Geral

Não beba!

27

Quem nunca enfiou o pé, a roda, ou os dois na jaca que atire a primeira pedra. Tem dias que a gente tá aborrecido, cansado, precisa abstrair, e liga pra aqueles amigos que topam uma saidinha durante a semana, marca horário, local e pronto. “Niqui” senta na mesa o papo começa, desabafa daqui, reclama dali, gargalhadas, desce mais uma garrafa, fala, reclama, ri, mais uma garrafa… ri, ri mais, e mais um pouco, você adquire uma simpatia incrível, acho todo mundo lindo, acha que está amando, dexe maix uma garrafffax. Noite segue,  ops, hora de ir embora, amanhã é dia de trabalho. Momento de pagar a conta, ninguém entende o que está escrito na nota, e rola um esforço pra lembrar a senha do cartão. Até ai, bebum é tudo igual. Mas quando se é cadeirante, algumas coisas mudam. Beber normalmente rende inúmeras idas ao banheiro. Haja bexiga. E quando o lugar não tem um banheiro acessível, e está se usando coletor, isso gera muitas idas a rua, e você acaba correndo o risco de ser preso como mijão/ mijona. Você pode não ficar cambaleando, mas em compensação parece que você chapa na cadeira e nada, nem o carvalhão, consegue te tirar dali. Notada a falta de condições de dirigir, tenta-se pegar um taxi. Quando um taxista boa alma aparece (coisa rara), começa a lenga de tentar entrar no carro.

OBS para os andantes: pensem que quando se bebe, se perde um pouco dos reflexos, controle dos movimentos e a força diminui. Imagina pra quem já tem isso reduzido. Vira-se quase uma planta, rs.

Voltando ao taxi, empurra daqui, empurra dali e depois de alguns minutos ou horas, você consegue entrar no taxi. Do mesmo jeito que entrou no taxi você fica, até chegar na sua casa, onde começa outra parte do drama. Depois de mais algumas horas de concentração pra sair do carro, você encara a porta da sua casa. A tetrice parcial nesse momento vira completa. A briga com a chave e fechadura é longa, mas você supera o osbtáculo. Depois de passada mais essa fase, vem a mais complexa de todas: passar para a cama. Rola toda uma projeção entre você na cadeira e a cama. Tipo, como vou sair daqui, e ir pra ali sem me esborrachar no chão? Pensa, mede, concentra, 1, 2, 3… Puf… Metade do corpo vai, metade fica. Quase como deveria ser. Mas e agora? o que fazer com as pernas? Como puxá-las para a cama? Zero força, desequilíbrio total… só tem um jeito: chamar alguém pra ajudar. Mas tá todo mundo dormindo! Ah, liga pro celular mesmo!

– Hummm, alô?

– Rimão, prexijo de ajudax, podge vir aqui no quarrrrrto?

– hummmmmm… tô indo

Você recebe a ajuda que precisava, e apaga ali mesmo. Acorda na mesma posição, achando que explodiram uma bomba atômica dentro de você, tenta pensar no que tem que fazer, mas até pensar dói. Reúne todas as forças que lhe restam (praticamente nenhuma) toma um banho e vai trabalhar espraguejando o mundo e pensando que precisa sair com os amigos pra desabafar…

Moral da história: não tem moral, mas evite beber e ter que trabalhar no dia seguinte. Agora dá licença que vou ali me hidratar.

Sobre o autor / 

Cris Costa

27 Comentários

  1. Alberto Almeida quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 10:30 -  Responder

    oi Cris tudo em paz ?
    estas colocações são bem parecidas com o dia dia e os finais de semana de alguns cadeirantes!
    para não acontecer de você incomodar as pessoas que estão dormindo.
    experimente dormi na cadeira. rsrsrsrs

    um abraço

    A.A

  2. Heitor quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 10:40 -  Responder

    Rachei o bico!! Só você, Cris!!
    Eu fico assim mesmo quando entorno umas e outras. E olha que eu nem sou tetra!

    outubro 7th, 2010 - 21:25
    Cris Costa respondeu:

    Momento distração do Blog, rsrsrs. Acho que todo mundo quando bebe de mais fica igual, né? rsrsrs. Bjs!

  3. Brunna Melazzo quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 11:35 -  Responder

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHHA

    A-DO-REI!!

    imaginei a cena igual filminho

    O Di não é muito de beber, justamente pelo vai e vem no banheiro…
    mas nas raríssimas vez eu me divitoooooo…

    outubro 7th, 2010 - 21:27
    Cris Costa respondeu:

    Menina, o vai e vem no banheiro é o que mata, rsrsrs. Bjs!

  4. Nickolas Marcon quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 11:58 -  Responder

    Cris, vc já tentou passar a sonda nesse estado? Não há como encontrar o “buraquinho”, já pensei até em inventar um funil-guia para a sonda… sem falar de quando vc fica com a sonda esvaziando numa garrafinha e, naquela lentidão do conta-gotas, acaba dormindo sentado, derruba a garrafa no chão (cheia) ou deixa transbordar tudo em cima de vc… bêbado é ph0d@…
    :-)))))

    outubro 7th, 2010 - 21:29
    Cris Costa respondeu:

    Por isso que nessas ocasiões uso coletor, rs. É complicado mesmo, a situação pode ficar bem estranha, rs. Mas cuidado, “buraquinho” de bêbado não tem dono, rsrsrs. Bjs!!!

