Opinião e cotidiano

Supermercados

20

imagem de um pacote de compras de supermercadoEu sei que existe uma infinidade de lugares que são mal adaptados ou que não tem nenhuma adaptação. Mas no conjunto da obra acho que os supermercados conseguem ser um dos lugares que possuem maior número de barreiras para um cadeirante.

Nessa minha fase “faço tudo sozinha, sou independente, me deixa“, fui ao supermercado fazer as compras da semana. Peguei uma mochila bem grande pra colocar as compras, e lá fui eu pela rua andando até o supermercado. Confesso que no meio do caminho pensei em voltar. Era Domingo, mega cedo (supermercado cheio é uó, então só indo cedo mesmo), e o caminho era mais acidentado e torto do que me lembrava, tava cansativo chegar. Mas ai a gente respira fundo e segue, até porque a comida e os produtos de limpeza não vão aparecer magicamente na minha casa, então era melhor seguir.

Chegando no supermercado a primeira dificuldade: carrinho ou cestinha? Como o carrinho ia ser mais complicado de empurrar, e por ser maior acabaria me induzindo a comprar mais, optei pela cestinha. Coloquei no colo, e fui. Enquanto ela estava vazia tava “ótema”… Coloquei um item, dois, três… PLOFT, tudo na chon! Peguei tudo, coloquei na cestinha, equilibrei e continuei. Para, coloca a cestinha no chão, pega o que precisa na prateleira, pega a cestinha de novo, mais um, dois… PLOFT! Ai, ai, respira fundo, pega tudo de novo, abstrai do fato que tá todo mundo olhando, coloca na cestinha e segue… Quase mais um ploft depois desisto da cestinha, antes que resolvesse arremessa-la para longe, e pego um carrinho.

Agora não cai mais nada, masssss, é aquela coisa: empurra o carrinho, empurra a cadeira, empurra o carrinho, empurra a cadeira… Necessariamente nessa ordem e alternadamente. UÓ! Mas continuemos, porque a vida é boa, né? Não no supermercado! Já com o carrinho, fui pra parte de laticínios. Ó céus, pra quê tanto “iorgute” de AMEIXA??? Quem come isso? Ok, se tá ali, alguém deve comer, mas é o sabor mais insosso do mundo dos lactobacilos, só perdendo para os de sabor natural. Nenhunzinho de morango pra contar história, ô dó! Enquanto procuro um sabor de iogurte decente, vem uma senhorinha, passando por cima de mim (porque sou transparente, vocês sabem, tô ali, mas não existo, uma miragem digamos assim), estica o braço quase esfregando o sovaco na minha cara (éeeeeeecaaaaaa) pra pegar um iogurte, e o de ameixa, claro. Assim, o balcão devia ter uns 15m, estava vazio e ela tinha que passar por cima de mim??? Puxei a cadeira pra trás, desisti do iogurte e fui pro requeijão. Agora o problema desses balcões de laticínios: eles têm uma “varandinha” onde normalmente ficam os queijos, salsichas e massas, e o resto fica na prateleira que é mais funda (motivo de ter quase levado uma sovacada na cara). Porqueeeee arquitetos, designers ou sei lá quem que desenha essas bagaças??? Aquilo é prático pra quem? Claro que o requeijão tava mais no alto e arrumados um em cima do outro, ou seja, pra pegar um eu ia ter que me equilibrar e equilibrar o pote que estiver em cima. E como Murphy foi concebido em um supermercado, e claro que não tinha nenhum pote sem outro em cima. E agora? Puxa o quadril pra ponta da cadeira, estica o braço, vai puxando o pote com a ponta do dedinho, e aos poucos o pote fica bem na beirada, ai você pega os dois, equilibrando no caminho até o carrinho, rezaaaaaando pra não cair o de cima, deixa um no carrinho e devolve o outro pra prateleira. Ok, podia ter pedido ajuda, mas e o orgulho? Ia reclamar de quê depois? rsrsrrs.

Sigo com minha missão de compras, passo reto e rápido pelo corredor polonês de biscoitos, antes que eles se joguem aos montes no meu carrinho e paro pra comprar escova de dente. Preciso dizer que todas as escovas estavam penduradas na parte mais alta? Ai, eu pego uma embalagem que seja comprida, e fica batendo nas escovas até que a que eu quero caia. Bonito, né? Super fofa a cena, rsrsrsrs. Os problemas com a altura continuam pelo resto das compras, além de que quando tem mais de um carrinho nos corredores o negócio complica, acaba rolando um engarrafamento, desvia daqui, vira pra lá, mas a gente vai se ajeitando. E não menos complicado, você chega no caixa, coloca tudo no balcão, a caixa vai passando os produtos, é um “pi-pi” danado de leitor de código de barras, a tia que arruma as compras vai colocando tudo cuidadosamente na mochila (porque nessa hora eu faço cara de malvada olhando pra ela, do tipo “tô te vendo, cuidado com minhas compras!“), só que o espaço entre os caixas é muito estreito, e a cadeira não passa. E o trequinho de passar o cartão é bem no meio. Como eu chego ali pra digitar a senha??? Puxa a maquininha, puxa o fio, estica o braço, erra a senha, (gente, é muita senha pra uma vida só, preciso de pelo menos umas três encarnações pra justificar tanta senha!) puxa tudo de novo, acerta a senha, tudo ok, dá uma volta gigante pra pegar as compras, coloca a mochila nas costas da cadeira, quase vira pra trás e volta pra casa como se estivesse puxando uma carroça. É fácil? Não. Podia ser melhor? Fato. Compensa? Muito. Mesmo com todas as dificuldades, muitas comuns a todos independente de deficiência, fazer o que quero, como eu quero, quando eu quero não tem preço!

Sobre o autor / 

Cris Costa

Artigos relacionados

20 Comentários

  1. Katifloripa segunda-feira, 14 de novembro de 2011 em 19:43 -  Responder

    Visão do onferno este supermercado e o povo desta cidade hein cris??
    Até onde sei não é vergonha pedir ajuda quando a gente precisa! Vc deveria engolir este orgulho amiga!
    Por essas que não troco minha cidade’ onde vou estou sempre sorrindo e sem vergonha de pedir ajuda!
    Beijos, e ah, nao tem supermercado online??

    novembro 16th, 2011 - 21:17
    Cris Costa respondeu:

    Oi Kati, o lance do orgulho é ironia. Sou ZERO orgulhosa. Mas o meu instinto é sempre tentar sozinha primeiro, se não der, peço ajuda. E como era minha primeira vez sozinha, queria tentar tudo mesmo. Se não, como ia escrever o post? rsrsrs. O pessoal do supermercado é MUITO solícito. Só a senhorinha que era sem noção, rs. E tem supermercado online sim, mas gosto de ir pra ver o que tem, promoções, produtos, variedades, etc. E indo lá não tem taxa de entrega, rsrsrs. Bjs!!!

  2. Claudia Sanzone terça-feira, 15 de novembro de 2011 em 21:51 -  Responder

    Cris, seu comentário está hilário e sensacional! Você foi muitíssimo feliz de admitir que fazia questão de passar por todo esse sufoco pelo simples motivo de fazer o que deu na telha. Imagino que você esteja com as rodas carecas de saber que dá pra fazer compra online e que eles entregam tudo direitinho, no santo conforto da nossa casa. Eu, pelo menos, fiquei muito satisfeita com esse serviço das vezes que precisei utilizá-lo. Sei que foi uma aventura insólita fazer essas compras, mas se o fato não tivesse se consumado, nós, seus leitores, não estaríamos agora nos deliciando com sua narrativa. Grande beijo!, Claudia.

    novembro 16th, 2011 - 21:21
    Cris Costa respondeu:

    Mas não é? Além de ter história pra contar, rs, eu gosto de ir pra escolher com calma o que quero, ver todas as opções, promoções, ver as pessoas, tudo! Dificuldade todo mundo tem alguma, mas não vou deixar de fazer as coisas por isso. Que bom que gostou! Bjs!

  3. Claudia Sanzone terça-feira, 15 de novembro de 2011 em 21:54 -  Responder

    Voltei só para clicar ali na opção de receber um lembrete, por email, a cada post atualizado. Outro beijo!

  4. Nickolas Marcon quarta-feira, 16 de novembro de 2011 em 09:07 -  Responder

    Cris, sua descrição para a aventura de fazer as compras-nossas-de-cada-dia foi ótima. Eu, por exemplo, adoro ir ao supermercado “ver as modas”. Compras online não têm a menor graça. Há um prazer em conferir toda a composição nutricional, datas de validade, escolher entre as opções de iogurte de ameixa… Claro que tem sempre gente querendo ajudar, mas a graça é justamente fazer tudo isso sozinho!!!
    A história da escova de dentes foi a expressão fiel da realidade. Acredite: com o tempo se pega a prática em empurrar o carrinho tocando a cadeira (sem parar), alcançar coisas distantes com a cestinha cheia no seu colo e a fazer tiro ao alvo para derrubar coisas mais altas direto na sua mão. 🙂

    novembro 16th, 2011 - 21:32
    Cris Costa respondeu:

    Hhahahhaha, é engenheiro mesmo! Ficar analisando composição nutricional e data de validade??? rsrrsrss. Agora que vou com mais frequência vou poder desenvolver minhas habilidades de arremesso, empurrar carrinho e cadeira, e alcance de coisas distantes, rsrsrrs. Eu acabo me divertindo, isso que importa. Bjs!!!

  5. Elielson quarta-feira, 16 de novembro de 2011 em 15:26 -  Responder

    Tragicômico! rs… Escrever (bem!) é mesmo uma boa forma de espantar demônios. =) Ótimo texto.

    novembro 16th, 2011 - 21:33
    Cris Costa respondeu:

    Obrigada Elielson!

  6. Luiza Coimbra quarta-feira, 16 de novembro de 2011 em 16:45 -  Responder

    Cris
    Parabéns, e vou confessar SÓ PARA VOCÊ, só venho aqui no blog POR SUA CAUSA! Não espalhe para ninguém, mas quando vejo que você não postou nada! Fico triste, até falo com os meus botões: “Essa menina tá preguiçosa!”
    Beijos

    novembro 16th, 2011 - 21:34
    Cris Costa respondeu:

    Oi Luiza, é falta de tempo mesmo, rsrsrsrs. Que bom que gosta do Blog. Bjs!!

  7. Bianca Marotta sexta-feira, 18 de novembro de 2011 em 11:11 -  Responder

    AMEI!!! Rolei de rir! E como designer, fiquei envergonhada! Super vontade de entrar AGORA num supermercado e mandar mudarem tudo de lugar!
    Ah! Pro lance da escova de dente, pensei naquela mãozinha verde de brinquedo que abre e fecha (mão biônica da Glaslite http://bimg1.mlstatic.com/s_MLB_v_F_f_198457844_9494.jpg), lembra? Eu adorava aquilo! E eu a usaria sem dó no mercado. Seria hilário!

    beijos!

    novembro 20th, 2011 - 20:54
    Cris Costa respondeu:

    Sabe que eu pensei nisso quando tava no supermercado? rsrsrsrss. Acho que vou comprar um, viu? Vai me ajudar muito, rsrsrs. Bjs!!

  8. Eduardo Camara sexta-feira, 18 de novembro de 2011 em 15:17 -  Responder

    Cris, ri muito com o post! Ida ao mercado é tudo isso sim, mas é muito divertido! Hoje em dia vou pelo menos 2 ou 3 vezes por semana, sempre fazendo compras pequenas pois é o que dá para carregar na mochila 🙂

    Agora, horário bom pra ir realmente é bem cedo ou então bem tarde, à noite, nesses supermercados 24h. Eu adoro!

    novembro 20th, 2011 - 21:01
    Cris Costa respondeu:

    Não tenho essa disposição toda de ir 3 vezes por semana, uma vez só tá bom, rsrsrs. Vou tentar aos sábados a noite pra ver o que acontece, rs. Bjs!

  9. Christian Matsuy sexta-feira, 18 de novembro de 2011 em 18:10 -  Responder

    As vezes eu vou! e não compro naDA! Eu sigo a cartilha do Nickolas, ahh e no Pão de Açucar sempre tem óóótimas ofertas! rsrsrs

    novembro 20th, 2011 - 21:03
    Cris Costa respondeu:

    Pão de Açucar é muito caro, rsrsrsrs. Tá de sacanagem que fica olhando rótulo e data de validade? Vcs hein? rsrsrss. Bjs!!

  10. Denise Araujo domingo, 27 de novembro de 2011 em 12:07 -  Responder

    Adorei o post! No Extra tb não tem cestas o q acho péssimo. bjs

  11. salomão gormam domingo, 18 de dezembro de 2011 em 20:31 -  Responder

    cris estou conhecendo o blog hoje, sou morador do rj estudante de psicologia, e esteva precisando interagir com pessoas na mesma situação q a minha, vamos lá pq nos cadeirantes temos muito a conquistar bjs!!!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook