Equipamentos

Tokleve Milenium Sport – Avaliação

24

Após um “pequeno atraso”, estou postando a avaliação de três anos e alguns meses de uso da cadeira Tokleve Milenium Sport (fabricação interrompida em 2009). Mesmo que a cadeira não seja mais fabricada, o relato é interessante para vocês conhecerem os defeitos, qualidades e soluções encontradas para um modelo como esse.

Foto da Tokleve Milenium Sport

Por mais de 15 anos utilizei cadeiras da Ortobrás (Gazela Ultra Lite, com opcional de apoio de pé tubular), uma cadeira honesta avaliada em média por 1500 reais na época, com alguns opcionais.

Mas eis que vi a Tokleve Milenium, a primeira nacional monobloco tipo “cantilever” que conheci (não tenho informações se foi a primeira). Sempre preferi as cadeiras não dobráveis, pela estabilidade que elas oferecem. Essa cadeira custava, em 2005, cerca de 3200 reais e podendo facilmente atingir 3800 sem nenhum acessório importado.

Fui até uma loja representante da Tokleve aqui em São Paulo e o vendedor deu algumas explicações básicas sobre a cadeira. No show room, havia três delas. De cara, notei a má qualidade das cadeiras expostas (jogo absurdo na roda, outra com o sistema quick release quebrado), nisso chega um médico com sua Milenium recém adquirida para fazer reapertos e eliminar o jogo nas rodas, encosto, freios… A cadeira estava “bamba” e sendo ele um pouco gordinho, com certeza sentiria ainda mais esse desconforto.

A desculpa do vendedor foi que, por se tratarem de cadeiras de amostra, às vezes até empréstimos, elas eram mal cuidadas… Mas ele não soube explicar os problemas da cadeira recém entregue.

Mesmo assim eu comprei. Fomos para a parte das medidas, daí percebi o quão importante é conhecer nossas medidas e o que queremos mudar ou melhorar na aquisição de uma cadeira nova.

Deixei que o vendedor tirasse minhas medidas e quando via alguma coisa estranha eu dava meu palpite, mas sem muita importância… Lembrando que o vendedor no caso não tinha nenhuma formação em “seating”. Ele deve ter recebido algumas orientações básicas, mas nada mais aprofundado.

Minha cadeira chegou dentro do prazo (90 dias) e fui buscar. A cadeira parecia um TRATOR, de tão alta que ficou. Colocaram rodas de 7 polegadas na frente e, por serem tão grandes, não faziam os 360 graus da circuferência!!! A roda batia no apoio dos pés e não era possível dar ré. Erro de cálculo feio!

Foi a primeira coisa que notei e fiquei puto. Logo veio uma outra pessoa da loja que prontamente disse para trocar por rodas de 5 polegadas. Foi necessário fazer um furo no garfo, pois não havia furação para rodas de 5″ e mesmo assim isso não resolveu o problema definitivamente. Ainda tive que tive que subir um pouquinho o descanso de pés, pois era onde as rodas batiam.

A troca das rodas resultou em uma cadeira sem tilt que é a diferença entre a altura dianteira e traseira do assento ao chão. Um erro grave em se tratanto da minha lesão C4/C5 com pouquissimo equilíbrio. Tive que improvisar um cinto de segurança na primeira semana pois o medo de cair pra frente era muito grande. Andar amarrado na cadeira é horrível.

Fui com a cadeira pra casa, e começei a notar os incômodos da cadeira alta, como por exemplo não entrar debaixo da mesa da minha própria casa.

O encosto foi feito em uma altura que pegava bem no osso da minha escápula, o que ia me gerar um machucado dos grandes, consegui utilizar um pedaço extra de espuma e contornar mais esse problema.

No terceiro dia me bateu o total arrependimento e descontentamento com a cadeira, pois ela não estava me fazendo bem, muito pelo contrário. Decidi ir até a loja e ver o que poderia ser feito.

Para resumir a história, a loja não admitia o erro e eu também não. Depois de muita discussão e eu com pressa em resolver, aceitei o acordo da loja em pagar 700 reais e ter um quadro totalmente novo. Com as medidas que eu especificasse sendo total responsável dessa vez caso desse errado.

Demorei mais dois meses para receber o quadro novo, mas veio tudo nas medidas que eu indiquei. Dessa vez, sem interferência do vendedor. Quando sentei pela primeira vez na cadeira já senti a diferença. O conforto que eu queria era tanto que nem voltei para a antiga! O único porém: como eu queria que a cadeira fosse mais fechada na parte do descanso dos pés, eles não me avisaram que seria colocado um tipo de decanso regulável em altura. Esse descanso regulável até que foi útil depois, mas acabava com a estética da cadeira (veja na foto acima).

Vamos a minha configuração:

Largura de assento: 40cm
Profundidade de assento: 44cm
Altura de encosto: 53cm
Angulo frontal: 85 graus (nas minhas contas tem 75)
Rodas dianteiras: 5 polegadas
Rodas traseiras: 24 polegadas
Altura traseira do assento ao chão: 45cm
Altura frontal do assento ao chão: 55cm
Tilt: 10cm
Centro de gravidade: 3cm avançado

Opcionais:

Assento rígido em alumínio (na época não tinha encosto rígido)
Roda anti-tombo (nunca usei)
Laterais protetoras em alumínio dobráveis
Quick release nas rodas dianteiras
Aros de impulsão com pinos
Acabamento de encosto em nylon com ajuste de tensão por velcros
Manoplas rosqueáveis

Depois de cinco meses de espera e mais 700 reais de prejuízo, finalmente consegui rodar com minha cadeira. Comecei a usar a cadeira para trabalhar, passear etc.

Achei que pelo fato do formato do quadro, eu teria alguma vantagem de colocá-la nos  porta malas, mas devido à grande altura do descanso de pés ao chão às vezes ela não cabia (por pouco) em um porta malas de carros sedan.

Assim como a cadeira do outro médico (lembra dele no início do post?) a minha começou a apresentar rangidos e barulhos logo no segundo dia. Sorte eu ter acesso a ferramentas e pessoas que tem uma formação em mecânica e entendem um mínimo pra avaliar os erros e falhas na cadeira.

Foi feita toda uma revisão, e apertamos tudo como deveria. Por minha conta, pois não estava afim de me desgastar com pedido de garantia para um reaperto. As rodas traseiras vieram com muito jogo, e uma delas não travava o quick release às vezes e, quando travava, emperrava e era necessário fazer muita força para soltar. Esse problema que foi resolvido com uma regulagem.

Segue a lista de problemas apresentados e que voltaram a acontecer com frequência de aproximadamente 3 meses:

– Algumas porcas não apresentavam arruela de pressão, ou não eram do tipo torks, que já vem com um plástico que evita que a mesma se solte com a vibração;

– Falta de adesivo Loctite trava roscas, principalmente nas rodas traseiras (causa principal do jogo constante);

– Baixíssima qualidade dos eixos quick release, apresentando inclusive diferenças de tamanho entre eles (aprox. 2 milimetros medidos no paquímetro);

– Material plástico utilizado de baixa qualidade. O botão do quick ressecou e quebrou facilmente com uma batida. Aliás, esse botão não deveria ficar sobresaltado, mas foi a única maneira de corrigir o jogo das rodas traseiras;

– Rodas dianteiras de baixa qualidade, fácil de ressecar, deixando a roda dura e com tendência a abrir fissuras (o que ocorreu com 1 ano de uso). Tive que comprar um novo par;

– Sistema de aperto da bengala do encosto tipo Allen que batia metal com metal arrombando o buraco;

– Falta de uma faixa extra de velcro no encosto para evitar perda de tensão;
(solucionei arrumando uma faixa da minha antiga cadeira)

– Sistema do suporte lateral dobrável feito em plástico que se ressecou e quebrou um lado (2 anos); (tive que solicitar junto a tokleve essa peça).

