Ir para conteúdo principal | Acessibilidade do blog

Conteúdo Principal

Restaurante Market – Ipanema

Eduardo Camara - quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010 - 15:21

Logotipo do restaurante Market IpanemaO Market é um agradável restaurante escondido em Ipanema. Só quem está muito atento consegue perceber a entrada, que fica em plena Visconde de Pirajá, entre as ruas Garcia D´Avila e Aníbal de Mendonça.

Entrada do Restaurante Market Ipanema

Logo na entrada há uma pequena rampa e um longo corredor que termina no pátio do restaurante, com mesas ao ar livre e plantas ao redor. Se preferir – ou estiver chovendo – ainda há uma área coberta. Há mais de um tipo de mesa, e a que usei acomodou bem a cadeira de rodas. Na parte coberta do restaurante, o espaço é um pouco apertado, mas com um pouco de paciência é possível circular. É na parte interna que também fica o banheiro feminino, que é adaptado e pode ser usado por cadeirantes de ambos os sexos.

Mesas do Restaurante Market Ipanema

O pãozinho que comemos de entrada era ótimo e a comida também estava muito boa, assim como o smoothie (mistura de frutas com sorvete de iogurte). Os preços regulam com o Gula Gula, Doce Delícia e outros restaurantes semelhantes. Ah, eles também servem café da manhã!

Rampa na entrada e banheiro adaptado do Restaurante Market Ipanema

Restaurante Market Ipanema
Rua Visconde de Pirajá, 499 – Ipanema
Terça à sábado das 9h à meia noite; Segunda e domingo das 9hs às 18h.
Tel: (21) 3283-1438
http://www.marketipanema.com.br

Share

Restaurante Zabor – Centro

Eduardo Camara - quinta-feira, 24 de abril de 2008 - 09:07

Entrada com rampa do restaurante ZaborHá alguns meses atrás, indo almoçar com o pessoal do trabalho, um deles sugeriu: “vamos ao Zabor!” Não conhecia o restaurante e logo perguntei como era o acesso. Como a resposta foi: “tranqüilo”, resolvi dar um crédito e fomos ao restaurante.

Meus companheiros de baia estão virando especialistas em acessibilidade, pois o lugar – tirando as calçadas no entorno – realmente era de fácil acesso. O restaurante tem rampa na entrada e o espaço interno é amplo. Mesmo nos horários de pico, é fácil conseguir uma mesa.

Ao lado dos pratos há gel bactericida. Muito prático principalmente para quem usa cadeira de rodas manual e acaba sujando as mãos nas ruas imundas do Rio de Janeiro. Mais adiante estão os balcões de comida, e se por um lado algumas partes são muito altas, por outro sempre há um funcionário do restaurante por perto e disposto a ajudar. Os pés das mesas atrapalham um pouco alguns modelos de cadeira, mas dá para dar um jeitinho. A altura delas é bastante adequada.
Gel bactericida

No fundo do restaurante ficam os banheiros. Do lado de fora estão as pias, vazadas embaixo e com boa altura. O único porém são as cubas que ficam em cima da bancada e são muito altas para quem é cadeirante. Aliás, amaldiçôo diariamente o sujeito que inventou esse tipo de cuba.

Logo ao lado das pias é que fica a maior das surpresas: um banheiro adaptado! A porta é larga, ele é espaçoso e as barras de apoio, embora um pouco altas, estão lá. Ponto para o Zabor!
Interior do restaurante
Em resumo, o restaurante é bem acessível para quem usa cadeira de rodas. Claro que há um ponto ou outro a ser melhorado, como os que já citamos nos parágrafos anteriores. O balcão de pagamento, por exemplo, seria mais um deles, pois é muito alto e acaba expondo o cadeirante na hora de digitar a senha de um cartão. Mas no geral, levando em conta as outras características do lugar como o espaço amplo e a presença de um banheiro adaptado, o local tem bom acesso!

banheiro adaptado e pia vazada, mas com cuba alta

• • •

O que gostamos:
– Acesso principal com rampa
– Banheiro adaptado
– Espaço interno amplo com piso regular
– Gel bactericida

O que pode melhorar:
- Altura de alguns balcões de comida, das cubas da pia e do balcão de pagamento

• • •

Restaurante Zabor
Rua Evaristo da Veiga, 65 – Centro
http://www.zabor.com.br/
Tel: (21) 2240-1763

ver no mapa

Share

La Mole – Tijuca

Gabriella Savine - segunda-feira, 7 de abril de 2008 - 09:03

La Mole – Tijuca

Ao chegar ao local, fomos muito bem recebidos. O restaurante possui serviço de manobrista e também uma área reservada no mesmo nível da rua, onde é possível estacionar o carro, mediante solicitação. No entanto, essas vagas não são identificadas com o símbolo internacional de acessibilidade.

O acesso principal possui uma grande rampa, que acompanha o desenho da escada. Apesar da inclinação acentuada, ela serve como exemplo da possibilidade de se usar o conjunto rampa-escada nos acessos principais.

O espaço para circulação é amplo e o piso adequado. As mesas são soltas, o que facilita a adaptação necessária, no entanto, elas são um pouco baixas. Algumas cadeiras podem ter dificuldade de ‘entrar’ embaixo delas. Nada que a boa vontade e um calço nos pés da mesa não resolvam!

Os banheiros masculino e feminino são totalmente adaptados, onde ninguém passará por aperto! A única parte do restaurante em que o cadeirante não terá acesso é o segundo andar, acessível apenas por escadas.

O serviço, o atendimento e o cardápio são ótimos, sendo uma boa escolha para qualquer hora do dia!

• • •

O que gostamos:

• Estacionamento
• Acesso principal com rampa
• Banheiros adaptados
• Espaço interno amplo com piso regular

O que pode melhorar:

• Escadas para acessar o segundo andar
• Rampa com inclinação acentuada
• Mesas um pouco baixas

• • •

La Mole Tijuca
Rua Marquês de Valença, 74/78 - Tijuca – RJ
Tel: (21) 3460-0800
www.lamole.com.br

Veja localização no mapa

Share

Um bate papo informal

Bianca Marotta - quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 - 09:02

Sempre que avaliamos um local, entramos em contato com seus responsáveis, falamos um pouco sobre nossas impressões, damos sugestões sobre o que pode ser melhorado e ficamos na expectativa de uma resposta. Poucas vezes ela chega, mas quando chega, pode ser de uma forma tão positiva que compensa todas as tentativas frustradas.

Enquanto escrevia o texto sobre o Botequim Informal de Copacabana, resolvi entrar em contato com a franquia, via site, para explicar que era cliente há algum tempo, que conhecia as casas da rede e que algumas delas tinham diversos problemas de acesso para mim, que sou cadeirante. Não cheguei a citar o blog, nem que iria escrever uma avaliação sobre a filial de Copacabana. Talvez por isso o espanto tenha sido ainda maior quando recebi a resposta diretamente de uma das cabeças do Botequim Informal: Gustavo Gil, um dos sócios da rede, lamentou a desinformação sobre o assunto e sugeriu um encontro para que nos conhecêssemos e falássemos sobre a questão do acesso nas diversas filiais. Foi então que contei sobre o blog, e sobre a avaliação que fizemos de uma de suas lojas.

Algumas semanas depois, a equipe do Mão na Roda  acabou se encontrando com Gustavo e conversamos sobre diversos assuntos, entre eles o acesso aos estabelecimentos, soluções para problemas comuns, a importância de pensar na acessibilidade desde o projeto arquitetônico – o que barateia o custo das adaptações – e também o principal: como a acessibilidade é importante no dia a dia das pessoas com deficiência, que também são consumidoras.

Saímos de lá com ótimas impressões, a promessa de que os estabelecimentos já existentes serão adaptados gradualmente e, ainda melhor, que os projetos daqui pra frente levarão em conta o acesso para cadeiras de rodas!!!

É nessas horas que percebemos o quanto um pequeno esforço pode fazer diferença e ficamos ainda mais empolgados com nosso blog! Esperamos que, em breve, possamos visitar um Informal totalmente acessível e que mais gente siga o exemplo de Gustavo!

Share

Lateral Direita

Buscar

Banner da loja virtual Cavenaghi