Ir para conteúdo principal | Acessibilidade do blog

Conteúdo Principal

Cadeira ORacing Cube – Avaliação

Eduardo Camara - segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011 - 10:55

Para quem viu o vídeo de avaliação da Cube e quer saber mais detalhes sobre ela, inclusive sobre como a cadeira se comportou no dia a dia, aí vai a avaliação completa da cadeira. Com preços e outras informações técnicas, inclusive!

Apresentação e peso

A Cube é uma cadeira espanholaOracing Cube feita de alumínio aeronáutico de ótima qualidade (7020), com quadro tipo “box”, bastante leve e resistente – o fabricante oferece garantia vitalícia do quadro. Os componentes são de primeira qualidade e seu peso sem as rodas traseiras, segundo o fabricante, é de 4,5Kg.

Sou um cara muito cético e não costumo acreditar nas especificações dos fabricantes, mas logo no primeiro contato com a Cube percebi que ela realmente é bastante leve. Nitidamente mais leve até do que a minha cadeira atual, uma TiLite ZRA feita de titânio.

A primeira coisa que fiz quando cheguei com a Cube em casa foi pesá-la: 5,2Kg, sem as rodas traseiras. Não chega aos 4,5 kg especificados pelo fabricante, mas fica perto. Para efeitos de comparação, minha TiLite ZRA e minha M3 com configurações semelhantes e sem as rodas traseiras pesam, respectivamente, 7,1Kg e 8,2Kg, uma boa diferença! Somando os 3,5Kg do par de rodas traseiras (Spinergy Spox Sport 24” com pneus Schwalbe Right Run), a Cube pesa, completa, 8,7kg. Nada mal.

Regulagens

Fique atento: uma das razões para esse peso baixo da Cube é a falta de regulagens. A cadeira é feita de maneira totalmente customizada para o usuário e, se por um lado isso é bom pois a cadeira fica leve e tem menos articulações para dar folga, a falta de ajustes também tem seu preço: você tem que saber EXATAMENTE suas medidas ou corre o risco da cadeira ficar uma droga. Particularmente, penso que a cadeira deveria ter também, pelo menos, regulagem do centro de gravidade.

Ao passar para Cube, percebi que o pedal estava muito baixo. Tentei levantá-lo, mas já estava no limite. A solução foi deixar minha almofada Roho High Profile de lado e usar uma Stimulite Sport de 5cm de altura que tenho como reserva. Aí ficou tudo perfeito! Dica para quem vai encomendar essa cadeira: peça o pedal um pouco mais pra cima do que o normal, pois se você precisar descê-lo vai conseguir, mas se tentar subi-lo, não.

Componentes, acessórios e acabamento

Já montado na Cube, pude sentir o quanto o encosto era confortável. Uma delícia que minhas costas imediatamente agradeceram! Aliás, o assento, assim como o encosto, também é bem construído e permite ajuste de tensão através de faixas de velcros. Não chega a ser tão bom quando um assento rígido, mas é uma ótima alternativa.

O encosto confortável é um dos pontos altos da cadeira

Os freios que vêm com a Cube são do tipo tesoura e de excelente qualidade. Ergonômicos, são super eficientes e deixam a cadeira bem travada, sem mover um pentelhésimo sequer. Eles também possuem uma mola de retorno que faz com que o freio volte para baixo do quadro quando destravado.

Os protetores de roupa, feitos de fibra de carbono, são muito bonitos e bastante eficientes. O único porém é que possuem paralamas rentes às rodas e por isso não é possível trocar as rodas por um tamanho maior pois iriam raspar no paralamas.

Detalhe do paralamas em fibra de carbono

O garfo dianteiro tem inclinação de 90 graus, e deixa a cadeira bem curta e manobrável.  Inclinei-me para frente e para os lados para testar a estabilidade da cadeira e me surpreendi. Apesar de curta, a cadeira é bastante estável. Acredito que a posição das rodinhas dianteiras, bem “para fora”, também ajuda. O único porém é que essas rodas para fora adoram acertar portas e quinas de móveis. Foi o que percebi meio minuto depois ao passar da sala para o quarto.

As rodinhas da Cube são do tipo soft roll. Fabricadas pela Frog Legs, são de boa qualidade, ao contrário das que vemos nas cadeiras nacionais. Uso essas rodinhas na minha cadeira há quase 2 anos e continuam inteiras, enquanto as usadas na M3 costumam rachar após 6 meses.

Os garfos que prendem as rodinhas dianteiras são de apenas um lado e valorizam o visual da cadeira. Além disso, são mais leves, juntam menos sujeira e evitam algumas pancadas em portais e móveis.

Uma das coisas que não gostei na Cube foi o acabamento das soldas. São um pouco grosseiras, e como o quadro não era pintado, essas soldas apareciam ainda mais. Recomendo fortemente uma pintura para amenizar o visual dessas soldas. Aliás, a Oracing permite que o cliente escolha QUALQUER cor, o que é um diferencial.

Detalhe do freio tipo tesoura (Scissor)

Montando e desmontando

Deixando a balança e a teoria de lado, chegou a hora de testar a Cube! A cadeira que recebemos tinha praticamente as mesmas medidas da minha cadeira do dia a dia. O assento era apenas 2cm mais largo e a frente e a traseira 5cm mais altas. Fora isso, o resto era igual.

Fui trabalhar montado na Cube e tive a primeira decepção quando fui colocá-la no carro. Quase desisti do teste! Como é chato desmontá-la e colocá-la no banco traseiro… O encosto do modelo testado não dobra (mas é possível encomendar o dobrável) e o desenho do quadro dificulta a pegada para levantá-la. Para passar o quadro pela porta, outro problema: os tubos, protetores de roupa e encosto fixo deixa o conjunto grande demais. Senti saudades da minha ZRA, com quadro tipo “cantilever”, protetores e encosto dobráveis. Suei mais um pouco e consegui colocar a cadeira no banco de trás. Claro que eu não estava acostumado com a Cube e por isso fui mais lento na montagem/desmontagem, mas vamos combinar uma coisa? Cadeira de rua com encosto fixo, só se ele tiver menos de 20cm.  Caso contrário, vai ser tão ou até mais difícil guardar a Cube do que uma cadeira de 12Kg.

Testando a Cube na rua

Passando por um piso de pedras portuguesas, percebi que a cadeira é bastante suave e absorve bem os impactos e irregularidades do chão. Mérito do quadro e também das rodinhas soft roll. O quadro não chega a ser tão confortável quanto o da TiLite ZRA, mas é bem melhor do que o da a M3. A Cube também vem, de fábrica, com assento do tipo ergoseat, onde a seção final é plana e o restante inclinado. Serve para aliviar a pressão nos glúteos e teoricamente deixa a pessoa mais confortável na cadeira. Sinceramente, não notei diferença. Já o encosto, realmente é fantástico e dá um banho na concorrência, assim como um bom descanso às costas. Na hora de travar a cadeira, os freios são acionados sem esforço e cumprem muito bem o seu papel.

O encosto e o assento possuem regulagem de tensão através de velcros

A estabilidade também é um ponto forte da Cube. Subi e desci calçadas, passei por buracos, inclinei bastante o corpo pra frente pra trás e pro lado, tudo com bastante segurança.

Rodei um bocado com a cadeira pela rua e não tenho praticamente nada do que reclamar. O único porém foi um nhec-nhec que ouvia em alguns momentos, não sei se por falta de lubrificação ou o quê. O barulho parecia vir do garfo que prende as rodinhas dianteiras, mas não consegui ter certeza. Tirando isso, todo o resto foi muito bom.

Defeito de fabricação

Desde que tinha visto a cadeira pela primeira vez, percebi que uma das rodas estava mais para fora 0,5cm do que a outra e não conseguia entender o porquê. Foi o Nickolas que percebeu que uma solda do quadro estava errada. Um dos tubos foi soldado mais pra fora do que deveria. Apesar de não puxar pro lado, a cadeira ficou 0,5cm mais larga e esteticamente prejudicada. O controle de qualidade do fabricante pisou feio na bola, o que não se espera de um produto de primeira linha.

Na foto, percebemos que o tubo do lado direito foi soldado meio centímetro mais para fora do que deveria.

Conclusões

A ORacing Cube foi de longe a cadeira mais leve que já testei e tem uma ótima tocada. Utiliza componentes de altíssima qualidade e seus freios e encosto foram os melhores que já vi. O quadro também é robusto, confortável, bastante estável e faz com que o desempenho da cadeira no dia a dia seja muito bom.

Mas apesar de todas as qualidades, o  quadro tipo “box” ocupa muito espaço e dificulta o transporte, principalmente se tiver o encosto e o protetor de roupa fixos. Fique atento para isso e também para as suas medidas, pois como não é uma cadeira ajustável, qualquer erro na prescrição ou fabricação pode inviabilizar seu uso. Por último, o acabamento das soldas poderia ser mais caprichado e o controle de qualidade deixou passar um quadro defeituoso. Segundo o representante, esse foi um caso isolado e a fábrica já foi notificada.

Veredito

A Cube é uma boa cadeira para cadeirantes muito ativos e experientes que sabem exatamente o que precisam e querem uma cadeira confortável, muito leve e ágil, mas não se preocupam com o trabalho que dá para montá-la e desmontá-la toda vez que saírem de carro. Vendida a partir de R$ 7, 5 mil reais com o encosto dobrável (sem ele custa R$ 500 a menos), é uma boa opção para quem quer uma cadeira de qualidade melhor do que as nacionais.

Pontos positivos: peso, estabilidade, qualidade dos componentes, robustez e garantia total do quadro.
Pontos negativos: portabilidade/transporte, ausência de regulagens, acabamento das soldas e controle de qualidade do fabricante.

Concorrente:

TiLite TR – É uma cadeira um pouco mais pesada (em torno de 0,5Kg) que a Cube, porém possui  ajustes de centro de gravidade e ângulo do encosto, que fazem falta na cadeira da ORacing. Na minha opinião, é uma opção melhor. O único problema é que, no Brasil, custa em torno de 60% a mais do que a Cube. Uma outra boa opção é a TiLite ZR, semelhante à TR, só que com quadro do tipo cantilever, que facilita o transporte. A ZR é em torno de 1Kg mais pesada do que a Cube.

Especificações do modelo avaliado:

- Quadro do tipo ergoseat em alumínio 7020, tamanho 40×40
- Assento em nylon com ajuste de tensão por velcros
- Encosto com 38cm de altura com espuma e ajuste de tensão por velcros
- Rodas traseiras Spinergy Spox Sport 24”
- Pneus Schwalbe Right Run 24×1”
- Rodas dianteiras Frog Legs Soft Roll 4×1,5”
- Freios do tipo tesoura
- Protetores laterais de fibra de carbono
- Peso sem as rodas traseiras: 5,2Kg
- Peso com as rodas traseiras: 8,7Kg
- Preço do modelo avaliado: R$ 8.700 (R$ 7.000 do modelo básico + R$ 500 do acabamento polido + R$ 1.200 das rodas Spinergy)
- Prazo de entrega segundo o representante: 60 dias

Site do fabricante: www.ortoracing.com

Site do representante no Brasil: www.ortosport.com.br

Share

26 Comentários »

  1. 07/02/2011 - 11:30
    Pingback feito por Tweets that mention Cadeira ORacing Cube – Avaliação « Blog Mão na Roda -- Topsy.com

    [...] This post was mentioned on Twitter by maonaroda, maonaroda. maonaroda said: Novo post: "Cadeira ORacing Cube – Avaliação" http://bit.ly/g03EcN [...]

  2. 07/02/2011 - 14:07
    Comentário feito por Ricardo Amorim

    Solda

    O que importa é se as peças unidas estão bem “coladas”. Elas estão com um bom acabamento, formato “escama de peixe”. A diferença no visual em comparação as outras marcas pode estar relacionada ao tipo de processo, se é mais artesanal ou não do que as demais.

    Defeito de fabricação

    Os produtos de demonstração (Demo) geralmente são aqueles que apresentam defeito após a sua produção, detalhes que não comprometem a sua utilização. É melhor deixar o produto como “amostra” que inutilizá-lo.

    13/02/2011 - 11:57
    Eduardo Camara respondeu:

    Oi Ricardo,

    Não questionei a qualidade não, parecem bem feitas quanto à isso. Só a aparência que é ruim… Talvez por ser um processo artesanal, como vc disse!

    No caso do defeito de fabricação, acho uma tremenda falha. Produto com defeito na minha opinião deve ser vendido com desconto, fora que o defeito deve ser relatado ao comprador. Penso que, para fazer propaganda positiva, o melhor mesmo é mandar uma cadeira “tinindo”. É o que as montadoras fazem quando mandam carros para as revistas e jornais avaliarem.

    Abraços!

  3. 07/02/2011 - 19:49
    Comentário feito por Hermes de Oliveira da Silva

    Esta cadeira vai estar a venda na Reatech?

    13/02/2011 - 11:58
    Eduardo Camara respondeu:

    Creio que não, Hermes… Mas tenta entrar em contato com o representante para ter certeza!

    Abraços!

  4. 07/02/2011 - 20:52
    Comentário feito por Breno Nogueira

    Eu até achei muito interessante ter mais essa opção de cadeira para os usuário aqui no Brasil, mas quanto ao preço e as características de pouca regulagem considero um ponto negativo que pra mim pesa muito na hora de escolher uma cadeira nova.
    A adorei o sistema de freio, e estou muito interessado em comprar um desses para minha cadeira, mas o site da Ortosport ainda esta incompleto… acho que contato só por telefone mesmo. Outra coisa muito importante para quem está afim de comprar uma cadeira nova é saber qual o prazo de entrega dessa cadeira? Pq caso ela seja importada por encomenda, esse prazo pode ser muito dilatado, as vezes mais de 90 dias e isso e um inconveniente muito ruim as vezes.

    13/02/2011 - 11:59
    Eduardo Camara respondeu:

    Oi Breno,

    Tenta contato por e-mail ou via comunidade do Orkut. O Andrés lê os posts por lá e pode respondê-lo. Ainda bem que vc lembrou sobre o prazo, pois tinha me esquecido totalmente de colocar no post. O prazo prometido pelo representante é de 60 dias. Vou atualizar o post! Abraços!

  5. 08/02/2011 - 01:32
    Comentário feito por Maria José

    Caramba!
    “Vendida a partir de R$ 7, 5 mil reais com o encosto dobrável (sem ele custa R$ 500 a menos), é uma boa opção para quem quer uma cadeira de qualidade melhor do que as nacionais”…

    Ser cadeirante é difícil, se for pobre, fica ainda pior.
    Uma pessoa portadora de deficiência física, ter recursos
    par pagar isso, hoje em dia, é difícil.

    Ainda bem que tem quem possa comprar e compartilhar as
    opções…
    Para quem pode, comprar,
    Para quem não, sonhar.
    Mas eles, os que não podem,
    superam as limitações técnicas,
    a vivem, aos troncos e barrancos,
    nas cadeiras que lhes competem – que podem pagar.
    São verdadeiros heróis.
    Infelizmente, o paradigma do que “é bom custa caro”,
    faz parte do capitalismo.
    Embora eu não concorde.
    Se é bom, é útil, é essencial para melhorar a qualidade de vida
    deveria ser acessível para todos, sem tarifa para classe A, B, C
    já que a necessidade é universal.
    É tipo leite,
    Tipo C, Tipo B, Tipo A
    Agua: Mineral, ou torneiral
    Educação: Pública, privada
    Saúde: Pública, privada.

    Mas, isso é bobeira.
    O que vale é o que se fatura.
    Independente da importância da qualidade.

    13/02/2011 - 12:01
    Eduardo Camara respondeu:

    Oi Maria,

    Os preços são altos mesmo, concordo plenamente com você! Mas no caso desse representante, a margem de lucro dele é pequena em relação aos outros. Essa cadeira custa 2.500 euros na europa. Faz as contas…

    Para os preços baixarem, falta o governo acabar com o último imposto (imposto de importação) e também agilizar a burocracia para as importações. Acho que só assim os fabricantes nacionais vão se coçar para oferecer produtos melhores e mais baratos…

    Abraços!

  6. 09/02/2011 - 04:15
    Comentário feito por Luisa

    Bom vai ser o dia em que “acessibilidade” englobar a construção de rampas, elevadores, calçadas, mesas… e cadeiras mais baratas.

    13/02/2011 - 12:01
    Eduardo Camara respondeu:

    Bom nada… Ótimo! :)

  7. 10/02/2011 - 17:36
    Comentário feito por Mônica Brandão

    E quanto à manutenção de uma Tilite RX? Tem muita manutenção ou pouca? A Tilite é um tanto o quanto difícil de negociar com ela, pois (no meu caso) o revendedor no Brasil quer praticamente tudo à vista. A pergunta que não quer calar é: – Alguém do blog já comprou uma cadeira de rodas da “Mobility Brasil”? E se comprou, posso confiar no vendedor? Desde já agradeço a atenção dispensada, esperando uma resposta positiva. Muito obrigada, Mônica.

    13/02/2011 - 12:02
    Eduardo Camara respondeu:

    TiLite normalmente dá muito pouca manutenção. Não compramos cadeira da Mobility e, como Mobility = Tokleve, temos um certo receio da empresa.

    Abraços!

  8. 13/02/2011 - 14:27
    Comentário feito por Mônica Figueiredo Brandão

    Eduardo,

    O meu receio era justamente esse da MOBILITY BRASIL ser a antiga TOKLEVE, como já fiz o depósito inicial de R$1.100,00 na conta da empresa, resta só rezar para a cadeira chegar como eu escolhi. Muito obrigada pela informação,

    Mônica.

  9. 13/02/2011 - 14:30
    Comentário feito por Mônica Figueiredo Brandão

    Eduardo,

    Mas o único representante no Brasil da Tilite é a Mobility ou não? Abraços,

    Mônica. :)

    Post Scriptum: Inclusive, o modelo da minha é o Tx e não Rx como havia dito, antes…

    21/02/2011 - 14:44
    Eduardo Camara respondeu:

    É o único representante sim…

  10. 21/02/2011 - 13:25
    Comentário feito por Fábio

    Olá, parabéns pelo Post, imparcial como sempre. Aproveito para perguntar sobre cadeira para tênis. Já joguei no passado (andante) e estou bastante motivado a praticá-lo novamente porém, preciso de umas dicas sobre qual cadeira seria o melhor custo benefício para o iniciante……….caso tu não saiba, se tiveres algum contato que seja acessível para “trocar uma idéia”…..

    21/02/2011 - 14:45
    Eduardo Camara respondeu:

    Valeu, Fábio!

    As cadeiras nacionais são meia bomba. Se puder, compra logo uma Quickie ou Top End, que são boas cadeiras. Eu estou sem contato com jogadores de tênis em cadeira de rodas, mas tenta acessar a comunidade “esporte adaptado” do Orkut que vc deve encontrar alguém por lá. Abraços!

  11. 21/02/2011 - 17:12
    Comentário feito por Mônica Brandão

    Eduardo,

    Muito obrigada pela resposta. Abraços,

    Mônica. :-)

  12. 22/02/2011 - 16:53
    Comentário feito por sergio castro

    Parabens. O Brasil a cada dia utiliza cadeiras de alto gabarito como na Europa e Estados Unidos.Olha aí, na observação dos leitores, discriminação à deficiência… de uma solda com 0,5 cm. Isso é que é se interessar pela qualidade do produto. Nao faz a manor diferença.

  13. 24/02/2011 - 22:20
    Comentário feito por Julio Pecly

    Sinceramente as vezes eu fico de queixo caido, gente uma cadeira de rodas não pode custar esse dinheiro todo, isso é um acinte a minha inteligencia e voces ainda ficamvendo se isso é bom ou aquilo ou aquela peça. Por esse preço nada Pode ser bom, inviabiliza tudo. Vao falar que são muitos impostos, isso aquilo, entao vamos sempre falar que o governo tem que zerar os impostos. Cocaina entra no brasil e nenhum imposto é cobrado. e da cadeira de roda esse preço vergonhoso. quando comentarem cadeiras de rodas comecem pelo preço, digam que nao pra todos, por favor.

    26/02/2011 - 11:11
    Eduardo Camara respondeu:

    Julio, internamente não tem impostos. A gente até fez post sobre isso e também acho os preços aqui absurdos. Só pra vc ter uma idéia, nos EUA as cadeiras custam 2 mil dólares (R$ 3,4 mil) e o povo já acha cara, só que é um produto de alta qualidade. Aqui a cadeira nacional vagabunda custa o mesmo que a boa por lá. Tb sou a favor de zerarem os impostos de importação, até pq cadeira de rodas não é supérfluo.

  14. 25/02/2011 - 19:42
    Comentário feito por Mônica

    Gente,

    Após o desprazer de ter negociado com o Bruno da Mobility, ele me ressarciu o dinheiro. Desde o ano passado, estou comprando essa cadeira de rodas na mão dele (que diga-se de passagem é o único representantre no Brasil). Configurei a minha cadeira todinha, já que iria comprar queria uma “bem alegre”. Então, escolhi a tapeçaria lilás, as rodas “spinergy”, infláveis de 24″, frog legs. Enfim, fiz o depósito de (pasmem) R$1100,00 para a cadeira chegar com tudo diferente. Pra quê aquela palhaçada toda de configurar a cadeira??? Fiquei ansiosa esses meses todos esperando a minha cadeira chegar (já que não tenho como viajar e não tenho ninguém para buscar pra mim, também; diga-se de passagem!). Vou escrever uma “letter of complaint” para a Tilite relatando tudo o que me aconteceu. Queria “vender gato por lebre”, mas ele espera para ver o dele vai vir e… em breve, garanto para vocês!!! Sente o drama: não foi somente a tapeçaria que veio errado não (queria me vender com a tapeçaria que veio, para DEPOIS me mandar a tapeçaria lilás – como havia encomendado), veio sem as PROMETIDAS “frog legs”, com aquele pneu maciço (sendo que foi acrescentado na minha compra R$2000,00, só por conta das rodas “spinergy” infláveis), e… quando chega essa decepção!!! Como é que eu faço para postar as fotos da minha ex-cadeira para que vocês vejam? Ternos abraços,

    Mônica.

    26/02/2011 - 11:08
    Eduardo Camara respondeu:

    Mônica vc pagou mil e cem reais ou onze mil reais antecipados? Manda as fotos por e-mail! abraços!

  15. 26/02/2011 - 22:38
    Comentário feito por Mônica

    Eduardo,

    Eu só paguei os R$1.100,00 de depósito, quando comecei a estranhar a transação… Não paguei nem mais um centavo, estava disposta a pagar os R$11000,00 na cadeira, SIMPLESMENTE porque eu não tenho essa facilidade que vocês tem de viajar ou mesmo conheço alguém que faça para mim de boa vontade. Só pra você ver, a minha tia, que é minha tia, vive viajando para os E.U.A pedi para que ela trouxesse pra mim uma “snow ball”, é claro que com pagamento adiantado e ela deu uma desculpa… Assim, fica difícil. Vou mandar toda a minha transação comercial com ele (Bruno), que começou no ano passado e foi me dar essa “dor de cabeça” nesse ano, pode ser? Abraços,

    Mônica :-)

  16. 11/04/2011 - 00:56
    Comentário feito por Alex pessoa

    mais é muinto carro!

RSS dos comentários desse post TrackBack URL

Deixar seu comentário




Lateral Direita

Buscar

Banner da loja virtual Cavenaghi