Dicas, Equipamentos, Espaço do Leitor, Esportes e Lazer

Cadeira Off Road

18

jo de rodas e pneus para terraFaz um tempinho que não posto nada “novo” por aqui… É gente, às vezes rola uma falta de tempo mesmo (tá certo que enrolo um pouco também).  Mas a gente escreve! Tarda, mas não falha!

Recebemos uma dúvida de uma leitora, a Daniele, que nos mandou a mensagem abaixo e como não me recordo de ter falado sobre isso anteriormente, resolvi responder a dúvida dela em forma de post.

Olás!

Olhando os posts sobre cadeiras, publicados nos últimos meses, me senti super jeca, usando uma cadeira jurássica….rs. Mas como vocês do blog são muito entendidos, aproveito e pergunto pois não encontrei um post sobre isso: a cadeira adequada para quem viaja com frequência para locais de trilhas, florestas, etc. Costumo viajar para locais de difícil acesso. Moro em Brasília, vou a chapada dos veadeiros com alguma frequência, já estive em alguns locais de floresta, em machu picchu, na trilha das cataratas do iguaçu feita pelo lado argentino. Claaaaro, com mais ou menos ajuda, dependendo do local. Na maior parte do tempo é subindo e descendo morro, pedra, grama, etc. Uso uma cadeira em x pois, até o momento, é a única que me deixa segura fazendo essas coisas (já me estatelei no chão caindo de uma monobloco leve demais, ou mal projetada talvez). Mas, a cadeira faz um barulho diabólico, é pesada, quase tem vida própria pois gosta de ir para a esquerda e ponto. Estou buscando uma cadeira mais leve mas que me dê segurança para viajar. Vocês já escreveram um post sobre isso?

Sabe, vi uma moça ontem com uma TiLite e o “uau” foi inevitável. Mas me vem a dúvida se esse tipo de cadeira dá conta de lugares difíceis, se não desregula, se quebrar como é que faço, se é segura  considerando que sou alta e a monobloco me deixa mais instável, etc. Porque não é um investimento pequeno, né? E pelo menos comigo, prefiro estar com uma cadeira só. Mas, como tocar a x velha de guerra no dia a dia é cansativo, estou considerando essa possibilidade, uma para o cotidiano, outra para viagens mais hard.

Parabéns pelo blog, é super útil e além de tudo, divertido!

Bom, vamos as respostas…

Concordo plenamente que uma cadeira com 10 anos de idade deve ter lá seus vícios, defeitos e muitas outras coisas mais… Se for possível, e a gente sabe que pra muitos nem sempre é, está na hora de trocar de cadeira…

Como foi dito acima, a Daniele tem hábitos não muito convencionais (pelo menos pra mim) de frequentar trilhas, parques e outros lugares não pavimentados. Atualmente  ela faz todos esses passeios com uma cadeira pra lá de convencional, que é a tão famosa “dobrável em X”. Mas tem coisa melhor sim! E obviamente é a cadeira monobloco. Nesse caso, diferente de outras ocasiões, não há o que discutir. Se for o caso de realmente enfrentar lugares muito acidentados, o certo mesmo é partir para uma monobloco com quadro box, que é mais rígido e difícil de entortar. Não vejo necessidade de ter duas cadeiras.

Ela descreveu se sentir sem estabilidade em uma monobloco. Isso ocorre por dois motivos: só o fato de sair de uma dobrável em X com praticamente zero de avanço de centro de gravidade, já muda toda dinâmica de tocar a cadeira, a força aplicada será menor e isso exige um período de adaptação. Outro fator que tira a segurança e estabilidade da cadeira é a escolha das medidas. Cadeira leve é pra facilitar a vida e não pra machucar… :)

Gente, eu tenho 1.90cm e um equilíbrio de tronco péssimo, minha lesão é C4/5, e nem por isso me sinto inseguro numa monobloco. É tudo questão de acertar as medidas, nesse caso fazer uma cadeira mais baixa já resolve bastante. Se ajudar com um tilt correto então, fica super estável. (Tilt é a diferença entre de altura entre as partes traseira e dianteira da cadeira).

Para melhorar ainda mais, o ideal é ter um par de rodas Off Road com pneus “balão” de 2 polegadas de largura e desenho cravado. Esse pneu ajuda no amortecimento por ter um perfil mais alto e em terrenos acidentados fica mais fácil tanto pra quem empurra o cadeirante como pra que toca a cadeira se locomover. Confesso que em areia foda de praia não adianta muito. O ideal seria ter um par de rodas com pneus de 1 polegada para uso na cidasde. Não precisam ser rodas importadas, basta trocar o pneu que pode ser encontrado em lojas de bike. Fiz uma pesquisa rápida e com uns 600 reais é possível ter um par de rodas com eixos Quick Release prontas pra uso.

rodas off road dentro da água

Fernando Fernandes em uma cadeira equipada com rodas Off Road

Rodas dianteiras infláveis funcionam super bem e atendem tanto as necessidades de campo e cidade, mas caso queira ficar no meio termo, as soft rolls de 6 polegadas já dão conta do recado. Duro é comprar essas rodas chinesas que alguns fabricantes nacionais fornecem e conviver com ranhuras e dentes nas rodas.

A qualidade de uma cadeira importada é infinitamente incomparável as nacionais. Minha cadeira completou 3 anos, a do Dado 4 e meio, a da Cris 2. Problemas? Nenhum. ZERO. Vira e mexe trocamos componentes, mas por capricho, e não por defeito. Em caso de quebrar alguma peça, eles enviam pra cá. Você paga um valor maior, mas a vida útil da cadeira é bem mais prolongada.

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

18 Comentários

  1. Eduardo Camara terça-feira, 20 de setembro de 2011 em 13:48 -  Responder

    Legal, Christian! Na minha última viagem encarei umas trilhas e pra isso comprei um par de pneus off-road aro 24″. Vale lembrar que, a não ser que sua cadeira tenha aros 25″ (559), tipo o da XCore de 3 pontas e que são iguais aos de mountain bike, não vai ser fácil achar pneus de trilha. Eu comprei os de aro 24″ nos EUA! Outra coisa: se o pneu tiver 2 polegadas de largura, você vai precisar colocar um espaçador no eixo ou então é praticamente certo dele roçar na cadeira. Se não quiser alterar isso, pegue um no máximo com 1 3/4″, como eu fiz. Por último, para rodar em trilhas é bom ter o corrimão (handrim) montado mais pra fora (long mount) ao invés de mais pra dentro (short mount). A pegada melhora muito! Também comprei um outro acessório muito legal pra cadeira, o Freewheel. Depois coloco mais sobre ele por aqui…

  2. Christian Matsuy terça-feira, 20 de setembro de 2011 em 14:09 -  Responder

    fala Dado!

    então cara, eu vi recentemente em uma bike shop, opções NACIONAIS desse tipo de pneu, na medida de 24″. Quem fabrica é a Levorin.

    mas valeu por frizar os detalhes do uso e instalação desses pneus.

    ps: nas rodas Spinergy daria pra colocar esses Kenda de 1.95 polegadas pois tenho 1 polegada exata de sobra pra pegar na cadeira, já em rodas comuns com cubo menor realmente vai raspar.

    Levorin Praieiro
    Levorin Spider

    setembro 21st, 2011 - 10:50
    Eduardo Camara respondeu:

    Opa, Christian!

    Esses pneus aí não cabem… eles são de medida 24″ BMX (507mm). Os de cadeira de rodas são 24″ de 540mm. Esse lance da medida em polegadas confunde muito. O mais correto é usar o ERTO, que indica o diâmetro em milímetros. No caso das cadeiras de rodas, os tamanhos ERTO são:

    24″ = 540mm
    25″ = 559mm
    26″ = 591mm

    Para bicicletas comuns:

    24″ (BMX) = 507mm
    26″ (MTB) = 559mm (igual ao 26″ de cadeira de rodas)
    650c (handbike) = 571mm
    70cc (speed) = 622mm

    E tem outros tamanhos tb…

    Abraços!

  3. Ricky terça-feira, 20 de setembro de 2011 em 15:11 -  Responder

    Olá, bom eu queria saber do Eduardo Camara, sobre aqueles pneus
    coloridos pois ele tem, eu gostaria de comprar onde posso achar
    você tem ai pra mim vender??? obrigado!

    setembro 20th, 2011 - 15:22
    Christian Matsuy respondeu:

    Ricky, já escrevemos sobre esses pneus, inclusive com contato para compra:

    http://bit.ly/p9YwLC

    pode comprar com o Andrés Lopes da Ortoracing ele tem pronta entrega.

    http://www.ortosport.com.br/

  4. Daniele terça-feira, 20 de setembro de 2011 em 16:29 -  Responder

    Christian, obrigada pela atenção em escrever o post!

    Eduardo, as trilhas que você foi, como eram? Assim, que tipo de dificuldade, se era um esquema de tocar a cadeira sozinho, se alguém precisava empurrar ou mesmo suspender a cadeira (e como vc se sentiu com a sua cadeira, você usa uma TiLite, né?)
    Comecei a dar uma olhada nas informações que vocês tem no orkut (preciso criar um perfil lá), e vou precisar de muita ajuda até entender sobre essa questão das medidas. Quando estiver afiadíssima, pretendo viajar e trazer uma cadeira do exterior. Obrigada pela atenção, mais uma vez ;-)

    setembro 21st, 2011 - 10:51
    Eduardo Camara respondeu:

    Daniele,

    Tinha de tudo quando é jeito… Eu fui sozinho, e só fiz coisa leve, onde dava pra eu tocar sozinho. Com ajuda, vc consegue fazer bem mais trilhas.

    Abraços!

  5. Daniele quinta-feira, 22 de setembro de 2011 em 10:54 -  Responder

    Oi, Eduardo
    Sim, sim, conto com ajuda nas trilhas que faço pois são lugares com muitas pedras, subidas e descidas complicadas e, ás vezes, alguns riachos. É o tipo de trilha que todo o tempo a cadeira trava numa pedra e trepida muito. Você já fez isso com a sua cadeira? Porque o que gostaria de saber é se as monoblocos importadas aguentam isso e se acomodam a pessoa em segurança. Que elas são ótimas em lugares mais planos, é inquestionável, né? Além de serem lindas. Obrigada pela atenção! ;-)

    setembro 22nd, 2011 - 13:04
    Eduardo Camara respondeu:

    Já fiz alguma coisa nesse sentido sim, e sem dúvida a monobloco dá de 10 na cadeira em X. Mais até do que quando estamos no plano, lisinho! Abraços!

  6. Andrés López sexta-feira, 23 de setembro de 2011 em 22:45 -  Responder

    …”areia foda de praia”…
    essa foi boa Christian!!

    setembro 29th, 2011 - 14:25
    Christian Matsuy respondeu:

    e não é verdade? rsrsrs

    abraços,
    Christian

  7. Andrés López sexta-feira, 23 de setembro de 2011 em 22:52 -  Responder

    Dado
    os pneus 26″ de MTB tem ERTRO de 559mm (igual ao 25″ de cadeira de rodas, nao o 26″ de CRs que tem ERTRO de 590mm)

  8. Andrés López sexta-feira, 23 de setembro de 2011 em 22:59 -  Responder

    perdao
    ETRTO
    (European Tyre and Rim Technical Organisation)

  9. jefferson avanzi terça-feira, 27 de setembro de 2011 em 14:40 -  Responder

    Boa Tarde! eu estou trabalhando em um projeto de uma cadeira de Rodas própria para “terrenos acidentados” e esses dias fizemos um teste com uma cadeira em “X” lá no parque da juventude. realmente, não é nada fácil andar em certos terrenos e no fim desse teste eu fiquei com as mão ardendo e extremamente cansado….Achei impossível andar em areia e cheguei a cair da cadeira algumas vezes. Acho que o maior problema está nas rodinhas “dianteiras”, elas travam o tempo todo…assim, pensei em remo-velas rsrsrs encontrei algumas criticas sobre cadeiras com três rodas como a K2 e sei lá, resolvi trabalhar com o grupo, um pré-modelo com três rodas MTB e suspensão para fazer esse teste novamente e queria ter a oportunidade de postar para vcs acompanharem…
    Apresentamos para um fabricante de cadeiras Nacionais e…realmente, eles não querem saber de “Novos Materiais” como a fibra de carbono e o titânio e isso é um grande problema.

    Bom, quem quiser entrar em contato pra saber mais sobre o projeto o meu e-mail é
    jeffersonavanzi@gmail.com

    Um Abraço!

  10. jefferson avanzi terça-feira, 27 de setembro de 2011 em 14:42 -  Responder

    Ah e Parabéns pela Postagem, Muuuito bom mesmo.

  11. Gabriel Santos quinta-feira, 29 de setembro de 2011 em 13:18 -  Responder

    Oi, Daniele. Você poderia me passar seu e-mail? Gostaria de trocar ideias sobre morar em Brasília. Sou cadeirante.

    Meu e-mail: castrael@globo.com

  12. joão cardoso sexta-feira, 9 de dezembro de 2011 em 15:13 -  Responder

    olá não sou, de aventura já tem treze anos do assidente (lezão c5) gostaria de informação de quem tem cadeira motorizada-se ajuda ou deixa á gente preguiçoso,já tenho 50 nas costa´eugostra de comprar uma mais é muito cara,alguem sabe onde tem reformadas pr vender mais barato.abriado.

    dezembro 18th, 2011 - 13:47
    Christian Matsuy respondeu:

    João,

    Acho que se você está sentindo necessidade de uma cadeira motorizada, é um bom indício de que você deve pesquisar e adquirir uma.
    Tente ver no google um site chamado Vivere eles comercializam cadeiras usadas e revisadas de diversos modelos, essa loja fica em São Paulo.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Handbikes

Publicidade

Facebook