  5. Fernando Chagas quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 14:30 -  Responder

    Putz, li como se fosse a minha estorinha de um dia de bebum qualquer….nossa, como é ruim passar pro carro e sair dele.
    Por isso agora não bebo mais…..NEM MENOS! rssss

    outubro 7th, 2010 - 21:31
    Cris Costa respondeu:

    É isso mesmo, nem mais, nem menos!! rsrsrs. O duro é sair da cadeira pra qql lugar, rs. Bjs!

  6. Luiza Coimbra quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 17:12 -  Responder

    Cris ADORO ler seus “causos”, hilário. Não sou cadeirante, mas acompanho vcs desde o OGlobo online. Semana passada passei por essa situação, BEBEMOS TODAS, na segunda-feira era dia de trabalho, nossssaaaaaaaaaaaa, o mundo girou….
    Adorei

    outubro 7th, 2010 - 21:32
    Cris Costa respondeu:

    Oi Luiza, que bom que gosta! As vezes acho que falo muita bobagem, rsrsrsrsrs. Agora, trabalhar no dia seguinte, é duro de mais, né não? Bjs!

  7. Eduardo Camara quarta-feira, 6 de outubro de 2010 em 17:37 -  Responder

    Cris, uma vez eu tava tão bebum que não conseguia subir uma rampa de rua. Um amigo veio ajudar e tb tava tão bebum que não conseguia sequer me empurrar rampa acima. Tivemos que apelar para um cara que passava… Fora a vez que dei um capote e virei tartaruga de casco pra baixo em pleno ano novo e sozinho em casa. Foi a primeira vez que subi sozinho, totalmente lesado, do chão pra cadeira 🙂

    outubro 7th, 2010 - 21:34
    Cris Costa respondeu:

    Quando todos estão na mesma “vibe” é complicado, rsrsrs. Agora, ir pro chão, estar sozinho e conseguir voltar… Ai vc superou! Eu viro planta meeeeesmo!!! rsrsrs. Bjs!

  8. ju olivieri quinta-feira, 7 de outubro de 2010 em 07:59 -  Responder

    sensacional, cris!!! hahahahaha ouvi sua voz contando… “dorei”!!! bom feriado e tim tim!!!

    outubro 7th, 2010 - 21:36
    Cris Costa respondeu:

    Juju! Vc me conhece bem, fica fácil de imaginar as bobagens que falo, rsrss. Bom feriado pra vc também! Bjs!

  9. Christian Matsuy quinta-feira, 7 de outubro de 2010 em 09:47 -  Responder

    olha Cris eu só tenho uma coisa a dizer sobre isso: “uó!”

    outubro 7th, 2010 - 21:37
    Cris Costa respondeu:

    Rapaiiiz, nem coloquei uó no texto! Mas digo: beber, passar pro carro, pra cama, e ainda trabalhar no dia seguinte é uó!!! Bjs!

  10. Ronald Andrade Filho quinta-feira, 7 de outubro de 2010 em 14:59 -  Responder

    Eu nem sou tetra, mas as dificuldades são parecidas. Nessas horas a coisa fica complicada mesmo. Mas fazer o que, né? A gente também merece tomar umas de vez em quando! Outro dia eu caí da cadeira quando ia passar pra cama num desses momentos, já tinha apagado a luz e tudo. Imaginou o lesado bebum no chão, no quarto escuro e sem ngm pra ajudar? Mas aí a gente se vira e arruma forças não sei de onde. E bola pra frente.

    outubro 7th, 2010 - 21:39
    Cris Costa respondeu:

    Ronald, merecemos mesmo tomar umas de vez em quando. Agora, se eu caio da cadeira nessas horas, dependendo de como estiver, fico ali mesmo, rsrss. Bjs!

  11. Camila sexta-feira, 8 de outubro de 2010 em 22:18 -  Responder

    Nossa, ADOREI!!!!!!!!!!!
    Pensei que isso só acontecesse comigo…hahhaah
    Parabéns pelo blog!

    outubro 13th, 2010 - 17:12
    Cris Costa respondeu:

    Oi Camila, acontece com todo mundo, igualzinho, rsrsrs. Bjs!

  12. Marília Rodrigues quarta-feira, 13 de outubro de 2010 em 02:27 -  Responder

    kkkkkkkkkkkkkkkk

    Cris, vc é hiláriaaaa! Suas idas e vindas na vida soh rendem bons “causos”! Adooooro.
    Beijo!

    outubro 13th, 2010 - 17:14
    Cris Costa respondeu:

    Que bom que curte Marília, Bjs!

  13. Felipe Figueiredo segunda-feira, 18 de outubro de 2010 em 10:13 -  Responder

    oraaa pouha… eu ri muito lendo esse teu post kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…. essa vida de cadeirudo bebum é barra… ñ é pra qlqr um ñ rsrsrsrs… ainda ñ fiz uma dessa de sair pra beber com os amigos e voltar só.. mais o dia q isso acontecer tenho certeza que vou dormir por ai sentado na cadeira kkkkkkkkkk… ai ai… vlw pelo post cris tu fez eu começar o meu dia rindo muito e alto rsrsrs =x bjus linda e parabens pelo post.

  14. Lena sexta-feira, 4 de janeiro de 2013 em 16:26 -  Responder

    Oi Cris,

    Minha mãe é paraplégica e como você gosta de uma festa. O problema é que ela utiliza fralda geriatra que não aguenta muito tempo quando ela começa beber, então ela evita de sair muito. Como você faz?

  15. william quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013 em 16:44 -  Responder

    kkkkkk…….muito legal!!!Ja cai algumas vezes….Agora,Cris,me atentei para a parte em que vc usa o coletor par esses momentos…como seria isso??Digo isso pq quando exagero só consigo esvaziar com o CAT.Pode me dizer como ter de só esvaziar o coletor nesses momentos?Obg.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook