Gran Livina – Test Drive – Reatech 2013

Entre as atrações da Reatech, uma das mais disputadas é o test drive de veículos adaptados. A maior parte das fábricas nacionais monta stands dentro da feira para o visitante conhecer seus carros parados. Aí o leitor vai dizer “sim, mas isso dá para fazer em qualquer concessionária”. De fato. Mas a grande vantagem da feira é que lá também são disponibilizados modelos já adaptados para qualquer deficiente com habilitação testar numa pista montada dentro da feira. É verdade que a pista é pequena e curta, basicamente um quadrado de asfalto onde mal dá para passar de 30 km/h sem fazer grandes proezas, mas é suficiente para ter uma ideia comparativa entre os carros.

O leitor quer comprar/trocar seu carro e não pôde ir à feira? Tudo bem, o blog  fez a avaliação de alguns veículos que estavam disponíveis para teste na Reatech 2013 e gravou tudo em vídeo.

A primeira avaliação que mostramos aqui é a da linha Livina, da Nissan. Para quem não conhece, a Livina é uma perua com altura de automóvel comum, um modelo sob medida para deficientes que guardam sua própria cadeira e precisam de um carro com muito espaço para bagagem. Não é raro encontrar esse modelo na frota de táxis, prova de que é um carro com boa reputação de resistência. 

Existem dois modelos: a Livina para 5 lugares e a Grand Livina para 7 lugares. Ambas são basicamente o mesmo carro, com a mesma mecânica. A diferença é que a Grand Livina é um pouco mais longa e tem um banco adicional para duas pessoas. Quando rebatido o banco adicional, ainda sobra lugar para 5 pessoas e um espaço invejável no porta-malas, dá para ver no vídeo que a minha cadeira foi guardada inteirinha, sem desmontar, e ainda sobrou espaço para malas, carrinho de bebê, gato, cachorro, papagaio, sogra… Quer mais espaço? Ainda dava para deitar o banco traseiro (ou parte dele), sem dúvida caberia uma handbike inteirinha. Foi a Grand Livina que eu testei e que aparece no vídeo abaixo. 

 Como dá para perceber no vídeo, a adaptação da Livina usava o arco no volante como acelerador, o que me atrapalhou um pouco para manobrar: ao virar o volante, era inevitável esbarrar no acelerador. Por sorte, o modelo tem uma direção bem leve. O pessoal da Nissan que estava demonstrando o carro não soube informar a marca da adaptação, mas definitivamente eu não gostei. Nada como o bom e velho CMU (comando manual universal) com acelerador e freio juntos, que também pode ser instalado facilmente nesse modelo. Mas enfim, questão de gosto e costume.

Depois que a Fielder deixou de ser fabricada, atualmente a Livina e a Spin são as opções para quem quer comprar uma perua de piso baixo com isenção de impostos. Não havia uma Spin adaptada para teste, apenas para demonstração no stand da GM. Aproveitei para dirigir um Cobalt já que, segundo as publicações especializadas, ambos têm um comportamento dinâmico muito parecido (Cobalt e Spin usam o mesmo chassis e mecânica). Em breve publicaremos o teste completo do Cobalt.

Conclusões do teste: achei a Livina muito confortável e macia. Apesar do Cobalt/Spin ter câmbio automático de 6 marchas (o da Livina tem 4), senti a Livina com mais “fôlego” nas arrancadas e retomadas. Além disso, o banco da Livina é um pouco mais baixo que o da Spin, o que facilita nas transferências e na hora de guardar a cadeira. A desvantagem é que a estrutura da Grand Livina não permite a adaptação de uma rampa traseira, tal qual mostramos nesse post sobre a Spin. Como não preciso desse tipo de adaptação, hoje a Grand Livina seria minha opção de compra caso eu precisasse de um carro com mais espaço.

Aí o leitor diz “poxa vida, muito legal poder testar os carros, mas eu ainda nem tenho habilitação…”. Calma, na feira também havia o stand de uma auto-escola, mas isso vai ser assunto para outro post. Aliás, ainda temos muito material sobre carros para postar. Fiquem atentos ao blog.

Facebook Comments

7 comentários em “Gran Livina – Test Drive – Reatech 2013

  • segunda-feira, 3 de junho de 2013 em 21:23
    Permalink

    Pessoal sou tetra lesão C7, semana passada passei na pericia do detran, agora é só adaptar o carro… me indicaram carro cambio automático, pomos de 3 pontas no volante e acelerador e freio manual… minha pergunta? quais são as melhores marcas no mercado dessas adaptações? qual é o melhor modelo custo beneficio? Lembrando também se todas as marcas tem assistência técnica por todo o Brasil? Me orientem por favor sobre quais são os cuidados que tenho que tomar antes de comprar um equipamento para não errar. Obrigado, Marcelo

    junho 4th, 2013 - 11:42
    Nickolas Marcon respondeu:

    Marcelo, a marca referência em adapatações veiculares no Brasil é a Cavenaghi. Ela possui lojas próprias e concessionários autorizados em todo o país. Clique no banner da loja aqui no nosso blog ou visite o site http://www.cavenaghi.com.br para ver qual é o representante mais próximo. Ele poderá te orientar sobre todos os equipamentos exigidos pelo Detran e os modelos de veículos que podem ser adaptados.
    Um abraço.

    Resposta
  • segunda-feira, 10 de junho de 2013 em 00:39
    Permalink

    Pessoal, tenho uma dúvida, outro dia estava vendo alguns vídeos no youtube no qual o carro adaptado para tetra era muito interessante (pelo menos do meu ponto de vista), para quem tem pouquíssima força nos braços facilitava bastante já que a adaptação era um pomo fora do volante em um nível mais baixo, outra coisa interessante que achei foi a rampa para entrar no carro, mas acredito que a rampa não seja problema aqui no Brasil para adaptar já que tem como carregar o cadeirante como passageiro dessa forma, por que não como motorista?! Meu questionamento aqui é, seria possível fazer uma adaptação dessa no volante aqui no Brasil (permitido pelo Detran, com tudo legalizado) e o motorista pilotar na própria cadeira também seria permitido e será que é seguro?
    Link do vídeo citado: http://www.youtube.com/watch?v=LO7BhXK9EuQ

    junho 16th, 2013 - 01:18
    Nickolas Marcon respondeu:

    Gleice, desconheço qualquer citação do Detran a respeito desse tipo de adaptação. Na tabela atual de restrições que constam nas carteiras de motoristas de deficientes estão itens como “acelerador e freios manuais”, “direção hidráulica” e “câmbio automático ou automatizado”. Lá fora, há sistemas até mais complexos que esse do vídeo que vc indicou, inclusive com controle total do veículo por um joystick, mas estimo que uma adaptação de um sistema complexo como esse e mais as rampas automatizadas não custaria menos de R$ 50.000,00 no Brasil. Outro problema é que os veículos disponíveis no mercado nacional com espaço para o motorista entrar com sua própria cadeira são considerados “utilitários” e não têm o benefício da isenção dos impostos. Somando tudo isso, o custo do veículo aqui seria inviável para 99,8% dos cadeirantes. Se vc precisar muito de um veículo assim, sugiro que se informe num despachante aduaneiro sobre a importação do veículo pronto do exterior.
    Um abraço.

    Resposta
  • quinta-feira, 13 de junho de 2013 em 11:51
    Permalink

    Gostaria de saber qual é o preço da Livina 5 e 7 lugares já com a isenção de impostos para nós deficientes, alias de cada carro que for posteriormente postado… hehehe abraços..gosto muito do seu blog

    junho 16th, 2013 - 01:30
    Nickolas Marcon respondeu:

    Frankin, os preços não foram colocados pois podem variar em função da versão escolhida e do frete para sua região. Em média, a isenção do IPI+ICMS gera um desconto de 20% a 25% sobre o preço de tabela da fábrica, que não é necessariamente igual ao preço de venda na concessionária. Sugiro que você se informe diretamente com um revendedor da marca, peça para falar com o setor de “vendas diretas”.
    Um abraço.

    Resposta
  • segunda-feira, 1 de julho de 2013 em 11:32
    Permalink

    Muito obrigado pela dica..abraço forte…

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

X

Pin It on Pinterest

X