Ir para conteúdo principal | Acessibilidade do blog

Conteúdo Principal

Cadeira Off Road

Christian Matsuy - terça-feira, 20 de setembro de 2011 - 13:21

jo de rodas e pneus para terraFaz um tempinho que não posto nada “novo” por aqui… É gente, às vezes rola uma falta de tempo mesmo (tá certo que enrolo um pouco também).  Mas a gente escreve! Tarda, mas não falha!

Recebemos uma dúvida de uma leitora, a Daniele, que nos mandou a mensagem abaixo e como não me recordo de ter falado sobre isso anteriormente, resolvi responder a dúvida dela em forma de post.

Olás!

Olhando os posts sobre cadeiras, publicados nos últimos meses, me senti super jeca, usando uma cadeira jurássica….rs. Mas como vocês do blog são muito entendidos, aproveito e pergunto pois não encontrei um post sobre isso: a cadeira adequada para quem viaja com frequência para locais de trilhas, florestas, etc. Costumo viajar para locais de difícil acesso. Moro em Brasília, vou a chapada dos veadeiros com alguma frequência, já estive em alguns locais de floresta, em machu picchu, na trilha das cataratas do iguaçu feita pelo lado argentino. Claaaaro, com mais ou menos ajuda, dependendo do local. Na maior parte do tempo é subindo e descendo morro, pedra, grama, etc. Uso uma cadeira em x pois, até o momento, é a única que me deixa segura fazendo essas coisas (já me estatelei no chão caindo de uma monobloco leve demais, ou mal projetada talvez). Mas, a cadeira faz um barulho diabólico, é pesada, quase tem vida própria pois gosta de ir para a esquerda e ponto. Estou buscando uma cadeira mais leve mas que me dê segurança para viajar. Vocês já escreveram um post sobre isso?

Sabe, vi uma moça ontem com uma TiLite e o “uau” foi inevitável. Mas me vem a dúvida se esse tipo de cadeira dá conta de lugares difíceis, se não desregula, se quebrar como é que faço, se é segura  considerando que sou alta e a monobloco me deixa mais instável, etc. Porque não é um investimento pequeno, né? E pelo menos comigo, prefiro estar com uma cadeira só. Mas, como tocar a x velha de guerra no dia a dia é cansativo, estou considerando essa possibilidade, uma para o cotidiano, outra para viagens mais hard.

Parabéns pelo blog, é super útil e além de tudo, divertido!

Bom, vamos as respostas…

Concordo plenamente que uma cadeira com 10 anos de idade deve ter lá seus vícios, defeitos e muitas outras coisas mais… Se for possível, e a gente sabe que pra muitos nem sempre é, está na hora de trocar de cadeira…

Como foi dito acima, a Daniele tem hábitos não muito convencionais (pelo menos pra mim) de frequentar trilhas, parques e outros lugares não pavimentados. Atualmente  ela faz todos esses passeios com uma cadeira pra lá de convencional, que é a tão famosa “dobrável em X”. Mas tem coisa melhor sim! E obviamente é a cadeira monobloco. Nesse caso, diferente de outras ocasiões, não há o que discutir. Se for o caso de realmente enfrentar lugares muito acidentados, o certo mesmo é partir para uma monobloco com quadro box, que é mais rígido e difícil de entortar. Não vejo necessidade de ter duas cadeiras.

Ela descreveu se sentir sem estabilidade em uma monobloco. Isso ocorre por dois motivos: só o fato de sair de uma dobrável em X com praticamente zero de avanço de centro de gravidade, já muda toda dinâmica de tocar a cadeira, a força aplicada será menor e isso exige um período de adaptação. Outro fator que tira a segurança e estabilidade da cadeira é a escolha das medidas. Cadeira leve é pra facilitar a vida e não pra machucar… :)

Gente, eu tenho 1.90cm e um equilíbrio de tronco péssimo, minha lesão é C4/5, e nem por isso me sinto inseguro numa monobloco. É tudo questão de acertar as medidas, nesse caso fazer uma cadeira mais baixa já resolve bastante. Se ajudar com um tilt correto então, fica super estável. (Tilt é a diferença entre de altura entre as partes traseira e dianteira da cadeira).

Para melhorar ainda mais, o ideal é ter um par de rodas Off Road com pneus “balão” de 2 polegadas de largura e desenho cravado. Esse pneu ajuda no amortecimento por ter um perfil mais alto e em terrenos acidentados fica mais fácil tanto pra quem empurra o cadeirante como pra que toca a cadeira se locomover. Confesso que em areia foda de praia não adianta muito. O ideal seria ter um par de rodas com pneus de 1 polegada para uso na cidasde. Não precisam ser rodas importadas, basta trocar o pneu que pode ser encontrado em lojas de bike. Fiz uma pesquisa rápida e com uns 600 reais é possível ter um par de rodas com eixos Quick Release prontas pra uso.

rodas off road dentro da água

Fernando Fernandes em uma cadeira equipada com rodas Off Road

Rodas dianteiras infláveis funcionam super bem e atendem tanto as necessidades de campo e cidade, mas caso queira ficar no meio termo, as soft rolls de 6 polegadas já dão conta do recado. Duro é comprar essas rodas chinesas que alguns fabricantes nacionais fornecem e conviver com ranhuras e dentes nas rodas.

A qualidade de uma cadeira importada é infinitamente incomparável as nacionais. Minha cadeira completou 3 anos, a do Dado 4 e meio, a da Cris 2. Problemas? Nenhum. ZERO. Vira e mexe trocamos componentes, mas por capricho, e não por defeito. Em caso de quebrar alguma peça, eles enviam pra cá. Você paga um valor maior, mas a vida útil da cadeira é bem mais prolongada.

Share

404

Lateral Direita

Buscar

Banner da loja virtual Cavenaghi