– Pinos do aro de impulsão que se perdiam no meio da rua ficando o metal aparente, na verdade o pino é uma peça plástica que é encaixada em uma lingueta de metal no aro; (tive que solicitar pinos extras, e solucionei utilizando cola branca).

– Regulagem das alavancas de freio muito difíceis e falta de adesivo Loctite trava roscas. Mesmo sendo porcas de pressão, as mesmas com o tempo ficavam moles, fazendo muito barulho ou saindo da posição e diminuindo a eficiência do freio;

– Rodas em alumínio, porém muito fáceis de empenar, com baixa resistência a impactos e diferenças de nível, que é o que mais temos em nossas ruas; As rodas ficaram muito, mas muito judiadas com 3 anos de uso. Mesmo com tentativa de desempenar, alinhamento e reaperto de raios, continuaram ruins;

– Altura das manoplas muito baixa em relação ao encosto, gerando um desconforto pra quem empurra a cadeira por longos trajetos;

Basicamente esse foi o meu test drive de 3 anos e alguns meses de uso dessa cadeira.

Tenho ela até hoje, como uma cadeira reserva, fiz uma manutenção básica antes de deixá-la em segundo plano e está guardada.

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

24 Comentários

  1. Alexandre segunda-feira, 7 de junho de 2010 em 14:15 -  Responder

    Eu tenho uma Tokleve Milenium Sport há uns 7 anos.
    No geral estou satisfeito.
    Também levou um bom tempo entre a compra e a chegada, coisa de uns dois meses.
    Alguns dos problemas que notei foram:
    Os freios são bem ruinzinhos. Os que vieram com ela quebraram logo no primeiro mês e tive que pedir novos (ainda estavam na garantia). Mesmo assim eles nunca funcionaram direito. Hoje nem consigo ajustá-los pois não consigo desatarraxar. Talvez por falta de arruela entre as porcas.
    Aliás alguém sabe o que ocorreu com a empresa?
    E essa Ortomix? Tem alguma relação com a Tokleve, ou é coincidência ambas serem de Góias?

    junho 7th, 2010 - 18:49
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Alexandre,

    bom, parece que você teve menos problemas, menos mal né?

    A Tokleve encerrou suas atividades sem dar uma nota oficial pelo motivo.

    A Ortomix não está na mesma cidade que a finada Tokleve por mera semalhança, até onde eu sei, ela absorveu parte da mão-de-obra do outro fabricante.

    Fica aí a dica para que os fabricantes possam esclarecer a todos sobre essas dúvidas, e que sabe melhorar o relacionamento comercial com seus consumidores finais.

    A Ortomix vem modificando suas cadeiras a modo de não só aperfeiçoá-las, mas também tentar mudar um pouco do design que herdou da Tokleve.

    Abraço!
    Christian

  2. Mila segunda-feira, 7 de junho de 2010 em 14:43 -  Responder

    Já tive uma cadeira da freedom, automática q tinha esse problema da roda não girar 360º pq sempre batia no local de descansar os pés.
    Aquele post com as medidas ainda está no ar?
    Amo seus posts, Christian, e queria q vc sugerisse quais são as coisas essenciais em cadeira q a gente deve estar ligado. Por exemplo, esse tilt q eu não conhecia e achei de grande valia.
    Um abraço!

    junho 7th, 2010 - 18:55
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Mila!
    obrigado por sua fiel audiência! é isso que nos motiva a escrever e buscar informações úteis a todos nós.

    sim, o post sobre as medidas da cadeira está no ar, segue o link abaixo:
    http://maonarodablog.com.br/2010/03/29/aprenda-a-tirar-as-medidas-da-sua-cadeira/

    sem dúvidas estarei atento a sua sugestão, aliás já estou, e continuarei a elaborar posts mais técnicos sobre cadeiras e demais equipamentos.

    o Tilt realmente nos dá uma segurança extra, sabendo-se aplicar na medida certa traz conforto também.

    beijo!
    Christian

  3. Mila segunda-feira, 7 de junho de 2010 em 14:51 -  Responder

    E tempo: Achei seu outro post sobre as medidas da cadeira. Perfeito!! Estou pensando em comprar uma pra mim… Vc sabe de dizer se as cadeiras motorizadas podem fazer esses ajustes?
    Um abraço

    junho 7th, 2010 - 19:09
    Christian Matsuy respondeu:

    Mila,

    Até onde eu sei, as cadeiras motorizadas não oferecem todas essas opção de medidas. Infelizmente.

    As que eu conheço têm apenas a opção de largura de assento, sendo que o restante das medidas seguem uma proporção a essa largura.

    Creio que isso só venha a avançar com a popularização de cadeiras híbridas ou “power assisted” onde você tem uma cadeira comum, com uma adaptação móvel de sistema de impulsão, e você escolhe quando quer ou não utilizar.

    A Cris escreveu sobre um desses power assists chamado Zinger, confira o post aqui.

  4. Gilberto terça-feira, 8 de junho de 2010 em 20:43 -  Responder

    Christian depois dessa avaliação nem preciso falar mais nada sobre as duas M3 que compramos da TOKLEVE na Reatech 2009.

    Parece que você está descrevendo nossas cadeiras (minha e da Telma, minha esposa).

    Desse jeito tinha mais é que falir mesmo.
    Precisamos tomar cuidado é com a Ortomix que são todos da mesma “panela”.

    junho 8th, 2010 - 22:17
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Gilberto,

    é complicado, eu sei. pagamos um absurdo pelas cadeiras e a qualidade é péssima. eu quase comprei uma M3 na mesma reatech 2009, mas resolvi esperar, pois a Tokleve já tinha um histórico de atraso na entrega e não deu outra, soubemos de muitos casos de atrasos e outros problemas graves de fabricação.

    espero que com a Ortobrás assumindo totalmente a fabricação da M3, a qualidade melhore. e o pós venda também.

    Já quanto a Ortomix, as coisas irão se revelar no decorrer desse ano, pois vi muita gente comprando dela na última reatech, tanto que a entrega está para 100 dias para cadeiras adquiridas na feira.

    abraço!
    Christian

  5. Eduardo Camara sexta-feira, 11 de junho de 2010 em 11:47 -  Responder

    O pessoal daqui – tanto usuários quanto fornecedores – tem que evoluir um bocado no conhecimento da cadeira e suas medidas. O blog ajuda pra caramba nisso… E era impressionante a quantidade de falhas no controle de qualidade da Tokleve, pqp!
    Minha TiLite veio exatamente como pedi e está aqui firme e forte há mais de 2 anos e meio! Abração!

    junho 11th, 2010 - 15:08
    Christian Matsuy respondeu:

    Fala ai Eduardo!

    Sem dúvidas. Sei que vai muito do pensamento de cada um, mas têm pessoas que realmente não se interessam por esses assuntos, e na hora de comprar uma cadeira nova ficam totalmente rendidos às palavras do vendedor (que nem sempre é um profissional da área postural), é um mero “tirador de medidas”. Daí você coloca nessa pacote a falta de controle de qualidade… pronto, tá feita a coisa errada!

    Minha cadeira também veio exatamente como pedi e está firme e forte!

    Abraço!

  6. Alexandre terça-feira, 15 de junho de 2010 em 22:03 -  Responder

    Fala Cristian

    Muito bom seu post, um dia gostaria de ve-lo escrevendo exatamente o contrario, ou seja, escrevendo quanto vc gosta das empresas brasileiras que fabricam cadeiras de rodas.

    Pode ser que isso não seja realizada…mas tenho certeza que em breve será diferente.
    Pergunta:
    Este tipo de problema acontece com frequencia entre as empresas brasileiras? As importadas não tem esse problema?

    abraços
    Ale

    junho 15th, 2010 - 22:15
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Alexandre,

    Tenha certeza de que eu gostaria muito de estar elogiando uma cadeira nacional, ao invés de uma importada.

    Mas é fato de que a qualidade das nossas cadeiras deixa muito a desejar frente as importadas.

    A cadeira desse post não é mais fabricada, bem como essa marca deixou de existir. A qualidade das cadeiras nacionais vem melhorando, mas ainda falta muito. Sem falar no preço delas que como demonstra o Eduardo nesse artigo, é um bem isento de vários impostos. Sendo assim, não justifica pagarmos aproximadamente 3400 reais em uma cadeira nacional rígida. É praticamente o mesmo preço de uma cadeira importada com qualidade muito superior.

    Abração!
    Christian

  7. Allan sábado, 4 de setembro de 2010 em 12:03 -  Responder

    Sabe onde posso encontrar as rodinhas dianteira para vender?
    as minhas ja estão cortando.
    Tokleve sport.

    setembro 4th, 2010 - 12:45
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Allan,
    As rodas dianteiras dessa cadeira são padrão, da uma olhada no site da loja Comoir! http://www.lojacomoir.com.br . Você só precisa saber o tamanho delas.

  8. marcio de assis ferreira terça-feira, 24 de maio de 2011 em 09:12 -  Responder

    eu so cadeirante e tenho 2 cadeiras da tokleve e tenho dificuldade de peças de reposiçao [rodinhas dianteiras com rolamentos maciça e rolamentos vcs tem pode me ajudar
    grato marcio

    maio 24th, 2011 - 15:27
    Christian Matsuy respondeu:

    Marcio,

    Essas rodas são padrão e podem ser encontradas em sites como:

    http://www.lojacomoir.com.br

  9. rocha quinta-feira, 30 de junho de 2011 em 23:07 -  Responder

    as rodas da minhya cadeira estao ruins, onde consigo comprar essas rodas? nos sites nao vendem rodas separadas minha cadeira e uma tokleve milenium sport. por favor me ajudem

    julho 1st, 2011 - 19:49
    Christian Matsuy respondeu:

    Tenta entrar em contato com a Ortomix ou Alphamix, essas rodas são padrão e muito provavelmente, essas duas marcas possam lhe fornecer rodas nocas. tente também falar com o pessoal da loja ComoIr! http://lojacomoir.com.br

  10. ARY quarta-feira, 27 de julho de 2011 em 15:39 -  Responder

    Tive o azar de comprar uma cadeira dessa logo antes deles falirem. Uma porcaria todos o parafusos estão soltando. Acho inventaram essa Ortomix para se livrarem dos problemas da Tokleve.

    julho 27th, 2011 - 18:57
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Ary,

    A Ortomix têm um outro dono, mas parece (eu não sei bem ao certo) que ela nasceu de uma separação de sociedade ou parte da antiga TokLeve. Tanto que é na mesma cidade. Sei lá tudo que é “Made in Goiânia” tem mistério pra mim. Aliás nunca fizeram questão de nos esclarecer nada.

  11. ARY quarta-feira, 27 de julho de 2011 em 19:05 -  Responder

    Isso Christian, me parece que foi criada por ex funcionário da Tockleve. Mas a maneira de encerrar as atividades da Tokleve, tenho minhas dúvidas se não foi de comum acordo para fugir de débitos.

  12. claudio quarta-feira, 28 de dezembro de 2011 em 16:14 -  Responder

    tenho uma tockleve milenium esporte desde 2004, tinha uma outra tockleve modelo flex, até pararam de fabricar antes de falirem, e tenho uma ortomix modelo elite, sinceramente não sei qual delas é a pior (pelo preço que paguei ) hoje necessito trocar o encosto da que comprei em 2004 não sei onde vende ou se vendem ou tenho que jogar fora e comprar outra.

    dezembro 29th, 2011 - 10:09
    Christian Matsuy respondeu:

    Claudio,
    Concordo plenamente contigo, mas procura a Ortomix que eles continuam fabricando os mesmos modelos com nomes diferentes. De repente vale a pena arrumar.

    Abraços,
    Christian

  13. claudio sexta-feira, 30 de dezembro de 2011 em 10:16 -  Responder

    Obrigado cristian, farei isso

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook