Equipamentos, Opinião e cotidiano

Um ano depois…

20

Cadeira nova é sempre uma alegria, né? Tá zerada, não empenou, enferrujou, tecido tá novinho e esticado. Mas e agora? Um ano se passou e como estão as cadeiras? Vou contar…

Um ano e meio depois, a TiLite é a mesma. A única alteração que fiz foi um ajuste no pedal, pois acabei pedindo a medida errada e tive que ajustar depois. Mas só, e por falha minha. A cadeira não apresenta nenhum barulho (nunca viu WD-40 na vida), o pouco que o encosto cedeu, acertei com as faixas de ajuste (que são feitas pra isso) e só. Nada empenado. Os pneus ainda são os mesmos (nunca furaram) as rodinhas da frente troquei por outras que tinham uma largura maior e por isso a cadeira iria pipocar menos. Sendo que essa cadeira é a que uso na rua, principalmente no Centro do Rio. Ou seja: ruas instáveis, pedrinhas portuguesas, sol, chuva. Os piores cenários possíveis. E a cadeira passou com louvor em todos os quesitos.

Agora a StarLite. Cadeira chinelinho, que tem vida boa. Só anda em casa e circulou algumas poucas vezes nas ruas do “Leblaum” como se fosse personagem de Manoel Carlos. Essa já viu WD-40 váaaaaarias vezes. Uma das rodas tá meio empenada, encostando no pneu, o que dificulta tocar a cadeira quando isso acontece. O encosto “afundou” muito. O tecido cedeu tanto, que quando vou na rua tenho que me ajeitar toda hora, pois vou escorregando, ficando quase deitada. Os freios já foram apertados e “reapertados” algumas vezes. Outro dia fui tentar tirar a roda grande pra limpar… nada. Acho que enferrujou e não sai dali por nada nesse mundo. Só não acho a situação da cadeira pior porque comprei ela pra ficar em casa. Se precisasse dela pra sair todo dia e circular, tava lascada. Horrível. Qualidade nota zero. Uma cadeira com uso tão restrito não deveria estar assim depois de um ano.

A roda esquerda com o parafuso encostando no pneu, e a roda direito com espaço entre o parafuso e o pneu.

Preciso dizer mais alguma coisa?

Sobre o autor / 

Cris Costa

Artigos relacionados

20 Comentários

  1. Nickolas Marcon segunda-feira, 16 de maio de 2011 em 10:17 -  Responder

    Cris, na foto da StarLite dá para ver que o pneu está novinho, realmente a cadeira não teve uso. Lamentável a baixa duração das cadeiras nacionais.

    Para os que ainda questionam se vale a pena pagar caro nas importadas, acho que dá para tirar uma boa lição da sua experiência: pagar R$ 1,5 mil em uma cadeira que está ferrada depois de um ano (por sorte ainda não quebrou) ou pagar R$ 6 mil em uma importada que pode durar 10 anos? Sem falar do maior conforto, postura e desempenho…

    maio 18th, 2011 - 21:54
    Cris Costa respondeu:

    A qualidade das importadas não tem nem comparação. Mas acho que as nacionais podiam melhorar, o lance é que pouquíssimos reclamam e as fabricas continuam vendendo. A StarLite é uma vergonha! Bjs, Cris.

  2. Vander segunda-feira, 16 de maio de 2011 em 12:02 -  Responder

    E eu, que comprei uma Ortobrás ULX, que também durou pouco, maiorias das peças feitas de plástico, quebram, desgastam e são caríssimas para repor, as almofadas onde apoio o braço não duram 3 meses, as travas dos freios feitas de plásticos caem a todo instante, não dá para apertar pois é de plástico e cede, preferí retirar, uma vergonha isso, ainda paguei R$ 1.600,00

    maio 18th, 2011 - 21:55
    Cris Costa respondeu:

    Vander, tenta reclamar e ver se eles se consegue repor as peças que quebraram. Um absurdo isso! A “qualidade” que eles oferecem não vale nem R$500,00! Bjs, Cris.

  3. Rebeca Kim Nakamura Allemand segunda-feira, 16 de maio de 2011 em 14:34 -  Responder

    Queria que algum de vocês tivesse ou testasse a Panthera, nova cadeira importada… Queria saber a comparação com a TiLite em vários sentidos…
    http://www.panthera.se/panthera_eng/products/X.htm

    maio 18th, 2011 - 22:01
    Cris Costa respondeu:

    Rebeca, adorariaríamos testar uma Panthera, acredite! Mas acho que aqui no Rio não tem loja que venda. :o((( . Mas posso te dizer que fibra de carbono arranha MUITO fácil, a cadeira só ia ficar linda uns dias. Não sei se o valor compensa.
    Na dúvida, eu iria de TiLite.

    Já fizemos um post sobre a Pabthera: http://maonarodablog.com.br/2009/10/26/panthera-x-a-cadeira-de-rodas-mais-leve-do-mundo/
    Bjs, Cris.

  4. Andres Lopez terça-feira, 17 de maio de 2011 em 11:31 -  Responder

    Cris sem duvida alguma a qualidade das cadeiras importadas compensa o investimento. “O barato sai caro”. Penso, ao igual que Nickolas, que sempre é melhor investir mais numa cadeira com qualidade que ficar a todo ano tendo que trocar 6 por meia duzia.
    Chinelinho é bom p cair na praia, andar por casa, etc..
    Mais p tocar a vida no dia a dia precisamos estar bem “calzados”.
    Temos que “andar” p frente e pensar nisso, pois o unico que se deu bem andando p tras foi o Michael Jackson, e no final:…nao se saiu tao bem.
    Parabéns pelo post

    maio 18th, 2011 - 22:02
    Cris Costa respondeu:

    Obrigada Andres! E sim, uma cadeira importada é sem comparação com qualquer nacional! Bjs, Cris.

  5. Fernando Chagas terça-feira, 17 de maio de 2011 em 12:04 -  Responder

    Uma pena que a GRANDE MAIORIA não pode nem chegar perto de uma importada, né?
    Dia desses me parou na rua um cara que faz malabarismo no sinal da Glória com uma cadeira de dar pena MESMO.
    Fico pensando em como vivem essas pessoas, já que pra nós que temos alguma condição já é difícil….Complicado.

    maio 18th, 2011 - 22:05
    Cris Costa respondeu:

    Oi Fernando, concordo que a grande maioria não pode comprar. Mas não podemos deixar de falar e mostrar a diferença. Quem sabe se a galera começar a reclamar e exigir mais qualidade as nacionais melhoram? Bjs, Cris.

  6. Luis Fábio terça-feira, 17 de maio de 2011 em 17:38 -  Responder

    Parabéns pelo post !!

    🙂

    Bjs

    maio 18th, 2011 - 22:05
    Cris Costa respondeu:

    Obrigada Luis! Bjs, Cris.

  7. Fabio de Carvalho sexta-feira, 20 de maio de 2011 em 15:37 -  Responder

    É,Cris.As cadeiras nacionais continuam uma droga em se tratando de qualidade.Na minha matéria publicada aqui,todos viram o trabalho que deu para que eu deixasse a extinta (nem consta mais no site do fabricante) STAR LITE melhorzinha para meu uso.
    Será que tem alguem pensando em fabricar no Brasil cadeiras compatíveis com as importadas ou será que o objetivo é vender seja lá o que?

    maio 22nd, 2011 - 19:02
    Cris Costa respondeu:

    Oi Fabio, infelizmente o objetivo é vender seja lá o que, com qualidade vc sabe qual, ao preço que vc sabe bem que a cadeira não vale. Tomara que isso um dia mude. Bjs, Cris.

  8. edmar quarta-feira, 25 de maio de 2011 em 00:16 -  Responder

    Cris, comprei uma M3 na reateam a menos de um ano só uso ela na rua pq ela fica no carro para facilitar minha saida e chegada, ou seja, uso ela mais ou menos 5 hrs por dia. Tive q encosta-la em casa a cadeira desregulou toda, se aperto os parafusos pouco as rodas soltam fácil, se aperto um pouco mais ela não entram e quando entram não saem fizemos de tudo e não conseguimos ajusta-la.A manete de freios ja empenou, um dos pneus dianteiro rachou e assim por diante. Entrei em contato com a vendedora da reateam ela quer que eu mande a cadeira para ela (moro em BH), vou enviar mas se a cadeira voltar a dar esse monte de problemas vou leva-la a uma empresa de sucata e vou mandar prensa-la, ficara do tamanho de uma caixa de sapato, depois envio de novo a reateam.
    Desculpe-me pelo desabafo!!
    abração!

  9. Vilmar terça-feira, 7 de junho de 2011 em 09:02 -  Responder

    Por quê será que o preço de uma cadeira de rodas é tão alto? É notório que custo para uma empresa fabricar uma cadeira é bem baixo em relação ao preço. Não temos também isenções para este produto?

    junho 8th, 2011 - 22:53
    Christian Matsuy respondeu:

    Vilmar,

    As indústrias têm isenção de muitos impostos e o motivo do preço ser alto é a necessidade. Uma cadeira de rodas não é uma coisa que uma pessoa que precise possa ficar sem, e daí eles cobram o que querem, sem nenhuma qualidade. É ladroagem na cara dura.

  10. Daniele sexta-feira, 16 de setembro de 2011 em 11:09 -  Responder

    Cris, olá!
    Tenho olhado os posts do blog sobre cadeiras e até enviei uma pergunta ao Christian sobre cadeiras adequadas para lugares off road (cachoeiras, fazendas, etc). Então envio uma pergunto, mesmo esse post já tendo alguns meses que foi publicado.
    No quesito cadeira nova, as variáveis são muitas e uma delas é bem coisa de mulher – os tipos de sapato. Já usei uma monobloco, e na minha experiência, limitou um pouqinho os tipos de sapatos, em função da regulagem dos pés (ou da falta de regulagem nos pés). Quando eu colocava saltos muitos altos, as pernas ficavam meio esquisitas. Ajustei para saltos médios, o que uso mais, e se eu colocava um tênis, também não ficava legal. Então pergunto como você lida com isso, em relação a TiLite. Dá pra ajustar dependendo do tipo de sapato, e se fazer isso é fácil.
    Um abraço!

  11. Mônica quarta-feira, 26 de setembro de 2012 em 15:45 -  Responder

    Cris,
    Preciso de sua ajuda e opnião.
    Atualmente a TiLite continua sendo sua preferida ou surgiu alguma outra?
    Quando precisa de manutenção urgente, como consegue as peças?
    Muito obrigada!

  12. solange domingo, 14 de julho de 2013 em 21:55 -  Responder

    comprei uma cadeira star life monobloco, a cadeira e boa e nacional tem um ´preço bom, nao poço reclamar, tem cadeiras de rodas que sao verdadeiros lixos como o brasil fabrica cadeiras sem nem o menos testar com os portadores de deficiencias se elas sao realmentes boas para nos deicientes , tem tanta traqueira sendo vendida . Isto e uma vergonha.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook