Rio de Janeiro – Tour Acessível

rio de janeiroMais um post carioca, dessa vez escrito por um paulistano. Resolvemos fazer uma viagem de fim de samana ao Rio de Janeiro, porém com uma meta: ser 100% acessível

É claro que não dá pra conhecer todos os pontos turísticos da cidade em um fim de semana então planejamos um roteiro que coubesse dentro do nosso período de tempo. 

Duas escolhas importantes: optei por utilizar o aeroporto Santos Dumont que é mais perto, assim já se economiza com táxi, muitas vezes as pessoas compram passagem pouca coisa mais barata e não conta com o valor gasto de táxi do Galeão até o centro. Outra coisa é tentar ficar em um hotel mais centralizado também, pois você fica mais próximo dos pontos turísticos. Dá pra ver bastante coisa a pé. Confira em nosso mapa de locais acessíveis no Rio de Janeiro.

Preço de hotel no Rio é algo muito subjetivo, tudo depende se é feriado ou se tem algum evento na cidade enfim, o importante é reservar com bastante antecedência para conseguir uma tarifa legal. O mesmo vale para as passagens aéreas, conseguimos uma promoção de 200 Reais ida e volta (ponte aérea RJ/SP).

Antes de tudo ainda em São Paulo entramos em contato com um taxista do Rio, o Cláudio Machado, que anuncia seus serviços de táxi acessível no Facebook. Já deixamos pré agendado todos os passeios e traslados aeroporto / hotel. Serviço de excelência sem nenhum atraso, ótima comunicação por e-mail e SMS, deixando totalmente despreocupado no que se trata de táxi ou seja, um problema a menos. O táxi acessível agilizou muito os passeios, pois não se perde tempo desmontando a cadeira.

Cristo Redentor – Corcovado

Foi o primeiro destino direto do aeroporto, o dia estava bonito e o visual realmente incrível. O táxi te leva até o pé do morro onde é necessário desembarcar e fazer a compra dos ingressos (não são aceitos cartões), cadeirante não paga meia. Para a época do ano, havia uma fila imensa pra pegar a van que leva até o Cristo. Existe uma van adaptada que fura a fila e te leva com exclusividade até lá. Me surpreendi com o conhecimento do motorista que operou a plataforma e o sistema de fixação da cadeira rapidamente. 

van adaptada corcovado
desse ponto a van adaptada te leva até o Cristo

Depois da Van o acesso é feito via elevador e escadas rolantes. Podem ficar tranquilos que o pessoal também está bem treinado e sobe qualquer um nas escadas. Tudo sem espera. E o melhor de tudo, em segurança. Lá de cima você vê o Rio todo além do Cristo, torça pra estar um dia bonito! Desaconselho fazer qualquer tipo de refeição na lanchonete, pois a qualidade não é legal e é tudo caro (além de não aceitar cartão).

escadas rolantes corcovado
pessoal treinado para subir e descer as escadas com a cadeira

Após sua visita, no ponto das vans, basta avisar alguém da Organização de embarque que eles chamam a van adaptada por rádio. Eu calculo uma média de 3 horas pra fazer esse passeio. Ao chegar no primeiro ponto de parada do Corcovado, o taxista estava nos aguardando e já embarcamos direto pro Pão de Açúcar.

cristo
vista de baixo do Cristo

Existe a opção de subir através do bondinho que sai de Laranjeiras, porém o tempo de espera seria bem alto, fora o tempo de subida que é de meia hora (fora o tempo de espera e o de viagem da volta). Apesar desse bondinho ser acessível, não recomendamos pelo tempo levado, mas se isso não for um problema pra você, vai fundo!

Pão de Açúcar 

Foi mais ou menos meia hora de deslocamento entre o Cristo e o Pão de Açúcar, resolvemos pular o almoço pois o tempo poderia virar no fim da tarde e estragar o visual do passeio, além do que o Pão de Açúcar é mais demorado de se conhecer. Logo no acesso à bilheteria (R$53,00) existe um elevador, que foi liberado bem rapidinho (após a bilheteria há outro elevador).

catraca pao de acucar
uma das catracas de acesso ao bondinho

Cadeirante paga meia aqui também e aceitam cartão. Toda a área é acessível, sendo possível aproveitar todo o visual do lugar. Entrar no bondinho é bem fácil e caso necessite de ajuda para isso o próprio operador irá te auxiliar. 

pao de acucar
visão do bondinho do pão de açucar

Existem desníveis nas áreas mas tem plataformas de acesso em todas elas, te dando acesso irrestrito. Sinceramente acho esse passeio bem mais legal que o Corcovado, a área de visitação lá em cima é bem maior, tem lugar pra sentar e dá pra ficar um bom tempo desfrutando do visual.

Colombo do Forte

A idéia inicial era conhecer a centenária Confeitaria Colombo no centro, mas achamos mais interessante ir a Colombo do Forte, dai já conhecemos o Forte de Copacabana e os quitutes da confeitaria de uma vez só, sem falar na vista pro mar das mesas externas. Dispensamos o táxi nesse ponto, pois voltaríamos a pé para o hotel.

colombo do forte
das mesas externas pode-se ver o mar e o pão de açucar ao fundo

Praia de Copacabana

Após sairmos da Colombo do Forte, caminhamos pelo calçadão de Copacabana, já estava escurecendo e aproveitamos pra ver os restaurantes da Orla (fica como dica para jantar) e ao mesmo tempo conhecer os quiósques a beira mar, as esculturas de areia… essa coisa toda de turista. Caminhamos praticamente toda praia (mais de meia hora de caminhada), e apesar das predrinhas portuguesas, o trajeto tem rampa em todas as esquinas e travessias.

copacabana
praia de copacabana

Mais Copacabana e Lagoa Rodrigo de Freitas

Domingo de manhã após o café, mais uma volta pela praia dessa vez de dia e com a Avenida Atlântica fechada para os carros, o que te permite rodar no asfalto que é bem mais fácil e optamos por não entrar no mar, só passear mesmo.

lagoa rodrigo de freitas
lagoa rodrigo de freitas

Já havíamos combinado de almoçar com o Nickolas do blog e ele nos levou até a Lagoa Rodrigo de Freitas, lá tem uns bares e restaurantes muito bons. Ah, caso interesse é de lá que sai um dos passeios de helicóptero pelo Rio (nós não fizemos esse passeio). Da lagoa se tem uma bela vista para o Cristo.

Essa viagem com todos os gastos de táxi, hospedagem, alimentação e passeios saiu por menos de 500 Reais por pessoa, o que daria menos de 1000 Reais o casal, tudo com muito conforto em hotel com quarto adaptado. Não é preciso ser milionário para viajar, basta ter disposição de encontrar boas oportunidade nas passagens e hotéis!

Facebook Comments

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

8 comentários em “Rio de Janeiro – Tour Acessível

  • segunda-feira, 13 de maio de 2013 em 11:25
    Permalink

    Olá pessoal, estou para comprar uma nova cadeira e gostaria saber da opinião de vcs sobre a cadeira new ajustável e a elite da ortomix? qual a diferenças entre elas? como é o acabamento delas é boa ou é bem meia boca? as duas cadeiras vem com o encosto rígido de série… esses encosto são confortável? também vem de série rodas x-core 5 essa roda é boa? por tanto essas cadeira vale a pena comprar vendo pelo custo beneficio ou pego preço delas compensa comprar outra cadeira? muito obrigado pela atenção?

    Resposta
  • sexta-feira, 17 de maio de 2013 em 14:49
    Permalink

    Que bom ter a visão de um paulista sobre o Rio. A cidade é mesmo linda apesar dos problemas.
    Fica uma dica para quem vier passear: tomar café da manhã no Lagoon, um local bem legal com vista para a Lagoa, que também oferece um bom número de restaurantes (mais caros) para almoço e jantar.
    Se o visitante gostar de uma boa livraria, não deixe de ir até a Argumento na Rua Dias Ferreira no Leblon. Tem rampa na entrada, porém tem um degrau para o restaurante e não tem banheiro acessível, mas tomar café da manhã lá é muito bom.

    maio 23rd, 2013 - 13:08
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Maria Paula,

    valeu pelas dicas, fica como sugestão para aqueles que lerem o post. Sem dúvidas o Rio é um lugar maravilhoso e muitos se esquecem dele como destino turístico. tem gente que gasta um dinheirão indo para as cidades do nordeste e acabam não fazendo um passeio legal pela falta de estrutura ao cadeirante.

    abraços!

    Resposta
  • sábado, 3 de agosto de 2013 em 12:57
    Permalink

    Olá!

    Adorei sua matéria, no futuro, vou levar meu namorado que é cadeirante pra conhecer o Rio, mas fico um pouco preocupada sobre o uso de escada rolante. É preciso ter um funcionário MUITO BEM treinado.
    Abraços!

    agosto 20th, 2013 - 16:01
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Fernanda!

    A única forma de chegar ao Cristo é pela escada rolante. Os funcionários estão muito acostumados a fazer esse procedimento e é bem seguro fazer o acesso.

    Abraço!

    Resposta
  • terça-feira, 24 de setembro de 2013 em 21:53
    Permalink

    Nickolas Marcon

    oi nickolas
    pode me dizer quem fez sua cirurgia de ampliação vesical ? foi em são paulo ?
    obrigada

    Resposta
  • segunda-feira, 24 de março de 2014 em 14:45
    Permalink

    Meus Caros:
    Escada rolante não combina com cadeira de rodas. A recomendação para o transporte de cadeirantes é que ele seja feito por elevador ou plataforma elevatória especial para deficientes (PNE). O transporte de passageiros por escada rolante é feito sempre com uma das mãos sobre o corrimão e nunca de sandálias de dedo ou rasteirinhas, para as mulheres. A viagem deve ser feita sempre com o passageiro de frente. A escada não é lugar de bate papo. O transporte é seguro desde que as recomendações sejam seguidas. E, por fim, mulheres, quando estiverem de saião (longos) levantem levemente saia de modo que a barra não tenha contato com os degraus na entrada e na saída da escada.

    Resposta
  • segunda-feira, 14 de abril de 2014 em 21:39
    Permalink

    Já que estamos falando de dicas segue uma boa.

    Vocês lembram da Tokleve (fabricante de cadeiras de rodas lá de Goiânia) que tinha como proprietário o Sr. Paulo Cesar Marinho Fernandes – (Paulinho). Pois e meus caros ela que fechou as portas em 2009 depois de dar um calote enorme em muitas revendas, fornecedores, e consumidores finais, todos foram lesados com duplicatas frias produtos não entregues e protestos indevidos. Eu tive 18 protestos na minha empresa indevidos pois a Tokleve emitiu as duplicatas de mercadorias que nunca entregou em duplicidade (picaretagem). Para retirar os protestos gastei muito dinheiro com advogados e paciência e quando falava com o Sr. Paulinho ele dizia que nada podia fazer por mim mas sei que ele tinha plena consciência de tudo. Hoje ele tenta reerguer a antiga Tokleve com o nome de Smart – fazendo uma retrospectiva a Tokleve nasceu da então Ortoshop que quebrou também e fez as mesmas coisas que em 2009 foram executadas pela Tokleve e hoje ele cria uma empresa com o nome de Smart (www.smartcr.com.br) acesse o site e veja e vem com papo mole de outrora para em breve sermos lesados novamente. Não deixem isto acontecer divulguem esta informação e não sejam cúmplices disto.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

Pin It on Pinterest