Acessibilidade, Opinião e cotidiano, Viagens e Turismo

Porto Seguro – Minha Experiência

33

E aí? Como vai você? Tudo certo? Está de bom humor hoje? Eu não estou.

Pois é pessoal, mais um ano que começa e lá vamos nós aos posts! Afinal, alguém tem que escrever por aqui né?

Mas vou escrever meu primeiro post do ano falando da falta de acessibilidade. Geralmente preferimos promover locais acessíveis como uma forma de incentivo, mas como trata-se de uma cidade toda, o negócio é meter a boca no trombone.

Passei 15 dias em Porto Seguro, tenho parentes que moram na cidade e não foi minha primeira vez por lá.

A gente sempre acha que as coisas podem melhorar com o tempo, mas nessa cidade ocorre simplesmente o contrário. A pouca infraestrutura existente está sendo devorada por um turismo não sustentável e acima de tudo inacessível.

O único banheiro público adaptado que encontrei foi dentro do aeroporto. Como não fiquei hospedado em pousada ou hotel, não sei dizer se existem quartos acessíveis (eu creio que existam), mas nos estabelecimentos como bares, restaurantes e lanchonetes, esqueça. Se você depende de um banheiro adaptado, considere muito descartar essa cidade como destino. E não estou brincando.

Eu só conseguí ir em alguns lugares por estar acompanhado sempre, mas fico imaginando um casal, onde um dos dois seja cadeirante… Não dá. Por mais forte que seja a pessoa e que consiga tocar sua cadeira sozinho, terá muita dificuldade e passará muita raiva.

A maioria das calçadas é de pedra mosaico. São extremamente mal cuidadas e esburacadas, nos obrigando a descer o meio fio, passar a “cratera” pela rua e subir o meio fio novamente. Um descaso total da administração pública. E ô cidade para ter meio fio alto! Existem algumas esquinas com rampa (totalmente fora de padrão), mas mesmo assim na maior parte do tempo inúteis, pois os vendedores ambulantes colocam suas barracas em frente às mesmas. E você que se lasque. À noite, essas calçadas servem de estacionamento. Confesso que risquei alguns carros “sem querer”. Pô se você passou as férias lá e está com seu carro riscado, foi mal aê, beleza?

Calçadas de Porto Seguro, cheias de buracos e mal conservadas

Fiscalização de trânsito completamente omissa.

E encontrei diversos cadeirantes circulando pela cidade. Todos sendo empurrados com a cadeira empinada, pois rodinha padrão não aguenta a bronca não. Você pula que nem pipoca.

O lado positivo dessa viagem foi que minha cadeira voltou intacta, o que não aconteceu com a outra que tive. Eu não tenho mais dúvidas que a submeti aos mais rigorosos testes de resistência com essa viagem. (Aguardem meu post sobre isso!)

Outra coisa que não existe por lá é a lei da preferência em filas. A fila da balsa de Porto Seguro para Arraial D’ajuda custa 7 reais por pessoa na ida e 11 reais por veículo na volta. Pessoas com deficiência não pagam, mas não têm preferência no embarque. Isso vale para outros estabelecimentos.

O procedimento de segurança é manter sua porta destravada durante a travessia, mas de que adianta se não há espaço para abrí-la? A Capitania dos Portos devia rever esse conceito, e em caso de carro com cadeirante, devia ser respeitado um espaço mínimo de segurança, para que seja possível fazer um desembarque de emergência. Aprendi no meu trabalho (e isso já foi compravado) que a grande maioria dos acidentes poderiam ser evitados.

– “Mas Christian, por que você quer essa preferência? Além de não pagar ainda quer cortar a fila? Você é um fanfarrão!”

Sim. Primeiro por que existe a lei, segundo pelo fato de eu não conseguir suportar um calor intenso dentro do carro com o ar condicionado desligado. Você que é lesado medular entende o que eu digo, sabe que as temperaturas extremas são muito mal interpretadas pelo nosso sistema nervoso, fazendo a temperatura do corpo subir muito, podendo causar desmaios e queda de pressão. A espera pode chegar a 1 hora fácil em temporadas de verão.

Eu não estava com o menor clima para criar confusão, discutir, enfim… esperei a fila.

As lojas do centro (Passarela do Álcool), também pecam por degraus na entrada, portas estreitas, má distribuição de prateleiras e arrumação de corredores. Deixei de entrar em algumas, ou seja, eu poderia ter comprado alguma coisa, mas isso não foi possível pela falta de acesso. Ultimamente prefiro gastar meu suado dinheiro em lugares que de alguma forma prestigiem a minha presença.

Uma das principais ruas de Porto Seguro

O mesmo vale para os retaurantes e bares dessa mesma localidade, que utilizam mesas péssimas, sem exceção. Chega a ser uma situação constrangedora. E olha que eu não sou de muita frescura pra certas coisas, mas infelizmente o meu lado “Gourmet” foi abalado por esse fato. Não sei apreciar um bom prato se não estiver o mínimo acomodado. Sujei todas as minhas calças de comida na perna, pois a distância entre a mesa e eu era enorme. Muitos estabelecimentos utilizam aquelas mesas plásticas patrocinadas por algum fabricante de bebida.

A orla de Porto Seguro conta com diversos Quiosques onde geralmente as pessoas frequentam a praia utilizando-se da estrutura desses lugares (guarda-sol, cadeiras, mesas, duchas etc). Bastante complicado dependendo do lugar que você for, pois devido a areia, você terá que ser carregado do carro até o lugar onde escolheu ficar.

Mas se mesmo assim, você optar por ir a Porto Seguro, vá na Cabana Malibu (não é de nenhum parente meu, pode ficar tranquilo),  que tem um tablado na entrada onde é possível fazer o desembarque seguro, e ir até a faixa de areia por um caminho cimentado. A barraca também dispõe de lugares com muita sombra, fazendo com que você tenha opção de escolha. Foi o lugar com melhor atendimento, garçons solícitos e caso você queira entrar no mar, com certeza não faltará ajuda.

Bom… Acho que já dá para vocês terem uma boa idéia de como as coisas (não) funcionam por lá. Logo, logo, tem mais.

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

33 Comentários

  1. fabiola sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 em 11:09 -  Responder

    Que triste ver esse relato , uma cidade turistica não podia ser assim… Fui a Fortaleza e me senti tão bem , o cidade boa e organizada , tem até onibus adaptadoo na orla tda… eu amei estar lá ,aas praias incríveis e pessoas mega solicitas… Apenas senti dificuldade na praia do Beach Park , pois a extensão de areia é muito grande e fica dificil demais chegar ao mar , isso acontece tbm na praia do futuro , mas existem outras praias que vc pode curtir muito bem com a de Canoa Quebrada!

    Um beijo
    Fabiola

    janeiro 15th, 2011 - 19:01
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Fabiola,
    Realmente é um descaso…
    Existe ônibus adaptado em Porto Seguro (não de pra testar) e o Parque aquático de Arraial D’ajuda tem alguma infraestrutura para pessoas com deficiência.

    Beijo,
    Christian

  2. Cláudia Taissa sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 em 11:22 -  Responder

    Bem moro em Eunápolis próximo a Porto Seguro e realmente o acesso é ruim e olha ando de muleta e vejo q é ruim ainda mais cadeirante deve ser pior mesmo.
    abraços

    janeiro 15th, 2011 - 18:57
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Cláudia,

    Conheço Eunápolis.
    Ninguém melhor que você que mora nos arredores pra dizer que é verdade.

    Beijo,
    Christian

  3. Cristiane Ribeiro sexta-feira, 14 de janeiro de 2011 em 19:00 -  Responder

    Christian…vc foi a pessoa usada por DEUS pra me confirmar isto: Eu estava planejando ir conhecer Porto Seguro, mas depois deste post, nem me viu ! ….Como vc disse, é preferível gastar meu dinheirinho em lugares que nos prestigiem ! bjs

    janeiro 15th, 2011 - 18:55
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Cristiane,

    Infelizmente é a verdade. Economize seu dinheiro e escolha uma outra cidade!
    A não ser que queira encarar a falta de acessibilidade.

    beijo!
    Christian

  4. Adriana domingo, 16 de janeiro de 2011 em 22:27 -  Responder

    Sou da Bahia e posso dizer que, infelizmente, essa falta de acessibilidade não é restrita apenas a Porto Seguro, mas acontece também em muitas outras cidades deste estado e quem mais sofre acaba sendo quem mora nelas e precisa de lugares acessíveis, mas tem que conviver com a exclusão de não poder ir e vir independentemente…

    janeiro 17th, 2011 - 19:55
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Adriana,

    Tenho certeza que em sua cidade e em centenas de outras pelo interior do Brasil, o conceito de acessibilidade nem chegou…

    Por isso é importante a mobilização da população local para que algo seja feito nesse sentido, as leis existem, só precisam ser cumpridas. A única maneira é a aplicação de multas pesadas, mas até fiscal falta pra isso.

    Beijo,
    Christian

  5. Thiago segunda-feira, 17 de janeiro de 2011 em 12:18 -  Responder

    É meus caros ! …terrível a situação, sou assessor parlamentar de um vereador no Pr. Sou cadeirante e já bolei inumeros projetos de lei sobre o tema, lindos no papel, mas fiquei frustrado e ainda fico quando em resposta a eles leio ” em analise de recursos financeiros, ou de constitucionalidade, ou diabo a quatro que inventam, o fato é que pouco se investe. Quiçá nossos deputados deficiêntes em Brasília possam lutar com armas mais eficiêntes que o rugido dos cadeirantes, aliás nem acesso a tribuna têm na casa.
    Chegaremos lá..

    janeiro 17th, 2011 - 19:47
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Thiago,

    Entendo a sua frustração…
    Mas na boa, as leis existentes aqui no Brasil podem ser consideradas boas, o duro é que não há fiscalização nem multa pra quem não as cumpre (a muylta existe, mas não tem fiscal pra multar, ou tem muita gente molhando a mão com isso). Acho que isso me revolta mais. Ver novos estabelecimentos comerciais serem construídos sem recursos de acessibilide e nada acontecer com o dono é lamentável.

    Abraço,
    Christian

  6. Monise Honda segunda-feira, 17 de janeiro de 2011 em 14:05 -  Responder

    Olá, Christian!
    Eu acabei de ler aqui, sobre o Porto Seguro. Gostei muito da sua matéria. É muito bom a gente ficar sabendo o acesso, né? Que pena, que as calçadas são ruins, né? Vamos ver se daqui para a frente, vai melhorar essa cidade linda. Uma boa semana pra você! Beijos! Monise

    janeiro 17th, 2011 - 19:50
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Monise,

    As calçadas de Porto Seguro não são ruins…. elas são péssimas!

    Não queremos reinventar a roda nem nada, mas se a prefeitura mantivesse as calçadas sem buracos e com a manutenção em dia, já seria um começo.

    Beijo,
    Christian

  7. Ilma quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 em 09:40 -  Responder

    Olá, Cristian!
    Bacana suas colocações e mtoooo necessárias…somos consumidores como os outros e queremos passear, viajar e usufruirmos da possibilidade de ir e vir com qualidade e um mínimo de esforço físico. Realmente estou contigo, quero gastar meu suado dindin em espaços e lugares que nos valorizem. Adoro ver os post de vcs aqui falando sobre lugares acessíveis…Meu projeto de férias é ir para o Chile, se puderem colocar algumas dicas aqui ficarei agradecida. bjs
    Ilma

    janeiro 19th, 2011 - 22:23
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Ilma,
    pois é tenho tentado prestigiar os comerciantes que de alguma forma fizeram adaptações em seus estabelecimento, É claro que nem sempre conseguimos achar tudo adaptado, mas atualmente com toda a informação existente a quantidade de leis e outras coisas é um pouco inaceitável. Se não começarmos a bater de frente com essas situações, elas nunca mudarão.

    beijo,
    Christian

  8. Elisama quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 em 22:02 -  Responder

    Oi, Christian!!
    Parabéns pela sua matéria..
    Realmente é muito difícil a acessibilidade no Brasil em geral, moro em Manaus-AM e é muito complicado..
    Semana que vem devo viajar de ferias pelo Nordeste, é a minha primeira viagem de férias (tenho ido a SP) como cadeirante, estou imaginando que devo passar por varias dificuldades, principalmente para ir à praia..

    janeiro 19th, 2011 - 22:26
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Elisama,

    Agradeço o elogío!

    Não sei pra qual cidade você vai, mas o litoral de São Paulo conta com algumas prais que tem um acesso mais facilitado, isso não significa adaptado, mas não chega a ser problemático de frequentar.

    beijo,
    Christian

  9. Elisama quarta-feira, 19 de janeiro de 2011 em 22:52 -  Responder

    Na verdade dessa vez nao vou a SP, mas ao Nordeste: Salvador, Aracaju, Muro Alto-PE e Joao Pessoa..
    Por lá nao sei como estao as coisas, pois das outras vezes que fui era “andante” e nao me ligava a acessibilidade..hauhauhaua

  10. Valéria quinta-feira, 27 de janeiro de 2011 em 14:31 -  Responder

    Oi Christian, meu marido é cadeirante e fomos a Porto Seguro há uns 2 anos e passamos pelas mesmas situações, ficamos em um hotel que tinha acesso pra ele e também uma suíte com banheiro adequado. Nosso passeio ficou um pouco limitado, pois só estávamos nós dois e tem lugares que eu não conseguia ajudá-lo. Pior é em Guarapari, litoral aqui do Espirito Santo que ainda não conseguimos encontrar um hotel ou pousada que tenha no mínimo um banheiro que dê acesso a ele, frustante. Um balneário excelente, com praias belíssimas, até que tem rampas de acesso nas calçadas, se não fosse pelos motoristas que estacionam justamente em cima delas. Enfim, haja paciência.
    Abraços

    janeiro 28th, 2011 - 20:58
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Valéria,
    Como você mesmo disse, Porto Seguro limita grande parte de suas atrações por falta de acesso.
    E olha que não cobrei nada de primeiro mundo…

    beijo,
    Christian

  11. Roselaine Krolow quarta-feira, 16 de março de 2011 em 19:18 -  Responder

    Oi guria…
    Como pode se pensar em turismo só para andante????
    Sou proprietária de uma pequena Pousada em Pelotas/Laranjal/RS. Temos unidades para cadeirantes e já tivemos hóspedes que ficaram bem satisfeitos em relação as nossas acomodações. Estamos sempre nos adequando e reivindicando mais atenção das autoridades. A praia é menos de 100 metros da pousada, mas mesmo assim não conseguimos sequer um pavimento para que o cadeirante tenha acesso ao calçadão. Mas, vamos continuar na luta, e é só denunciando as irregularidades é que vamos chegar lá.
    Conheço Porto Seguro e lastimo que eles ainda estejam tão atrazados.
    Abraços
    Roselaine Krolow

    março 18th, 2011 - 20:20
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Roselaine,

    Realmente é lamentável que a cidade seja praticamente inacessível… Tenho relatos de boas pousadas e hotéis com quartos adaptados, mas isso por sí só não resolve a questão, haja visto que as pessoas que buscam esse tipo de destino querem ficar o menor tempo possível dentro do quarto de hotel…

    Infelizmente enquanto isso não se resolve, o negócio é buscar outros destinos.

    Abraço,
    Christian

  12. Eva segunda-feira, 29 de agosto de 2011 em 07:27 -  Responder

    Em primeiro lugar Cristian, Porto Seguro é uma cidade turistica, antiga e por isso as portas das lojas na passarela do álcool são estreitas.
    Quando a cidade foi construida ñ existia nem cadeiras de rodas… tudo bem que ela poderia se adaptar as mudanças, porém quando se fala em cidade histórica, não se pode mexer em nada vc já ouviu falar nisso?
    Poís é, acho que vc deveria perder seu tempo com outra coisa ao invés de ficar defamando a cidade.

    agosto 29th, 2011 - 13:32
    Eduardo Camara respondeu:

    Eva,

    Que o IPHAN é uma porcaria quando se trata de reforma de fachada, todo mundo sabe. Mas isso não pode ser usado como desculpa para tantos problemas de acesso. Recomendo uma visita à Paris, Brugges e outras cidades européias que nasceram alguns séculos antes do Brasil ser descoberto e que são bem mais acessíveis do que Porto Seguro. Recomendo também ler mais o nosso blog e experimentar uma cadeira de rodas para sentir o problema da falta de acesso na pele antes de vir escrever besteira por aqui.

  13. Eva terça-feira, 30 de agosto de 2011 em 07:01 -  Responder

    Me desculpe Eduardo, mas ñ quis desmerecer os cadeirantes
    sei a dificuldade que cada um enfrenta, só ñ gostei da forma que seu outro amigo falou da cidade.
    Mas qro que fique claro que ñ tenho que não tenho nada contra cadeirante, Pelo contrario acho vcs guerreiros e admiro mto a abilidade que vcs conseguem se locomover.
    Entenda essa mensagem como um pedido de desculpa!

  14. Wanderson Fantin de Assis domingo, 3 de junho de 2012 em 13:41 -  Responder

    Pessoal, sem entrar no mérito sobre a infra-estrutura que a cidade de Porto Seguro pode oferecer aos turistas cadeirantes, gostaria apenas de deixar uma recomendação de Hotel/Pousada em Porto Seguro para que os cadeirantes que forem visitar essa animada e agitada cidade baiana sintam-se ao menos bem instalados… trata-se do Hotel Chalés do Mundaí, que é totalmente acessível para cadeirantes e com diárias em valores razoáveis, além de ótima localização. Passamos uns dias de férias lá com uma tia, que é cadeirante, e fomos muito bem recepcionados pelo proprietário deste Hotel, o Sr. Gilberto, que também é cadeirante. Há quartos amplos e com banheiros perfeitamente adaptados para cadeirantes. Fica a dica!

    junho 7th, 2012 - 11:28
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Wanderson,

    Legal você dar a dica do hotel, em um outro comentário outra pessoa também ficou em uma pousada com quarto adaptado e não teve nenhuma dor de cabeça, mas continuo achando que Porto Seguro poderia ser um destino muito mais acessível, a cidade em sí é muito cruel pros cadeirantes. Não estou falando das pessoas, mas sim a arquitetura. Dá pra melhorar muito sem maiores impactos, sem descaraterizar fachadas tombadas entre outras coisas.

    Abraços!
    Christian

  15. Edgard Rocha Mourão quinta-feira, 11 de julho de 2013 em 10:10 -  Responder

    Olá Christian!

    Sou também cadeirante (amputado de ambas as pernas) e usuário de cadeira-de-rodas manual e motorizada. Resido em Belo Horizonte, tenho uma irmã que mora em Porto Seguro há mais de 15 anos e estou sempre por lá. Estou indo hoje pra lá e devo ficar uma semana, numa pousada localizada no Village I. Realmente a acessibilidade para nós cadeirantes é terrível por lá, mas já rodei muitos aqueles lados, tanto em cadeira motorizada como em cadeira manual. Como você disse, temos que contar com a colaboração de nossos amigos para ter melhor acesso às barracas, bares, boite. Falar em boite, a primeira vez que fui na Bombordo não havia rampa, mas o Carlinhos, dono da Bombordo, me prometeu fazer uma rampa, o que de fato foi realizado. Estive outras vezes por lá e nossa rampa estava bonitinha na entrada. Temos que cobrar melhorias e com paciência elas virão.

    Abraços,
    Edgard

  16. Ezequiel Neto domingo, 30 de novembro de 2014 em 20:50 -  Responder

    Fui a Porto Seguro com minha família apenas uma vez e jamais voltarei àquele lugar. Bagunça, sujeira, barulho infernal à noite, Prefeitura que nada faz em termos de organização urbana, além da falta de educação dos nativos e turistas que vão para sujar, bagunçar. De Porto Seguro guardo na lembrança apenas a Natureza, o mar, e os índios muito mais bem educados que os nativos.

  17. Gerson sábado, 28 de março de 2015 em 13:51 -  Responder

    As várias opções de lazer de Porto Seguro agradam a todos os públicos e vai desde a animação nas barracas de praia durante o dia e as badaladas festas noturnas até a  passeios relaxantes por praias paradisíacas longe do axé e da lambaeróbica.
    Nas próximas viagens e férias reserve seu hotel, compre sua Passagem Aérea e visite Porto Seguro: a vista aérea do Monte Pascoal é fascinante.

  18. marilu domingo, 25 de outubro de 2015 em 15:11 -  Responder

    Então…eu gostaria que alguem que conheça o Brasil, pelo menos as maiores cidades ( por acaso conheço muitas) me digam qual delas tem toda essa infraestrutura que ele esta colocando para porto seguro…….. calçadas onde cadeirantes possam andar??????????????? tão poucos lugares que podemos contar nos dedos de uma mão somente. Nosso Brasil está as moscas……sem entrar no merito do ” de quem é a culpa” ok?. Porto Seguro é uma cidade que tem lugares lindos, custo de vida mais barato, grandes possibilidades de trabalho autonomo……eu gostaria de saber de onde vem as pessoas que pensam dessa forma ……..que tal ter boas ideias e passar para as pessoas de porto seguro que fazem a diferença????? que tal fazer alguma coisa????????????? sentar no formigueiro e ficar reclamando quando as formigas picam é muito facil mesmo…me desculpe a franqueza ok ?.

  19. angelica quarta-feira, 2 de dezembro de 2015 em 14:51 -  Responder

    Estou indo morar em porto seguro, mas ta difícil arrumar uma casa pra alugar . Se alguém souber agradeço!

  20. paulo quinta-feira, 4 de agosto de 2016 em 09:25 -  Responder

    valeria na praia domorro em Guarapari tem sim pousada adaptada eu fiquei e é otima

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook