Equipamentos, Esportes e Lazer, Saúde

HandVikn: avaliação da handbike nacional

30

Atenção, pessoal! O site do fabricante mudou para http://www.handventus.com.br/

***

O leitor sempre quis ter uma handbike mas não podia comprar um modelo importado? O Mão na Roda apresenta aqui a solução. Conforme já tínhamos noticiado em posts anteriores, a Handvikn Technology firmou uma parceria com o blog para viabilizar o fornecimento de uma handbike e agora apresento a vocês minha avaliação e impressões sobre o produto.

Mais feliz que pinto no lixo… 🙂

A Handvikn 700-EHL foi um projeto desenvolvido totalmente no Brasil. A fabricação do seu quadro é artesanal e os equipamentos são os mesmos utlizados em bicicletas comuns. Isso contribui para baratear o custo da handbike e facilita muito a manutenção, pois as peças podem ser facilmente encontradas e qualquer bicicletaria pode fazer o serviço. Apesar disso, o funcionamento da handbike me surpreendeu. A combinação dos componentes utilizados mostrou-se bem acertada, habilitando a Handvikn como uma handbike adequada tanto para o cadeirante que busca só um passeio no final-de-semana quanto para aquele que vai participar de competições.

No detalhe: freios, ajuste de altura da caixa de pedais, borracha estabilizadora, caixa de direção desmontável

Andar com a Handvikn é muito prazeroso. A handbike transmite uma sensação de firmeza e segurança. No asfalto, a handbike ganha velocidade facilmente e mantém o embalo. Andando ao lado de uma montain bike comum, o desempenho da Handvikn é nitidamente superior. A posição do ciclista é muito confortável, pois o encosto é alto, bem revestido e ainda tem regulagem de inclinação. Os apoios dos pés também são reguláveis, permitindo que se escolha uma posição confortável com as pernas esticadas ou flexionadas. Outro ajuste é o da caixa de pedais, que pode subir ou descer para achar a melhor posição de acordo com a inclinação do encosto. O acabamento do quadro da Handvikn é bom, sem rebarbas nas soldas. O nylon do banco é de boa qualidade e os principais parafusos têm contra-porcas para manter o aperto.

O quadro é feito com tubos de aço, garantindo rigidez. Por outro lado, isso aumenta o peso do conjunto. Não consegui medir seu peso total, mas a opinião de quem a carregou é que fica entre 30 e 40 kg. Nem poderia ser muito diferente, afinal uma handbike é um “brinquedo” de tamanho razoável. No meu caso, como tenho pernas compridas, a handbike ficou com aproximadamente 2,40 m de comprimento.

Rodas traseiras com sistema quick-release

A largura é semelhante a uma cadeira-de-rodas comum, por volta de 60 cm. Por isso recomendo a todos os interessados que, antes de comprar a sua, pensem com carinho no lugar onde vão guardá-la. A bike pode ser desmontada e transportada num automóvel. Para isso, as rodas traseiras têm sistema quick-release de encaixe e a caixa de direção pode ser desmontada, separando a handbike em duas peças.

Aliás, a compra da Handvikn foi um processo muito tranquilo, diretamente no site do fabricante. O link para o site está aqui no blog, no banner logo à direita do texto. Apesar da handbike ser fabricada em São José dos Campos/SP, toda a negociação foi feita por email e alguns telefonemas. O pagamento também foi simples, por depósito bancário. Quando ficou pronta, foi despachada via transportadora e recebi direto na minha casa, prontinha para sair pedalando. Sim, a palavra que se usa é “pedalar” mesmo, já que até agora não arrumaram outra melhor… 🙂

Agora vamos ao que interessa. Para apresentar todos os recursos da Handvikn eu preparei o vídeo abaixo para os leitores. Só para avisar: o cenário não vem junto com a bike…

Mas aí o leitor pergunta: “ok, tudo é muito bonito quando é novo, mas será que vai dar problema com o tempo de uso?” Para ajudar a responder essa pergunta, passo aqui minhas opiniões após já ter rodado mais de 100 quilômetros com a handbike.

A Handvikn é uma handbike para ser usada no asfalto. Os pneus de alta pressão reduzem o esforço da tocada no pavimento liso, mas transmitem todos as imperfeições dos pisos irregulares. Tenho andado muito nas ciclovias cariocas que incluem trechos de pedras portuguesas e pavers, causando uma trepidação intensa em alguns trechos. Por causa disso, havia a preocupação da abertura de folgas nas juntas da bike, mas até agora ela se mantém rígida como nova. Os freios têm mantido seu bom funcionamento e ainda não precisaram de ajustes. Já o câmbio, que eu utilizo intensamente, deu um pouco de trabalho: com o uso, perdeu o ponto de ajuste e as marchas não paravam mais. Nada que um pouco de paciência não resolvesse: a Handvikn tem ajuste fino no próprio trocador de marchas, o que permite que o ciclista vá ajustando enquanto roda. Após algumas tentativas, tudo voltou ao normal.

Detalhe da oxidação de um parafuso

Mas nem tudo é perfeito, afinal todo produto é passível de melhorias. O banco é feito com um nylon bem resistente, preso por velcros, mas usa uma espuma muito fina. Seu uso por longos períodos é desconfortável. Para solucionar, cortei um pedaço de espuma de alta-densidade e coloquei entre as camadas do banco, o que melhorou muito o conforto. Já a pintura requer um pouco de cuidado: apesar de ser bem feita, com todos os detalhes recobertos, não é muito resistente à riscos. Talvez uma camada extra de verniz durante a fabricação melhorasse a resistência. Por último, reparei que alguns parafusos já mostram sinais de oxidação. Certamente isso foi agravado pelo fato de circular numa cidade litorânea, mas acredito que a utilização de parafusos em aço inox teria um custo irrisório frente ao preço total da handbike.

Minha conclusão final é que a handbike é um equipamento que todo cadeirante devia ter. Os benefícios à saúde são inquestionáveis, é o fim do sedentarismo. Além disso, a sensação de rodar livremente e sentir a brisa no rosto é ótima. Sem dúvida, é uma das poucas experiências que fazem um cadeirante esquecer qualquer limitação.

A HandVikn 700-EHL é uma grande contribuição para que esses benefícios fiquem acessíveis a muito mais pessoas.

—————————————————-

Atualização em 22/03/2011: segue abaixo email recebido da Handvikn.

Nickolas,

Como aperfeiçoamento, vamos melhorar a parte do assento e revisar o modelo de parafuso
para parafuso com tratamento térmico, aumentando a durabilidade quanto à
corrosão.
Muito obrigado pelas dicas.

Cordialmente,

Engº Luiz Roberto Junior
Deptº Projeto e Vendas
email: handvikn@handvikn.com.br
Site: www.handvikn.com.br
(12) 3933-7102

“PORQUE PEDALAR É PARA TODOS”

—————————————————-

Atualização em 21/08/2012:

A sociedade que fabricava as Handvikn foi desfeita desde dezembro/2011. Em 2012 foram entregues apenas as bikes que estavam em estoque ou que já estavam sendo negociadas. O sócio que detinha a propriedade das patentes aperfeiçoou o projeto e montou sua fábrica própria, a Handventus (www.handventus.com.br).

Sobre o autor / 

Nickolas Marcon

Artigos relacionados

30 Comentários

  1. carlos eduardo segunda-feira, 21 de março de 2011 em 14:10 -  Responder

    olá, pessoal do mão na roda.
    bem legal essa avaliação da handbike nacional. senti falta de uma referência de preço, só pra ter uma ideia pelo menos.
    abraço

    março 21st, 2011 - 21:07
    Nickolas Marcon respondeu:

    Carlos, para informações sobre preços basta acessar o site da Handvikn e mandar um email para eles. A resposta é sempre rápida. Diga que conheceu a handbike aqui no blog Mão-na-Roda para ganhar uma condição especial na compra da sua Handvikn. Um abraço.

  2. nelci terça-feira, 22 de março de 2011 em 00:17 -  Responder

    Feliz que nem pinto no lixo, né filho? Achei muito legal e quando for aí vou querer dar uma voltinha, já que com bicicleta de duas rodas não sou muito segura. Ah! em vez de pedalar porque não
    mãodalar? Bj

    março 22nd, 2011 - 00:32
    Nickolas Marcon respondeu:

    Mãe, vamos fazer uma corrida: eu vou com minha cadeira normal e vc vai pedalando do lado, te dou 20 metros de vantagem… eheheheh… venham logo para o RJ, estou esperando todo mundo aqui… um beijo!!!

  3. Isabella terça-feira, 22 de março de 2011 em 16:05 -  Responder

    Explicações mais detalhadas e entendíveis, impossível!!!
    Parabéns pelo assunto e pela dedicação de todos ao blog mão na roda!!! Tenho certeza que isso só enche de orgulhos seus familiares, amigos e cadeirantes que precisam de uma ajudinha para adaptar-se ao novo modo de viver a vida!
    (PS: também quero participar deste duelo aí!!! Minha versão para a competição será o roller hehehe)
    Bjo grande

    março 22nd, 2011 - 21:55
    Nickolas Marcon respondeu:

    Bom saber que a mensagem chega bem do outro lado, querida maninha… 🙂 temos mais um concorrente, faltam poucos dias para o grande desafio… ehehehe… beijos!!!

  4. Luis Fábio terça-feira, 22 de março de 2011 em 17:19 -  Responder

    Explicações mais detalhadas e entendíveis, impossível!!!

    Parabéns pelo assunto e pela dedicação de todos ao blog mão na roda!!! Tenho certeza que isso só enche de orgulhos seus familiares, amigos e cadeirantes que precisam de uma ajudinha para adaptar-se ao novo modo de viver a vida! (2)

    Abraço

    março 22nd, 2011 - 22:10
    Nickolas Marcon respondeu:

    obrigado pelo apoio, continue participando.

  5. Evandro quinta-feira, 24 de março de 2011 em 13:13 -  Responder

    Muito bacana a sua avaliação. Acho que foi a mais completa feita sobre as handbikes. Parabéns!!
    Só achei estranho esse peso…a minha handvikn pesa 20kg.

    Grande abraço e até uma prova…..

    março 24th, 2011 - 15:52
    Nickolas Marcon respondeu:

    Evandro, não cheguei a medir o peso, por isso deixei claro que foi “opinião de quem carregou” (foi comparada ao peso de um saco de cimento). Fiquei na dúvida pq também não acho que ela seja tão pesada, já que eu consigo levantar a frente sozinho, por isso acredito no seu número. Vai ver o cara tava fraquinho naquele dia… 🙂 Um abraço!!!

  6. Eduardo Camara quinta-feira, 24 de março de 2011 em 13:47 -  Responder

    Excelente, Nick! Tá super completo e muito bem explicado. Bora pedalar no sábado?

    março 24th, 2011 - 15:55
    Nickolas Marcon respondeu:

    Bora… lá pelas 12 h vou passar por copa e fazer uma “hidratação” no quiosque da Itaipava. 🙂

  7. Nayanne Melo sexta-feira, 25 de março de 2011 em 21:05 -  Responder

    Olá,Nick!!!Adorei o assunto,espero ter a oportunidade de dar uma voltinha também….Parabéns pela abordagem desse assunto.Sou sua FÃ.
    Um abraço

    março 26th, 2011 - 13:44
    Nickolas Marcon respondeu:

    Sempre tentamos levar a informação mais detalhada possível ao leitor, abordando o assunto de forma imparcial. Quanto à voltinha para vc experimentar a bike, sugiro que procure mais informações no site da fábrica: http://www.handvikn.com.br. Também deve haver unidades disponíveis na Reatech. Um abraço.

  8. Andreia Sz sábado, 26 de março de 2011 em 14:00 -  Responder

    “Andando ao lado de uma montain bike comum, o desempenho da Handvikn é nitidamente superior.” Sei bem… Sempre fico para trás. Rs…
    Paixão, acho que descreveu bem as qualidades e defeitos que encontrou na handbike. Seja sincero: a camerawoman teve a maior paciência de fazer as tomadas.
    Um beijo!!!

    março 26th, 2011 - 14:05
    Nickolas Marcon respondeu:

    A camerawoman oficial do blog teve muita paciência nas filmagens assim como tem toda a paciência para me acompanhar nas pedaladas… aliás, nada como um passeio na orla da praia num dia ensolarado e bem acompanhado… esse casal vai longe!!! 🙂 beijão pra vc.

  9. Paulo Alves quarta-feira, 25 de maio de 2011 em 19:38 -  Responder

    olá, gostaria de uma informação, qual a velocidade média no plano em com vento ajudando ? nossa associação está arrecadando dinheiro para comprar uma igual, em breve entraremos em contato,
    grande abraço,

    Paulo de Porto Alegre / RS.

    maio 26th, 2011 - 00:45
    Nickolas Marcon respondeu:

    Paulo, pedalo só para passear e estou longe de um bom concionamento físico, mas andando no plano com vento a favor consigo manter entre 18 e 24 km/h, com vento contra já cai para 13 a 16 km/h. Depende muito do condicionamento do ciclista. A máxima que já peguei no plano foi 32 km/h. Um abraço.

  10. Beea segunda-feira, 30 de maio de 2011 em 10:18 -  Responder

    Olá;

    Galera, aqui em Sampa, fiquei sabendo que neste sábado dia 04/06 a Cavenaghi vai levar a Handbike no Pq. Villa Lobos.

    Vai deixar para quem quiser experimentar a Bike.

    é um boa para quem quer conhecer a Handbike.

    Ótima matéria Nick!!
    Seria legal fazerem alguma coisa aqui em São Paulo também!!

    Bjo

  11. Claudio sexta-feira, 24 de junho de 2011 em 22:31 -  Responder

    Olá Nickolas

    Sou pai de Arthur Vinicius, com 06 anos de idade, cadeirante, achei sensacional a sua determinação, sempre mostro ao meu filho pessoas vencedoras, até mesmo para ele construir referenciais de valores. A handbike é uma opção para pessoas assim como o meu filho que tem vontade de pedalar. Aqui, na Cidade de Recife – PE, já ocorreu um evento de “pedaladas” como este tipo de bicicleta? Caso não tenha ocorrido, que tal promover um em Recife – PE? Sempre que tiver uma novidade pode mandar para o meu e-mail. Abraços.

    Claudio, Recife – PE

    junho 28th, 2011 - 17:46
    Nickolas Marcon respondeu:

    Claudio, não tenho conhecimento de eventos realizados em Recife. Entre na nossa comunidade do orkut que você poderá manter contato e receber dicas de muitos outros leitores de todo o país.
    Um abraço.

  12. Ellen terça-feira, 12 de julho de 2011 em 10:12 -  Responder

    Olá….muito legal os comentarios aqui.
    Meu filho de 11 anos agora esta com uma handbike tb,que foi feita exclusivamente pra ele.Moramos em Niteroi…quando quiser marcar pra dar uma pedalada com ele será um prazer.

  13. Derik sexta-feira, 11 de maio de 2012 em 19:45 -  Responder

    ola pessoal do blog mão na roda eu quero saber uma informação a fabrica handvikn parou o seu funcionamento? estou querendo comprar uma handbike para mim sou atleta de basquete sobre rodas e esgrima adaptada e gostaria de ter uma handbike para meu lazer e porque não ir aos meus treinos mas tento de todos os modos em entrar em contato com a fabrica mas não tenho sucesso sei que esse post é antigo mais estou com minhas máximas esperanças de que a fabrica ainda funcione se possivel entrem em contato com migo no meu e-mail deko_burbella@hotmail.com quero muito fazer parte do mundo das handeladas.

    maio 12th, 2012 - 19:47
    Eduardo Camara respondeu:

    Opa, Derik! Parou sim, mas o principal membro, o cara que metia a mão na massa, fundou outra: http://www.handventus.com.br

  14. Cláudio Portes quarta-feira, 16 de maio de 2012 em 20:23 -  Responder

    Parou de fabricar? Essa pra mim é nova. Recebí a minha semana passada. Uma desepção. Hand fora do meu tamanho, toda suja, arranhada e com uma coroa das piores possível. Tô gastando pra colocá-la funcionando. Se parou, já vai tarde.

    agosto 21st, 2012 - 16:10
    Nickolas Marcon respondeu:

    Cláudio, a sociedade que tinha a marca Handvikn acabou em dezembro/2011. As bikes entregues em 2012 foram apenas as que já estavam vendidas. Depois disso, o sócio que tinha as patentes da bike aperfeiçoou o projeto e montou uma fábrica própria, a Handventus. Acompanhe nosso blog que, em breve, publicaremos a avaliação completa do novo modelo. Um abraço!

  15. Elioenai Romualdo domingo, 19 de agosto de 2012 em 10:49 -  Responder

    Olá pessoal do Mão na Roda, gostei muito do comentário sobre a handbike. Apontaram muito bem seus defeitos e qualidades.Sobre o que disseram sobre a pintura, só uma camada a mais de verniz, não adianta, a pintura tem que ser especial, tem que sr pintura eletrostática, é indicada para esse tipo de produto mesmo.Quanto ao atrito, bom isso não tem como resolver sem um sistema de amortecedores. Sou estudante de projetos de mecânica, e meu tcc é uma handbike, mas um sistema especial, diferente desse tipo que vcs mostraram, émais simples e pode ser colocada no portamalas de um carro comum.Por isso estou estudando muito um sistema eficiente e barato para diminuir a transmissão do impacto do asfalto para o aparelho.Assim que o protóipo ficar pronto entro em contato com vcs. abraço.

    agosto 21st, 2012 - 16:06
    Nickolas Marcon respondeu:

    Elioenai, estamos curiosos para conhecer sua invenção. Quando terminar, entre em contato conosco. Um abraço!

  16. Ivanilson domingo, 7 de setembro de 2014 em 19:39 -  Responder

    quanto ao comentário do por que não “mãodalar”, refaço a pergunta não respondida. Há no Brasil algum tipo de bicicleta feito para “mãodalar”?

    setembro 9th, 2014 - 20:25
    Eduardo Camara respondeu:

    Ivanilson, é só ler o artigo! É justamente sobre isso que estamos falando. Dê uma olhada em http://www.handventus.com.br/
    Abraços!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook