Equipamentos

Alumínio x Titânio

31

Resolvi escrever esse post lendo os comentários feitos na comunidade do blog no Orkut. O número de pessoas que se interessam em comprar uma cadeira feita de Titânio só vem aumentando, e com isso minha preocupação também. Mas por que? Por eu perceber que muitas delas não conhecem a diferença entre o alumínio (metal predominante nas cadeiras) e o titânio, um metal com propriedades bem diferentes.

Ao contrário do que muitos pensam, o titânio é mais pesado que o alumínio. Porém, ele é no mínimo (isso vai depender do tipo de liga) 10 vezes mais resistente. Com essa característica, é possível fazer tubos de titânio com paredes mais finas e ter uma cadeira muito mais resistente pelo mesmo peso do alumínio ou até mesmo mais leve.

Ainda pode-se utilizar a combinação dos dois metais. Existem lugares da cadeira que podem ser fabricados tranquilamente em alumínio, deixando o custo mais baixo. Algumas peças como protetores laterais e encosto, entre outras, não precisam ser feitas em titânio. Tanto que, quando são feitas em titânio, são consideradas opcionais, com preço diferenciado.

Só pra constar: o titânio também é no mínimo 10 vezes mais caro que o alumínio. O interessante é que, se observarmos os preços, poderemos notar que os fabricantes de cadeiras de titânio, não repassam todo esse valor ao consumidor. A diferença de preço existe, mas não chega nem perto de ser 10 vezes mais caro.

Outra vantagem do titânio é o “efeito memória” do metal. É extremamente difícil trabalhar com o titânio, muito duro para dobrar e soldar, exigindo mão de obra especializada. Mas uma vez moldado, o titânio fica como está. Para se desalinhar um quadro de uma cadeira desse material, o impacto tem que ser muito grande, e quando falo grande digo algo de proporções catastróficas.

Aqui já vimos ínumeros casos das cadeiras saírem desalinhadas de fábrica. Chegamos ao cúmulo de ver pessoas reclamando que sua cadeiras não encostavam as quatro rodas no chão, mesmo em um local totalmente plano… (pode isso Arnaldo!?). A regra é clara, não pode.

O alumínio tem resistência bastante aceitável, mas ele pode entortar. Isso é fato. Eu já entortei e desalinhei dois quadros de cadeiras monobloco. Um deles até consegui realinhar, mas em poucas semanas ele voltou a desalinhar, e não seria prudente tentar arrumar por uma segunda vez, pois iria comprometer a estrutura do quadro. O alumínio não foi feito para ficarmos puxando ou forçando, pois ele perde resistência e pode quebrar. Se você pegar um pedaço de arame, e ficar entortanto de um lado pro outro, uma hora ele vai quebrar. E é mais ou menos isso que acontece, nas devidas proporções.

Outra característica peculiar do titânio é a da absorção de impactos e tremores. Ele tende a distribuir os impactos recebidos e se dissipar por toda a extensão dos tubos, ao contrário do alumínio que tem um efeito “rebote”, ou seja ao passar em um buraco com a cadeira, você toma o impacto do mesmo e a cadeira tenta “devolver” ess impacto pra você, causando uma reação maior. Para ficar bem claro, se pegarmos um bastão de titânio e batermos com força em uma parede, ele bate e fica. Se fizermos o mesmo com um bastão de alumínio ele bate e tende a voltar pra trás, entenderam? Lei da física de ação e reação. Alguns fabricantes dizem que isso é um “mito” e que só poderia ser percebido em uma velocidade superior a 30km/h. O fato é que eu já tive  várias cadeiras monobloco de alumínio e posso afirmar que o titânio tem essa propriedade sim, e é muito perceptível.

A intenção do post foi apenas a de mostrar as diferenças entre esses dois metais, e não desmerecer o alumínio, que quando bem trabalhado apresenta resultados fantásticos.

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

31 Comentários

  1. Cris Costa quarta-feira, 22 de setembro de 2010 em 23:53 -  Responder

    A diferença é enorme! Lembro bem de como era andar com a cadeira de alumínio no Centro da cidade aqui no Rio, e como é agora com o titânio. Bem melhor, nem se compara. Uma pena que nenhum fabricante aqui tenha vontade de usar o titânio. Aliás, se eles nem se preocupam em melhorar a qualidade da cadeira que entregam, a do material usado então… Viva TiLite. Pena que não é acessível para todos. Muito bom o post Christian!

    setembro 23rd, 2010 - 14:55
    Christian Matsuy respondeu:

    pois é Cris, muitos ainda não acreditam nessa caractéristica…aliás nem eu mesmo acreditava até poder comprovar. eu já ficaria bem feliz se nossos fabricantes utilizassem o alumínio da maneira correta… 🙂

    beijo!
    Christian

  2. Andres Lopez quinta-feira, 23 de setembro de 2010 em 13:57 -  Responder

    Ola Cristian, parabens pelos seus post e pela sua chegada a familia Mao na Roda, sem duvida todos seus conhecimentos serao de grande ajuda a todos..
    Gostaria de saber sua opiniao sobre o aluminio 7020 numa comparativa com o titanio, pois penso que no post vc tenha falado só do 6061.
    Abraço

    setembro 23rd, 2010 - 14:50
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Andres,

    sim, me refiro a liga 6061 que é a utilizada aqui no mercado nacional, desconheço a existência de alguma cadeira fabricada em alumínio 7020 aqui, me corrija se eu estiver enganado. Nossos fabricantes não fazem muita questão de colocar a nossa disposição esse tipo de informação.

    Acho que o trabalho de manufatura ainda consegue colocar esses metais em consdições muito próximas, não adianta nada termos cadeiras em 7020 com soldas “porcas” ou cadeiras fora de esquadro, ou ainda um design que propicia a resistência.

    Por que se formos colocarmos no papel a relação de resistência X peso, o Titânio resiste a 120.000 psi contra os 50800 do alumínio. Em relação ao peso, o titânio suporta 0.161 Lb/pol³ contra 0.098Lb/pol³. Fazendo as contas chega-se a 44% de maior resistência ao alumínio 7020.

    Vejo o pessoal falando muito bem das cadeiras feitas em 7020, sem falar que por exemplo, na Quickie Q7, temos um formato de parede de tubo que privilegia a resistência. A espanhola Oracing vem desenhando cadeiras espetaculares também, se não fosse a dificuldade de importação por um preço justo, creio que seria minha próxima cadeira.

    A Serie 2 da TiLite reduziu a espessura dos tubos para cadeiras com até 16 polegadas de largura, o que gerou uma redução de peso, não muito perceptível ao toque da cadeira.

    Ambos os metais tem seus prós e contras, eu por exemplo gosto muito o acabamento escovado no titânio, que aparece menos os riscos, e não desbota como nas pinturas epoxi. entre outras muitas coisas é claro.

    Mais pra frente volteremos a discutir esse assunto, e agradeço suas saudações de boas vindas aqui no Blog!

    um grande abraço!
    Christian

  3. Eduardo Camara sexta-feira, 24 de setembro de 2010 em 14:30 -  Responder

    Ótimo post, Christian!

    Eu já tive 4 cadeiras de alumínio e 1 de titânio. A de titânio é a melhor, disparado. A absorção de impactos é excelente e ainda tem a questão do acabamento escovado do quadro. Bonito e fácil para remover arranhões.

    Quem fala mal do titânio é por desdém. A Marvel sentava o pau dizendo que o titânio não tinha vantagem nenhuma sobre o alumínio, mas tb não falava qual a vantagem do alumínio pro titânio. Na minha opinião, o Al só vence o Ti no preço. E uma cadeira de Al da Marvel custa 2,5x o que custa uma de titânio da TiLite. Fala sério!

    setembro 24th, 2010 - 18:27
    Christian Matsuy respondeu:

    Fala Eduardo,

    Eu já tive também 4 de alumínio e essa última de titânio.

    Eu acho o conceito da Marvel fantástico, só acho que ela peca por ser uma cadeira que não tenha um bom encosto para tetras com lesão mais alta, a ausência de puxadores e o preço. por 5000 dolares da pra comprar uma TiLite com vários item em fibra de carbono e rodas top de linha e acho que ainda sobra.

    Abraço!

  4. DENIS domingo, 10 de outubro de 2010 em 12:06 -  Responder

    OLÁ PESSOAL,

    TENTEM PESQUISAR SOBRE ALUMINIO-LITIO. É A LIGA DE ALUMÍNIO MAIS LEVE E RESISTENTE QUE EXISTE. SUA PRINCIPAL APLICAÇÃO É AEROESPACIAL. SUA DENSIDADE: 2,4 A 2,5 KG/L.

    outubro 11th, 2010 - 12:40
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Denis,

    no exterior os fabricantes utilizam ligas de alumínio bem melhores que aqui, e fora isso utilizam formatos e tubos que privilegiam ainda mais a resistência.

    obrigado pela dica!

    Abraço
    Christian

  5. Mônica domingo, 7 de novembro de 2010 em 20:09 -  Responder

    Christian,

    Adorei o seu post super informativo. Eu pretendo comprar uma cadeira de titânio para mim, mas tenho algumas dúvidas… Peso dois sacos de cimento, será que aguenta o meu peso? E como é que ela dobra? Eu apoio nos braços para fazer as minhas transferências e prefiro pedais que saem já que a minha atual cadeira é da Tok Leve e em x duplo… Será que você pode me ajudar??? Ternos abraços,

    Mônica (B.H.)

    novembro 8th, 2010 - 10:00
    Christian Matsuy respondeu:

    Mônica,
    eu não me recordo se um saco de cimento pesa 50 ou 60kg rsrs…

    se for 60, será necessário optar por quadro reforçado na ficha de prescrição da cadeira com um valor extra de 300 dólares.

    no site da TiLite (www.tilite.com), têm as fotos de vários modelos com quadro monobloco e dobrável.

  6. Mônica domingo, 7 de novembro de 2010 em 20:22 -  Responder

    Por acaso vocês já ouviram falar de “frog legs” em termos de cadeiras de rodas? Gostaria de maiores informações a esse respeito… Muito obrigada,

    Mônica (B.H.)

    Post Scriptum: Essa foi a resposta que recebi de uma exposição de cadeira de rodas nos Estados Unidos
    https://mail.google.com/mail/?shva=1#label/Movimento+Supera%C3%A7%C3%A3o/12c274475956575e

    novembro 8th, 2010 - 09:52
    Christian Matsuy respondeu:

    Frog Legs é a marca de garfo dianteiro opcional que tem um sistema de amortecimento. Custa 250 dólares lá.

    Existem um fabricante nacional que utiliza um garfo similar, porém algumas pessoas reclamam que deixa a cadeira instável na hora das transferências.

    existem as rodas dianteiras da mesma marca, que são ótimas e não são caras, o nome dessas rodas são Soft-Roll.

    Bjo
    Christian

  7. Mônica segunda-feira, 8 de novembro de 2010 em 19:18 -  Responder

    Christian,

    Eu estava brincando com relação à pesar dois sacos de cimento (o saco de cimento pesa 60 quilos), mas da última vez que eu pesei foi 85 quilos descontando o peso da cadeira, aproximadamente uns 16 quilos. Mas estou caminhando para isso… Grrr.
    E como eu faço em relação à esse email que eu recebi de lá:
    Hello Monica,

    The Tilite 2GX Ultralight wheelchair does have armrest available for
    it. Please call me and we can discuss these sort of details. I can be
    reached at ext 738.
    Eu sei que não sou obrigada a comprar nada na mão deles, mas fico EXTREMAMENTE “SEM GRAÇA” de falar não… rs
    Desculpe a ignorância, mas o que seria o famoso “quadro monobloco”, nem da minha própria cadeira eu entendo, quem dirá das outras… rs, rs, rs… 🙂

  8. Mônica quinta-feira, 11 de novembro de 2010 em 19:17 -  Responder

    Christian,

    E qual é a vantagem do encosto mais baixo? Estou acostumada com o encosto mais alto… Mas não me impede de sentir dores nas costas, dependendo do nº de horas sentada nela. Muito obrigada,

    Mônica. 🙂

  9. Rolila quarta-feira, 8 de dezembro de 2010 em 20:24 -  Responder

    Olá,

    estou escrevendo pra dar parabéns pelo blog, sou estudante de Design de Produto e estou desenhando uma cadeira de rodas para a cadeira de projeto o que pra mim é muito interessante já que está é a área que quero me especializar, então vim deixar meu muito obrigada pelo site tão rico em informações e a maneira acessível como estão colocadas cada uma delas possibilitando os não cadeirantes entender cada uma delas.

    O site me possibilitou uma analise muito profunda das necessidades e mecanismos que uma cadeira de rodas deve suprir!

    Mais uma vez, parabéns!

    Abraço

    dezembro 8th, 2010 - 20:52
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Rolila,

    Muito obrigado pelo seu comentário.
    Sabemos que realmente existe pouco material específico sobre cadeiras na internet, o que dificulta ainda mais para as pessoas poderem se informar e poderem comprar boas cadeiras.

    Desejamos sucesso no seu trabalho!

    Bjos,
    Christian

  10. Lúcio Yamashita terça-feira, 11 de janeiro de 2011 em 15:53 -  Responder

    Boa tarde. Qro adquirir uma cadeira de titânio por todas as qualidades já citadas. Sou cadeirante “dependente”(necessito que alguém me empurre). Se fosse possível, gostaria de saber onde posso comprar uma cadeira e quem poderia me orientar técnicamente nesta compra. Grato e parabéns pelo auxílio que este blog presta a nossa comunidade.

    janeiro 15th, 2011 - 19:06
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Lúcio,

    Geralmente quando a pessoa não sabe prescrever sua própria cadeira, recomendamos que procure um terapeuta ocupacuional especializado em seating, não sei de que cidade você é, mas em centros de reabilitação, sempre tem um profissional desses. Para comprar uma cadeira de Titânio, só importando. Visite nossa comunidade no Orkut, já demos diversar orientações na nossa comunidade e já tem muita coisa lá escrita sobre isso.

    Abraço,
    Christian

  11. francisco Guedes sábado, 21 de maio de 2011 em 11:27 -  Responder

    é importante os comentários sobre alumínio, eu por exemplo tenho uma pequena empresa que trabalha com toldos e por ser um material mais limpo só trabalhamos com alumínio.

    interessante este tipo de artigo .
    valeu pela dica.

  12. Cassia Rolleira quarta-feira, 15 de maio de 2013 em 21:08 -  Responder

    Christian,
    Meu marido deseja comprar uma cadeira, não conseguimos chegar a nenhuma conclusão, todas que pesquisamos tem milhões de reclamações, encontrando seu blog entre no site da Tilite e nos interessamos em comprar uma de titânio, vc poderia informar se o site http://www.spinlife.com/TiLite-TR-Series-3-Rigid-Wheelchair/spec.cfm?productID=96733#tabReviews, é confiável e quais são os impostos que pagamos ao comprar pela internet.
    Parabéns pelo seu blog e suas dicas no meu caso ajudou imensamente. Obrigada

    maio 23rd, 2013 - 13:14
    Christian Matsuy respondeu:

    Cassia, a Spinlife é de confiança sim. O grande porém é que a TiLite agora fez uma mudança na sua política de vendas e não vende mais cadeiras para países onde ela tem um representante. Já comentamos em diversos posts (utilize a busca do site) que importar uma cadeira pela internet não te dá nenhum benefício de imposto, é a mesma coisa que trazer qualquer outro bem. A única maneira de se livrar dos impostos é ir buscar a cadeira nos EUA e voltar sentando nela.

  13. Eli quarta-feira, 7 de agosto de 2013 em 10:49 -  Responder

    Adorei seu blog.Preciso comprar uma cadeira de rodas e estou com dificuldades. Gostaria que vc me ajudasse.Alguem vai ter que me empurrar e ela teria que ser leve e pequena p entrar fácil no porta mala do carro.Qual material vc acha melhor? Ou que local é melhor p pesquisar?Obrigado.

    agosto 13th, 2013 - 14:35
    Christian Matsuy respondeu:

    Eli

    Dá uma olhada na loja virtual da Cavenaghi, eles trabalham praticamente todas as marcas nacionais e algumas importadas como a Ottobock.

    O endereço é:
    http://www.cavenaghi.com.br

  14. Alberto Schmidt terça-feira, 17 de setembro de 2013 em 12:07 -  Responder

    Caros amigos o que poderia ser feito é nas cadeiras de aluminio é, primeiro lugar , alinhar o quadro e aplicar um banho que se chama anodização dura .
    esse tipo de tratamento de superficie e feito em aros de bicicletas para aumentar a resistencia macanica , e aumenta muuito.

    outubro 8th, 2013 - 22:06
    Christian Matsuy respondeu:

    Veleu pela dica Alberto!

    Abraço,

  15. peças domingo, 16 de fevereiro de 2014 em 12:42 -  Responder

    Great weblog here! As well your website loads right up quickly! Precisely what variety are you the utilization of? Can I make your online weblink for a variety? We drive this site rich up as rapidly because your own ; )

  16. Eliel sábado, 21 de março de 2015 em 10:08 -  Responder

    Olá pessoal, sou inventor, tenho inúmeros projetos, protótipos etc. Mas aqui no Brasil ( não sei lá fora ) ninguém dá valor a nada e a ninguém. Inventei um sistema ultra barato, custa para o deficiente visual, o mesmo custo de sua bengala… se mais caro, seria mito pouco +/- 10 a 20% e permite tanta coisa ao deficiente que daria um livro, e bem volumoso. Só para se ter uma ideia, o deficiente iria andar pelas ruas sabendo sua localização, se o semáforo está aberto ou fechado para ele… se tem desnível ou perigo na calçada………chega daria um livro. Apresentei a um instrutor de cegos e ele ficou abismado, quando coloquei o aparelho para uma senhora ouvir, ela até arregalou os olhos e deu um suspiro………..ficou impressionada, mas…….mas….. acho que interesses econômicos particulares e imediatistas os calaram, e o projeto foi para o fundo de uma gaveta. E pasmem, este projeto permite altos lucros para alguma empresa que trabalhar fabricando / instalando. elielpereira@hotmail.com

  17. Pedro Souza quarta-feira, 10 de junho de 2015 em 16:51 -  Responder

    Olá Cristian, vc recomenda um site para explicar o processo de fabricação de rodas automotivas para ligas de titânio?

  18. Rubens Fauth sexta-feira, 15 de julho de 2016 em 12:53 -  Responder

    Olá Cristian! Gostei do seu blog e desse artigo em especial. Parabéns! Gostaria de deixar uma dica valiosa quanto a um tipo de material que pode ser bem utilizado em cadeiras. A liga de Aço 4130 (Aço Cromo-Molibdênio) foi muito utilizada em bicicletas de qualidade nos anos 90, exatamente pelas propriedades mecânicas muito próximas das do Titânio, mas perdeu espaço para o alumínio por conta do baixo custo de produção aliado à sua popularidade e outros fatores. Essa liga de aço absorve muito bem os impactos (motivo esse que leva os cicloturistas a adotarem quadros nesse material), tem alta resistência mecânica, maior resistência à corrosão que as ligas de aço convencionais como 1010, 1020, e aços carbonos, e por essas propriedades consegue-se uma redução na espessura da parede dos tubos utilizados diminuindo consideravelmente seu peso, além de ter excelente soldabilidade, como é comum nos aços, o que diminui os custos de reparos, pois em qualquer canto se encontra alguém que solde aço. Isso sem contar que os custos do material são muito menores do que o Titânio. O Titânio é excepcional, mas infelizmente caríssimo, e investir num material com o Aço cromo-molibdênio vale a pena.
    Os fabricantes de tubos desse aço são consagrados no mercado mundial, segue alguns: Reynolds, Tange, TrueTemper dentre outros.
    Segue também alguns nomes de fabricantes de quadros de bicicletas sob medida que trabalham com esse material e esses fabricantes: Igor Myamura, Klaus Poloni e Cardoso Cicles. Talvez estes homens possam investir nesse ramo de cadeiras também ou no mínimo orientá-lo quanto ao uso desse material que lhe indico.

    Abraço e que Deus o abençoe!

    julho 16th, 2016 - 11:10
    Christian Matsuy respondeu:

    @Rubens Fauth, Agradecemos muito seu comentário. Existem 2 fabricantes europeus que dão a opção de cromo-molibdenio, mas por incrivel que pareça o preço não cai muito. Como já ví essa cadeira pessoalmente, realmente o diametro do tubo foi reduzido pela metade com o uso dessa liga. (eles só esquecem de repassar isso no preço final do produto!). É um problema que sofremos constantemente.

    Um grande abraço!
    Christian

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook