista, avise!

    Abraços,
    Eduardo

    Resposta
  • segunda-feira, 22 de novembro de 2010 em 22:20
    Permalink

    Será a primeira vez que acompanharei meu marido em viagem aérea com ele utilizando a cadeira. Preciso saber se a cadeira entra como parte da bagagem em relação ao peso máximo por passageiro que é 30 quilos.
    As informações acima foram super pertinentes. agradeço o carinho e atenção.
    Rose Alves

    Resposta
  • quinta-feira, 20 de janeiro de 2011 em 14:04
    Permalink

    Oi pessoal!
    Só hoje li esse post… As dicas foram muito boas!
    Quero aproveitar p/ relatar minha experiência: sou tetraplégica e tenho conseguido os 80% de desconto p/ o meu acompanhante nas compras de passagens aéreas de vôos NACIONAIS.
    A Gol tem sido bem chata quanto às exigências p/ comprovar a deficiência. Tem que preencher um relatório, pedir para o seu médico assinar, a data tem que ser recente, mandar por fax, etc. E nem todas as atendentes conhecem direito as informações sobre o desconto.
    Já a Webjet está com nota 10! Esses dias comprei uma passagem p/ SP e foi da seguinte forma: comprei a minha passagem pela internet, enviei um e-mail falando do desconto junto com meu atestado médico e o n° do localizador p/ uma pessoa que eles indicaram e que é responsável pelo desconto, no dia seguinte retornaram a minha mensagem autorizando a compra da passagem do meu acompanhante. Super rápido e fácil.
    Bom, essa é a 1ª vez que viajo pela Webjet… Ainda não sei como é o atendimento na hora do embarque… Mas depois escrevo p/ contar como foi 😉
    Bjsss

    Resposta
  • domingo, 6 de fevereiro de 2011 em 13:20
    Permalink

    também viajamos em 2008 levamos a cadeira motorizada do meu filho p/TAM p/João Pessoa. tudo bem
    Em 2009 p/Gol. Que sofrimento. A cadeira foi, as bateria ficaram.
    Tivemos que comprar 02 lá.
    Agora em março, vamos p/Maceó, que anciedade, mas so com baterias a gel.
    Suas informações são muito importantes, vale muito p/quem é especial.
    Um abraço a todos

    Resposta
  • terça-feira, 1 de março de 2011 em 15:04
    Permalink

    oi gente tudo bem ? ^~
    ola cris to gostando muito do seu blog, pois sou um designer
    e tou tentando desenvolver um produto para melhorar a vida dos cadeirantes.
    Estou aprendendo muito com o blog e espero ter uma otima ideia
    abraços a todos.^^

    Resposta
  • terça-feira, 1 de março de 2011 em 15:06
    Permalink

    oi gente tudo bem ? ^~
    ola cris to gostando muito do seu blog, pois sou um designer
    e tou tentando desenvolver um produto para melhorar a vida dos cadeirantes.
    Estou aprendendo muito com o blog e espero ter uma otima ideia
    abraços a todos.^~

    Resposta
  • sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 em 15:55
    Permalink

    Ola! Meu nome é Giovanna, sou agente de viagens.
    A TAM oferece 80% de desconto nas suas tarifa para acompanhantes, ou seja, se você cadeirante, não pode viajar sozinha (o) e precisa de um pessoa ao seu lado, essa só pagará 20% da tarifa que você pagou.
    É importante informar que a maioria dos atendentes da TAM não sabem sobre isso e dizem que não existe. É preciso insistir muito até encontrar um atendente que consiga te passar as informações corretas.
    Temos uma passageira em nossa agência que sempre usa esse beneficio.
    Giovanna

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest