A polêmica do Exoesqueleto

Antes tarde do que nunca. Muita gente já deu sua opinião sobre a exibição feita na festa de abertura da Copa do Mundo 2014. Como não foi possível colocar esse assunto em debate com os demais integrantes do blog, fica estabelecido aqui que essa é um ponto de vista pessoal do autor do post.

exoesqueleto abertura da copa

Demorei um pouco para escrever sobre o assunto pois no “calor da coisa” a gente acaba por ser mal interpretado ou mesmo escrevendo coisa sem fundamento por falta de informações. A real é que muitos ficaram decepcionados com a apresentação do exoesqueleto criado pela equipe do Nicolelis. A promessa era mostrar um paraplégico dando o pontapé inicial da Copa do Mundo, coisa que de fato foi cumprida apesar de inúmeros poréns

Pesquisando em algumas fontes confiáveis temos algumas colocações: Nicolelis prometia “uma veste robótica que poderá fazer que tetraplégicos voltem a andar, usando só a força do pensamento” na abertura da Copa, disse ele nesta entrevista de 2011 ao Estadão. Ele repetiu a promessa várias vezes desde então. 

Em Janeiro de 2014, um pouco antes de começarem os testes, Nicolelis mudou o discurso: “A ideia é que a gente possa demonstrar a habilidade de um paciente paraplégico, e com lesão medular severa, se levantar de uma cadeira de rodas usando a atividade cerebral para controlar o exoesqueleto, caminhar até o centro do campo recebendo todo o feedback tátil desses passos, e finalmente chutar a bola para inaugurar a Copa do Mundo”.

O paciente seria paraplégico, não tetraplégico. Alguns dias antes da abertura da Copa, um comunicado à imprensa já era mais cauteloso: “Um dos oito pacientes da AACD que participaram dos testes clínicos será encarregado de um “chute inicial” da Brazuca (nome da bola oficial do torneio) movimentando o exoesqueleto somente com a atividade cerebral, assim como ocorreu no laboratório”.

Resumindo, nada de se levantar da cadeira, caminhar sozinho e chutar.

Me desculpem os defensores do Dr. Nicolelis, podem tentar inventar a desculpa que quiser, que ele é o maior cientista brasileiro, que esse exoesqueleto é só um protótipo… Isso não muda o fato de que ele prometeu “aos quatro ventos” que um paraplégico (antes seria até um tetraplégico) iria se levantar de uma cadeira, andar uns 25 metros e dar o ponta-pé inicial.

Isso que foi prometido pelo Dr. Nicolelis e era o que todos esperavam (principalmente, os milhares de paraplégicos e tetraplégicos do Brasil e até do mundo inteiro), seria o maior evento da cerimônia de abertura. Atire a primeira pedra quem não esperava no mínimo por isso, e confesso que fiquei decepcionado sim. Não que isso me representasse algum tipo de esperança de cura a curto prazo, mas pelo fato de eu curtir tecnologia, robótica e afins.

Minha decepção foi tamanha que cheguei a culpar erroneamente as emissoras de TV por ignorarem o fato, ou terem deixado em segundo plano mas não, a demonstração foi rápida mesmo. Foi reprisada várias vezes depois, mas na hora do acontecimento foram 3 segundos de imagens.

A equipe do Andar de Novo diz ao Estadão que “nenhum outro movimento foi realizado pelo exoesqueleto, além daquele que aparece nos 2 segundos de transmissão da TV”.

Nem quero entar no mérito da funcionalidade questionável do exoesqueleto, pois isso daria um livro.

Assunto encerrado.

Facebook Comments

Christian Matsuy

Cadeirante, paulistano bom gourmet e piloto profissional (de autorama)

3 comentários em “A polêmica do Exoesqueleto

  • sexta-feira, 20 de junho de 2014 em 10:34
    Permalink

    E mesmo que tenham sucesso na pesquisa, imagine o preço disso.

    junho 26th, 2014 - 11:37
    Christian Matsuy respondeu:

    Olá Ozires,

    Pode ter certeza que vai custar “baratinho”!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Connect with Facebook

X

Pin It on Pinterest

X