Opinião e cotidiano

Vagas pra quem?

15

família desembarcando em vaga reservada

Outro dia recebemos um email de um leitor mostrando uma situação inusitada em um shopping onde um carro parou atravessado em frente  vaga de deficientes travando os carros que estavam estacionados nas vagas. Daí veio uma discussão entre nós sobre as vagas marcadas. O Nick já falou sobre o assunto, mas como é algo que atormenta constantemente a alma dos cadeirantes resolvi falar mais um pouco sobre o assunto.

Sabemos que muitos shoppings são uma zona mesmo e não ligam se as vagas são respeitadas ou não. Pra que né? Dá trabalho, o cliente que parar ali inadequadamente vai reclamar, situação chata, então deixa. Mas alguns shoppings estão adotando uma estratégia bem interessante de colocar as vagas reservadas junto a área VIP, mas cobrando o preço normal. Esquema que ajuda e muito a evitar os caras de pau. Nisso me lembrei que fui ao Shopping Leblon e lá no andar onde ficam as vagas marcadas fica um moço “cuidando” para que não sejam mal usadas. Achei bacana. Mas porém, ah porém… Quando fui estacionar, logo depois veio um carro com um casal e uma criança de uns 6 anos e estacionaram na vaga marcada. Fiquei sem entender nada.

Como sempre, não me agüentei e perguntei pro moço:

 – Moço, assim… não vi nada de “incomum” naquela família, por que eles pararam aqui?

– Ah porque o shopping também permite que famílias com crianças parem nessas vagas.

– Mas moço, eles podem parar em qualquer lugar, um cadeirante não…

– Ah, mas deficiente tem prioridade, fica tranqüila!

– Mas moço, tem muito mais famílias com crianças no shopping do que cadeirantes, se chegarem cinco famílias e pararem nas vagas e ficarem todas ocupadas e depois chegar um cadeirante? Como fica  a prioridade?

– (cri… cri… criii)

Pois é meu povo, comofaz? Com tantas exceções aparecendo, todo mundo pode, todo mundo tem direito e quem realmente precisa, como fica? A vaga  marcada é mais larga por um motivo simples: espaço. E não é porque cadeirantes são gordinhos. Pra entrar no carro com a cadeira, esse espaço se faz NECESSÁRIO. Pensem: As vagas comuns são mega espremidas. Quem nunca teve que se contorcer pra conseguir sair do carro pois a porta mal abre? Então  tenta fazer isso com uma cadeira de rodas. Inviável, né?    

Sei que é praticamente impossível conscientizar as pessoas disso. Já disse algum “ólogo” (Freud? Foucault? Raulzito?) que a única forma de conscientizar as pessoas é fazer com que elas vivenciem o problema. “Temo” ferrado, né? Como fazer alguém querer vivenciar uma bagaça dessas? Já que não tem como, vou apelar pra imaginação e tentar algumas associações:

A situação real é: você é cadeirante, chega no shopping todo disposto a se divertir e fazer umas compritchas. Chega no estacionamento, se dirige pra onde tem as vagas reservadas, chega lá, pimba: tudo ocupado. Você olha e vê que a maioria dos carros não é pra quem precisa e ainda vê uma dondoca saindo de sua SVU sem a menor cerimônia.

Então…  

Pense, você comeu aquela “maonese” estragada e um prato inteiro de toucinho. Bateu aquela cólica fenomenal e você sai correndo procurando um banheiro. Teoricamente não tem outro lugar que você possa resolver o tsunami que está prestes a acontecer. Chegando no banheiro, o que acontece? Todas as cabines estão ocupadas. Supondo que vc tenha visão raio-x, você nota que as pessoas que estão na cabine estão: escovando os dentes, lendo um livro, falando no celular. E você, que precisa do troninho fica na mão, sem poder usar o local que foi reservado para esse fim. Legal, né?

A sensação é mais ou menos essa. Você se sente completamente rendido, sem direito a resposta ou ação. A lei não é clara em relação as vagas, não existe punição e os shoppings preferem não se indispor com os clientes, então não se envolvem com a questão. E nem vou falar de consciência das pessoas porque ai já é demais, né? Por isso segue a briga (o que deveria ser direito) de quem realmente precisa com os manés, sem noção e com as novas exceções que aparecem a cada dia. Fico imaginando o dia em que pessoas que usam aparelho odontológico também vão precisar usar as vagas… Ô dó!

Sobre o autor / 

Cris Costa

Artigos relacionados

15 Comentários

  1. Nickolas Marcon terça-feira, 23 de agosto de 2011 em 11:28 -  Responder

    Cris, sua forma de “exemplificar” as coisas é sempre inquietantemente didática… 🙂

    Quanto à lei, existe sim: o CONTRAN já regulamentou a utilização das vagas e a autoridade de trânsito pode entrar e multar quem estaciona indevidamente, mesmo em estacionamentos privados. O documento que comprova a utilização da vaga é o cartão emitido pela autoridade de trânsito municipal e/ou estadual.

    A pergunta é: alguém já viu a Guarda Municipal do RJ entrando em algum estacionamento? Vou me informar a respeito para fazer um post sobre isso.

  2. Raquel terça-feira, 23 de agosto de 2011 em 20:27 -  Responder

    Sobre esse tema, sempre me deparo com a seguinte questão: e os deficientes não cadeirantes, não têm direito à vaga reservada?

    Eu, com minha bengalinha, tenho que parar a 5 quarteirões de onde preciso ir, mesmo que as vagas das ruas não sejam mais largas?

    Ou então devo estacionar meu carro no extremo oposto da entrada do shopping?

    Como proceder?

  3. Waldir Augusto Rodrigues Junior quarta-feira, 24 de agosto de 2011 em 10:38 -  Responder

    Bom dia Cris,

    Sou cadeirante a 10 anos e moro na cidade de Bauru, sobre esse assunto das vagas em shopping ou até nas ruas é um problema muito grande mesmo. Um certo dia fui a uma festa com minha família e chegando lá havia uma vaga destinada a deficientes bem na frente e como sempre ja tinha alguém estacionado, mas dessa vez não era qualquer carro, era uma viatura da polícia, isso mesmo, uma viatura. E eu não aguentei e parei do lado e perguntei se eles já estavam saindo, pois eu precisava parar ali e para meu espanto o policial me falou que eu tinha que procurar outra vaga porque a viatura tinha que ficar ali e eles não iriam sair. Depois desse dia eu praticamente desisti de fazer qualquer tipo de reclamação porque naquele momento eu poderia procurar a imprensa ou fazer um Boletim de ocorrencia, mas eu iria estragar o passeio de toda a família então resolvi deixar queto. Então é muito difícil mesmo concientizar a população se nem as autoridades não tem conciêcia.
    Em relação as vagas em shopping fiquei muito contente quando fui no Shopping Dom Pedro, pois lá os deficientes podem parar o veículo na área VIP e nem é cobrado e você para bem na frente e eles estacionam o carro.
    Então mesmo com muitos lugares e pessoas sem conciência ainda precisamos ter esperança.

    Um grande abraço.

  4. Heitor Luiz quarta-feira, 24 de agosto de 2011 em 19:09 -  Responder

    Raquel,

    Vc tem cartão de estacionamento ?
    Se sim… vc pode parar.

    A vaga é para deficientes locomotores, ou seja, eu e vc, desde q devidamente identificado ! ! !
    (Identificado = Cartão expedido por órgão responsável).

    Pelo q sei pessoas com muletas na maioria das vezes precisa sim abrir a porta toda para apoiar muleta, se posicionar e sair com segurança.

    Apesar de vc usar uma “bengalinha” vc tem SIM direito a vaga, como eu falei… desde q devidamente identificada.

    Cordial Abraço.

  5. Heitor Luiz quarta-feira, 24 de agosto de 2011 em 19:10 -  Responder

    Cris Costa,

    Ótimo post.

    Ps. Ksamba vc tem o nome de minha ex-“esposa”, a mamãe de meu filho… kkk kkk kkk.

  6. maria paula teperino quinta-feira, 25 de agosto de 2011 em 19:15 -  Responder

    Cris, como sempre vc com seus belos posts.
    Para vagas em shopping o melhor é a solução adotada por alguns, como o Botafogo Praia Shopping. O deficiente deixa o carro na área vip e tem isenção de pagamento(o que particularmente não acho muito bom), ou paga o valor do que é cobrado no estacionamento não VIP. Nesses casos é interesse do shopping não deixar ninguém estacionar que não tenha direito, pois isso vai repercutir no lucro e quando o assunto é lucro, ninguém quer perder nada.
    No Shopping Rio Sul, tem um funcionário tomando conta. Tem uns que compram a nossa briga e não deixam quem não tem direito estacionar, já outros, fingem que não entendem. O probelma é a mania que brasileiro tem de querer se dar bem. Falta de civilidade é uma coisa muito séria neste país.
    Bjs

  7. Kauê sexta-feira, 26 de agosto de 2011 em 11:32 -  Responder

    Cris, sem contar os motoqueiros que insistem que as faixas são estaciomanento de motos, prestadores de serviços que param ali para ficarem mais próximos dos acessos… o mais incrível é que nada disso é ensinado em auto-escolas, depende unicamente do bom senso do motorista.

  8. Maria Cecília sábado, 27 de agosto de 2011 em 11:40 -  Responder

    É incrivel né a falta de consciencia e de senso do povo!!!

    Escuta essa:

    Fui fazer o meu cartao para parar nas vagas reservadas pra nós né, tbm sou cadeirante. Me informaram o local e lá fui,qdo avistei o lugar tinha uma placa mais ou menos assim : CENTRO DE ASSISTENCIA AO PORTADOR DE DEFICIENCIA, ao tentar entrar tinha uma escadaria. ?????????????????????????????????????????????.
    Aí eu entendi pq tem tanta gente q nao precisa parando nas vagas reservadas pra nós. ELES TEM ACESSO PARA FAZER O CARTAO.
    ABSURDO!!!!

  9. edson rocha domingo, 28 de agosto de 2011 em 19:59 -  Responder

    b noite !!
    Eduardo e a todos que visitam este blog show de bola !

    Minha idéia e marcar com o máximo de cadeirantes para um encontro num shopping aliatório e ocupar todas as vagas possíveis , as nossas se lá estiverem livres e as outras estacionando transversalmente ocupando 02 ou 03 vagas. causando um kaos . parar nas roletas e esperar os seguranças virem perguntar porquê não vão adiante, e simplesmente responder que não há vaga para deficiente. solicitar que o responsável pelo estacionamento vem se explicar perante aos deficientes que lutam pelos seus direitos.

    quem quiser aderir a este evento meu contato : edson1434@oi.com.br orkut. edsuuu pardall

    pelos nossos direitos.

  10. vicente carrieri quinta-feira, 1 de setembro de 2011 em 18:30 -  Responder

    Infelismente cansei de brigar, o povo não tem educação nem consciência, como sempre repete minha filha,
    ” SÓ SE PREOCUPAM QUEM TEM UM FAMILIAR DEFICIENTE ”

    Eu batizei as nossas como:
    VAGA TESÃO, VAGA MEL, VAGA DOCE,
    todo mundo deseja.

  11. Taís Santos domingo, 11 de setembro de 2011 em 13:08 -  Responder

    No shopping Tijuca, tbm tem o msm esquema do shopping do Leblon de ter algm cuidando desse espaço reservado.
    Meu namorado teve de apresentar o cartão de estacionamento para poder estacionar no espaço.
    Achamos um milagre ter isso em um shopping pq não é brincadeira não, sempre nos aborrecemos em outros shopping por causa de estacionamento.

    bjuuu

  12. serena segunda-feira, 12 de setembro de 2011 em 23:52 -  Responder

    Olá,
    Muito boa a matéria!
    Tenho um blog sobre algumas dicas para cadeirantes. Se quiser visitar!
    Abs

  13. Graziela Reategue sábado, 17 de setembro de 2011 em 15:23 -  Responder

    Há e o pior é que pra essas pessoas agente que é erado, teve um dia que eu falei. -Olha vc não pode para o caro aqui! ai ele falo, -A eu sei, mais é rapidinho! MENTIRA!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook