Jardim Botânico – Rio de Janeiro

lago dentro do jardim botânico

Em maio consegui minhas tão sonhadas férias. Como não poderia viajar, resolvi explorar o Rio como turista. E um dos lugares que escolhi pra visitar foi o Jardim Botânico. Não ia lá desde que tinha uns 10 anos, e foi bom constatar que praticamente nada mudou. O parque é muito bem cuidado e conservado. De tanto que gostei, acabei voltando outras vezes e fiquei fã do lugar. Definitivamente um dos melhores lugares do Rio. Seja carioca ou turista, se tiver um tempinho, vale dar um pulo por lá. Mas vamos ao que interessa que é a acessibilidade do local.

Eles tem 3 vagas marcadas para deficiente. São bem largas e separadas das demais, o que deve dificultar que os espertinhos sem  deficiência estacionem na vaga.

vagas reservadas para pcd no jardim botânico

O único ponto chatinho do JB é que tem um trecho de paralelepípedo. Do estacionamento até a entrada do parque tem um pedacinho só desses maledetos, uns 20m, nada de mais.

entrada do jardim botânico

Passando o portão, é bem tranquilo. Pelo menos eu achei. É de terra batida, não afunda, liso na maior parte do parque. Só não aconselho ir em dias que tenha chovido, porque ai não deve ficar muito legal, rs.

vista do jardim botânico

 O máximo que você vai encontrar de obstáculo é isso aqui:

caminhos dentro do jardim botânico

Um graveto. Não tive nenhuma dificuldade em circular pelo JB, e olha que a minha tetrice paraguaia não ajuda muito. Rodei pelo parque de  “esprito” livre, desorientado e explorador. Dei uma boa caminhada em quase todo o local, curti muito mesmo. Um pedaço de paz e silêncio (se não tiver visita de escola junto) em plena confusão da Zona Sul do Rio.

Dá pra tirar lindas fotos por lá, mas aconselho fortemente levar uma máquina fotográfica, pois nenhum celular dá conta de tirar fotos dos esquilos que passeiam por ali. Perdi um monte de foto bacana dos bichinhos e ainda tenho que convencer a galera de que isso ai, no circulo laranja é um esquilo:

esquilos

Ainda no parque, depois de gastar energia rodando, vale dar um pulinho no La Biciclete, um café que tem do lado de fora do parque e fica ao lado do teatro e do museu Tom Jobim, que também merecem uma visita. A única parte chata é que do portão do parque até o café é paralelepípedo é são uns 150m. É bem chatinho o caminho, mas vale muito a pena. Garanto que vai ter um dia muito agradável. Quem puder ir durante a semana, é a melhor escolha. Nos finais de semana fica muito cheio, com fila no estacionamento.

café la biciclete

Só não consegui chegar a conclusão se deficiente tem desconto ou gratuidade, ou paga “normal”. Fui uma vez e não cobraram nada, em outra cobraram estacionamento e entrada. Codilôco! Mas não é nada absurdo.

A entrada custa R$ 6,00 e o estacionamento R$ 7,00.

Quem quiser mais informações, segue o link do parque: http://www.jbrj.gov.br/

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

X

Pin It on Pinterest

X