Acessibilidade, Geral

Passeata SuperAção

3

Dia 04 de Dezembro acontecerá em São Paulo, a sétima edição da passeata do Movimento Superação, em comemoração ao dia internacional da pessoa com deficiência.

Já é o segundo ano que a passeata ocorre nesse trajeto, que inicialmente em edições anteriores era feita na Avenida Paulista.

O Movimento SuperAção surgiu da união de jovens com e sem deficiência que sentiram a necessidade de alertar a sociedade sobre a importância da inclusão das pessoas com deficiência em seu mecanismo social.

Apesar do Brasil ter um amplo leque de leis que asseguram os direitos dessa parcela da população, essas leis não são cumpridas, segregando as pessoas com deficiência do contexto social do País.

Historicamente, o evento surgiu com a proposta de reivindicar a pauta das pessoas com deficiência e de seus direitos. Entretanto o intuito maior é alertar a todos sobre a importância do reconhecimento e da inclusão desta população de pessoas com deficiência, respeitando e construindo uma cultura de respeito às diferenças.

Esse movimento representa mais de 14,5% dos brasileiros, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2000, IBGE), que por não terem as mesmas condições das pessoas sem deficiência, como poder sair às ruas e circular com liberdade e autonomia para todo e qualquer lugar, são muitas vezes uma “população invisível”, marginalizada pela falta de acessibilidade. Conscientizar e sensibilizar a população acerca da necessidade da participação de todos no processo de inclusão, da promoção de acessibilidade e da garantia dos direitos das pessoas com deficiência e mobilidade reduzida, ou seja, efetivamente incluir as diferenças em defesa dos direitos humanos.

*fonte: Divulgação Movimento Superação

Participe!

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

3 Comentários

  1. Márcia quarta-feira, 8 de dezembro de 2010 em 13:19 -  Responder

    Oi, Christian!

    acho que só eu sinto um desconforto imenso com essa história de passeata. Talvez esteja errada, mas nunca vi, falando de questões ligadas à inclusão de pessoas com deficiência, nenhuma “resposta” realmente válida, no sentido de ações por parte do Governo, que sejam resultado desse tipo de movimento.

    Isso, porque ao meu ver, diferentemente de movimentos como ‘os cara pintadas”, que deu o pontapé para o processo de impeachment do Collor na presidência, a questão é muito mais cultural. E um dos requisitos básicos, nesses casos, é a mudança de pensamento/comportamento de uma sociedade inteira.

    Se, nesse dia, além dessa coisa, de “vamos caminhar (literalmente) todos juntos” e ouvir música, houvesse grupos de discussão e outras ferramentas de maior reflexão e/ou resultado, acho que (eu) me sentiria um pouco mais diposta a acreditar na sua capacidade de impactar pessoas. Do jeito que me parece que as coisas são, pra mim, fica difícil bancar a otimista. Por hora, eu, que faço parte desses 14,5% da população, não me sinto representada, não!

    Espero que meu comentário não tenha soado muito rabugento… rsrsrsrs

    bj gde,
    Márcia

    dezembro 8th, 2010 - 18:40
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Márcia,

    Uma coisa que preso muito é a liberdade de opinião. E seu comentário não foi nada rabujento.
    Quando as coisas são feitas com critério e respeito, creio que devemos sempre levar em consideração!

    beijo!
    Christian

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook