Equipamentos

IntelliWheels – rodas inteligentes

14

Rodas IntelliWhells - créditos: Illinois University)Uma grande porcentagem de cadeirantes ativos, com o passar dos anos sofrem de lesões ou dores crônicas nos ombros devido a força utilizada para tocar a cadeira de rodas.

Scott Daigle, um estudante de engenharia da Universidade de Illinois, criador da IntelliWheels, desenvolveu o sistema AGS (Automatic Gear System), que consiste em um par de rodas sem nenhum tipo de dispositvo elétrico ou motorizado, que torna a impulsão da cadeira mais fácil, utilizando menos força física.

rodas intelliwheels instaladas

As rodas reconhecem o movimento da pessoa e automaticamente escolhe um tipo de “marcha” de acordo com o terreno, similar ao sistema de uma bicicleta porém sem interação, não é necessário nenhum tipo de manobra de alavanca ou botão. Em uma subida você aplicará mais força nas rodas, e isso é detectado e automaticamente a marcha é reduzida, fazendo com que a impulsão torne-se mais leve, em troca você vai impulsionar mais vezes para percorrer a mesma distância. O inverso ocorre nas descidas onde o usduário terá que fazer pouca força para segurar sua cadeira, podendo descer tranquilamente sem machucar as mãos pra segurar a cadeira.

As rodas ainda não estão disponíveis à venda, mas Scott pretende dar início muito em breve.

O melhor de tudo é que poderão ser utilizadas em qualquer cadeira!

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

14 Comentários

  1. Andres Lopez quinta-feira, 4 de agosto de 2011 em 16:11 -  Responder

    ..com as novas tecnologias ajudando todo fica mais facil.
    eu curto muito um sistema similar, as rodas E-motion de Alber que usa baterias nas proprias rodas e requer carrega-las a cada certo tempo, tornando tambem mais pesado o conjunto..
    No futuro vamos ter disponivel programa eletronico de estabilidide(ESP), sistema eletronico de freios (EBS),…e até air-bags nas nossas cadeiras, rsr, rsr…
    Viva a tecnologia!!
    Forte abrazo e parabéns!!

    agosto 11th, 2011 - 12:22
    Christian Matsuy respondeu:

    Fala Andrés!

    Também torço para esse projeto tornar realidade logo, pois acredito ser uma solução mais barata que as rodas e-motion que apesar do preço, funcionam muito bem, vejo os gringos reclamarem da vida útil da bateria que em torno de 1 ano precisa ser trocada e custa muito caro.

    Abraço,
    Christian

  2. Ana Beatriz sexta-feira, 5 de agosto de 2011 em 14:41 -  Responder

    Chrystian,

    Bom seria, se em todos os cantinhos do mundo as pessoas fossem tratadas de igual pra igual, não é mesmo?
    Muito interessante a idéia desse Estudante.
    Aqui em Brasília eu já vi tanto desrespeito com Cadeirantes.
    Só citando um exemplo: já vi caso em que o passageiro (cadeirante), deixou de embarcar por que a porta “apropriada” para este tipo de embarque travou. Imagina só, na minha opinião, a capital do país deveria servir como modelo!
    Isso me deixa revoltada.

    agosto 11th, 2011 - 12:24
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Ana!

    Desculpe a demora pra responder seu comentário!
    Mas essas coisas acontecem (e não é só em Brasília).

    Abraço!
    Christian

  3. Marcela Cálamo terça-feira, 9 de agosto de 2011 em 16:51 -  Responder

    Meu sonho de consumo! O duro é que com o passar dos anos, parece que fica mais difícil tocar a cadeira. Minha primeira cadeira ainda foi no tempo das cadeiras de ferro cromado. Era criança, tocava na boa. Quando surgiram as de aluminio, nossa! Ficou facinho, era uma ortobrás. O tempo passou, a ortobras ficou pesada, veio a Tok Leve, que já está pesada também. Que venham as rodas inteligentes e que tenham preços acessíveis para não ficarmos só sonhando.
    Abraço

    agosto 11th, 2011 - 12:28
    Christian Matsuy respondeu:

    Marcela,

    minha trajetória é bastante parecida. Na verdade uma cadeira motorizada seria o correto pra mim, mas não consigo me adaptar aos modelos existentes aqui, além do que minha rotina seria muito difícil devido ao transporte desse tipo de cadeiras ser muito mais complicado que as manuais. Acho que essas rodas por não terem dispositivos eletroeletrônicos, vai custar mais barato.

    Abraço!
    Christian

  4. D’Eficiencia Superado Limites terça-feira, 9 de agosto de 2011 em 20:00 -  Responder

    hoje tudo estar afavor dos portadores de deficiência mas por incrível q pareça ainda tem ser humano q desrespeitam
    pdsul.blogspot.com

    agosto 11th, 2011 - 12:28
    Christian Matsuy respondeu:

    É isso aí cologa!

    Abraço,
    Christian

  5. D’Eficiencia Superado Limites quinta-feira, 11 de agosto de 2011 em 13:47 -  Responder

    valeu christian

    estamos juntos nessa luta

  6. Daniele terça-feira, 13 de setembro de 2011 em 22:38 -  Responder

    Olás!
    Olhando os posts sobre cadeiras, publicados nos últimos meses, me senti super jeca, usando uma cadeira jurássica….rs. Mas como vocês do blog são muito entendidos, aproveito e pergunto pois não encontrei um post sobre isso: a cadeira adequada para quem viaja com frequência para locais de trilhas, florestas, etc. Costumo viajar para locais de difícil acesso. Moro em Brasília, vou a chapada dos veadeiros com alguma frequência, já estive em alguns locais de floresta, em machu picchu, na trilha das cataratas do iguaçu feita pelo lado argentino. Claaaaro, com mais ou menos ajuda, dependendo do local. Na maior parte do tempo é subindo e descendo morro, pedra, grama, etc. Uso uma cadeira em x pois, até o momento, é a única que me deixa segura fazendo essas coisas. (já me estatelei no chão caindo de uma monobloco leve demais, ou mal projetada talvez). Mas, a cadeira faz um barulho diabólico, é pesada, quase tem vida própria pois gosta de ir para a esquerda e ponto. Estou buscando uma cadeira mais leve mas que me dê segurança para viajar. Vocês já escreveram um post sobre isso?
    Parabéns pelo blog, é super útil e além de tudo, divertido!

    setembro 15th, 2011 - 16:34
    Christian Matsuy respondeu:

    olá Daniele!

    Peço um pouquinho de paciência, pois lhe responderei através de um artigo sobre isso ok? é uma dúvida que nos chega com certa frequência e vamos transformar isso em um post ok?

    Abraço!
    Christian

  7. Daniele quinta-feira, 15 de setembro de 2011 em 19:50 -  Responder

    Bacana, Christian!
    Sabe, vi uma moça ontem com uma TiLite e o “uau” foi inevitável. Mas me vem a dúvida se esse tipo de cadeira dá conta de lugares difíceis, se não desregula, se quebrar como é que faço, se é segura considerando que sou alta e a monobloco me deixa mais instável, etc. Porque não é um investimento pequeno, né? E pelo menos comigo, prefiro estar com uma cadeira só. Mas, como tocar a x velha de guerra no dia a dia é cansativo, estou considerando essa possibilidade, uma para o cotidiano, outra para viagens mais hard. Aguardarei o post 😉

    setembro 20th, 2011 - 14:41
    Christian Matsuy respondeu:

    Daniele,

    publicamos o post!

  8. Allan sexta-feira, 14 de outubro de 2011 em 19:55 -  Responder

    Ola tambem sou cadeirante e no inicio encontrei muita dificuldade, na verdade ainda encontro muitos, adorei encontrar esse site, espero aprender mais

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook