Espaço do Leitor, Geral, Opinião e cotidiano

Absurdo…

8

Vai entender… Ou talvez eu entenda. Afinal, cadeirante é doente, lugar de doente é na cama, e nunca como visitante em um hospital. Então, pra que rampa ou elevador? 

Essa foto foi tirada no Copa D’or por uma amiga e constante contribuidora do Blog, sempre me enviando bons assuntos. Obrigada Dri Baffa! Segue o texto que ela me mandou sobre a foto:

Bom, eu tirei essa foto ontem, quando fui visitar meu tio. 

Eu estava na fila do elevador e vi essa cena. Tirei a foto.

Depois vi – antes de subir – um rapaz entregando um pacotinho pro cadeirante – devia ser o lanche.

Quando desci, pra não ser injusta e nem acusar sem saber, fui até o tal coffee shop pra ver se não tinha um elevador ou coisa parecida, como outra entrada com rampa e tal. Nada. Não tinha nenhuma outra entrada além dessa escada descendo.

 Um absurdo.

Sobre o autor / 

Cris Costa

Artigos relacionados

8 Comentários

  1. Camila sexta-feira, 22 de julho de 2011 em 22:01 -  Responder

    Oi!
    Que bom que alguém falou sobre isso…
    Fiz aplicação de botox na Casa de Saúde Santa Therezinha (Tijuca – RJ), precisei passar 1 noite lá e observei que os banheiros dos quartos (tanto particular quanto enfermaria) eram tão pequenos que nem entravam cadeiras de banho… Como cadeirantes, idosos e pacientes que não podem ficar em pé utilizam o banheiro??? Já reclamei nos folhetos de sugestões do hospital e mandei e-mails, mas até hoje ninguém me retornou.
    Ah! Esses dias visitei a minha tia que estava internada no Hospital Italiano (Grajaú – RJ) e constatei a mesma coisa. E detalhe: tive que entrar pela rampa dos carros e ambulâncias porque na entrada principal só tinha escada…
    Como pode, hein?

    agosto 3rd, 2011 - 17:58
    Cris Costa respondeu:

    Oi Camila, juro que também não entendo isso, um absurdo mesmo! Bjs, Cris.

  2. Eduardo Aranha Luz sábado, 23 de julho de 2011 em 18:54 -  Responder

    Acho, no mínimo, ilógico que os hospitais, clínicas e casas de saúde não sejam todos adaptados.

    Ora, grande parte das pessoas que procuram os nosocômios está, ainda que temporariamente, com algum problema de saúde que afeta a sua locomoção ou, pelo menos, exige cuidados em seu transporte. Ex: Grávidas, idosos, acidentados etc. Portanto, NMO, todos os hospitais deveriam ser adaptados para pessoas com mobilidade reduzida.

    Entretanto, a maioria dos donos de hospitais está mais preocupada em construir acomodações de luxo do que construir acomodações funcionais e seguras para os seus pacientes.

    É uma pena!

    agosto 3rd, 2011 - 18:00
    Cris Costa respondeu:

    Oi Eduardo, é ridículo o que os hospitais fazem. Pior é não ter fiscalização pra que eles façam o que é certo. Vai entender… Bjs, Cris.

  3. MARIA PAULA TEPERINO domingo, 24 de julho de 2011 em 20:57 -  Responder

    Além da falta de acesso para o coffe shop do Copa D’or, para fazer a ficha para se internar no hospital ainda tem que se subir 2 degraus…..Mas isso tudo só vai ter fim quando a Prefeitura do Rio de Janeiro assumir a sua responsabilidade de fiscalizar os prédios públicos e de uso público. Com a palavra nosso Prefeito Eduardo Paes…
    Bjs

    agosto 3rd, 2011 - 18:02
    Cris Costa respondeu:

    Ai Paula, dá vontade de chorar, viu? E nem vejo melhorias com Copa e Olimpíadas. “Tamo lascado” :o( Bjs, Cris.

  4. Dri Baffa segunda-feira, 1 de agosto de 2011 em 23:19 -  Responder

    Eu queria uma resposta do Copa D’Or, sinceramente…

    By the way, Cris, o blog de vocês é maravilhoso. Eu leio SEMPRE.
    E sempre que tiver alguma coisa eu vou mandar pra você. =)
    Beijão!

    agosto 3rd, 2011 - 18:04
    Cris Costa respondeu:

    Dri, muito mega obrigada! Já não é a primeira vez que me manda coisa bacana pra publicar. O Blog agradece! Vou ver se mando um email pro Copa D’Or perguntando sobre isso. Acho que vale tentar. Mais uma vez, muito obrigada!
    Bjs, Crieis

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook