Acessibilidade, Dicas, Transporte, Viagens e Turismo

Cadeirantes em aeroportos

42

Acredito que já escrevemos sobre isso em outros artigos mas o ocorrido recente com o escritor Marcelo Rubens Paiva repercutiu em todas as redes sociais, jornais e televisão.

Pra não ser repetitivo, vou resumir aqui o fato e quem quiser ler as íntegras basta acessar o site do Estadão.

O Marcelo chegou em São Paulo no aeroporto de Congonhas e estava aguardando a tripulação proceder com o desembarque, pra quem não sabe, normalmente passageiro cadeirante ou com outra mobilidade reduzida que requer ajuda para a transferência da cadeira para o assento da aeronave, embarcam primeiro e desembarcam por último. 

Pra concluir o Marcelo foi “esquecido” e só foi retirado após a tripulação do vôo seguinte chegar. E nesse meio tempo ele começou a postar o que estava acontecendo no Twitter. A TAM alega que o atraso ocorreu pelo fatos dele ter solicitado o Ambulift (ele nega) que estava em uso em outro vôo. 

reprodução do Twitter do escritor

Aeronaves que operam em terminais com Finger, dispensam o uso do equipamento. Ou seja, não faz sentido.

Longe de mim desejar o mal para os outros, mas é bom quando essas situações acontecem com gente conhecida, pois o fato ganha uma dimensão muito maior. Se fosse comigo, eu iria no máximo publicar aqui no blog e o número de pessoas que ficariam sabendo seria menor. 

Infelizmente sabemos que essas coisas ainda vão continuar acontecendo, mas fatos como esse são “bons” pra dar uma remexida nos responsáveis. A ANAC vai apurar o caso que pode gerar em multa para a TAM de 10 a 25 mil Reais.

Aproveitando o assunto desse post, sempre é bom divulgar algumas dicas para quem ainda não voou cadeirante:

Fique atento na hora da compra da passagem, na maioria das empresas existe a opção de escolher se você precisa de ajuda, se vai embarcar com a cadeira etc. Caso não tenha isso no site da empresa que estiver comprando, ligue para o atendimento ao cliente e explique sua situação. 

Chegue com antecedência. Principalmente se não conhece o aeroporto. Hoje em dia todo mundo se considera “prioridade” e a fila de check-in e embarque dessas “prioridades” é maior e mais demorada que a fila comum.

Não esqueça de identificar sua cadeira, geralmente eles etiquetam no despacho das bagagens, se não o fizerem, faça por sua conta.

Não desmonte sua cadeira! Se for dobrável, após estar acomodado no assento, oriente como dobrá-la e se for monobloco, apenas deite o enconsto. A almofada deve ir com você dentro da aeronave. Eu a coloco no assento do avisão mesmo. Se sua cadeira tem laterais destacáveis ou apoio de braço, retire e guarde no bagageiro interno do avião. 

Cadeiras de rodas motorizadas só embarcam se forem equipadas com baterias de gel.

embarque carregado sem ambulift

embarque carregado sem ambulift

Na maioria dos aeroportos, você vai embarcar/desembarcar carregado, portanto, tenha em mente como é o seu melhor jeito para que isso seja feito, é importante que você não fique passivo nessa hora e explique como deve ser feito.

Sobre o autor / 

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

Artigos relacionados

42 Comentários

  1. Juliana Duarte terça-feira, 24 de julho de 2012 em 18:48 -  Responder

    e se a cadeira for motorizada E o aeroporto tiver finger, será que rola dela ir na nave? embarcar como bagagem é quase certo de que volta destruída..

    julho 24th, 2012 - 19:30
    Christian Matsuy respondeu:

    Juliana, a cadeira sempre vai no compartimento de bagagem mesmo as manuais, porém nunca despachei minha cadeira como bagagem, independente de ter finger ou não, eu vu bcom ela até dentro da aeronave e depois eles guardam.

    Abraço!
    Christian

  2. maria paula teperino terça-feira, 24 de julho de 2012 em 19:24 -  Responder

    Prezados, a TAM vem repetidas vezes dando péssimo atendimento às pessoas com deficiencia nos embarques e desembargues dos seus vôos. Tenho 4 relatos diferentes do pessimo atendimento dado pela TAM num espaço de 6 meses, inclusive um deles aconteceu comigo no início do ano. Acho que não dá para ter uma atitude passiva frente a esse total descaso. Por esta razão, amanhã (25/07/12) agendei uma reunião com a Diretoria da OAB RJ, para estudarmos medidas a serem tomadas para acabar com esses abusos. Quem tiver fatos para relatar sobre o tema, por favor me escreva. paulateperino@hotmail.com
    Abraços

    julho 24th, 2012 - 20:32
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Maria,

    É desse engajamento que estamos precisando! Eu mesmo fui esquecido no Santos Dumont pela Gol, a diferença é que foi no embarque. Eles alegaram “troca de turno” que ocasionou falta de funcionário para fazer o procedimento de acompanhamento até a aeronave. Quase perdi o vôo, fui o último a embarcar!

  3. Bianca terça-feira, 24 de julho de 2012 em 19:29 -  Responder

    Já li algo a respeito q é obrigatório o aeroporto ter ambulift quando não existe finger, é verdade? Juliana eu já embarquei várias vezes de motorizada e vou sim até a aeronave sentada nela, lá eles desarmam e colocam no porão da aeronave, mas infelizmente isso não te isenta de receber ela quebrada, já aconteceu cmg várias vezes.

    julho 24th, 2012 - 20:27
    Christian Matsuy respondeu:

    Bianca,

    De acordo com algumas notícias que andei lendo, são pouquíssimos os aeroportos equipados com ambulift, a TAM mesmo diz ter 4, 1 em congonhas, 1 em Guarulhos, 1 no Galeão e 1 em Brasília.

    A Anac transferiu a responsabilidade dos ambulifts para as empresas aéreas.

  4. Cassia Cuelbas sexta-feira, 27 de julho de 2012 em 01:49 -  Responder

    Bom dia!
    Primeiramente adorei o site, parabéns!
    Resumindo, gostaria de uma dica sua:
    Dei uma viagem de avião de presente a meus pais, ambos idosos, e minha mãe tem mobilidade reduzida, e usa cadeira de rodas. na volta de nossa viagem, no aeroporto de Curitiba, nos disseram que ela deveria ser a última a embarcar pois atrapalharia a entrada dos demais passageiros, visto que a fila já havia começado. Estou extremamente indignada, pois foi humilhante a situação, eu e minha mãe choramos, e no final das contas, entramos eu, meu marido, meu pai e minha mãe por último no vôo, e fomos “acalmados” pelos comissários de bordo e passageiros. O que acha que devo fazer? já entrei em contato com a empresa que apenas pediu desculpas pelo ocorrido, mas disse que isto não foi feito de propósito. Gostaria de entrar na justiça, o que acha?
    abraços.

    julho 31st, 2012 - 14:56
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Cassia,

    Agradecemos sua visita ao blog! Bom, acho que nesse seu caso entrar na justiça só vai lhe gerar mais stress. Eu entendo perfeitamrente o constrangimento, mas acho que sem provas fica difícil de você coneguir ganhar a causa. Mas a minha dica ainda é válida: chegue com antecedência, bastante! Se o embarque estiver liberado, realmente é necessário aguardar que todos entrem e você vai embarcar por último. Se isso ocorrer novamente fotografe, pegue o nome de todos os envolvidos e chame um fiscal da ANAC, no próprio aeroporto.

    Abraço!
    Christian

  5. Cassia Cuelbas quarta-feira, 1 de agosto de 2012 em 00:11 -  Responder

    Olá Christian!
    Obrigado pela resposta!
    Mas creio que a sala de embarque seja toda filmada não? Não posso pedir cópia das imagens? Sinceramente não queria dinheiro, queria sim um pedido de desculpas bem formal e acho que só vou conseguir na lei, mas ainda sim, vou aguardar um conselho teu…
    abraços, e parabéns pelo site.

    agosto 11th, 2012 - 15:23
    Christian Matsuy respondeu:

    Cassia,

    juro que entendo perfeitamente a situação, mas acho que você vai perder um tempão pra conseguir essas imagens (se conseguir) e se desgastar pacas por um pedido formal de desculpas… Na minha opinião, acho pouco válido. Nas próximas situações (espero que não ocorra novamente), grave ou fotagrafe nem que for com o celular, tenha nome e rg de testemunhas pra não ter que depender de ninguém para produzir provas, agora que passou acho mais complicado de você conseguir alguma coisa.

  6. Rodrigo Fragoso quinta-feira, 2 de agosto de 2012 em 00:13 -  Responder

    meu Deus ! que situação passou nosso amigo. Quero só ver quando eu precisar viajar de avião. O site é mto legal e instrutivo amigos, parabéns!!

    agosto 11th, 2012 - 15:23
    Christian Matsuy respondeu:

    Valeu Rodrigo!

  7. Cassia Cuelbas sábado, 11 de agosto de 2012 em 21:40 -  Responder

    Christian, primeiramente obrigado pela sua atenção. E vou seguir a sua dica sim. Que Deus continue o abençoando e que este site continue a ser “uma mão na roda” a tantas pessoas, assim como é!
    Abraços!

  8. Luanda quinta-feira, 16 de agosto de 2012 em 17:38 -  Responder

    Aconteceu a mesma coisa comigo, também em um vôo da TAM. Depois de um vôo de 4 horas de Manaus para o Rio, demoraram 1 hora e meia para me levarem até o lobby – entre me tirar do avião e arrumar um 2o ônibus, visto que o que levou os demais passageiros não me esperou.

    A dica que eu posso dar para quem passar por isso no Galeão é respirar fundo e ficar mais um pouquinho no aeroporto, pois há um Juizado Especial Cível no próprio Terminal 1.

    Meu caso ocorreu no dia 24 de junho e tenho audiência marcada para o dia 20 de setembro. Quando houver resultado, volto para contar.

    OBS: nem se desgaste para reclamar na Infraero… o máximo que eles fazem é te dar um formulário para jogar em uma caixinha, sem qualquer tipo de recibo ou protocolo.

  9. Luanda quinta-feira, 16 de agosto de 2012 em 18:07 -  Responder

    Outro caso foi noticiado pela coluna do Ancelmo Goes. A TAM tentou impedir as escritoras do livro Maria de Rodas de embarcarem em um vôo, sob o argumento de não terem condições de auxiliar 4 cadeirantes no mesmo avião.

    agosto 18th, 2012 - 12:51
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Luanda,

    nós ficamos sabendo. conhecemos as escritoras.

    abraço
    Christian

  10. Rodrigo segunda-feira, 3 de setembro de 2012 em 02:04 -  Responder

    akguém sabe me dizer, pq as cadeiras de rodas motorizadas, tem que ter bateria de gel, pra embarcar no avião? é até uma sugestão para um post aqui. eu uso cadeira de rodas motorizada. vou aguardar! abraços pessoal.

    setembro 3rd, 2012 - 11:14
    Christian Matsuy respondeu:

    Rodrigo,

    As empresas de aviação na carregam baterias de chumbo ácido a bordo por motivos de segurança, pois o líquido interno dessas baterias é altamente corrosivo. Isso é praticado em todos os países.

  11. Marlindo Ribeiro Mendes quinta-feira, 6 de setembro de 2012 em 16:18 -  Responder

    Obrigado mesmo de coração. Breve irei a S.Paulo, então já sei como funciona o embarque e desembarque. Sou cadeirante há 14 anos e agora resolvi atravessar essas barreiras e rever amigos e familiares em outros lugares. Vou ficar atento nas suas informações, pois até então ñ sabia disso. Deus te abençoe sempre. Um forte abraço.

  12. Mayr sábado, 29 de setembro de 2012 em 16:56 -  Responder

    De fato, cadeira com bateria de gel PODERIAM ir na cabine, mas JAMAIS consegui essa facilidade no Brasil.

    setembro 29th, 2012 - 17:02
    Christian Matsuy respondeu:

    Mayr,

    De fato, NA CABINE nunca vi nenhuma cadeira, acredito que a legislação vigente não permita, até pelo fato de ocupar um espaço grande.

    Abraço!

  13. Mayr sábado, 29 de setembro de 2012 em 18:15 -  Responder

    Christian, A legislação permite. as Companhias não querem saber, qualquer lugar meio vago vira poltrona…

  14. Zenaide Gutierrez Nunes quarta-feira, 10 de outubro de 2012 em 22:03 -  Responder

    Maravilha!!!! tenho procurado encontrar cadeirantes como eu,mas como sou muito ruinzinha de computador,encontro grandes dificuldades…Hoje entrei numa página da Cavenagni e fui abrindo horizontes e aqui estou.Sou cadeirante há 60 anos e já passei por todas as dificuldades,discriminações e preconceitos que existem explalhados por esse mundo.Mas…persistente,batalhadora,aventureira e determinada,venci.Tenho uma história de vida,de luta,de garra,de lágrimas e renúncias… mas de grandes vitorias também.Imaginem,hoje aos 63 anos de idade,vitima de poliomielite,o que era dificil para uma pessoa com as minhas dificuldades.Bato palmas aos cadeirantes de hoje,que podem abrir a boca e gritar pelos seus direitos.De uma forma ainda bastante amadora,a midea dá uma força.Na minha juventude havia Ditadura.Ah jovens cadeirantes gostaria de poder abraçar um por um de vocês,parabenizá-los com olho no olho,pois é essa garra,essa luta,essa briga por rampas,lugares nos aviões,por emprego,pelo amor,pelo sexo e tantos e tantos por… por… por…Vim do nada,sem dinheiro e sem direitos mas jamais deixei que alguém falasse por mim…Lutei como consegui e venci…Amigos…gostaria de poder trocar experiências com vocês…Um beijo enorme no coração de cada um que estiver lendo meu comentário.

    outubro 17th, 2012 - 19:07
    Christian Matsuy respondeu:

    Zenaide,

    A equipe do blog agradece sua visita e seus comentários!
    Um grande abraço!

  15. Patrícia segunda-feira, 29 de outubro de 2012 em 18:25 -  Responder

    Ei Christian!
    Viajo bastante de avião e concordo com suas dicas!
    Para não me estressar, durante a compra da passagem eu já marco lugar e indico necessitar de auxílio. Como nunca conseguimos comprar os primeiros assentos por serem bloqueados, compro os assentos mais próximos da entrada possível.
    Sempre chego com antecedência e sou sempre a primeira a embarcar e a ultima a desembarcar.
    Nos aeroportos onde não existe aquele corredor acoplável à aeronave, desço com o auxílio dos funcionários da empresa aérea e relaxo. Depois de um tempo a gente se acostuma!
    Ah! e é mesmo muito importante auxiliar os comissários na hora da transferência, dizendo a melhor forma de te ajudar…às vezes, quando a aeronave é muito pequena, tenho que ser transferida no colo mesmo…
    Pra finalizar, minha cadeira vai sempre no compartimento que existe no bico da aeronave.

    março 7th, 2013 - 17:32
    Christian Matsuy respondeu:

    E isso ai Patricia!
    Legal saber que você já se entendeu com os aeroportos e aviões!

  16. carlos ávila segunda-feira, 14 de janeiro de 2013 em 00:19 -  Responder

    Gostaria apenas de ressaltar que ao contrário do que diz acima as cadeiras de rodas motorizadas equipadas com baterias com ácido devem ser embarcadas pelas compainhas aéreas conforme normas da ANAC. A aérea deve providenciar todos os procedimentos necessários para que a cadeira seja levada com segurança. Mas cuidado não é fácil pois principalmente os funcionários do pátio de manobras são muito descuidados e não estão nem ai para isto. Tratam muito mal a situação. As baterias devem ser embaladas em caixas especiais e colocadas no compartimento dianteiro da aeronave assim como a cadeira e fortemente amarradas para evitar batidas no principalmente no pouso. E para não correr o risco de sua cadeira não embarcar exija o seu direito de usar sua cadeira até a porta da aeronave em qualquer aeroporto. Nos aeroportos dotados de pontes elevadas voce pode sim ir com sua cadeira até a porta.
    Um abraço a todos e boa sorte.

  17. jeferson quinta-feira, 7 de março de 2013 em 17:23 -  Responder

    Gostaria de saber , no nosso caso temos uma filha de 5 anos, com PC e Hidrocefalia, ela não tem controle de tronco e cabeça, usa cadeira adptada com correção postural
    Como fariamos para viajar com ela de avião, ela pode viajar sentada na cadeira de rodas dela? pois na poltrona do avião ela não teria condições de sentar corretamente e tbm pelo que vi ela não pode viajar no colo.
    A cadeira não é motorizada.

    março 7th, 2013 - 17:28
    Christian Matsuy respondeu:

    Jeferson,

    Não, sua filha não poderá viajar sentada na cadeira dela, nem existe espaço pra isso em uma aeronave seja ela qual for.

    A melhor maneira de saber essa informação é ligar para o SAC da empresa aérea e ver qual o procedimento adotado.

  18. Jussara quinta-feira, 28 de março de 2013 em 22:06 -  Responder

    ola.. vou fazer minha primeira viajem de avião com cadeira de rodas e a minha é motorizada… não sei como é que acontece.. a minha cadeira pesa 63 k to preocupada.. por ser muito caro o excesso de bagagem.. que faria eu pagar um absurdo tanto na ida quanto na volta.. que seria basicamente o preço da passagem.. saberia mi informa se realmente pagaria muito caro ou teria alguma facilidade.. ??

    março 28th, 2013 - 22:13
    Christian Matsuy respondeu:

    Cadeira de rodas, seja ela qual for não entra no peso da bagagem, pode ficar tranquila quanto a isso.

  19. Jussara quinta-feira, 28 de março de 2013 em 22:30 -  Responder

    ahhhhhhh brigada nossa mi salvo.. 😉

  20. isabela sábado, 26 de outubro de 2013 em 10:02 -  Responder

    gostaria de uma orientação. existe alguma lei que obrigue o cadeirante a chegar ao aeroporto com 2 horas de antecedencia?

    meus tios viriam ao RJ (saindo de goiania) e foi NEGADO O EMBARQUE pois eles chegarma com 40 minutos, sendo que em nenhum momento foram orientados a isso, e em nenhum local do contrato consta isso.

    uma familia inteira perdeu suas férias.

    outubro 26th, 2013 - 10:15
    Christian Matsuy respondeu:

    Isabela,

    Lei não existe. Mas é uma recomendação que sempre me passaram. O embarque do cadeirante é mais demorado, precisa ser feito com antecedência, tem que guardar a cadeira no bagageiro, enfim… acho que chegar um pouco antes é importante.

  21. isabela sábado, 26 de outubro de 2013 em 10:16 -  Responder

    sim, mas negar o embarque?

  22. isabela sábado, 26 de outubro de 2013 em 10:18 -  Responder

    eles chegaram com 40 minutos, em nenhum momento foram orientados a chegar com mais antecedência que isso e PERDERAM as passagens pois a companhia se recusou a embarca-los.

  23. Patricia Marcia sábado, 10 de outubro de 2015 em 23:17 -  Responder

    Vou viajar pela KLM Sp- Paris e depois Liubliana (Eslovenia) pela Hop Regional. Estão criando caso: a bateria é selada, antiderramamento aprovada para transporte aéreo , porem as dimensões autorizadas são 90 de altura, 94 de profundidade e 27 de largura. Nem cadeira manual quando fechada tem essa largura. Minha cadeira tem 90 de altura, 90 de profundidade e 41 de largura quando fechada, e 43kg sem a bateria. Falam que o avião para Eslovenia é um Embraer 170, que é pequeno e que não cabe (???????). Me pergunto se o porão do avião é menor que o porta-malas do meu carro (Nissan Livina).

    outubro 14th, 2015 - 08:03
    Christian Matsuy respondeu:

    @Patricia Marcia, Olá Patrícia, realmente é uma situação complicada, sabemos que em aeronaves grandes a cadeira cabe tranquilamente, mas em caso de aviões menores eu já não sei. O negócio é conversar direitinho com a companhia aérea e deixar esse ponto bem esclarecido, de preferência com nome de quem você conversou e se tiver prova documental (e-mail, número de protocolo, etc) para que seu embarque seja garantido. Não deixe para resolver de última hora.

    Abraços!

  24. JORDANA sexta-feira, 2 de setembro de 2016 em 15:22 -  Responder

    Olá Pessoal, adorei o blog, temos que nos unir para que os direitos sejam respeitados pois é realmente inaceitável o atendimento que recebem das cias aéreas.
    Quero ver com vocês, como fazem o transporte da bateria das cadeiras motorizada. Faremos a primeira viagem com ela e sei que teremos que transportá-la como bagagem de mão, porem, queria uma ideia legal que pudéssemos acondicionar ela em alguma malinha específica ou algo do tipo para melhor proteção. Teriam alguma ideia? Como vocês transportam a de vocês?

    Obrigada abraços

  25. Adriana terça-feira, 11 de outubro de 2016 em 15:52 -  Responder

    Olá Cristian, sou de uma agencia de turismo e estamos buscando maiores informações a respeito da acessibilidade dos cadeirantes, e em relação a viagens de avião, vc sabe informar se as empresas aéreas cobram algo a mais por transportar a adeira, ou não? Obrigada, Adriana

    outubro 11th, 2016 - 21:01
    Christian Matsuy respondeu:

    @Adriana, Não é permitido que as empresas cobrem por esse transporte. Sempre que viajo levo 2 cadeiras (uma de banho e a de uso diário) e nunca me cobraram, seja em voos nacionais ou internacionais. Cadeirante também tem direito ao assento de frente sem custo extra, basta falar na hora do embarque.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos obrigatórios estão indicados com *

Connect with Facebook

Publicidade

Facebook